sábado, maio 02, 2009

Maddie Mccann, dois anos depois do desaparecimento


Image Hosted by Imageshack
Maddie Mccann, desaparecida a 02 de Maio de 2007

O segundo aniversário do desaparecimento de Maddie Mccann deve ser recordado como homenagem a todas as crianças desaparecidas e constitui um sério alerta para as manifestas defeciências da investigação criminal em Portugal e para o perigo que representam as interferências do poder político.

Numa altura em que o antigo responsável pela investigação, Gonçalo Amaral, cujo afastamento tem inegáveis contornos políticos, em conjunto com especialistas estrangeiros pretende recolher novos elementos que permitam reabrir o caso, será de equacionar o estado da Justiça entre nós e quais os meios e indicações que permitem ou não aos investigadores cumprir a sua missão.

A falta de resultados em casos de maior complexidade, não apenas relacionados com a criminalidade económica e a corrupção, onde as derrotas do Ministério Público se avolumam, mas também perante crimes violentos, como o atentado no bar "O avião", em muito contribuem para o actual clima de insegurança, confirmado pelo último relatório se segurança interna.

Enquanto se espera por uma profunda reforma de todo o sistema de investigação criminal, espera-se que, mesmo à margem deste, seja possível descobrir qual o destino de Madeline e punir quem esteve ligado, por acção ou omissão, ao seu desaparecimento.

sexta-feira, maio 01, 2009

Portátil com Android custa menos de 200 euros - 2ª parte


Image Hosted by Imageshack
O novo Alpha 680

O Alpha 680 tem um écran de apenas 7" com 800x480 pixels, um disco "flash" de entre 1 a 4 Gb, placa de rede Ethernet 10/100 e WiFi integradas, dois conectores USB 2.0 e "slot" para cartões SD/MMC, podendo dispor de outros "interfaces" a título opcional

Segundo a Skytone, os protótipos estarão concluídos e testados no final de Junho, prevendo que os primeiros equipamentos serão produzidos entre um mês e dois depois.

Recorrendo ao processador ARM e ao Android, mesmo com uma bateria com capacidade de 12 horas de autonomia, o preço deverá ficar abaixo dos 200 euros, podendo ser superior em modelos mais elaborados ou que incluam alguns opcionais.

Para quem pretenda um computador a baixo preço e assuma que este necessita de ligação à Internet para aceder a todos os recursos que esta contém, incluindo sistemas de cartografia digital interactiva, reconhecendo que os programas clássicos para Windows estarão fora do alcance, esta é uma solução interessante e que acompanharemos quando disponível.

quinta-feira, abril 30, 2009

"Xanoc", um ano de saudades


Image Hosted by Imageshack
Vasco Lima "Xanoc"

Dois dias após o primeiro aniversário do seu desaparecimento, vimos recordar o nosso amigo Vasco Lima, falecido a 28 de Abril de 2008 quando participava numa prova desportiva.

Nessa data, o Land Rover onde o "Xanoc" desempenhava funções de navegador despistou-se e caiu por um declive, tendo-lhe provocado ferimentos que resultaram na sua morte no dia seguinte.

Neste pequeno texto queremos deixar a nossa homenagem ao Vasco e lembrá-lo uma vez mais por altura de uma data que não deve ser esquecida.

Portátil com Android custa menos de 200 euros - 1ª parte


Image Hosted by Imageshack
O novo Alpha 680

O primeiro "netbook" com o sistema operativo Android, desenvolvido pelo Google deverá estar disponível dentro de três meses, com um preço que deve ficar abaixo dos 200 euros.

Dado que se trata de um equipamento que usa o Android, aliando a compatibilidade com as aplicações do Google a um muito baixo preço e concebido em função de uma perspectiva de portabilidade e transportabilidade, a sua utilização diversos tipos de missões torna-o de grande interesse.

O novo computador, o Alpha 680, foi desenvolvido pela Guangzhou Skytone Transmission Technologies, e recorrerá a um processador ARM, de custo inferior aos da Intel, estando actualmente em fase de testes.

Convém lembrar que os processadores ARM ou "Advanced RISC Machine", são um modelo da família RISC, "Reduced Instruction Set Computer", de muito baixo custo, que recorrem a uma arquitectura completamente diferente dos seus concorrentes da Intel e outros compatíveis com este fabricante.

quarta-feira, abril 29, 2009

Um aviso: Yahoo vai desactivar GeoCities


Image Hosted by Imageshack
Um écran do GeoCities

Um dos mais conhecidos serviços de alojamento de "sites", o GeoCities, actualmente detido pelo Yahoo vai deixar de funcionar até ao final deste ano.

Adquirido em 1999 pela Yahoo, o GeoCities foi um dos serviços de alojamento mais populares e com maior expansão presentes na Internet durante largos anos, com milhões de utilizadores a instalarem as suas páginas nos servidores deste autêntico clássico a nível de serviços "on line".

Com o advento de outros sistemas de alojamento gratuitos, integrando serviços inovadores, o GeoCities deixou de ser uma escolha prioritária e começou um declínio cujo resultado final era o agora anunciado pelo Yahoo.

Actualmente já não são aceites novas contas e o Yahoo sugere aos utilizadores a procura de alternativas, prevendo-se que até ao fim do ano estas deixei de estar activas.

Porque existem serviços equivalentes e uma transição deve ser efectuada com planeamento e não perante a imposição de uma urgência, sugerimos aos nossos leitores que usem o alojamento do Geocities que avaliem alternativas, como, por exemplo, os "Sites" do Google, igualmente gratuitos e que, presumivelmente, se manterão em funcionamento por vários anos.

GPS com cartografia e PDA, o mesmo equipamento sob uma roupagem diferente - 3ª parte


Image Hosted by Imageshack
Um computador Asus com disco "flash"

Obviamente, salvo casos excepcionais, será aconselhável adquirir um PDA caso se pretenda recorrer a programas e cartografia própria, sendo mesmo de equacionar um equipamento com sistema operativo Windows caso se opte por soluções mais complexas que incluam, por exemplo, a gravação de um percurso via "webcam" ou comunicações mais sofisticadas.

Neste caso, sugerimos que em vez de um PDA seja escolhido um "netbook" com disco "flash", sem peças móveis, que são faceis de danificar num simples solavanco, sendo exemplo alguns modelos da Asus que mencionamos previamente neste "blog" e que hoje encontram equivalentes na gama de diversos fabricantes, os quais podem ser usados com menores riscos do que modelos com peças mecânicas móveis.

Também aconselhamos a planear em termos de futuro, na convicção de que as exigências em termos e recursos dos programas tendem a aumentar e que um equipamento hoje adquirido algo no limite das exigências actuais, em breve poderá não ser utilizável.

A escolha de um equipamento para fins de orientação deve, consideramos, ser feita em primeiro lugar com base no sistema de cartografia que se pretende utilizar, incluindo eventuais complementos que podem incluir gravação de imagens, alteração de mapas, envio de dados, acessos "on-line" a actualizações e correcções ou outros, estabelecendo-se depois qual a plataforma mais adequada para o objectivo proposto.

terça-feira, abril 28, 2009

A evitar: SMC - 1ª parte


Image Hosted by ImageShack
Um "router" SMC BR14-S2

O valor real de um equipamento informático deriva não apenas do seu valor intrínseco, mas também do suporte e do apoio que o respectivo fabricante, directamente ou através de um fornecedor, venha a prestar em caso de necessidade.

Recentemente adquirimos um "router" SMC que se destinava a substituir um Dlink Di-624 que se avariou em resultado de uma inesperada alteração na rede eléctrica, tendo-nos imediatamente deparado com a impossibilidade de proceder a uma substituição directa.

Em termos teóricos, recorrendo a uma configuração equivalente, usando as mesmas defenições, protocolos e chaves de acesso, bastaria configurar o "router", sem haver necessidade de alterar as estações de trabalho que acedem por via do sistema "wireless".

Lamentavelmente, independentemente das configurações escolhidas, nem todas as estações de trabalho se conseguiam conectar e as que conseguiam demonstravam um comportamento errático, podendo, por exemplo, aceder à Internet mas não aos recursos partilhados em rede.

No próprio dia em que os problemas foram detectados, os mesmos foram reportados à SMC Portugal, que demorou uma semana a responder por via comercial, adiantando que o pedido de suporte tinha sido encaminhado para os serviços competentes.

Passada mais de uma semana, o apoio técnico deu como solução a instalação de um novo "firmware" no "router", actualizando-o para a última versão, algo que já tinhamos feito antes de efectuar o pedido de suporte, tendo no próprio dia dado conta do facto e informando que a sugestão efectuada não tinha resultado.

Aprovado o "Código Florestal" - 2ª parte


Image Hosted by Imageshack
Uma floresta portuguesa em chamas

Também a nível de fiscalização e da acção judicial terão que ser implementadas substanciais melhorias, evitando a prescrição sucessiva de processos e o actual clima de impunidade, cujas consequências estão à vista de todos.

No entanto, o mais importante é adoptar uma estratégia de desenvolvimento que rentabilize a floresta portuguesa e crie condições para a sua sustentabilidade, sem o que não há imposições legais que resultem nas extensas áreas de território onde a mão de obra é insuficiente para que o novo quadro legal seja cumprido.

O novo "Código Florestal" apenas tem uma utilidade real se integrado num plano mais abrangente e integrado, no qual exista uma visão estratégica para o País, sobretudo para as zonas mais deprimidas e desertificadas, sem o que resultará num misto de inutilidade jurídica e de instrumento repressivo, sem nunca atingir os objectivos pretendidos.

Enquanto em vez de legislação avulsa, independentemente da sua valia individual, não for apresentada uma perspectiva e um plano, com ideias concretas que devem ser objecto de debate público e consenso político, vão-se continuar a perder sucessivas oportunidades de desenvolvimento e o País afastar-se-à inexoravelmente de um futuro de progresso e prosperidade.

segunda-feira, abril 27, 2009

"Downloads" via Internet móvel mais rápidas do que em acessos fixos - 2ª parte


Image Hosted by Imageshack
Uma rede sem fios

Num estudo anterior, em que se comparava a velocidade contratualizada com a real, podem também ser obtidos dados importantes, descriminados a nível da oferta de cada operador, mas que falha num aspecto fundamental, concretamente a nível da área onde se encontram o acesso.

As cablagens mais antigas, menos estruturadas, corrigidas e refeitas inúmeras vezes, com estrangulamentos, defeciencias nas cablagens e conexões, equipamentos mais antiquados e outras limitações que derivam de uma falta de manutenção e reestruturação também implicam uma diminuição de velocidade que tem impacto sobretudo a nível da rede fixa, mais antiga, sendo pouco sentidos nos acessos móveis.

Neste estudo, realizado no ano passado, faltam as comparações com os novos sistemas baseados em fibra óptica, com velocidades de 100 Mb/s, que superam em muito as dos acessos móveis, e que tendem a tornar-se a norma do futuro.

Com o advento das ligações através de fibra óptica e a sua disseminação, todo este estudo estará ultrapassado enquanto os utilizadores deverão equacionar qual o tipo de ligação, se fixo a 100Mb/s, se móvel a uma velocidade inferior, se adequa mais ao seu perfíl de utilização.

Aprovado o "Código Florestal" - 1ª parte


Image Hosted by Imageshack
Uma floresta portuguesa

O Governo aprovou o novo "Código Florestal", substituindo assim um conjunto de diplomas avulsos, alguns dos quais obsoletos, contraditórios ou de difícil aplicação nos dias de hoje.

Dezenas de documentos legais, alguns dos quais originários dos primeiros anos do século XX e com mais de uma centena de anos, que foram sucessivamente adaptados e transformados, ficam assim concentrados num único Código, de mais fácil interpretação e aplicação e adaptado aos dias de hoje.

O novo "Código Florestal" responsabiliza mais os proprietários nos períodos posteriores aos incêndios e estabelece um conjunto de obrigações, como a realização de operações de silvicultura, que protejam as florestas em caso de fogo.

Obviamente, para que a nova legislação tenha algum impacto é necessário que haja uma aplicação generalizada, inclusivé em terrenos do Estado, e seja rapidamente efectuado um inventário que permita determinar quais os proprietários das vastas extensões de terra cuja posse hoje é difícil ou impossível de atribuir.

domingo, abril 26, 2009

D.Nuno Álvares Pereira, há sempre alguém que resiste


Image Hosted by Imageshack
D. Nuno Álvares Pereira

A canonização de um português com a influência histórica de D. Nuno Álvares Pereira será sempre, mesmo para os que não professam a fé cristã, um motivo para recordar uma das mais decisivas páginas da nossa História e o esforço e sacrifício de tantos quantos lutaram para que Portugal seja uma nação independente.

A primeira e mais conhecida etapa da vida do Condestável, estudada nos livros de História, inclui a sua carreira militar e as vitórias decisivas obtidas nos Atoleiros, em Aljubarrota e em Valverde contra os invasores castelhanos e que garantiram a independência de Portugal como reino soberano e com fronteiras reconhecidas.

Facto pouco conhecido é o de em Atoleiros, na primeira batalha entre portugueses e castelhanos, não se ter verificado uma única morte entre os combatentes lusos, algo que então foi interpretado como apenas possível devido ao apoio do próprio Deus.


Image Hosted by Imageshack
O beato Nuno de Santa Maria

Efectivamente, toda a extraordinária campanha onde se sucederam vitórias militares contra um inimigo numericamente muito superior e dispondo de melhor armamento foi considerada como algo de milagroso e antecipando uma nova fase da vida de um homem de fé, profundamente religioso e que acreditava na intervenção divina.

A etapa final da vida de D. Nuno Álvares Pereira, dedicada à caridade e ao serviço dos outros, é hoje reconhecida como exemplo de dedicação e de um espírito de solidariedade que merece ser recordado e apontado como exemplo de humildade e desprendimento.

Não nos vamos alongar sobre a biografia daquele que hoje é conhecido por "Santo Condestável", a qual é debatida e explanada em inúmeras publicações onde por vezes se confunde a realidade histórica com o mito, mas será importante lembrar que, em períodos mais difíceis do que aquele em que vivemos, quando as dificuldades pareciam insuperáveis, houve sempre alguém que se levantou, que, como escreveu Manuel Alegre, que resistiu e disse não.
Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin