sábado, dezembro 04, 2010

Nova versão do Google Earth integra o Street View - 1ª parte

Image Hosted by ImageShack
Écran do Google Earth

A recém anunciada versão 6 do Google Earth integra agora o Street View, a perspectiva tridimensional ao nível do solo e em grande detalhe das ruas das cidades onde este levantamento foi efectuado, permitindo assim uma visita virtual a estas localidades.

O funcionamento do Street View no Google Earth é muito semelhante ao do Google Maps, com alternância com a visualização ao nível da rua, para o local onde se pretende central o ponto de observação, sendo esta válido para as ruas com contornos delimitados a azul.

Esta nova funcionalidade vem colocar o Google Earth ao nível do Google Maps em termos de detalhes, e vem ao encontro das pretensões de muitos utilizadores que apreciam ver a sua vizinhança ou locais de referência com o maior detalhe possível.

Outras funcionalidades, como as viagens ao passado, estão agora facilitadas, bastanto escolher a data pretendida para ver uma cidade ou rua no época selecionada e estão disponíveis dezenas de modelos tridimensionais de árvores, entre as quais diversas espécies raras ou ameaçadas.

sexta-feira, dezembro 03, 2010

Pagar o inútil e ficar pior - 2ª parte

Image Hosted by ImageShack
As iluminações na Guerra Junqueiro

Saltam à vista os desníveis, ou taludes, implementados por razões meramente estéticas, sem sustentação, e cuja terra, bem como a escassa relva, são devastados pelas chuvas, enlameando toda a área circundante, a ponto de se converter num perigo para a circulação automóvel, para além de um severo incómodo para os transeuntes.

Acresce a diminuição do espaço útil, reduzindo os espaços de convívio e de circulação, onde ao longo de anos se realizou uma feira de Colecionismo, a qual já não encontra espaço após as obras, restando, como fraco consolo, o facto de os taludes, sem sustentação, escorregadios e traiçoeiros, serem um interessante obstáculo para quem os queira utilizar na prática de todo o terreno.

Imediatamente a seguir à Pr. de Londres, surge a Av. Guerra Junqueiro, que faz ligação desta à Alameda D. Afonso Henriques, onde pontificam umas curiosas iluminações natalicias vermelhas, assustadoramente apropriadas para o "Halloween", mas quem em nada parecem apropriadas para o clima ou atmosfera associados ao Natal.

Entre sustos e lamentos, a única certeza é o flagrante desperdício de verbas públicas, esbanjadas em obras que, menos que inúteis, prejudicam quem usufruia da praça, a que se adiciona o tenebroso aspecto de uma avenida iluminada a vermelho, igualmente paga por quem bem se pode assustar perante tal cenário e pelo esbanjamento que este significa.

CE prevê "ano terrível" - 2ª parte

Image Hosted by ImageShack
Desemprego em Portugal

Entre os cortes mais receados encontram-se aqueles que atingem a área da Saúde, que implicam uma diminuição de despesas em diversos sectores, incluindo nos cuidados hospitalares e no próprio socorro, mas também nas transferências para as autarquias, responsáveis por um número crescente de missões no ordenamento do território e prevenção e combate aos fogos.

Sem acções de prevenção e com cortes no reequipamento das corporações, que vêm assim os seus meios cada vez mais degradados, impõe-se, desde já, começar a equacionar a próxima época dos fogos, que encontrará o País numa situação de maior vulnerabilidade face ao habitual, sendo, inclusivé, de temer que os meios contratados durante a época de maior risco sofram uma redução substancial.

É, efectivamente, possível poupar em diversas áreas, inclusivé no combate aos fogos, para usarmos este exemplo, mas tal implica investir agora para evitar custos mais elevados no futuro, sendo mais que óbvio que da falta de investimento resultarão elevadas despesas no espaço de poucos meses, às quais se tem que adicionar perda de rendimentos e consequente diminuição de receitas fiscais.

O "ano terrível" que as instâncias comunitárias prevêm irão muito além de problemas económicos e sociais, atingindo directamente a segurança dos cidadãos e abalando, uma vez mais, a confiança que estes ainda depositam no Estado, e sem a qual dificilmente aceitarão os cada vez maiores sacrifícios que este impõe.

quinta-feira, dezembro 02, 2010

Pagar o inútil e ficar pior - 1ª parte

Image Hosted by ImageShack
A "nova" Pr. de Londres

Não é comum abordarmos questões relacionadas com o urbanismo, na sua vertente estética, ou as decorações que surgem nesta época do ano, mas o absurdo de algumas situações, onde se verificou um substancial investimento da autarquia, justifica um par de fotos e algumas reflexões.

Quem habita em Lisboa, e muitos dos que visitam a Capital, conhecem a Pr. de Londres, localizada no fim da Av. de Roma, e, portanto, numa zona central da cidade, onde o comércio e alguns locais de lazer ou convívio, como a Pastelaria Mexicana, atraem numerosos visitantes.

A velha praça há muito que necessitava de obras de requalificação, tendo a Junta de Freguesia de S. João de Deus efectuado uma proposta nesse sentido, mantendo a traça original, que data de meados do século passado, a qual foi preterida a favor de outra, da responsabilidade da Câmara Municipal, que, para além de incomparavelmente mais dispendiosa, modificava em muito o aspecto e funcionalidade da praça.

Após um longo período de obras, ainda por concluir, podem-se, no entanto, tirar algumas conclusões deste empreendimento, que consideramos exemplificativo do muito de mau que se faz neste País, enquanto se esbanja o dinheiro dos contribuintes.

Primeiras neves paralizam cidades no Norte - 2ª parte

Image Hosted by ImageShack
Nevão em Portugal

O número de veículos de socorro adequados ao transporte de doentes e com capacidade para circular em condições extremas, nomeadamente sobre neve ou gelo, é escasso e inexistente em numerosos concelhos onde os nevões são comuns.

Mesmo o número de correntes ou lonas para montar nos pneus instalados continua a ser escasso e os que estão disponíveis para veículos de socorro muito insuficientes, sendo-no entanto, incapazes de assegurar condições de circulação em muitas das vias encerradas devido à neve.

Restaria a evacuação por via aérea, algo que se sabe ser impossível durante a noite ou com mau tempo, que se associa às condições de circulação em terra, deixando sem alternativas viáveis de socorro quem dele necessite e se encontre num Interior remoto e sem meios de atendimento próprios que, mesmo não sendo um atendimento permanente, deviam ser equacionados recorrendo a outras soluções.

No passado sugerimos que fosse dada formação a voluntários e colocado um mínimo de equipamentos e medicamentos nas localidades mais isoladas, como forma de, se não uma primeira intervenção, pelo menos uma triagem e uma capacidade mínima de resposta supervisionada por uma entidade competente, evitando assim um completo abandono de algumas populações isoladas, tipicamente compostas por uma maioria de idosos.

quarta-feira, dezembro 01, 2010

CE prevê "ano terrível" - 1ª parte

Image Hosted by ImageShack
Pobreza em Portugal

Em textos que publicamos, mencionamos repetidamente o irrealismo do quadro de conjuntura macro-económica e as previsões constantes do recentemente aprovado Orçamento Geral do Estado e de que este foi feito partindo dos resultados pretendidos, a partir dos quais se criou um cenário fictício.

Com a confirmação dos erros destas previsões por parte das próprias instâncias comunitárias e a recusa do Governo português em efectuar mais reformas ou alterarções, para além das já aprovadas, e a conhecida falta de rigor orçamental, patente nas excepções das reduções da massa salarial aprovadas durante a discussão do Orçamento, temos, inevitavelmente, de temer o pior.

Um flagrante erro orçamental tem como consequências quase imediatas o aumento das taxas de juro ou a impossibilidade de obter os créditos necessários ao regular funcionamento dos mecanismos e instituições do Estado, resultando na falta de verbas para suprir despesas correntes, que vão desde a prestação de serviços até ao cumprimento de compromissos, podendo, no limite, chegar a falhas no pagamento de salários.

Sabendo-se que, mesmo em condições de suposta normalidade, as prioridades são muitas vezes invertidas, dando-se prioridade ao supérfulo e desnecessário e preterindo-se o que, sendo essencial, não promove as aparências e a ostentação que parecem ser o fulcro da acção política, teme-se que a vulnerabilidade do País aumente substancialmente, com consequências directas na vida de todos.

terça-feira, novembro 30, 2010

Écharpes da Legião no EBay

Image Hosted by ImageShack
Uma écharpe da Legião

As écharpes são um acessório há muito usado como forma de protecção contra condições ambientais extremas, tendo ganho alguma popularidade entre diversos povos ou civilizações, e sendo adoptadas por forças militares, de segurança ou entidades que operam na área do socorro.

As echarpes provenientes da Legião Estrangeira ao serviço da França têm 230 cm de comprimento por 80 de largura e são em amarelo escuro, apropriadas para a camuflagem nos desertos norte-africanos, sendo vendidas como usadas, não obstante poderem ser apenas provenientes de "stocks" antigos, mas sem uso.

Estas dimensões são, na nossa opinião, perfeitamente aceitáveis, aproximando-se dos 240 cm dos lenços touaregues, ultrapassando os perto de 170 a 180 de muitos dos lenços comercializados por valores semelhantes e que se revelam demasiadamente pequenos para uma utilização confortável.

O preço unitário ronda a dezena de Euros, acrescendo portes a partir de França, que podem ser reduzidos caso se encomendem diversas unidades, concorrendo favoravelmente com modelos que se vendem em lojas convencionais.

Primeiras neves paralizam cidades no Norte - 1ª parte

Image Hosted by ImageShack
Nevão em Portugal

A queda de neve resultante das baixas temperaturas que se verificam sobretudo no Norte e Centro do País levaram ao encerramento de diversas escolas, vias de circulação e mesmo ruas sitas no interior de cidades.

Desde Lamego ou Guarda, passando por Viseu e até ao extremo Norte do País, são cada vez mais as vias de circulação cortadas ou nas quais se circula com maiores dificuldades, com algumas a tornarem-se francamente perigosas para a circulação, sobretudo onde se verifica maior acumulação de neve e gelo.

No entanto, para além dos custos, é a própria segurança das populações que fica em causa, com localidades isoladas ou de acesso difícil e moroso, muitas das quais foram privadas de um serviço de atendimento permanente (SAP) que assegure cuidados médicos primários aos habitantes.

Ao previligiar a rapidez no socorro, como compensação pelo encerramento de numerosos SAP, poucos terão avaliado os efeitos desta opção em toda a sua extensão, deixando as populações de numerosas localidades do Interior inteiramente à mercê das condições climáticas, sem possibilidades de socorro atempado.

segunda-feira, novembro 29, 2010

Inversor de corrente de 1000W - 2ª parte

Image Hosted by Imageshack
O inversor de corrente de 1000W

A potência máxima de saída é de 1000W, a 220V e 50 Hz, uma corrente eléctrica idêntica à de uma tomada de electricidade doméstica, alimentando a 5V um conector USB onde podem ser carregados equipamentos que utilizem este tipo de ligação para efeitos de carregamento.

As dimensões são de 191 × 95× 55 mm, pesando apenas 821 gramas e no conjunto estão incluidos os cabos que pemitem ligar a uma tomada de isqueiro padonizada ou directamente à bateria ou cablagem do veículo.

Na ausência de uma base, sugerimos que este modelo seja preso recorrendo a quatro peças em "L", que podem ser aparafusadas ao inversor recorrendo aos parafusos inferiores existentes nos dois topos, e a uma superfície do veículo através de outro conjunto de parafusos.

O preço deste inversor, ou de modelos equivalentes, fica um pouco abaixo da trintena de Euros, incluindo portes a partir da Ásia, podendo ser agravados por direitos alfandegários, sendo possível adquirir as versões de 500W por perto de uma vintena de Euros.

Tempo frio até 2ª feira - 2ª parte

Image Hosted by Imageshack
Nevão em Portugal

A falta de verbas, que se agravará em 2011, terá obviamente efeitos nas operações que decorrem do mau tempo, como a desobstrução de vias, mas também a nível da manutenção destas, bem como de muitos outros equipamentos, e das dotações orçamentais das entidades responsáveis por estas missões.

Nos anos mais recentes, várias foram as iniciativas, sobretudo nas grandes cidades, para combater estas vagas de frio e proporcionar aos mais desfavorecidos um pouco de conforto, como o manter abertas as estações do Metropolitano ou fornecer refeições quentes, mas nesta época de restrições, quando a necessidade é maior, as iniciativas nem sempre acompanham esta triste evolução.

Existem, obviamente, excepções, seja por parte de algumas autarquias, seja promovidas por instituições ou associações particulares, ou mesmo a nível individual, mas ao aumento da pressão resultante de uma conjuntura desfavorável, ao invés de um aumento de meios, deparamo-nos com o acréscimo de dificuldades que enfrenta mesmo quem pretende ajudar.

Esta primeira vaga de frio, que não será nem a primeira nem a mais rigorosa, vai por à prova instituições e a própria solidariedade dos que ainda têm condições para ajudar quem mais precisa, e da forma como for enfrentada poderão ser extraidas as primeiras conclusões quanto ao real estado do País.

domingo, novembro 28, 2010

Inversor de corrente de 1000W - 1ª parte

Image Hosted by Imageshack
O inversor de corrente de 1000W

A utilização de equipamentos eléctricos em veículos implica converter a corrente de 12V, ou em casos de viaturas pesadas de 24V, para os 220V, utilizados nas tomadas domésticas, com uma atenção especial para os consumos de energia.

Relativamente a esta última questão, lembramos que a mesma foi abordada na descrição de sistemas de bateria dupla, uma das quais fica somente dedicada ao funcionamento do veículo, enquanto a segunda alimenta equipamentos opcionais.

Outra questão diz respeito às necessidades, em termos de consumo, do ou dos equipamentos de 220V a serem ligados, e que podem ir desde uma simples máquina de barbear a um frigorífico, passando por um computador portátil, o que implica algum cuidado na escolha do inversor de corrente.

Existem tabelas com consumos estimados de diversos tipos de equipamento e as instruções dos mesmos costumam incluir essa informação, as quais devem ser consultadas antes de optar por um dado modelo de inversor, mas, devido a alguma universalidade e à relação preço/qualidade, apontamos para os 1000W.
Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin