sábado, janeiro 15, 2011

2010 foi o ano mais quente desde 1880 - 1ª parte

Image Hosted by ImageShack
Aldeia desertificada em Portugal

Os dados preliminares da Agência Oceânica e Atmosférica norte-americana revelam que 2010, a par de 2005, foi o ano mais quente e mais húmido desde 1880, ano de que datam os seus primeiros registos deste organismo a nível global.

2010 foi o 34.º ano consecutivo em que as temperaturas superiores foram superiores à média registada no século XX, com a temperatura terrestre e marítima combinadas a exceder em 0.62º a média anterior.

Os dados também revelam que a estação fria no Ártico, durante a qual se forma o gelo, foi a mais longa desde 1979, ano do primeiro registo, e que a estação quente, em que o gelo se funde, foi mais curta do que a média.

Estes dados são coerentes com os que foram recentemente disponibilizados a nível nacional, que apontam igualmente para uma subida da temperatura das temperaturas e um aumento da humidade, e cujas consequências analisamos de forma resumida, podendo algumas das conclusões ser agora mais alargadas.

sexta-feira, janeiro 14, 2011

Comandos remotos universais - 1ª parte

Image Hosted by ImageShack
Um modelo de comandos remoto universal

Um processo pouco dispendioso de duplicar um comando remoto de uma viatura, porta de garagem ou outro equipamento operado por rádio-frequências é adquirir um modelo universal e programá-lo de acordo com as necessidades.

Devem-se ter em atenção algumas características para que um destes comandos universais possa subsituir um original, sendo essencial a compatibilidade a nível de frequência de operação, que tem que ser fixa, havendo modelos que necessitam de ser ajustados pelo fornecedor antes de enviados.

A maioria destes equipamentos opera entre os 250 a 270 e os 434 a 450MHz, com a possibilidade de atribuir a cada botão uma função diferente, sendo a programação efectuada recorrendo ao comando original, pelo que não são utilizáveis sem que um destes esteja disponível.

O procedimento habitual é, uma vez ajustada a frequência, colocar o comando a configurar em modo de aprendizagem, selecionar o botão ao qual se pretende atribuir uma determinada função e premir o botão equivalente no comando original, de modo a que a informação fique memorizada.

Faltam bombeiros voluntários em Viana do Castelo - 3ª parte

Image Hosted by ImageShack
Consequência de um incêndio florestal

Será exactamente neste equilíbrio, que admitimos não será fácil de equacionar, que surge uma vertente eminentemente social, inevitável num período de desemprego acentuado, e que tem a ver com a possibilidade de o Estado não apenas poupar em prestações sociais, como contribuir para a auto-estima dos novos bombeiros e para a melhor integração social dos mesmos.

Não se trata apenas de uma questão de contas, mas o valor de incentivos a voluntários e prestações sociais atribuidas a quem não tem emprego, aliado a um maior compromisso e eficácia dever ser tido em conta, mas também de perspectivar qual o futuro que se pretende para o socorro e o peso que a profissionalização deve ter nas suas estruturas locais.

Ao contrário do que pode parecer razoável num período de crise económica, em que a prioridade tende a ir para o imediato sem perspectivar correctamente o médio e longo prazo, o aumento do profissionalismo na área do socorro, incluindo o combate aos fogos, tem contrapartidas, mesmo para além do ponto de vista operacional, que justificam uma aposta séria.

Provavelmente vão continuar a faltar bombeiros voluntários, não apenas em Viana do Castelo mas em muitos outros distritos, mas, mais do que uma limitação, esta questão deve levar a refletir sobre o caminho a seguir e como, mantendo os custos controlados, se consegue a maior eficiência de meios na área do socorro, assumindo que para tal o mais compensador pode ser uma opção mais profissional.

quinta-feira, janeiro 13, 2011

Decalque "lobo uivante"

Image Hosted by ImageShack
O decalque com o lobo

É quase um "off-topic" que se destina a recordar o projecto de, entre o fim do Inverno e o princípio da Primavera, partir em busca do Lobo Ibérico no seu habitat natural, prevendo-se que tal ocorra no Parque Natural de Montesinho.

A dimensão unitária destes decalques ronda os 15 x 10 cm, podendo os decalques serem fornecidos nas cores mais comuns, como o amarelo, vermelho, branco ou negro, por exemplo, o que deve ser indicado na altura da encomenda.

A instalação é extremamente simples, tendo sido explicitada em detalhe no texto onde fizemos menção aos decalques do "Dakar", mas quer nas páginas do EBay deste fornecedor, quer na Internet, também se encontram todas as explicações necessárias.

O preço pelo par de decalques simétricos ronda os três Euros, a que acresce um e meio para portes, podendo ser combinados os portes com outros items, dado que este valor permite pesos superiores aos de uma simples folha sem agravamento do valor a pagar.

Faltam bombeiros voluntários em de Viana do Castelo - 2ª parte

Image Hosted by ImageShack
Bombeiros num combate aos fogos

O projecto do Governo Civil de Viana do Castelo passa pela introdução de incentivos que atraiam jovens e adultos a ingressar nas corporações de bombeiros voluntários, exemplo que pode vir a extender-se a outros distritos, sabendo-se, no entanto, que o recrutamento enfrenta dificuldades resultantes da evolução demográfica.

É manifesto que a distribuição ectária tem evoluido em muitas regiões do Interior no sentido da diminuição do número de residentes e do seu envelhecimento, como consequência do baixo número de nascimentos e de migrações, pelo que a base de recrutamento tende a escassear, mesmo sabendo-se que o desemprego tem levado ao aparecimento de novos voluntários.

Desta forma, perante a diminuição da população passível de aderir, num quadro de dificuldades que tende a ser desmotivante, perante um manifesto descrédito da classe política e face a uma falta de esperança e pessimismo generalizados, será difícil encontrar voluntários sem o recurso a incentivos que se revelem compensadores, algo que vai ter efeitos colaterais.

Obviamente, será impensável atribuir incentivos a novos voluntários que não sejam extensíveis a todos quantos já deram o seu melhor ao serviço das corporações em que prestam serviço, pelo que será de equacionar o custo entre ter um determinado número de voluntários, com algum tipo de compensação, ou um menor número de profissionais, com custos individuais mais elevados, mas com outro tipo de vínculo e de responsabilidade.

quarta-feira, janeiro 12, 2011

Suporte de pneu para capot de Defender

Image Hosted by ImageShack
As peças do suporte de pneu para capot de Defender

Muito usual nos primeiros modelos de Land Rover, sobretudo nos Serie, mas abrangendo também os Ninety e as primeiras versões de Defender, o suporte de pneu sobressalente no capot entrou em desuso a partir dos TD5, para o qual, na sua configuração de origem, deixou de existir esta opção na própria marca.

Os suportes de capot para os Defender consistem num conjunto de peças cuja instalação implica furar o capot, pelo que se torna difícil de reverter, e inclui o sistema de encaixe, que passa pelo interior da jante, e os suportes em borracha onde o pneu se apoia.

Este suporte destina-se aos vários Defender com excepção dos modelos Td5, os quais têm o capot menos resistente, bem como componentes de injecção demasiado próximos e que podem ser danificados pelo peso do pneu caso o capot ceda um pouco e entre em contacto com o motor.

O preço, com portes a partir de Inglaterra, fica entre os 60 e os 70 Euros, com o transporte, devido ao peso do conjunto, a influir decisivamente no valor final, acrescendo ainda, para os proprietários dos Td5, o valor para colocar um capot de maior resistência proveniente de um 200 ou 300 Tdi.

Faltam bombeiros voluntários em de Viana do Castelo - 1ª parte

Image Hosted by ImageShack
Bombeiros num combate aos fogos

O Governo Civil de Viana do Castelo admitiu a falta de voluntários nas corporações de bombeiros do distrito, facto que tem ocorrido em diversos distritos sobretudo naqueles que estão localizados no Interior do País, onde os dados demográficos apontam para a desertificação e envelhecmento da população.

No distrito de Viana do Castelo apenas duas corporações, Ponte da Barca e Ponte de Lima, dispõem de equipas de intervenção permanentes (EIP), sendo intenção que as restantes corporações também as venham a integrar.

Na actual táctica de ataque aos fogos, uma primeira intervenção rápida é essencial, para o que a disponibilidade permanente de meios, neste caso através das EIP, é essencial, como forma de controlar a ocorrência antes que atinja proporções de maior gravidade e requeira meios que podem ser difíceis de mobilizar.

Viana do Castelo foi, a seguir à Guarda, o distrito com maior área devastada pelos incêndios nos últimos quatro anos, tendo-se verificado escassez de meios em diversos períodos do Verão passado, altura em que se verificaram sérias dificuldades no combate ás chamas.

terça-feira, janeiro 11, 2011

Adaptador de rodas para "hi-lift"

Image Hosted by ImageShack
Um adaptador de rodas para "hi-lift"

Para elevar um veículo todo o terreno através da jante, solução que pode ser requerida em diversas situações, sobretudo em terreno irregular, é necessário recorrer a um adaptador, que tipicamente consiste num encaixe para o "hi-lift" e ganchos para prender a jante.

Este equipamento, designado por "Lift-Mate", foi concebido de acordo com este conceito, integrando um sistema de segurança que evite que deslize, saindo do "hi-lift" e, ao mesmo tempo, protegendo as jantes, evitando danificá-las ou mesmo riscá-las.

O "Lift-Mate" permite levantar pesos de até 2.273 kg, ou 5.000 libras, encaixando-se nas jantes os dois ganchos protegidos por uma camada e almofadas em borracha, de modo a evitar danos, após o que se opera o "hi-lift" de forma convencional.

O preço de cada um destes adaptadores é de perto de 23 Euros, a que acrescem perto de uma dúzia para portes, pelo que se pode estimar em 35 Euros o valor fina para um destes adaptadores que permitem usar o "hi-lift" directamente numa jante.

2010 teve temperaturas e chuvas superiores à média - 3ª parte

Image Hosted by ImageShack
Uma inundação em Portugal

Se bem que estas situações, em muitos casos, não sejam recentes, a periodicidade e intensidade tem vindo a evoluir perigosamente, atingindo directamente as populações e o tecido empresarial, sendo consequencia óbvia a deslocalização de empresas que optam por não suportar os custos inerentes ao isolamento ou a dificuldades no acesso ou na distribuição da produção.

Igualmente grave, tem sido o não cumprimento de promessas, normalmente feitas em cima do acontecimento, sem estudos, nem estimativa do valor nelas implícito, as quais são cumpridas tardiamente ou, pura e simplesmente, esquecidas, sendo por vezes recordadas quando um facto semelhante ocorre e a comunicação social relembra os compromissos assumidos.

Com a falta de verbas, não apenas a prevenção, mas também as compensações são afectadas, sendo igualmente de notar que em periodos de maiores dificuldades, diminui o recurso aos seguros, aumentando assim a vulnerabilidade de quem está exposto a estes factores de risco naturais.

Ao tentar poupar onde não deve, exactamente na prevenção de tragédias naturais, existe, naturalmente, uma poupança imediata, que pode ser pouco substancial, mas que abre caminho a uma imprevisibilidade que pode atingir proporções da maior gravidade, como as que resultam do mau tempo que tem atingido recentemente diversas zonas do território nacional.

segunda-feira, janeiro 10, 2011

Blogger passa a fornecer estatísticas

Image Hosted by ImageShack
Estatísticas fornecidas pelo Blogger

Recentemente o Blogger passou a incluir um conjunto de estatísticas dos "blogs" que usam a sua plataforma, resultantes de dados de tráfego provenientes de diversos contadores, entre os quais o popular Sitemeter.

Entre os dados encontram-se as visualizações de páginas, com "ranking" das que foram mais visitadas, quais os "posts" mais populares, as referências, incluindo os "sites" de origem, bem como as palavras chaves mais procuradas das quais resultaram visitas.

Existe finalmente um painel de audiência, que divide os visitantes em termos de origem, do "browser" utilizado ou do sistema operativo, descriminando, tal como os dados anteriores, por dia, semana, mês, bem como totais, neste caso desde Maio de 2010, altura em que se iniciaram os registos e desde o que este "blog" teve mais de 150.000 visualizações de páginas.

Obviamente as estatísticas do Blogger não substituem contadores mais sofisticados, de onde podem ser extraidas mais informações, algo que é sempre necessário para quem pretenda conhecer melhor a sua audiência de forma a ir de encontro aos seus interesses.

2010 teve temperaturas e chuvas superiores à média - 2ª parte

Image Hosted by ImageShack
Interior desertificado de Portugal

As reduções de verba que constam do último Orçamento Geral do Estado em muitas áreas que abrangem desde a prevenção de fogos, através do trabalho dos sapadores florestais, até à reflorestação, excluindo virtualmente o necessário reordenamento do território, o qual surge cada vez como mais vulnerável perante as forças da Natureza.

Aliás, esta situação ficou bem patente nas primeiras chuvas deste Inverno, altura em que se notou a falta de limpeza dos sistemas de escoamento de água, resultando em numerosas inundações, cujos substanciais prejuizos recaem sobre as populações, mas que se refletem igualmente nas contas do Estado, privado de receitas directas e indirectas ou mesmo pela destruição dos próprios bens públicos.

Nestas contas normalmente não entram os prejuizos decorrentes do decréscimo da receita económica que resulta da paragem de actividades, a qual pode ser fruto de danos directos, mas sobretudo de forma indirecta, como, por exemplo, a impossibilidade de acessos, falhas na rede de distribuição de bens, incluindo energia, ou de cancelamento de encomendas por parte de quem foi atingido.

Ainda recentemente, verificou-se o corte de diversas estradas devido a uma chuva forte, mas que não pode ser considerada como excepcional, enquadrando-se nos valores normais para esta época do ano, mas que chegou para impedir a circulação em vias das quais depende o bom funcionamente da economia nas regiões atingidas.

domingo, janeiro 09, 2011

"A-bar" instalada no Defender

Image Hosted by ImageShack
A "A-bar" instalada no Defender

A opção de instalar uma "A-bar" no Defender, e brevemente adicionar uma protecção das barras de direcção devem-se mais aos riscos de colisão em estrada do que propriamente com a prática de todo o terreno, com a decisão a ser tomada após, por duas vezes no espaço de três dias, quase ter colidido frontalmente com outros veículos que circulavam fora de mão.

É óbvio que em caso de colisão frontal o Defender tem uma resistência muito superior à da esmagadora maioria dos veículos, mas o facto é que a manifesta falta de cuidado de numerosos automobilistas acaba por determinar o aumento do nível de protecção.

Dado que o parachoques montado é da AFN, a protecção, caso se pretenda evitar adaptações, deverá ser da mesma marca, com os furos de montagem interiores e exteriores separados, respectivamente, por 67 e 87 cm em termos de largura e 3.5 a nível de profundidade, num total de oito parafusos de fixação.

Nestas condições a montagem é extremamente simples, bastando colocar a "A-bar" no local e apertar os parafusos, que serão cobertos com as capas de protecção, após o que fica pronta a, caso suceda, suportar embates violentos protegendo o veículo.
Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin