sábado, agosto 14, 2010

Dois bombeiros mortos em dois dias - 3ª parte

Image Hosted by Imageshack
Canadair no combate a um fogo em Portugal

Uma solução possível seria sempre a de, à medida que chegassem reforços, os elementos da corporação local fosse sendo utilizados sobretudo como guias e a nível de comando e coordenação, enquadrando os reforços vindos de fora, mais do que combatendo directamente as chamas.

Obviamente, tal implica organização, coordenação e treino adequado, mas será uma forma de diminuir riscos e aumentar a eficiência dos reforços, aliviando um pouco os elementos locais que, previsivelmente, terão sido os primeiros a enfrentar as chamas e apresentarão uma maior nível de cansaço.

Para além deste maior controle, que implica também uma atenção especial à rotação de pessoal e ao seu repouso, também em relação aos meios mecânicos, sejam terrestres, sejam aéreos devem ser tomadas medidas especiais, evitando um desgaste prematuro e avarias que os imobilizem.

As avarias verificadas recentemente em helicópteros envolvidos em operações prolongadas, que impediram a sua utilização e privaram de uma apoio previsto o dispositivo em terra, apontam para a necessidade de também aqui haver intervalos mais frequentes que permitam verificações e revisões, dado que pequenos detalhes, como, por exemplo, um sistema de filtragem de ar demasiado sujo ou parcialmente obstruido pode ter consequências graves.

sexta-feira, agosto 13, 2010

O programador de ECU "Galletto 1260" - 2ª parte

Image Hosted by Imageshack
O cabo Audi 2 X 2 "Galletto 1260"

Estes programas vêm, obviamente, incluidos num CD fornecido juntamente com o "Galletto", o qual inclui, para além do equipamento, um cabo conversor que se liga ao conector OBD2 e permite aceder a conectores do tipo Audi 2 X 2 ou "interfaces" compatíveis.

O uso do programa é extremamente simples, mas só tendo imagens ou conteúdos melhorados para repor na unidade de gestão dos veículos, que podem ser facilmente obtidos na Internet, existindo colecções com inúmeros modelos, se tira todo o partido do "Galletto".

A longa lista dos veículos ou unidades de gestão suportadas pode-se encontrar facilmente na Internet, podendo ainda testar-se o funcionamento deste equipamento com um modelo não listado a partir da função de detecção, sendo utilizável caso o faça de forma correcta, podendo-se proceder à leitura do conteúdo e verificação do mesmo para averiguar da exactidão da leitura.

O preço deste equipamento varia, sensivelmente, entre os 15 e os 20 euros, incluindo portes a partir da Ásia, e pode ser rentabilizado numa única utilização, caso o utilizador disponha do conteúdo com o qual pretende reprogramar uma unidade de gestão electrónica.

Dois bombeiros mortos em dois dias - 2ª parte

Image Hosted by Imageshack
Bombeiros no combate a um fogo em Portugal

As vertentes organizativas, sobretudo no respeitante à logística, não obstante as melhorias dos últimos anos, continuam a apresentar defeciencias, com manifestas dificuldades que se tornam evidentes nos incêndios de longa duração, onde a falta de condições em termos de repouso e alimentação são patentes.

Apesar de haver uma maior capacidade organizativa, a rotação de pessoal em períodos de maior esforço, continuam a deixar muito a desejar, mas é sobretudo ao não proporcionar períodos de descanso adequados, em extensão e qualidade, num local suficientemente afastado do teatro de operações para que o repouso seja efectivo, bem como ao não fornecer alimentação em quantidade e qualidade, num local que permita um mínimo de tranquilidade, que se verificam as maiores falhas.

Também a falta de enquadramento, que deve ser efectuado por elementos locais, que conheçam o terreno e possam proporcionar orientação, aumenta os riscos, sendo possível situações de desorientação quando numa área desconhecida, sobretudo com limitações de visibilidade e sob a pressão de uma situação de grande risco.

Este problema é patente no número de acidentes graves que ocorrem com elementos que operam fora do seu concelho, do que se pode concluir que o risco aumenta com as sucessivas deslocações de unidades de um ponto do País para outro, adicionando ainda a agravante do cansaço de longas viagens em veículos que não foram concebidos para proporcionar um mínimo de condições, sobretudo com o tempo quente como o que se verifica no Verão.

quinta-feira, agosto 12, 2010

O programador de ECU "Galletto 1260" - 1ª parte

Image Hosted by Imageshack
O programador de ECU "Galletto 1260"

Já mencionamos em textos anteriores diversos equipamentos para aceder às unidades de gestão electrónica de veículos, normalmente com o intuito de verificar erros ou de os eliminar, mas a maioria desses dispositivos não tem a capacidade de ler todo o conteúdo, copiando-o para um suporte magnético e reescrevê-la, recorrendo a um ficheiro existente.

O programador "Galletto 1260", sendo que o 1260 corresponde à versão do "chip", destina-se exactamente a este tipo de função de leitura e escrita, com a capacidade de reconhecer qual o tipo de memória e de unidade de gestão que está a ser lida.

O "Galletto" destina-se a ser usado com veículos com o "interface" OBD-2, comum à quase totalidade dos veículos em producção desde 2000 sendo alimentado através desta ligação, pelo que dispensa alimentação externa ou baterias.

Ao contrário de outros equipamentos, como os baseados no "chip" "ELM 327", o "Galletto" necessita de muito pouco "software", bastando um programa de suporte, ou controlador, que irá gerir a ligação deste com o computador, ao qual é ligado via USB, e de outro para operações de leitura e escrita.

Dois bombeiros mortos em dois dias - 1ª parte

Image Hosted by Imageshack
Bombeiros no combate a um fogo em Portugal

A morte de dois bombeiros num curto espaço, para além de algo que lamentamos profundamente, merece uma atenção especial, por ocorrerem após dias de combate às chamas particularmente longos e extenuantes, podendo tanto ser uma triste coincidência, como sinal de um esforço para além dos limites.

É expectável, infelizmente, que o número de vítimas aumente com o prolongar das operações e a sua intensidade, mas se esta proporcionalidade deixa de ser directa, ou geométrica, e começa a ser exponencial, deve ser entendida como sinal de alarme e serem adoptadas medidas de imediato.

Só dos inquéritos se poderão extrair as conclusões defenitivas, mas dado que estes são procedimentos morosos e as operações no terreno continuam, mesmo perante alguma falta de dados objectivos, é necessário que se tirem as devidas elações e se aja em conformidade, salvaguardando, antes de tudo, a vida humana.

Apesar de as causas destas duas mortes serem completamente distintas, uma devido a um acidente de viação, outra pelo fogo, podem existir factores comuns, como o cansaço excessivo, do que resulta um menor discernimento e uma capacidade de reacção diminuida, pelo que situações que, envolvendo algum perigo, são consideradas como aceitavelmente seguras, podem evoluir para um risco excessivo.

quarta-feira, agosto 11, 2010

"Android" lidera o mercado de "smartphones" nos Estados Unidos

Image Hosted by Imageshack
Um "smartphone" com "Android"

Pela primeira vez, os telefones inteligentes ou "smartphones" baseados no sistema operativo "Android" foram os mais vendidos a nível trimestral nos Estados Unidos, ultrapassando os modelos "Blackberry".

No segundo trimestre, os equipamentos "Android" atingiram os 33%, deixando para trás os "Blackberry", com 28% e os "iPhone" da Apple, com 22%, sendo esta a primeira vez que os telefones baseados na plataforma desenvolvida pelo Google atingem o primeiro lugar em vendas.

Esta evolução, que suplanta no topo das vendas os "Blackberry", que aí se encontravam desde 2007, vem demonstrar a enorme aceitação por parte do mercado da plataforma do Google, a qual apresenta um nível de integração com as aplicações e serviços gratuitos que esta empresa disponibiliza gratuitamente na Internet.

Também contribuirá para este sucesso o facto de terem surgido no mercado dispositivos a correr "Android", no mercado nacional, por perto de centena e meia de euros, com opções a nível de importação a valores francamente inferiores, batendo assim a concorrência a nível do factor decisivo que é o preço.

Julho foi o pior mês de fogos dos últimos quatro anos - 4ª parte

Image Hosted by Imageshack
Veículo dos bombeiros num fogo em Portugal

Torna-se, portanto, óbvia a escapatória de responsabilizar a acção humana, dolosa ou negligente, pelo elevado número de fogos, exonerando quem permite, pela sua negligência ou inacção, que as condições para a propagação das chamas sejam as mais favoráveis.

Entre legislação de qualidade duvidosa e os eu incumprimento, seja por impossibilidade, seja por mero desleixo ou ignorância, a falta de vigilância e de controle, aliada a uma manifesta incapacidade do sistema judicial para punir os culpados, poucos são os que apontam para quem criou os cenários e muitos para os actores que neles se movimentam, muitas vezes desastradamente, mas sem conseguir evitar os inúmeros obstáculos que lhes são colocados.

A opção destes últimos anos em alterar o quadro legal, aumentando as restrições e punições, são exemplo de quem opta pela via mais fácil, e exemplo de um Estado fraco, que ao invês de agir de forma decisiva no terreno se fica por uma teoria cada vez mais desligada da realidade, afastado de soluções reais e comprazendo-se em iniciativas inúteis, sublinhadas por declarações cada vez menos credíveis.

Face a este quadro, os comentários de alguns comandantes operacionais, que exigem uma defenição do que se espera da floresta portuguesa, faltando acrescentar a necessidade de a integrar numa perspectiva global do que se pretende para o País, algo que, por uma questão de enquandramento hierárquico e funcional, é naturalmente omitido, vem centrar esta problemática, que carece de uma decisão política antes da escolha de opções tácticas.

terça-feira, agosto 10, 2010

Microsoft lança conjunto de 14 correcções dia 10

Image Hosted by Imageshack
Um écran do Microsoft Windows 7

Prevê-se que seja hoje, dia 10 que a Microsoft disponibilize um total de 14 actualizações de segurança destinadas a colmatar um total 34 vulnerabilidades em diversos produtos, que incluem o Windows, Internet Explorer, Office e Silverlight.

Este é um número "record" de correcções e de productos visados em simultâneo e incluem oito actualizações consideradas "críticas", o nível de maior perigosidade na escala da Microsoft, enquanto as restantes estão classificadas como "importantes", o segundo grau na mesma escala.

A maioria das correcção, num total de dez, aplicam-se aos sistemas operativos da família Windows, seguindo-se duas para o conjunto de programas do Office, e uma para o Internet Explorer e outra para o Silverlight.

Tal como em situações anteriores, a actualização processa-se através do sistema de actualizações do Windows, de acordo com os parâmetros defenidos no sistema, sendo aconselhável para quem não tenha escolhido o modo automático desencadear o processo manualmente a partir da data de disponibilização destas correcções.

Parque Nacional da Peneda-Gerês arde outra vez este ano - 1ª parte

Image Hosted by Imageshack
Bombeiros no combate a um fogo em Portugal

Tal como aconteceu em anos anteriores, o Parque Nacional da Peneda-Gerês (PNPG) voltou este ano a ser pasto de chamas, com situações particularmente graves em Vilarinho das Furnas e nas Terras do Bouro.

Com acessos difíceis ou impossíveis, o combate acaba por ter de ser efectuado sobretudo através de meios aéreos, os quais, por não operarem de noite, acabam por não poder consolidar os resultados obtidos até ao por do Sol, permitindo que, mesmo nas condições menos favoráveis do período noturno, as chamas continuem a propagar-se.

A opção por isolar zonas protegidas, impedindo o tráfego, mesmo que controlado e esquecendo a necessidade de acessibilidades e vias de circulação, a pretexto de um isolamento das espécies que aí vivem, acaba por comprometer a própria viabilidade das colónias, podendo resultar na sua destruição.

Uma área protegida, para além da sua riqueza natural e importância ecológica, justifica-se também pelo usufruto que proporciona, pela mensagem que transmite e pela aprendizagem que proporciona, pelo que vedá-la, escondê-la ou isolá-la, tornando-a inacessível a pretexto da sua própria protecção é uma opção absurda.

segunda-feira, agosto 09, 2010

Um dia voltaremos a ver-nos, Princesinho...

Image Hosted by ImageShack
Um dia voltaremos a ver-nos, Princesinho...

Perder um amigo é sempre doloroso, mas quando este faz parte da nossa vida, partilhando alegrias e tristezas e vivendo sob o mesmo tecto, é algo que toca no fundo da alma e não se encontram palavras para exprimir o que se sente nestes momentos.

O Princesinho, que decidiu entrar em casa e permanecer, mesmo quando a sua saúde lhe permitia passar as noites fora, foi sempre um companheiro exemplar, de uma doçura inexcedível, mas sempre mantendo o seu lado selvagem e independente de quem sabe lutar de igual e ser autónomo quando é preciso.

Image Hosted by ImageShack
A última foto do Princesinho, sábado dia 7

Há muito que sabiamos que a saúde do Princesinho era frágil, devido à leucemia e SIDA, e que a sua vida estava em premanente risco, mas, apesar dos sobressaltos, sempre fora possível encontrar uma solução.

Infelizmente, as vulnerabilidades do fraco sistema imunitário do Princesinho acabaram por permitir que os problemas se avolumassem e, não obstante o tratamento com soro, anti-biótico, anti-inflamatório, suplemento vitamínico e auxiliares à digestão, que se prolongaram por semanas, não permitiram resistir a um cada vez maior enfraquecimento que derrotou as suas defesas.

Um dia voltaremos a ver-nos, Princesinho...

Julho foi o pior mês de fogos dos últimos quatro anos - 3ª parte

Image Hosted by Imageshack
Helicóptero no combate a um fogo em Portugal

Assim, torna-se óbvio que o combate aos fogos, e subsquente custo, na defesa de zonas que não têm qualquer interesse económico e de duvidoso valor ecológico, acaba por resultar da necessidade de conter as chamas longe de explorações agrícolas ou florestais rentáveis e de zonas edificadas, muitas das quais em permanente risco devido à falta de ordenamento e de limpeza das matas, entre as quais se incluem inúmeras propriedades do Estado.

São efectivamente poucos os concelhos que desenvolvem acções sérias e eficazes na prevenção dos fogos, pelo que o investimento em sapadores florestais, que tem aumentado, acaba por ser pouco relevante, sobretudo quando este apenas substitui o mesmo número de voluntários.

Se alguns ainda se lembram que é no Inverno que se decide do exito ou fracasso do combate aos fogos no Verão, poucos são aqueles que dispoem do poder executivo para o por em prática que acolhem este princípio óbvio, refugiando-se a esmagadora maioria num rol de justificações entoados em tom de lamento.

Lembramos, que em anos anteriores, o tom era francamente triunfalista, ostentando-se a diminuição de área ardida como uma vitória política, quando os ganhos se deveram essencialmente às alterações das condições, as quais dificultavam a propagação dos fogos, e a uma melhoria operacional, quando, efectivamente, nada se avançara em termos estruturais.

domingo, agosto 08, 2010

Sistema "MOLLE" em coletes - 3ª parte

Image Hosted by Imageshack
Rectaguarda de um colete táctico "MOLLE"

Convém ainda mencionar alguns detalhes, como o "velcro" para adicionar, por exemplo, insígnias ou nome do utilizador, bem como uma zona almofadada no ombro direito, o encaminhamento para um tubo do reservatório de hidratação, e a rede interna, destinada a manter a temperatura do corpo tão baixa quanto possível.

Para além do colete e seus acessórios, existem mochilas com várias capacidades, sacos, bolsas, cantís, e todo um vasto conjunto de acessórios compatíveis com o sistema "MOLLE", aos quais podem ser facilmente adicionados os mesmos acessórios utilizados nestes coletes.

O peso, com acessórios, excede em pouco o quilo e meio, podendo ser adquirido em diversas cores e padrões, a maioria deles de origem militar, custando perto de meia centena de euros na versão mais sofisticada, e pouco mais de metade na mais simples, todas incluindo acessórios, mas esta é uma daquelas situações em que não aconselhamos a ir pela solução menos dispendiosa.

Esta é uma alternativa aos coletes de carga, cujo valor pode ser equivalente, de acordo com a qualidade, oferecendo uma muito maior flexibilidade, mas tendo como desvantagem um aspecto que se identifica talvez em demasia com as suas origens militares, o que pode ser contraproducente em diversas situações.
Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin