sábado, abril 21, 2012

Paddock passa a vender tendas da Flatdog

Image Hosted by ImageShack Uma tenda da Flatdog num Defender

A Paddock Spares anunciou que brevemente irá comercializar as tendas de tejadilho da Flatdog, um fabricante que disponibiliza diversos equipamentos para todo o terreno, incluindo as célebres Wolf Box, caixas de arrumação empilháveis bastante úteis num todo o terreno. Tanto as especificações exactas, bem como os preços de venda, serão disponibilizados na próxima semana, mas a Paddock garante desde já que os preços serão competitivos e a qualidade/preço justificará a aquisição destas tendas da Flatdog. Num mercado onde os preços tendem a ser pouco convidativos, mas que apesar de tudo se encontra em expansão, um produto que obedeça ao um conjunto mínimo de padrões de qualidade, que a Flatdog excede claramente, e oferecido a um preço competitivo tem tudo para ser um sucesso, sendo esta uma adição importante no conjunto de produtos oferecidos pela Paddock.

sexta-feira, abril 20, 2012

Isqueiro de gás butano

Image Hosted by Google Um isqueiro de gás butano

Os isqueiros que usam gás butano apresentam algumas características interessantes, podendo ser utilizados mesmo em situações extremas onde modelos convencionais não conseguem operar, como durante uma tempestade ou sob chuva intensa. Este modelo suporta vento com velocidades superiores aos 120 km/hora e a chama arde a uma temperatura que se aproxima dos 2000º, o suficiente para pequenas soldaduras ou derreter metal, como, por exemplo, uma moeda. Igualmente interessante, é o preço, que fica pouco acima dos três Euros, incluindo portes, o que significa que custa perto de um terço de um Turboflame, sem dúvida mais sólido e de melhor construção, mas comparativamente muito dispendioso.

quinta-feira, abril 19, 2012

O sistema de localização Recco - 3ª parte

Image Hosted by Google Um "transponder" da Recco num capacete

O curto alcance pode ser algo comprometedor, sobretudo em terrenos irregulares, mas funciona mesmo em condições adversas e permite localizar, por exemplo, uma pessoa desmaiada ou demasiado enfraquecida para pedir socorro, num espaço de tempo curto desde que haja alguma proximidade. Um sistema equivalente, mais adaptado a outros ambientes, será indiscutivelmente de grande utilidade em diversas situações, seja em actividades de lazer, como passeios ou desportos de aventura, seja mesmo para uma utilização mais profissional, quando seja necessário manter algum tipo de contacto em circunstâncias onde, por exemplo, os sistemas audio sejam de uso condicionado. Tendo em conta a padronização do dos "transponder" da Recco e o baixo custo destes, a adopção deste tipo de equipamento será de considerar, mesmo considerando que o sistema completo, incluindo o emissor, que será comum aos receptores, atinge um preço elevado, mas aceitável para quem efectue missões de salvamento na neve.

quarta-feira, abril 18, 2012

O sistema de localização Recco - 2ª parte

Image Hosted by Google Um "transponder" da Recco

O localizador é um equipamento sofisticado, mas de operação simples, que tem vindo a ser aperfeiçoado e miniaturizado, com o modelo mais recente a pesar perto de um quilo e permitir localizar um "transponder" a uma distância de 200 metros a partir do ar ou a 30 metros de profundidade de neve. Naturalmente que estes valores apenas se verificam em condições óptimas, com as irregularidades no terreno, obstáculos ou interferências electromagnéticas a poderem reduzir substancialmente este alcance, enquanto a precisão direccional tende a manter-se pouco alterada, pelo que a direcção certa continua a ser apontada. Para quem tenha mais dúvidas quanto ao funcionamento deste tipo de tecnologia, o sistema da Via Verde é um exemplo das inúmeras aplicações nos mais diversos campos de actividade que esta pode ter, sendo muito comum entre nós, apesar de pouco conhecida e reconhecida. Apesar de desenvolvido e optimizado para a neve e adoptado como padrão por númerosas estâncias e "ressorts", o sistema da Recco pode ser utilizado noutros ambientes, facilitando a localização de pessoas com uma muito maior rapidez do que recorrendo a outros meios, facto essencial em termos de socorro.

Coletes de salvamento - 2ª parte

Image Hosted by Google Um colete de salvamento em neoperene

O colete deve, além disso, ser visível, preferencialmente numa cor viva e fluorescente, e possuir bolsos que acomodem um apito ou sistema de sinalização luminoso, e uma ou mais superfícies refletoras, o que ajuda em muito a sua localização. O peso destes coletes tipicamente ultrapassa em pouco o meio quilo, e caso bem escolhido, permite uma boa liberdade de movimentos por parte do utilizador, conferindo ainda alguma protecção térmica, sobretudo nos modelos em neoperene. Este último modelo de coletes atinge valores mais elevados, mas protege termicamente e fica particularmente bem ajustado ao corpo, sendo ideal para quem use, por exemplo, uma moto de água, e pretenda o máximo de liberdade de movimentos, caso em que se justifica plenamente um investimento mais elevado. Os valores dos colete de salvamento varia enormemente, mas a partir da vintena de Euros pode-se adquirir um modelo de boa qualidade, resistente e com as características pretendidas, sendo este um investimento absolutamente obrigatório para quem pratique actividades aquáticas.

terça-feira, abril 17, 2012

O sistema de localização Recco - 1ª parte

Image Hosted by Google Um localizador da Recco

Os sistemas de localização estão cada vez mais miniaturizados e acessíveis, podendo ser embutidos, sem grandes custos, em diversos equipamentos ou vestuário, proporcionando uma maior rapidez caso seja necessário proceder ao socorro de quem os utilize. Concebidos para a neve, o sistema desenvolvido pela Recco inclui dois componentes básicos, que têm evoluido ao longo de anos até chegar à actual 9ª geração, muito miniaturizada e compacta, que permite ser incluida em numerosos items. Elemento básico é o pequeno "transponder", um sistema passivo, sem bateria, nem manutenção, que virtualmente dura uma vida e permanece sempre activo, que reflete as ondas emitidas por um equipamento localizador, permitindo a este avaliar a distância e direcção. Estes "transponder" foram concebidos de forma a poderem ser embutidos em diversos equipamentos, tendo poucos centímetros de comprimento no caso dos modelos rectangulares, estando também disponíveis modelos circulares que podem, por exemplo, ser aplicados no calçado.

Coletes de salvamento - 1ª parte

Image Hosted by Google Um colete de salvamento

Após termos apresentado um bote pneumático, por uma questão de segurança, não queremos deixar de insistir nos coletes de salvamento que devem ser envergados por todos quantos se encontrem a bordo, independentemente da experiência que possuam ou das águas em que naveguem. Existem inúmeros modelos de coletes, adaptados a diversas situações ou circunstância, devendo-se ter em atenção um conjunto de características e a sua adaptação ao utilizador, seja em termos de tamanho, seja do peso do mesmo. As marcas mais conceituadas produzem os coletes em diversos tamanhos, normalmente correspondendo a um dado índice de flutuabilidade, e abandonaram os antigos sistemas de câmaras de ar em prol de espuma de polietileno ou outro material que garanta flutuabilidade sem o risco de a perder em caso de impacto. Também o tecido externo, do qual depende a resistência, bem como a forma de fecho e ajuste ao corpo deve ser analizado, previlegiando-se um modelo com o maior número de sistemas de ajuste, que permita ao colete ficar bem preso ao corpo, evitando que num impacto ou com correntes fortes possa ser arrancado.

segunda-feira, abril 16, 2012

O bote pneumático Intex Challenger 2 - 3ª parte

Image Hosted by Google Um bote pneumático Intex

Este é um bote destinado a águas calmas, em locais com poucos ou nenhuns obstáculos, já que uma aresta mais agressiva pode danificá-lo e, caso haja perda de ar, reduzir a flutuabilidade e a capacidade de transporte, podendo os ocupantes cair na água. Apesar de o Challenger 2 flutuar com a carga anunciada com apenas dois dos três compartimentos cheios de ar, o que significa que da ruptura e vazamento de um não decorre o afundamento ou perda completa da flutuabilidade, o desequilibrio resultante pode resultar numa situação de perigo que se deve evitar a todo o custo. Naturalmente, aconselhamos o uso de coletes de salvamento, bem como um treino básico na utilização deste bote, sendo essencial que os ocupantes saibam nadar, sem o que este tipo de actividade se pode revelar extremamente perigosa, independentemente do cuidado na escolha do local onde seja praticada. O Intex Challenger 2 apresenta uma boa relação qualidade/preço, destinando-se essencialmente a actividades de lazer, sendo exemplo das inúmeras ofertas que existem num mercado em expansão, podendo ser uma aquisição interessante para quem goste do turismo de aventura.

Entraram em vigor as restrições à circulação de veículos poluentes em Lisboa

Image Hosted by Google Automóveis na avenida da Liberdade

Após um período de sensibilização e esclarecimento, a partir desta segunda feira a Polícia Municipal de Lisboa vai começar a aplicar coimas aos veículos com matrículas anteriores a 1992 e sem catalizador que circulem nas zonas de interdição. A disposição, que prevê coimas com valores entre os 25 e perto dos 125 euros entrou em vigor a 01 de Abril, aplica-se aos veículos com matrícula anterior a 1992 e que não dispõe de catalizador, abrangendo uma larga área da cidade. Esta zona de emissões reduzidas (ZER) criada pela câmara municipal para reduzir os níveis de poluição inclui a área sul da cidade, delimitada pelas avenidas de Ceuta, das Forças Armadas, dos Estados Unidos da América, Marechal António Spínola, do Santo Condestável e Infante D. Henrique e pelo Eixo Norte/Sul, ou seja a maioria da área urbana de Lisboa. Os transportes públicos e táxis têm um período de conversão e adaptação mais prolongado, mas para os restantes veículos, salvo um conjunto de excepções que incluem transporte de deficientes, viaturas históricas ou moradores, as coimas passam a ser aplicadas desde a esta segunda feira.

domingo, abril 15, 2012

O bote pneumático Intex Challenger 2 - 2ª parte

Image Hosted by Google Um bote pneumático Intex

Com o recurso à bomba de dupla acção incluida, o enchimento através das válvulas de proa e ré é rápido e não requer um esforço significativo, sendo igualmente esvaziado com rapidez graças às válvulas colocadas nas várias câmaras que compõe a embarcação. Estão incluidos os suportes de transporte e os aros para remos, de tipo francês, em três peças, de modo a facilitar a desmontagem e transporte, bem como cordame a toda a volta e pegas destinadas ao manuseamento fácil do bote quando cheio. O Challenger 2 transporta-se com facilidade, tem um preço acessível, na ordem dos 65 Euros, incluindo portes, e pode transportar duas pessoas, dependendo, naturalmente, do peso e estatura, sendo que a Intex, tal como outros fabricantes, produzem modelos de maiores dimensões e capacidade caso a deste bote se revele insuficiente. A Intex produz as versões Challenger 3 e 4, semelhantes, mas de maiores dimensões e naturalmente mais dispendiosos, destinadas a 3 e 4 ocupantes respectivamente, pelo que será sempre de equacionar mesmo dentro desta linha qual o modelo mais adequado à utilização em vista.
Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin