sábado, janeiro 19, 2013

Chegaram as jantes para o Defender

Image Hosted by Google Uma das jantes depois de entregue

Enviadas via UPS, do que decorre uma maior rapidez, que se traduz em perto de quatro dias úteis de trânsito, mas que corresponde a um preço de transporte mais elevado, mesmo tendo em conta que o peso total ronda os 60 quilos, as jantes encomendadas na 3ª feira a um fornecedor inglês chegaram na 6ª ao final da tarde.

Daremos, assim, início a um processo que implica não apenas a troca dos pneus, o que passa por diversos passos, mas também a execução de um conjunto de trabalhos que tinham sido sucessivamente adiados como resultado das restrições à circulação do Defender.

Operações como a troca do "intercooler" pelo modelo da Forge Motorsport, que adaptamos para o efeito reposicionando os bocais, a instalação dos faróis adicionais, substituição da consola central por outra mais resistente e com mais comandos, colocação de uma câmara de marcha atrás, entre outros, serão efectuadas brevemente, prevendo-se a sua conclusão durante o presente mês.

Durante a próxima semana, mas provavelmente no fim de semana, iremos dar início a estas tarefas que, sendo morosas e por implicarem um espaço adequado, obrigam a recorrer ao auxílio de terceiros, pelo que dependemos sempre da sua disponibilidade para a efectivação dos trabalhos previstos.

sexta-feira, janeiro 18, 2013

Poupar nalgumas improvisações - 3ª parte

Image Hosted by Google Uma bolsa para baterias

Uma outra opção, menos intuitiva, é a de adquirir no mercado nacional uma bolsa com dois compartimentos destinada ao transporte de um maço de tabaco e isqueiro, que aqui serão substituidas por um par de baterias e outro de cartões de memória, os quais cabem perfeitamente no seu interior.

Ao contrário do modelo anterior, este possui uma presilha destinada a prendê-la a um cinto, útil neste caso para a prender na alça da máquina, pelo que o trabalho de adaptação não é necessário, mas aconselha-se, tal como no caso anterior, a recorrer a um pouco de velcro para manter a bolsa no local pretendido.

O processo é muito simples, basta colar ou coser um pouco de velcro na alça e outro no interior da presilha da bolsa, o que evita o seu deslizamento, sem dificultar a sua remoção em caso necessidade, após o que esta bolsa, que custa perto de dois Euros e meio, e é feita em imitação de pele, está pronta para ser utilizada.

Qualquer destas bolsas custa francamente menos do que modelos construidos para o efeito, sem perder grandes funcionalidades, libertando assim fundos para outros equipamentos ou items cuja sofisticação dificulta a sua substituição por uma improvisação.

quinta-feira, janeiro 17, 2013

Poupar nalgumas improvisações - 2ª parte

Image Hosted by Google Uma bolsa para memórias com baterias

Estas pequenas bolsas, com perto de 70 x 7 x 12 mm, são feitas em nylon resistente e impermeável, fechadas por um fecho eclair e possuem elásticos internos para ajustar ou prender memórias ou, no seu lugar, uma bateria como a BP-511 ou NB-2L.

Falta uma funcionalidade importante, um sistema que permita prender a bolsa na alça da câmara, mas a mesma pode ser feita com facilidade usando tiras de nylon provenientes de outra alça, de menor qualidade e sem uso nas suas funções originais, mas que tem a resistência adequada para este fim.

Para o efeito, basta cortar a alça à medida e cosê-la ou mesmo rebitá-la num dos lados da bolsa, após o que esta pode ser facilmente presa na alça da câmara, de forma a ter uma bateria e memória suplementa imediatamente disponíveis e ao alcance da mão.

Este tipo de bolsa custa, com portes, menos de Euro e meio, incluindo portes a partir da Ásia, pelo que adquirir um par delas por cada máquina fotográfica será uma opção a ter em conta, tendo sempre um valor muito inferior ao de bolsas mais específicas.

quarta-feira, janeiro 16, 2013

Novas jantes para o Defender - 2ª parte

Image Hosted by Google O modelo de jantes seleccionado

Este modelo de jante, para além de permitir a montagem de pneus homologados, algo que consideramos essencial em termos de circulação, mantém a aparência do veículo, salvaguardando algumas pequenas diferenças, inevitáveis quando se migra em termos de pneus e do tipo de jante, 5 cm mais estreita.

Abstraindo destas questões, e dado que o custo de manter os pneus na medida actual tem um custo desproporcionado, implicando a aquisição de pneus novos, extremamente dispendiosos na medida 33/12.5R15, bem como a necessidade de proceder à sua homologação, esta foi considerada a opção mais equilibrada e que implica menos custos e riscos de multa.

Quando as jantes forem entregues, será necessário proceder à montagem dos pneus, substituição dos conjuntos actualmente montados, proceder à equilibragem do novo conjunto e ao alinhamento da direcção, após o que será agendado mais um conjunto de modificações e melhoramentos, para os quais existe material, mas que tem sido adiado devido ao risco de circular com o Defender nas actuais condições.

Relativamente ao material a retirar, jantes e pneus, a intenção é vendê-los, dado que a possibilidade de voltar a utilizá-los é remota e o espaço para os armazenar praticamente inexistente, para além de a verba a obter desta forma ser bastante útil na prossecução de outros projectos actualmente em curso.

terça-feira, janeiro 15, 2013

Poupar nalgumas improvisações - 1ª parte

Image Hosted by Google Uma bolsa para memórias

Existem equipamentos especificamente destinados para quase todos os fins, normalmente bem concebidos e que implementam um conjunto de funcionalidades interessantes, ao que se alia um volume pequeno, que facilita o transporte, tendo, normalmente, como senão um preço elevado.

Quando se trata de actividades tipicamente dispendiosas, tal torna-se ainda mais evidente, já que os seu praticantes estão mentalizados para o facto de que os equipamentos que utilizam tendem a ser caros, estando dispostos a pagar um preço elevado por eles.

Obviamente existem alternativas, para o que é necessário apelar a alguma imaginação, mas que permite poupar algum dinheiro, o que consideramos mais que essencial nos tempos que correm, razão pela qual optamos por improvisar ou modificar equipamentos baratos, em vez de optar por versões mais dispendiosas, mesmo que com algumas características melhor implementadas.

As bolsas para usar nas alças das máquinas fotográficas, onde se podem transportar alguns items que se deve ter à mão, como baterias ou cartões de memória suplementares, estão disponíveis no mercado, mas o seu preço tende a ultrapassar a dezena de Euros, o que, não sendo muito, parece exagerado face ao valor real do equipamento, sobretudo se comparado com items semelhantes.

Novas jantes para o Defender - 1ª parte

Image Hosted by Google O modelo de jantes seleccionado

Desde há muito que pretendemos trocar os pneus do Defender, actualmente 33/12.5 R15, por pneus homologados, concretamente 265/75R16, o que implica trocar as actuais jantes de 15" por umas de 16", mantendo, tanto quanto possível, o actual "offset".

As jantes em uso, adquiridas juntamente com o Defender, têm um "offset" negativo particularmente pronunciado, com uma profundidade, desde a face interior, onde apertam os parafusos, ao bordo exterior, que ronda os 15 cm, sendo esta característica rara em modelos de 16" e com 8" de largura.

Após longas pesquisas, encontramos em Inglaterra um modelo que corresponde ao pretendido, perdendo apenas 1 cm na profundidade, algo que consideramos aceitável, dado que, mesmo com as abas mais largas, continuamos a ter os pneus a sair ligeiramente dos contornos da carroçaria.

Optamos assim pela Extreme Offset Wheels, que oferece dois modelos, um modular, outro de cinco raios, com o conjunto de 4 jantes a custar 175 libras mais portes para Portugal, do que se resulta um valor final de 246 libras, ou seja, um valor final de pouco menos de 300 Euros.

segunda-feira, janeiro 14, 2013

Consola da MudStuff para Defender

Image Hosted by Google Uma consola da MudStuff para Defender

O recurso a consolas no tejadilho dos Defender é cada vez mais comum, com diversos fabricantes a apresentar modelos com características diversificadas, do que, para além de maior leque de escolha, resulta numa descida de preços, com modelos abaixo dos 200 Euros, como no caso da muito recente proposta da MudStuff.

Este modelo segue muito as linhas da consola superior dos Discovery, mas possui uma baía DIN central que permite montar um rádio ou CB, bem como um painel com múltiplos usos, disponibilizando ainda locais de armazenamento laterais abertos onde podem ser armazenados items ou equipamentos relativamente planos.

A instalação é simples e não implica alterar o forro, mas implica reposicionar diversos elementos originais, como as palas de sol, espelho retrovisor e luz interior, recorrendo-se aos pontos de fixação destes, bem como a parafusos laterais, para instalar a consola, num processo relativamente simples e rápido.

O preço aproxima-se das duas centenas de Euros, um valor justificado pela qualidade do material, mas alto quando comparado com o modelo mais convencional da Terrafirma, que oferece um maior espaço de arrumação interior, aliado a maior flexibilidade de uso.

Objectiva Holga para Canon EOS - 2ª parte

Image Hosted by Google Uma objectiva Holga para Nikon

Estas objectivas instalam-se de forma semelhante à de qualquer outro modelo, não possuindo contactos eléctricos, pelo que o sistema de controle da câmara fica em aberto, sem terminação, o que pode provocar uma mensagem de erro semelhante à de quando não está instalada qualquer objectiva.

Estão disponíveis diversos acessórios, como o FEL-HL com lente tipo "olho de peixe", o conjunto de filtros coloridos DFS-120-1, a tele HT-25, a grande angular HW-05, a lente de aproximação ou "close up" CLS-1 e a "macro" MLS-1, todas possíveis de adquirir a muito baixo custo.

Esta objectiva, a HL-C, disponível em várias cores, vem acompanhada de tampa de protecção, bem como a respectiva embalagem e manual de instruções, custando perto de uma dúzia de Euros, incluindo portes a partir da Ásia, um valor abaixo de uma "lomo" convencional de 35 mm.

Naturalmente que existirão sempre diferenças, ou nuances, entre fotos convencionais, com rolo, e digitais, dado que a multiplicidade de factores físicos e ambientais tem um impacto diferente, com as primeiras a serem francamente mais vulneráveis, o que, mesmo com toda a tecnologia existente, nunca é completamente reproduzido.

domingo, janeiro 13, 2013

Objectiva Holga para Canon EOS - 1ª parte

Image Hosted by Google Uma Canon EOS 20D com objectiva Holga

A lomografia é um estilo ou técnica fotográfica que deriva das conhecidas máquinas Lomo, que recorrem ao sistema "pinhole", as quais foram produziadas no bloco de Leste, como forma de disponibilizar equipamentos a muito baixo preço, colocando-as ao alcance das suas populações.

Embora se continuem a produzir equipamentos segundo estes princípios, que recorrem aos conhecidos filmes de 35 mm, um efeito semelhante pode ser obtido a partir de câmaras digitais quando se possa instalar uma objectiva que permita um efeito semelhante.

Existem diversos modelos de objectivas para obter o efeito das máquinas Lomo e destinadas a câmaras digitais, na sua maioria funcionalmente idênticas, apenas com um sistema de encaixe próprio e específico para cada máquina, sendo os mais conhecidos os produzidos pela Holga.

O Holga HL-C tem uma distância focal de 60 mm e uma abertura f8, com o orifício de 0.25 mm, tem sistema de focagem manual, e é compatível, neste caso, com todas as Canon EOS, tendo apenas 38 x 57 mm e um preso de 38 gramas, havendo versões para marcas como a Nikon, Olympus ou Sony Alpha, entre outras.
Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin