sábado, março 17, 2007

"Super SMS" da TMN disponível segunda-feira


Image Hosted by ImageShack
Campanha do "Super SMS" da TMN

A TMN vai lançar um novo serviço, designado por "Super SMS", que permite enviar e receber mensagens ilimitadas de texto, imagem e som entre telemóveis e PC's.

Este novo serviço da TMN estará disponível na próxima segunda-feira, dia 19 de Março e permitirá aos utilizadores estarem permanentemente "online" com os seus contactos, implementando no telemóvel o mesmo tipo de funcionalidades conhecidas nos computadores pessoais que usam "instant messaging".

Com este novo serviço, a troca de mensagens pode ocorrer entre PC's ou entre estes e telemóveis de forma transparente para os utilizadores, sendo possível saber quem está disponível para troca de mensagens instantâneas.

Caso o contacto esteja "off-line" no "Super SMS", as mensagens serão entregues de forma idêntica ao actual, sob o formato de um vulgar SMS.

A adesão pode ser efectuada através do "site" da TMN, no portal I9, fazendo o "download" da aplicação a instalar no computador pessoal, ou enviando um SMS para o 22200.

Os utilizadores que efectuarem o seu pré-registo até segunda-feira, data do início do serviço receberão 6 mensalidades grátis de utilização.

Após a campanha da Vodafone, que recentemente mencionamos, esta é a resposta da TMN, com a integração cada vez maior entre telemóveis e computadores pessoais de modo a que exista uma maior interacção e transparência de utilização.

GIPS vão actuar em 9 distritos


Image Hosted by ImageShack
"Airboat" em missão de vigilância num rio

A Guarda Nacional Republicana (GNR) vai duplicar para 700 os efectivos do Grupo de Intervenção de Protecção e Socorro (GIPS), para além de alargar a sua área de intervenção a novos distritos.

Este alargamente baseia-se na experiência adquirida em 2006, quando os militares da GNR integrados no GIPS, conseguiram extinguir 848 dos 890 em que foram chamados a intervir, algo que se traduz numa taxa de sucesso de 95%

Foi, portanto, decidido extender a área de intervenção do GIPS, que em 2006 abrangia os distritos Vila Real, Viseu, Coimbra, Leiria e Faro e que em 2007, fruto deste reforço em pessoal e equipamentos, passa a incluir Viana do Castelo, Braga, Porto e Aveiro.

Elementos do GIPS também estiveram presentes no Norte de Espanha em 2006, na altura em que grandes incêndios varreram a Catalunha e foi solicitada ajuda internacional.

Os GIPS dispoem de dois helicópteros em permanência nas bases de Santa Comba Dão e de Loulé, pilotados por pilotos da GNR, com um máximo de 18 meios aéreos na altura mais crítica de incêndios florestais, tendo ainda barcos três semi-rígidos e 70 viaturas todo-o-terreno equipadas para detecção e primeira intervenção contra fogos nascentes.

Este ano, vai também estar disponível uma embarcação especial para actuar em pântanos, com hélice superior na parte traseira, que se destina a operar em zonas difíceis ao longo de rios pouco navegáveis ou em áreas inundadas com acontece no Ribatejo.

A expansão dos GIPS a par da profissionalização parcial dos bombeiros continua a ser a aposta de um Governo que se esquece de um conjunto de premissas essenciais, das quais depende o sucesso ou fracasso das operações de combate aos incêndios.

O primeiro problema, de ordem estrutural, deriva da cada vez maior desertificação do Interior, potenciada pelo encerramento de serviços de primeira necessidade, dificuldades no socorro e falhas a nível de necessidades tão básicas como nas redes de distribuição de energia, nas comunicações ou a nível de segurança.

Tentar proteger um bem que não é rentável, como a actual maioria da floresta portuguesa, enquanto não existem políticas de reflorestação que permitem a zonas de especial interesse estratégico, como o Parque Nacional da Peneda Gerês, serem devidamente reabilitadas, resulta numa inevitável derrota, pois todos os anos, ardendo mais ou menos, perde-se em termos de área florestal e de sustentabilidade económica.

Um segundo problema, é a falta de aposta na prevenção, onde temos que incluir o ordenamento do território e a organização fundiária, sem o que as florestas e matos continuarão de extrema vulnerabilidade a fogos contra os quais o combate, por muito eficaz que seja, acaba por permitir a destruição de extensas zonas arborizadas.

Podemos dizer que, mais uma vez, a iniciativa continua do lado do Ministério da Administração Interna, enquanto na área do Ambiente e da Agricultura pouco se tem feito, pelo que os atritos entre membros do Governo a que assistimos no ano passado poderão repetir-se no termo de mais uma época de incêndios.

sexta-feira, março 16, 2007

Vodafone lança serviço de "web phone"


Image Hosted by ImageShack
Logotipo da Vodafone

A Vodafone lançou um serviço de videochamada que permite aos sues clientes a transmissão de voz e vídeo, bem como enviar e receber SMS e MMS a partir de um computador para dispositivos móveis.

Este serviço destina-se a possuidores de telemóveis de 3ª geração ou superior e a quem disponha de ligação à Internet de banda larga, sendo possível associar ao computador um número de telemóvel, de modo a receber nestes chamadas oriundas de outros computadores ou de telemóveis.

O Vodafone "web phone" está vocacionado para os utilizadores de computadores com ligação em banda larga e permite aos clientes da Vodafone associarem o seu número de telemóvel ao seu computador, podendo efectuar ou receber qualquer tipo de chamada ou mensagem SMS, MMS e chat, a partir de uma aplicação instalada no seu computador.

É também oferecida uma gestão e contactos, a ligação ao Microsoft Outlook e uma informação de presença, semelhante à de programas como o Messenger, que assinala a disponibilidade ou não do utilizador.

Também é possível aceder de forma simplificada a mensagens enviadas e recebidas, ao registo de comunicações e efectuar "chats" com outros utilizadores.

O serviço depende de uma inscrição e e activação, bem como da instalação de uma aplicação que pode ser obtida no "site" da Vodafone.

As comunicações de voz, video e mensagens instantâneas entre utilizadores do Vodafone "web phone" são gratuitas, sendo as comunicações de voz, videochamada, SMS e MMS para as redes móveis e fixas cobradas de acordo com o plano tarifário de cada cliente.

Os primeiros 3.000 clientes do serviço recebem kits Vodafone "web phone" que incluem uma "webcam" e um "headset" e beneficiam de 1.500 SMS e 1.500 MMS gratuitos para a rede Vodafone por semana, até ao dia 30 de Abril.

A complementaridade entre sistemas informáticos baseados em computadores pessoais ligados à Internet e telemóveis tem vindo a aumentar, com soluções interessantes e variadas como as propostas pelo Skype, sendo de louvar que a intergração se faça também a nível dos principais operadores de telecomunicações em Portugal.

A iniciativa da Vodafone pode, em vários aspectos conferir uma vantagem competitiva que será, certamente, objecto de uma resposta por parte da concorrência, factores essenciais ao desenvolvimento de novas soluções nesta área de vital importância tecnológica.

quinta-feira, março 15, 2007

É Inverno, mas o tempo quente já está próximo


Image Hosted by ImageShack
"Blueprint" do Kamov Ka-32

Em pleno Inverno é fácil esquecer que em breve as altas temperaturas e o pouco trabalho de prevenção realizado vão potenciar o aparecimento de fogos florestais.

Todos sabemos, e essa mensagem tem sido sucessivamente repetida com pouco sucesso, que o exito das operações de cada Verão depende da preparação e do planeamento realizado durante os meses de Inverno, sendo que, após análise da apresentação do dispositivo para a próxima campanha, são escassas as novidades.

Para além do reforço dos efectivos do Grupo de Intervenção de Protecção e Socorro da Guarda Nacional Republicana, que pelo seu número acaba por ter mais importância política do que prática, os meios atribuidos aos bombeiros serão, sensivelmente idênticos aos de anos anteriores, sucedendo o mesmo com o apoio aéreo disponível onde os meios adquiridos poderão não marcar presença significativa.

Dado que a aquisição dos Beriev Be-200 ao abrigo da negociação da dívida russa se gorou, tornando necessária a realização de um concurso, teremos mais uma vez meios aéreos pesados alugados e, eventualmente, o contributo dos primeiros Kamov Ka-32, caso questões contratuais ou atrasos na entrega obriguem, também neste caso, a mais uma situação de aluguer.

Com os atrasos que se têm verificado tememos, pois, que os concursos deem lugar a ajustes directos ao abrigo de declarações de relevante interesse público, do que resulta, independentemente das justificações, um óbvio prejuizo para o Estado e para o próprio desenrolar das operações.

Sem a existência de concursos e de processos transparentes, abre-se o caminho para negócios ruinosos, normalmente agravados pelos recursos a tribunal por parte de quem se sente lesado na altura das adjudicações, não sendo de estranhar que o preço pago nos ajustes directos, já de sí mais elevado do que o praticado num contrato plurianual, seja agravado por indemnizações compensatórias resultantes de processos judiciais.

Nesta perspectiva, que deriva dos atrasos processuais que são comuns entre nós, a preparação da campanha do próximo Verão surge como particularmente preocupante, facto espelhado pelo pouco relevo dado à apresentação do dispositivo e pelos anúncios feitos de surpresa na área da formação, os quais nem sequer tiveram em conta a capacidade da Escola Nacional de Bombeiros, supostamente responsável pelos cursos a ministrar ainda este ano.

Na área da formação, convém ainda lembrar os vários inquéritos cujos resultados não foram divulgados, pelo que dos acidentes não resultou a revisão e aperfeiçoamento de tácticas e métodos que evitem, tanto quanto possível, os desfechos trágicos que anualmente acontecem.

Será, pois, de concluir que os meses de acalmia foram praticamente desperdiçados, fruto de um triunfalismo fácil perante a diminuição da área ardida, o qual não teve em conta os factores que provocaram essa redução, pelo que o sucesso da próxima campanha vai depender, essencialmente, de factores que dependem de condições e condicionalismos que escapam ao controle dos decisores, colocando as vidas dos bombeiros nas mãos de circunstâncias que dificilmente podem ser previstas ou controladas.

Intercomunicador no Lidl


Image Hosted by ImageShack
Intercomunicador no Lidl

Destinado essencialmente a quem viaje de moto, o intercomunicador que o Lidl vai comercializar a partir desta 5ª feira, dia 15, pode interessar a quem utilize viaturas particularmente barulhentas.

Este modelo inclui regulação individual da intensidade de som, ligação para aparelhos áudio externos, como leitores de CD, MP3, ou outros, e inclui 2 auriculares com microfone e cabos.

O preço, sem incluir as pilhas, é de 14.99 euros e tem uma garantia de 3 anos.

Para quem goste de ultrapassar os 60 Km/h num Land Rover Série, esta será um equipamento interessante para quem pretenda manter uma conversa ou, pura e simplesmente, ouvir uma música que substitua o melodioso ruido do motor.

quarta-feira, março 14, 2007

Transferência de servidor do domínio


Image Hosted by ImageShack
Logo da Amen

Está prevista para a próxima sexta-feira, dia 16, a transferência do "site" do Verão Verde para um novo servidor, sendo necessário proceder à sua reinstalação e à reconfiguração dos redirecionamentos de correio electrónico.

Esta alteração deverá provocar uma indisponibilidade temporária do "site" e, quase certamente, dos endereços de correio electrónico associados ao domínio, não obstante as caixas de correio, alojadas num servidor do Google, permanecerem sem alterações.

Assim, caso enviem correio para um endereço do domínio Verão Verde e não obtenham resposta, solicitamos que o reenviem para o mesmo endereço do Gmail (ex teste@veraoverde.org -> teste@gmail.com).

Esperando que a transição seja efectuada de forma rápida quanto possível, agradecemos a compreensão de todos quantos forem afectados por esta alteração.

Nova versão do EarthBridge


Image Hosted by ImageShack
Écran da nova versão de EarthBridge

A versão 0.9.4.29 do EarthBridge, ainda em fase beta mas perto do que será o produto final, está disponível para ser descarregada a partir do "site" do autor.

Este pequeno programa, que trabalha com o Google Earth fazendo ligação entre um receptor de GPS e o programa geográfico do Google na sua versão livre, já foi apresentada num texto anterior, pelo que não entraremos aqui em detalhes relativamente ao seu funcionamento, mas tão somente chamaremos a atenção para algumas alterações.

A nova versão tem, no entanto, alguns melhoramentos e correcções que merecem ser descritas e que inclui uma nova lógica nas defenições de percursos, bem como correcções relativas a versões anteriores, nomedamente na informação de percursos que, em circunstâncias específicas eram desactivadas.


Image Hosted by ImageShack
Controle remoto do EarthBridge

Nesta versão, o controle remoto, que é uma janela que aparecerá sobre o Google Earth ainda não está disponível na versão oficial, mas quem quiser testá-lo pode enviar uma mensagem ao autor do programa a solicitá-lo.

Entre os projectos futuros encontram-se o suporte para o protocolo específico dos GPS Garmin, para "interfaces" USB, a reversão de percursos realizados, uma melhor conexão com os equipamentos de GPS, com inclusão de detecção e controle de erros mais apurados e reconexão automátia, a verificação automática de novas versões ou a possibilidade de envio de ficheiros de dados para a Internet de modo a permitir um seguimento remoto em tempo real.

Estes melhoramentos, sobretudo no respeitante à ligação de dispositivos USB e protocolo dos Garmin, virão permitir uma utilização mais universal deste programa que tem vindo a ser sucessivamente melhorado e que sugerimos aos nossos leitores que pretendam usar o Google Earth com suporte de GPS.

terça-feira, março 13, 2007

Novo portal www.bombeiros.pt


Image Hosted by ImageShack
Novo portal www.bombeiros.pt a partir de hoje

Recebemos a seguinte mensagem do novo portal www.bombeiros.pt, que transcrevemos, desejando, desde já os maiores sucessos nesta aventura que hoje começam.

Caros amigos

Vamos iniciar a partir da próxima Terça-feira dia 13.03.07 um novo site dedicado aos bombeiros.

Poderá registar-se gratuitamente e consultar o nosso site, que será o site de todos nós.

Esperamos contar consigo na divulgação do mesmo, bem como no envio de fotos do seu corpo de bombeiros, eventos, noticias, etc.

Enviem-nos tambem uma listagem das vossas viaturas bem como as respectivas fotos.

Já agora, envie-nos o site do seu cb ou blog para juntar à nossa listagem.

Desde já enviamos em anexo um cartaz do qual agradeciamos a sua divulgação junto do seu corpo de bombeiros.

Esperamos a vossa colaboração para conseguirmos todos dignificar o nome dos corpos de bombeiros.

Um grande abraço

www.bombeiros.pt

Incêndios na Beira Interior durante o fim de semana


Image Hosted by ImageShack
Os fogos começam cada vez mais cedo

Este fim de semana, ainda em pleno Inverno, ocorreram incêndios florestais na Beira Interior.

Um incêndio, que começou pelas 14:00 da tarde de sábado na zona da Torre, em plena Serra da Estrela, destruiu uma área de mato e floresta, tendo sido combatida por três corporações de bombeiros.

Este incêndio deflagrou numa zona de difícil acesso, o que dificultou o combate, e a sua origem está a ser investigada pela Guarda Nacional Republicana.

Durante o sábado, surgiram outros focos de incêndio também na Beira Interior, nomeadamente em Vila Pouca, no concelho de Castro Daire, onde um fogo lavrou ente as 12:00 e as 16:00 destruindo pinhal e mato.

Também em Malpica do Tejo, no concelho de Castelo Branco, em Pousafoles no concelho do Sabugal e em Dornelas, concelho de Aguiar da Beira deflagraram pequenos incêndios.

No fim de semana passado verificaram-se subidas de temperatura, com valores acima dos normais para esta época do ano, tendo facilitado a ocorrência de incêndios florestais.

Apesar de ainda estarmos no Inverno, estes primeiros fogos devem ser um alerta quer para as alterações climáticas, cujos efeitos se fazem sentir cada vez mais, quer para a vulnerabilidade das áreas florestais, sobretudo em zonas de difícil acesso.

Estas ocorrências também devem lembrar aos responsáveis políticos, com especial destaque para o nível autárquico, para a absoluta necessidade de tomar medidas atempadas de ordenamento do território e de implementar sistemas de vigilância e de alerta integrados num programa de prevenção de fogos florestais.

Apesar dos exercícios efectuados no fim de semana passado, ainda existe um longo trabalho de preparação no sentido de optimizar os recursos disponíveis antes do início da época de incêndios, altura em que já não haverá lugar a decisões estratégicas, mas tão somente a opções tácticas que em nada poderão mudar o essencial.

segunda-feira, março 12, 2007

Autocolante para comando do sistema de extinção automático de fogo


Image Hosted by ImageShack
Autocolante para comando externo

O autocolante que assinala o sistema de acionamento do comando do sistema de extinção deve ser colado perto deste e em zona visível da carroçaria do veículo.

Este autocolante vem incluido nos vários "kits" e pode igualmente ser adquirido na maior parte das lojas de artigos para automóveis que vendem equipamentos de competição.

Lembramos que já disponibilizamos uma imagem do autocolante que deve ser colocado perto do comando do corta-circuitos e que ambos podem ser impressos em plástico autocolante e colocados nos locais apropriados de modo a sinalizar a presença destes sistemas de segurança.

Simulacro envolve mais de 6.000 bombeiros


Image Hosted by ImageShack
Veículo de controle ambiental dos Sapadores de Coimbra

Mais de 6.000 bombeiros apoiados por mais de milhar e meio de veículos participaram desde a manhã de sábado no exercício de âmbito nacional PROCIV 2007, destinado a testar o sistema nacional de socorro e protecção civil.

Os dois primeiros simulacros, que incluiam situações de acidente rodoviário com quatro veículos ligeiros com incêndio florestal e outro com suspeita de de transporte de material poluente, da parte da manhã de sábado, tendo o programa continuado da parte da tarde.

Seguidamente, foram simuladas mais quatro situações, que envolvem um acidente rodoviário de veículo pesado com desencarceramento e incêndio urbano, acidente com veículo de transporte escolar, incêndio florestal com evacuação de aldeia ou derrame de produtos químicos.

Este exercício supervisionado pela recém-criada Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) decorre em 18 distritos e conta com a colaboração da Polícia de Segurança Pública e da Guarda Nacional Republicana, que asseguram a segurança e da própria população.

No total das seis situações, está prevista a participação a nível nacional de 6.302 bombeiros, apoiados por 1.528 veículos, como o objectivo de "corrigir processos nas salas de operações, bem como modernizar, em termos globais, a organização da resposta", segundo informa a ANPC em comunicado.

De entre as deficiências anotadas, encontram-se a falta de uma Viatura de Intervenção Química no distrito da Guarda, situação comum a muitas zonas do País, problemas de comunicações em Valença devido à escassez de repetidores, esperando-se que nas conclusões outras situações, que certamente existiram, sejam contempladas.

No sábado, durante o regresso, 6 bombeiros da Lixa ficaram feridos quando, já perto do quartel, o veículo todo o terreno em que seguiam se despistou à entrada de uma rotunda, tendo os sinistrados sido transportados para o hospital de Amarante.

Segundo a ANPC, os resultados serão, em princípio, apresentados na próxima 4ª feira, mas o optimismo revelado nos comunicados difundidos aponta, desde já, para um anunciado sucesso.

Para quem tem experiência de coordenação de exercícios com um número equivalente de militares, onde existem óbvias facilidades derivadas de uma estrutura de comando mais rígida, de procedimentos mais uniformes, de um sistema de comunicações mais compatível, entre tantos outros factores, o número de erros divulgado parece demasiadamente escasso para os efectivos envolvidos, para a dispersão geográfica e para a falta de meios com que muitas corporações se debatem.

Apesar de apenas perante o relatório final se poderem tirar todas as conclusões, do reduzido número de deficiências divulgadas e pelo triunfalismo de algumas expressões utilizadas, teme-se pelo rigor da avaliação, que poderá ocultar problemas que manifestamente existem e que, sendo ocultados, dificilmente poderão ser resolvidos.

Uma das maiores virtudes deste tipo de exercício é a possibilidade de corrigir atempadamente os erros e as deficiências, mas para que tal se verifique, é necessário humildade e transparência, sem o que dos erros que certamente existiram, não serão aprendidas as necessárias lições nem tomadas medidas que os impeçam de se repetir no futuro.

domingo, março 11, 2007

Google vence processo de patentes do Google Earth


Image Hosted by ImageShack
A imagem mais conhecida do Google Earth

A Google venceu um processo judicial que se arrasta desde 2004, quando a Skyline interpôs uma acção em tribunal alegando que o Google Earth violava patentes por sí registadas em 2002.

A Google adquiriu a Keyhole, empresa que desenvolveu a tecnologia que está por detrás do Google Earth em Dezembro de 2004, numa altura em que esta fora processada pela Skyline Software Systems, que pretendia impedir a utilização da tecnologia que considerou ter sido por sí patenteada.

Após uma longa batalha jurídica, o tribunal considerou que o Google Earth, um "software" que já foi descarregado mais de 100.000.000 de vezes e é utilizado em todo o Mundo por empresas e particulares, não viola a tecnologia registada nas patentes da Skyline pelo que a Google pode continuar a usá-la e desenvolvê-la.

Para quem já usou os dois sistemas, existem óbvias semelhanças, mas também há diferenças profundas, sendo, aparentemente, mais próximas em termos de filosofia e de objectivos do que na tecnologia que usam.

O próprio "software" de suporte de ambas as plataformas é diferente, bem como a utilização dos recursos do sistema informático em que correm, pelo que a decisão, mesmo numa primeira análise, era expectável, confirmando assim as previsões da Google.

Dado que as patentes versam aspectos tecnológicos, não os objectivos do programa, a decisão de um juiz distrital americano vem confirmar as expectativas de quantos usam o Google Earth, quer como instrumento de trabalho, quer a nível particular, pelo que este importante sistema geográfico continuará, certamente, a ser desenvolvido para além da actual versão 4.
Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin