segunda-feira, maio 20, 2019

O SIRESP sob controle do Estado - 3ª parte

Em termos de vantagens, podemos dizer que o SIRESP oferece a maior segurança de uma rede privada, com acessos controlados, tendo os seus utilizadores uma rede extra, dado que podem, para além dos rádios usados neste sistema, usar os seus próprios equipamentos nas várias redes comerciais.

Assim, podemo-nos interrogar se o Estado deve, efectivamente, investir neste sistema, assumindo a posição maioritária, com os investimentos decorrentes, e que são particularmente pesados, sabendo-se que, mesmo que a resiliência aumente, levando a uma ausência de falhas, as funcionalidades não correspondem ao actualmente exigível.

É óbvio que, para além dos custos financeiros envolvidos numa solução completamente nova, existem custos políticos para os partidos que escolheram esta solução e para os protagonistas do negócio, alguns dos quais permanecem no activo e dificilmente aceitariam que este projecto se revelasse um fracasso, com o desempenho operacional que todos conhecemos e o eternizar de conflitos e despesas que, no final, não teriam retorno substantivo.

A falada nacionalização, sempre possível caso não haja acordo, terá custos difíceis de calcular, entrando-se no campo da imprevisibilidade que sempre resulta de um conflito, sendo certo de que, se numa primeira fase pode parecer que o Estado terá poupado ao seguir esta opção, posteriormente o valor pode ser francamente superior, com todos os inconvenientes operacionais resultantes da conflitualidade entre o novo accionista maioritário e o dono da infraestrutura que suporta o sistema.

domingo, maio 19, 2019

Land Rover Owners de Junho de 2019 já nas bancas

Já está presente nos locais de venda habituais a edição de Junho de 2019 da Land Rover Owners International, com o protagonismo a ser de um artigo com 12 páginas sobre os problemas da tracção, ou da falta desta, e das formas de obter uma melhor aderência e desempenho em terrenos difíceis ou grandes angulos.

Um Discovery 2 adaptado como viatura de viagem, ou mesmo de férias, os melhoramentos no sistema de travagem de um Defender, que de origem não terá os melhores travões do mundo, a recuperação de um "One Ten" com motor V8, sobrevivente da guerra dos Balcãs e o novo Defender, finalmente sem camuflagem, merecem igualmente destaque na capa deste número.

A condução fora de estrada, nomeadamente alguns dos percursos mais conhecidos e apreciados em Inglaterra, mas também no longínquo Sri Lanka, uma interessante coleção com uma centena de Land Rover no Médio Oriente, um Series I de 80 polegadas construído em 1952, merecem igualmente uma leitura, abrangendo diversos modelos muito diferentes da marca.

Estão, ainda, presentes artigos sobre actividades dos diversos clubes de aficionados da Land Rover, ma secção técnica, onde o destaque vai para a instalação de um "snorkel" num Discovery 2, para além das secções permanentes e da extensa publicidade temática, onde os acessórios ou opcionais para obter melhor tracção estão presentes, complementam este número de uma revista que continua a ser muito popular entre os adeptos da marca.

sábado, maio 18, 2019

A Geeetech Prusa I3 A Pro - 4ª parte



Não obstante a sua extensão, as instruções são claras, assumindo que quem procede à montagem identifica correctamente as peças, sendo de aconselhar que disponha de uma caixa com múltiplas divisórias onde possa ir colocando pequenas peças, como parafusos, porcas ou anilhas, devidamente separados e sem risco de se perderem.

Devemos, no entanto, alertar para o facto de haver pequenas variantes neste mesmo modelo de impressora, pelo que podem surgir pequenas dúvidas ou mesmo algumas inconsistências, sendo que, no limite, as instruções escritas se contradizem e nenhuma delas está correcta para a vairante que temos diante de nós, obrigando a alguma investigação e bom senso, para o que é essencial o entendimento do funcionamento deste tipo de equipamento, o que permite esclarecer muitas dúvidas.

Também será de dispor de um espaço adequado, uma bancada ou mesa com boas dimensões, num local devidamente iluminado, para proceder à montagem, sendo ideal que possa deixar os componentes montados nos locais onde sejam visíveis e haja uma maior percepção da sua posição no conjunto final, o que ajuda bastante no processo de montagem por facilitar a detecção de erros na integração dos vários conjuntos que darão origem a um equipamento funcional.

A montagem inicia-se pelos vários conjuntos que irão dar origem à estrutura onde irá deslizar a cama de impressão, num processo de fácil entendimento, mas onde os detalhes e a precisão fazem toda a diferença, sendo necessário assegurar uma esquadria correcta, que será aferida de forma visual e por medição, com a regulação a ser efectuada através das porcas sobre o eixo roscado.

sexta-feira, maio 17, 2019

Buy Me a Coffee


Buy Me a Coffee at ko-fi.com

A Geeetech Prusa I3 A Pro - 3ª parte

Esta informação pode ser complementada pelo manual de operação, este de melhor qualidade, onde são abordados todos os passos, desde a instalação e configuração do "software" proposto, detalhando os parâmetros mais adequados para esta impressora específica, passando pelos testes e ajustes, e finalizando na impressão.

Será de salientar que o "software" mencionado, o "Repetier", e que se encontra disponível no "site" da Geeetech, é a versão 1.6, já algo antiquada, estando disponível no "site" do autor do "software" a versão 2.1.3, bastante mais recente, que será francamente mais adequado para os dias de hoje, podendo serem utilizados outros programas, como o "Cura", que temos utilizado com outros modelos de impressora.

Abrindo a caixa, a primeira peça que surge é a estrutura vertical, em alumínio, sendo imediatamente perceptível que estamos diante de um equipamento de elevada qualidade de construção, incluindo mesmo um conjunto de chaves que vai muito para além do necessário, ou uma caneta com o logo da marca, com a disposição das peças de forma lógica e um embalamento de bom nível.

A ausência de um livro de instruções impresso, obviamente, não é do nosso agrado, embora consigamos entender que mais de meia centena de páginas ilustradas tenha o seu custo, ficando a documentação incluída pelas listagens de peças, com ilustrações, e as habituais e obrigatórias informações de segurança, o que obriga a uma consulta permanente das instruções num equipamento informático ou a sua impressão a custos do proprietário.

quinta-feira, maio 16, 2019

O SIRESP sob controle do Estado - 2ª parte

Em termos básicos, poucos aceitariam um contrato de comunicações que apenas disponibilizasse as funcionalidades do SIRESP, as quais não incluem algo tão comum como o suporte de imagens ou de um fluxo de dados que permita a navegação sobre um mapa digital, bem como todo um conjunto de aplicações complementares que podem contribuir para a segurança em situações de emergência.

Ou seja, o SIRESP, tal como existe nos dias de hoje, não é compatível com as necessidades actuais, sendo francamente inferiores aquelas de que dispomos num comum "smartphone" registados num operador que, nalguns casos, oferece maior fiabilidade, mesmo em caso se catástrofe, do que a rede concebida para funcionar durante situações críticas.

Lembramos que, em muitos casos no passado, o SIRESP colapsou ou teve constrangimentos em áreas específicas, enquando as comunicações de alguns operadores se mantiveram activas, sendo usadas para as operações de socorro, algo que, com a redundância via satélite, não deverá acontecer, mas que depende da forma como a implementação for feita.

Naturalmente, caso as estações terrestres sejam afectadas ou haja um maior congestionamento em áreas específicas, algo espectável caso decorra uma operação com elevado número de efectivos, a redundância oferecida pela comunicação via satélite não acrescenta disponibilidade, podendo continuar a verificar-se todo um conjunto de constrangimentos e limitações que comprometa o uso do sistema.

quarta-feira, maio 15, 2019

Catálogo da Terrafirma de Dezembro de 2018

Apesar de já ter alguns meses, tendo sido lançado no final do ano passado, o mais recente catálogo de acessórios da Terrafirma, um dos fabricantes e distribuidores de peças para Land Rover mais conhecidos, continua a justificar uma consulta e a gravação, no formato PDF em que se encontra, permitindo um acesso mais rápido e independente de acessos à Internet.

Este é um catálogo que, independentemente de aquisições, sempre consideramos particularmente interessante, bem concebido, com detalhes que vão desde a complexidade da montagem de uma peça ou equipamento, passando por uma descrição completa e a sua adequação a situações mais específicas e incluindo diversas fotos ilustrativas, incluindo depois da montagem ou aplicação, o que facilita apreciar o resultado da operação.

Tal como em edições anteriores, a gama de produtos cobre a maioria das necessidades dos proprietários da Land Rover em termos de acessórios e equipamentos, mas não em termos de mecânica, tal como acontece com alguns concorrentes, sendo bastante abrangente e variado, com produtos que, consideramos, oferecem uma boa relação entre o preço e a qualidade, pelo que alguns estão presentes nos nossos veículos.

O catálogo, de 96 páginas, não inclui preços, remetendo para os distribuidores e restante estrutura comercial, que tem o seu grau de autonomia, salvaguardando também as inevitáveis alterações que ocorrerão durante o período de vigência, sendo que em Portugal pode ser contactada a Motormáquina para efeitos de pedidos de preços e aquisições, enquanto no exterior, os mais populares "sites" com peças da marca, incluem produtos da Terrafirma.

terça-feira, maio 14, 2019

O SIRESP sob controle do Estado - 1ª parte

A lamentável novela do sistema de comunicações de emergência, popularmente conhecido por SIRESP, tem um novo capítulo com o anúncio de um acordo que permita a sua transição para o controle do Estado, algo que fora anunciado no passado sem que fosse possível que a maioria do capital passasse a ser público, dado que a Altice tinha direito de opção, que veio a exercer.

Da incapacidade de pagamentos do Estado, por falta de visto do Tribunal de Contas, dos investimentos realizados pelos privados no sentido de obter redundância, e da ameaça deste em desligar o sinal de satélite, a situação de tensão agravou-se, com apelos à nacionalização do SIRESP, algo que, tanto quanto é perceptível, continua em aberto, caso as negociações em curso não cheguem a bom porto.

Sendo a questão da nacionalização bastante delicada, com implicações legais complexas e a possibilidade de um longo litígio judicial que pode terminar na condenação do Estado ao pagamento de pesadas indemnizações e com um impacto grave na credibilidade das instâncias públicas, temos que crer que este será, sobretudo, um argumento negocial, usado para pressionar os privados, mas que nunca será concretizada, mesmo que o processo negocial se revele um fracasso.

Enquanto o Governo garante que o SIRESP continuará operacional e com redundância, dependendo a forma de como tal é alcançado das actuais negociações, afirmando que não serão comprometidas as comunicações de emergência que este sistema visa assegurar, a própria defenição de operacionalidade deve ser colocada conjuntamente com as funcionalidades implementadas e que, consideramos, encontram-se desactualizadas e incompatíveis com as exigências dos dias de hoje.

segunda-feira, maio 13, 2019

Guia de Aventuras da Land Rover Owners

De formato algo semelhante ao dos diversos guias previamente publicados, como os referentes a modelos específicos ou manutenção, a Land Rover Owners International, lançou um guia de aventuras fora de estrada, adequado a quem disponha de um Land Rover mas, naturalmente, excluindo algumas especificidades, possível se ser seguido com modelos similares de outras marcas.

Este guia inclui um conjunto de passeios ou viagens consideradas como as favoritas pela redação da revista, estando presentes viagens em Marrocos, na Islândia e nos Alpes, ou seja cobrindo alternativas completamente distintas e que implicam preparações diferentes dado que serão encontradas dificuldades particulares de cada ambiente.

Como exemplo de um veículo particularmente adequado a estas aventuras, encontra-se, por exemplo um Discovery 2, adaptado a estas viagens, ou um mais antigo 101 "Forward control", que possui capacidades interessantes, incluindo a nível de volumetria e do espaço que disponibiliza, mas também artigos sobre recursos necessários e alteranativas ou opções quando algo não decorre como esperado.

Sendo dado protagonismo aos locais a visitar, estão presentes diversos modelos de Land Rover, incluindo alguns dos mais antigos, com opções de preparação interessantes, onde é possível recolher ideias aplicáveis em muitos veículos, pelo que, para além de um guia de aventuras, é também um manual de preparação para as mesmas, o que justifica a respectiva aquisição que, quase certamente, terá que ser efectuada via Internet, já que a distribuição em Portugal é improvável.

domingo, maio 12, 2019

A Geeetech Prusa I3 A Pro - 2ª parte

Apesar de comercializada por um preço que pode rondar as três centenas de Euros, esta impressora pode ser encontrada em leilões a preços muito inferiores a metade do valor de tabela, sendo que, caso haja interesse num equipamento deste tipo, preços abaixo dos 150 Euros serão de considerar.

Esta versão tem algumas particularidades que convém realçar, nomeadamente o módulo de alimentação e controle separado, numa caixa de alumínio fechada, onde se encontra o écran LCD que permite visualizar o estado ou actividade do equipamento, bem como uma estrutura inteiramente em alumínio, de uma qualidade de construção e solidez típico de impressoras de um nível muito superior.

Por outro lado, a complexidade de montagem é superior à de muitos outros modelos, por não incluir conjuntos já montados, obrigando a um trabalho mais moroso, seguindo meia centena de páginas de instruções, felizmente com ilustrações adequadas, e que pode ser acompanhado pelos vídeos presentes no canal do fabricante no Youtube.

Sugerimos aos eventuais interessados neste modelo que avaliem, através das instruções, que podem ser consultadas ou descarregadas, e dos vídeos disponibilizados, se estão dispostos a enfrentar o desafio de montar e afinar esta impressora, o que implica, para além de alguma apetência por este tipo de actividade, algum tempo e um espaço adequado para esta tarefa.