quarta-feira, Setembro 03, 2014

O blusão TAD V 4.0 - 2ª parte

Existem zonas de velcro nos braços para colocação de insígnias ou identificação ou mesmo adição de pequenas bolsas complementares, e outras de dimensão muito inferior às dos braços espalhadas pelo corpo, tal como para prender o capuz na zona posterior, de forma a ajudar a proteger o pescoço quando esteja enrolado.

O capuz proporciona uma excelente protecção contra os elementos, sendo perfeitamente ajustável e cobrindo grande parte da face, deixando pouco mais do que os olhos visíveis, sendo possível de usar integrado com outro tipo de equipamento ou vestuário, que podem incluir uns óculos de protecção, um cachecol ou um gorro.

Os bolsos, distribuidos pela parte superior dos braços, na zona inferior do braço esquerdo e no corpo, têm uma capacidade razoável e o seu número permite distribuir de forma equilibrada e ao alcance da mão um sem número de pequenos objectos que, de outra forma, exigiriam um sistema de transporte alternativo, como um colete ou bolsa.

Alguns destes bolsos são complexos, incluindo passagem para cabos áudio o que permite guardar um rádio ou telemóvel no bolso e usar o auricular e microfone, gancho para prisão de equipamentos, bolsa interna para canetas ou outros objectos de configuração semelhante, sendo complementados com um cordão destinado a segurar ou prender utensílios ou equipamentos.

terça-feira, Setembro 02, 2014

Projecto de arrumação para porta bagagens de Discovery 1

É nossa intenção conceber e construir uma prateleira em madeira ou contraplacado náutico, suportada por estrutura ou calhas em metal, com que permita acomodar no porta bagagens do Discovery 300Tdi um total de 4 "Wolf boxes" e um par de "jerry cans" de 20 litros, com as dimensões padronizadas da NATO.

A ideia básica é seguir de alguma forma a ideia publicada recentemente na Land Rover Owners, colocando os "jerry cans" na lateral, junto da porta traseira, fixos por uma peça em alumínio dobrado e seguros por um esticador fixo nessa mesma peça, com a prateleira permitir colocar na parte inferior as "Wolf box", no sentido da largura, em conjuntos de duas.

A prateleira seria suportada por três suportes também em madeira, sendo as ligações entre elas e ao veículo efectuadas através de cantoneira em metal, pelo que todo o conjunto seria simplesmente aparafusado, o que, uma vez na posse das peças, permite uma montagem simples e rápida, facilitando igualmente a sua remoção em caso de necessidade.

Naturalmente que podem ser adicionados outros detalhes ou funcionalidades, selecionados equipamentos complementares ou optando por uma finalização específica, estando abertos a sugestões e colaborações, sobretudo por parte de quem procure uma solução semelhante e queira participar neste projecto, que após finalizado pode ser usado pelos proprietários deste modelo de veículo.

segunda-feira, Setembro 01, 2014

Contratos para que vos quero... - 3ª parte

No entanto, uma solução mais elaborada tende a ser permanente, enquanto o recurso a paineis solares móveis ou amovíveis é temporário, facilitando o seu uso em locais distintos, o que pode ser interessante caso esteja em caso, por exemplo, uma viagem com estadia em diversos locais.

A totalidade dos equipamentos mencionados, incluindo o "Conjunto de campismo" e paineis solares cabem facilmente numa única caixa do tipo "Wolf Box", modelo pelo qual optamos em função da relação qualidade preço muito favorável, mas também por serem empilháveis e fáceis de acomodar nos Land Rover de que dispomos para viagens ou explorações.

Seja recorrendo a uma habitação, mesmo que desprovida de muito daquilo a que estamos habituados, seja utilizando, essencialmente, um veículo com um mínimo de preparação, é possível manter alguma autonomia energética por um período limitado de tempo, recorrendo ao combustível da viatura e a energia solar, sem que daí resultem demasiadas dificuldades ou incómodos.

Recorrendo a algumas das tecnologias disponíveis, algumas das quais são facilmente acessíveis sem custos elevados, e mediante um conjunto de opções que, mesmo que reduzindo um pouco o conforto, permitem mantê-lo dentro de limites aceitáveis, é possível prescindir de um conjunto de contratos cujos consumos são insignificantes face ao total de custos, bastando para tal alguma imaginação, um pouco de trabalho e um investimento módico que rapidamente tem retorno.

domingo, Agosto 31, 2014

O blusão TAD V 4.0 - 1ª parte

Apesar de, aparentemente, o Verão ter começado há pouco, com a entrada em Setembro começa-se a selecionar os equipamentos e vestuário a utilizar com o tempo mais frio, pensado para os dias de chuva, mas cuja temperatura não permite usar blusões mais pesados, optando-se por um modelo intermédio, funcional e de boa qualidade.

O TAD (Triple Aught Design) V 4.0 é um blusão tipo "soft shell" destinado a uso desportivo, como a corrida ou a caminhada, e a utilização militar, integrado num conjunto táctico que inclui outras peças de vestuário e de equipamento, sendo uma peça extremamente prática e polivalente que pode ser usado em inúmeras situações, sobretudo caso se opte por uma das cores mais neutras.

O tecido é confortável, quente, resistente, repelente a água, garantindo uma boa impermeabilização, permite a passagem de transpiração, sendo composto por três camadas de tecidos tecnologicamente avançados, que incluem o spandex, um revestimento de PU e uma camada de index com densidade de 8000 gramas por metro quadrado.

Este modelo inclui um capuz com pala, que pode ser recolhido e acomodado atrás do pescoço, tem um total de 8 bolsos, sendo os 6 exteriores fechados por fecho éclair YKK, o mesmo modelo usado no fecho do blusão, possui sistema de ajuste para evitar perdas de calor em velcro nos punhos e com um cordão na zona inferior.

sábado, Agosto 30, 2014

Contratos para que vos quero... - 2ª parte

Por outro lado, o candeeiro a gás proporciona uma iluminação agradável, pouco agressiva, e suficiente para iluminar a divisão de uma casa, permitindo ler sem esforço ou desempenhar outras tarefas, tendo como senão o destinar-se sobretudo a uma utilização estática, pelo que convém ser complementado por uma lanterna eléctrica.

Naturalmente que se for esta a opção e não estiver disponível electricidade, sugerimos que seja instalado no veículo usado nas viagens um inversor de corrente, que permita carregar durante o trajecto equipamentos eléctricos com bateria, como computadores portáteis ou telemóveis, e, mesmo parado, suportar pequenos electrodomésticos, como uma máquina de barbear.

Obviamente, para uma maior segurança e uso mais prolongado, o recurso a uma segunda bateria, com um sistema de gestão adequado, que permita salvaguardar a bateria principal, da qual depende o funcionamento do veículo, permite ainda dispor de um pequeno sistema de arrefecimento, onde seja possível manter refrigerados durante umas horas alguns alimentos e bebidas.

Para situações que impliquem outros recursos, sugerimos a utilização de paineis solares, que podem ser adquiridos por um valor cada vez mais módico, sobretudo se destinados a operar a 12 volts, o que permite, com os acessórios adequados, alimentar muitos equipamentos electrónicos, podendo-se evoluir para uma solução mais complexa, e dispendiosa, caso as necessidades sejam outras.

sexta-feira, Agosto 29, 2014

Material para Discovery da "2 inch"

A "2 inch" é uma empresa nacional, baseada em Vagos, perto de Aveiro, que desenvolve e produz equipamentos ou acessórios de substituição destinadas, na sua maioria, aos Land Rover Discovery 2, também conhecidos como Discovery Td5, substituindo ou complementando as peças originais.

Com excepção do parachoques traseiro e, futuramente, dianteiro, destinado aos Discovery 1, todas as peças produzidas, que incluem parachoques dianteiro e traseiro, protecções de barras de direcção, caixa de transferências, tanque de combustível, bem como diferentes espaçadores, incluindo os populares "tacos" para elevação, destinam-se ao Discovery 2.

As peças são essencialmente em ferro ou alumínio, de grande resistência, oferecendo uma boa protecção dos veículos onde forem instalados, sendo que, por diversas razões, a opção por "tacos", independentemente da sua qualidade, não é do nosso agrado, preferindo outro tipo de opção que, mesmo sendo mais dispendiosa, oferece outras vantagens.

Apesar de exteriormente parecidos com a geração anterior, os Discovery 2 têm demasiadas pequenas diferenças quer tornam muitos acessórios incompatíveis, pelo que a existência de uma produção específica para um modelo comparativamente mais raro, é sempre bem vinda e essencial para os proprietários destes veículos.

quinta-feira, Agosto 28, 2014

Contratos para que vos quero... - 1ª parte

Vários dos nossos leitores dispõe ou têm acesso a casas de férias que, na maior parte do ano, ficam desabitadas, período durante o qual contratos de água, electricidade ou mesmo gás acabam por ser pagos, recaindo a maior parte das despesas em serviços e taxas e apenas uma pequena fracção nos consumos que justificam sua existência.

Um dos prémios disponibilizado pela Galp e que pode ser obtido trocando pontos é o "Conjunto de campismo", composto por um candeeiro e uma lanterna a gás e três pequenas botijas de gás de 190 gramas, normalizadas e que podem ser facilmente substituidas após vazias, o que proporciona uma fonte de energia e forma de a utilizar em termos práticos.

Obter este conjunto implica descontar 5000 pontos do saldo, em condições normais, ou 4000 durante promoções, tendo utilidade não apenas para os adeptos do campismo, mas também para quem tenha uma casa de férias, ocupada muito ocasionalmente e dispense contratos que implicam pagamentos de taxas de serviço mesmo não havendo consumo.

Uma destas o gás destas botijas permite cozinhar uma refeição simples para duas pessoas no fogareiro incluído no conjunto, sem grandes demoras, sendo extremamente prático no caso das refeições pré-cozinhadas, as quais implicam menor consumo de energia, pelo podem ser a melhor opção nestas circunstâncias, a menos que complementada por uma lareira ou fogueira.

quarta-feira, Agosto 27, 2014

Um ano depois das mortes no Caramulo - 3ª parte

E se não há respostas, também efectivamente não há consequências, mantendo-se estruturas de comando, e aqui temos forçosamente de incluir a cúpula política que estabelece ou determina as orientações gerais e impõe orçamentos e legislação, a qual, ao criar um dado enquadramento, assume a responsabilidade última de um cenário onde os actores seguem um guião que, nos seus detalhes decisivos, desconhecem.

Nem, ao menos, se evitou o esquecimento, forma última de desresponsabilização ou de afastar uma consciência pesada, mas que constitui uma última forma de insulto contra a memória dos que partiram e os que ainda persistem na mesma missão em condições que em tudo replicam aquelas onde se perderam vidas.

Dos inúmeros inquéritos e relatórios, muitas vezes confusos, contraditórios, tantas vezes refeitos em função das conclusões pretendidas na altura da sua instauração, nunca houve consequências, apontando-se sistematicamente para os mais vulneráveis ou para quem, pura e simplesmente, já não se pode defender, protegendo sempre a hierarquia.

Optamos por distribuir esta pequena reflexão por três textos, cada um deles ilustrado pela foto de um dos bombeiros que perderam a vida no combate ao grande incêndio do Verão passado na Serra do Caramulo, como recordação e homenagem não apenas estes três bombeiros, mas a todos os que perderam a vida em serviço, e que, ao londo destes últimos anos, se cifram em várias dezenas.

terça-feira, Agosto 26, 2014

Novos pneus no Discovery - 3ª parte

Desta forma, fica concluido uma das fases de recuperação do Discovery, concretamente a que envolve os aspectos relativamente a suspensões, travagem e pneus, seguindo-se na próxima etapa toda a parte mecânica, e terminando na de pequenos retoques, sobretudo a nível estético, e nos opcionais e acessórios, a qual será, obviamente, a que se reveste de menos prioridade.

Entre estes, incluiremos algumas ideias que permitem utilizar o Discovery em expedições ou actividades, adicionando componentes e modificando outros, de modo a obter um novo conjunto de funcionalidades que irão também acrescentar novas capacidades e melhorar o desempenho das já existentes.

Uma das ideias é a de construir um sistema de arrumação, basicamente uma prateleira, com as dimensões adequadas a colocar na parte inferior 4 "Wolf Box" e, lateralmente, um par de "jerry cans" de 20 litros, ficando o espaço superior para colocação de outros volumes.

Queremos, finalmente, agradecer ao Nuno Mathiotte da Área4x4 pelo trabalho efectuado nestes dias em que o Discovery foi substancialmente melhorado, ficando agora com um nivel de fiabilidade e segurança muito mais elevados do que antes destes conjunto de melhoramentos e reparações.

segunda-feira, Agosto 25, 2014

Um ano depois das mortes no Caramulo - 2ª parte

Se por um lado os anunciados equipamentos de protecção individual não foram entregues atempadamente, e a qualidade de muitos dos que o foram deixa demasiado a desejar, sendo mais que duvidoso que apresentem vantagens substanciais relativamente aqueles que vieram substituir, em termos estruturais não se verificou qualquer evolução positiva.

Desde as comunicações, e já dói falar do malfadado SIRESP, cujo preço rivalizar ferozmente com a ineficácia, passando pela prevenção, conceito que se perde de tão ignorado ou distorcido, e terminando na estranha qualidade e falta de padronização de equipamentos fornecidos, para mencionar apenas algumas de uma lista que se revelaria repetitiva e fastidiosa, muito continua sem resposta, independentemente de recomendações ou resoluções.

O papel do Estado e dos orgão públicos, com especial destaque para as autarquias, falharam de forma indiscutível e clamorosa, sobretudo no aspecto da entrega dos equipamentos de protecção individual, reconhecidamente essencial, os quais, em diversos casos, foram suportados pela solidariedade ou pelos próprios bombeiros, que para o pagar prescindiram de uma já magra compensação pela sua inclusão no dispositivo de combate aos fogos.

Este é apenas mais um dos aspectos do abandono a que foram deixadas muitas corporações, dependentes cada vez mais dos escassos recursos locais e das acções de solidariedade que algumas instituições e numerosos particulares que ai invés de complementar, efectivamente substituem o papel do Estado na sua obrigação de equipar quem participa em acções de risco em prol da comunidade.
Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin