sábado, dezembro 31, 2005

Projecto SidCarta


Image Hosted by Imageshack
Mapa antigo de Lisboa

O Instituto Geográfico do Exército, para além dos novos sistemas de informação digital, iniciou um projecto de recuperação da antiga cartografia militar portuguesa, denominado SidCarta, de forma a torná-la novamente disponível a todos quantos apreciam ou estudam mapas antigos.

Para além de permitir uma consulta histórica e apreciar a beleza de alguns dos mapas feitos pela Engenharia Militar Portuguesa, a comparação com os actuais é um exercício interessante na avaliação do quanto mudou o território nacional e na forma como este tem sido representado cartograficamente ao longo dos séculos.

No site do IGEOE, estão disponíveis imagens de alguns dos mapas incluidos neste Projecto, bem como detalhes relativos aos mesmos, valendo a pena uma visita a esta amostra com contornos de pequena exposição virtual.

IGEOE-Sistema de Informação Geográfica


Image Hosted by Imageshack
Mapa satélite de Vila Ruiva - Serra da Estrela

Não é só o Google Earth que permite obter mapas ou visualizações de imagens de satélite do território português, tendo o Instituto Geográfico do Exército, a partir do seu site, um sistema de informação geográfico semelhante.

Igualmente interactivo, mas sem a necessidade de instalar qualquer programa, o IGEOE-SIG oferece informações semelhantes às dos mapas militares da Série 888, com a vantagem acrescida de disponibilizar imagens de satélite das mesmas áreas para além de diversas funcionalidades inexistentes na versão impressa.

A imagem apresentada, de uma pequena aldeia no sopé da Serra da Estrela, é exemplificativa do tipo de imagens de satélite que se pode obter no interior do País, com uma definição inferior à disponibilizada para as áreas litorais, tal como acontece nos restantes sistemas de informação geográfica conhecidos.

Em muitos casos, utilizando um programa apropriado, é possível afinar a imagem, realçando as formas e corrigindo a cor, de forma a que esta se aproxime tanto quanto possível da realidade, mas tal só é possível com imagens estáticas de que resulta a perda de interactividade.

Neste exemplo, é visível a linha divisora entre duas cartas da Série 888 à escala 1/25.000, a 191 e a 202, com indicação do número de referência das mesmas, sendo possível adicionar ou remover diverso tipo de informação geográfica ou administrativa.

A maior falha a ausência deste sistema é um "interface" com GPS e um programa que sirva de interface, facilitando os controles e aumentando a rapidez, embora a ausência deste o torne mais universal e compatível com qualquer "browser".

Embora ainda falte um longo caminho a percorrer para fornecer imagnes detalhadas de todo o território nacional, o IGEOE tem vindo a apresentar trabalhos cada vez mais interessantes e a integrar-se na nova era digital com a mesma qualidade da época em que recorria sobretudo à informação impressa, demonstrando que em Portugal existe a capacidade de produzir mapas ao nível do que de melhor existe no Mundo.

sexta-feira, dezembro 30, 2005

Época de ouro no Ebay


Image Hosted by Imageshack
Site do Ebay Inglês

Podem ser prendas de Natal não desejadas ou uma forma de recuperar financeiramente das despesas, muitas vezes excessivas, desta época, mas subitamente o número de peças e equipamentos para Land Rover no Ebay inglês aumentou substancialmente, recuperando de uma época algo fraca.

Tal como nos meses de Junho e Julho, em que as férias fazem aumentar as vendas, ou em Setembro, quando os equipamentos adquiridos para o Verão começam a ser vendidos para financiar outros mais adaptados ao Inverno, esta é uma época de ouro que sugerimos que aproveitam.

Aos que os gastos no Natal ainda permitam alguma disponibilidade, e sempre sem recorrer à tentação fácil dos créditos pessoais, desejamos prudência e boas compras!

GNR para incêndios disponível apenas em 5 distritos do País


Image Hosted by Imageshack
Agentes da GNR

Durante a próxima época de incêndios florestais, o Grupo de Intervenção de Protecção e Socorro da GNR (GIPS/GNR) vai intervir apenas em 5 distritos portugueses, considerados como os mais vulneráveis.

A opção por Vila Real, Viseu, Coimbra, Leiria e Faro foi considerada como tecnicamente correcta pelos bombeiros, que, no entanto, criticaram o tipo de meios humanos escolhidos.

"A opção do GIPS/GNR é política e legítima, mas discordamos porque seria possível fazer este grupo apenas na esfera dos bombeiros", considerou Duarte Caldeira, presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses.

Segundo Fernando Curto, presidente da Associação Nacional de Bombeiros Profissionais, "é uma situação que não se entende. Recomendámos a criação de uma "taskforce" de combate a incêndios a nível nacional e resulta ser apenas parcial e, sobretudo, para o interior do País, quando a esmagadora maioria dos incêndios ocorre no Litoral".

Mais grave ainda, de um efectivo que se previa ser de 500 elementos, o GIPS vai contar apenas com 350 militares, mas o Ministério da Administração Interna já admitiu que este número vai apresentar, operacionalmente, a disponibilidade permanente de apenas 100, formados a partir da última semana de Janeiro e a até 15 de Abril.

Quem tem alguma experiência em termos organizativos, sabe que quando se pensa em termos de escalas de serviço o efectivo diminui substancialmente, de forma similar aos números acima exemplificados.

É ainda de ter em conta que por férias, baixas e outros impedimentos, que no caso dos agentes da autoridade pode ser algo tão simples como ir a um Tribunal prestar depoimento, pode resultar uma disponibilidade permanente bastante inferior aos números mencionados.

Assim, dos 20 elementos permanentes por distrito, é bastante provável que pouco mais de uma dúzia estejam realmente disponíveis, sendo a sua eficácia condicionada pelos escassos meios existentes, pelo que se receia pela eficácia desta medida que parece cada vez menos acertada, sobretudo tendo em conta os riscos resultantes da escassa experiência dos elementos destinados a esta nova missão.

Lembramos ainda, que a experiência do uso de meios militares, tal como de bombeiros sem a experiência e o enquadramento necessário, demonstrou ser trágica no passado e o mesmo pode repetir-se no futuro caso não sejam tomadas as precauções adequadas em termos de formação, treino e acompanhamento.

Estamos certos de que com o mesmo investimento nos bombeiros, profissionais ou voluntários, e nos meios de prevenção, seria possível não só obter melhores resultados, como conseguir uma maior e mais do que necessária colaboração da sociedade civíl.

quinta-feira, dezembro 29, 2005

Smokey Bear


Image Hosted by Imageshack
Site do Smokey Bear

O site do Smokey Bear é um dos mais interessantes na prevenção de fogos florestais que encontramos até hoje, com mensagens claras e um especial enfâse no facto de esta ser uma tarefa de todos e cada um, tal como temos vindo a afirmar.

Embora com um aspecto que parece essencialmente destinado a crianças, incluindo jogos para os mais jovens, a mensagem é clara e para todas as idades e um exemplo que devia ser seguido em todo o Mundo.


Image Hosted by Imageshack
Símbolo do Smokey Bear

Com imagens e animações que incluem alguns personagens da Disney complementadas por textos de fácil compreensão, é um site agradável de consultar e onde as informações e esclarecimentos são prestados de forma acessível para todos, mesmo para os que estão menos habituados à língua inglesa.

Hoje propomos uma visita a este site, que lamentamos não estar traduzido nem ter um equivalente em português, mas cujas informações e mensagens são extremamente importantes, pelo que certamente voltaremos para uma nova visita, enquanto fazemos votos para que as autoridades nacionais sigam este exemplo.

Catálogo da Bearmach no Land Rover Owner International


Image Hosted by Imageshack
Capa do catálogo da Bearmach

No número de Janeiro de 2006 da Land Rover Owner International, já disponível nas bancas, vem incluido um catálogo completo da Bearmach onde são apresentados os produtos deste popular fornecedor.

Ao longo de 130 páginas, são apresentadas desde peças ou equipamentos opcionais a miniaturas, passando por quase tudo o que se pode imaginar num Land Rover, incluindo as referências e os preços actuais.

Sendo uma das maiores empresas na venda de equipamentos para Land Rover, o catálogo da Bearmach está à altura do que se espera de um fornecedor conhecido em todo o Mundo pelos proprietários de veículos desta marca.

Embora os items apresentados constem do site da Bearmach, o catálogo afigura-se como um meio de consulta francamente mais prático, pelo que poderá ser mais uma justificação para adquirir a revista que inclui um interessante conjunto de artigos a começar pelos "Segredos de Condução Militares" do Exército Inglês.

quarta-feira, dezembro 28, 2005

5.000 visitas


Image Hosted by Imageshack
5.000 visitas

Ao atingir as 5.000 visitas, não queremos deixar de agradecer a todos quantos nos visitaram e a quem colocou ligações nos seus blogs e sites para o nosso.

A todos o nosso obrigado e continuamos a contar convosco neste espaço de reflexão.

Placa de instruções da caixa de transferências


Image Hosted by Imageshack
Placa de instruções da caixa de transferências

Conforme mencionamos anteriormente, disponibilizamos a imagem da placa de instruções da caixa de transferências em tamanho real, de modo a que possa ser impressa no material adequado.

Chamamos a atenção para o facto de esta impressão deva ser ajustada de modo a ficar da dimensão das placas de identificação do veículo.

Com técnica de impressão, sugerimos reduzir o número de cores e eliminar ou atribuir transparência à cor prateada e imprimir sobre plástico autolocante prateado, recortando-o de forma a manter uma pequena margem de 3 milimetros a toda a volta.

A redução do número de cores para 16, também permite corrigir as pequenas irregularidades de cor derivadas da idade desta peça, a qual já apresenta algum desgaste.

Embora no EBay seja possível obter estas placas a um baixo preço, a impressão em plástico autocolante pode ser uma alternativa barata até ser obtida uma solução defenitiva.

Nova versão do Google Earth


Image Hosted by Imageshack
Imagem de Veneza no Google Earth

Enquanto a base de dados do Google Earth continua a aumentar, em grande parte devido às contribuições de milhares de utilizadores que enviaram imagens e mapas, foi lançado um novo mecanismo de pesquisa, mais leve e rápido.

Actualmente, a última versão deste software é a Beta 3.0, nas várias opções Standard, inteiramente gratuita, e Plus ou Professional, que necessita de ser paga e adiciona novas possibilidades.

Em áreas onde a definição é elevada, na companhia de um receptor de GPS, funcionalidade disponível na versão Plus, e com uma placa de ligação UMTS que permita um acesso de alta velocidade à Internet, o Google Earth Plus é uma solução alternativa ou complementar aos sistemas de orientação convencionais, com o valor acrescentado de oferecer os sistemas de pesquisa impares da Google, capazes de conduzir os utilizadores em quase todo o Mundo.

Para tirar partido desta solução, aconselha-se a utilização de um portátil com processador de 500 Mhz ou superior e 256 Mb de memória RAM, um écran com uma resolução de 1024x768 pixels e Windows 2000 ou XP, complementado por um GPS com ligação ao portátil e uma placa UMTS PCMCIA.

Quem quiser utilizar o Google Earth Plus como complemento de outro software e pretenda partilhar o GPS, deverá ainda instalar o GPS Gate de forma a que as várias aplicações possam receber o sinal do GPS em simultâneo.

Este conjunto permite a quem instalar o Google Earth Plus obter informações em tempo real através de um sistema flexível e em constante actualização, onde se incluem não apenas informações geográficas, mas também onde encontrar restaurantes, lojas, cinemas e tudo o que um viajante pode procurar.

terça-feira, dezembro 27, 2005

Contactos da Land Rover em Inglaterra


Image Hosted by Imageshack
Land Rover Discovery G4

Embora já tenha colocado esta informação num Fórum, deixamos aqui o contacto do Centro de Relacionamento com Clientes da Land Rover em Inglaterra, último recurso quando os contactos com o representante em Portugal não surtem os efeitos desejados:

Land Rover
Customer Relationship Center
Browns Lane
Allesley
Coventry CV5 9DR
United Kingdom

É conveniente insistir no sentido de intervirem directamente e não apenas de encaminharem a carta para a filial em Portugal, dado que, por experiência própria que um dia será relatada, a Land Rover inglesa tende a enviar aos representantes as missivas, provavelmente imaginando que estes resolverão as questões colocadas.

Penso que, infelizmente, a Land Rover em Inglaterra não tem a noção correcta da insatisfação com o serviço da sua filial portuguesa nem estará ao corrente da forma como esta tende a não resolver as situações que lhe são colocadas, manifestando uma completa indiferença perante as queixas ou pedidos de assistência dos clientes que é suposto servir.

Num próximo texto, iremos relatar uma experiência de contacto com a Land Rover inglesa, esperando apenas que esta nos responda a uma carta, sendo que consideramos que não havendo resposta num prazo razoável, concluiremos que optou por deixar a situação nas mãos da sua filial portuguesa.

Velocidades de transmissão de dados em UMTS


Image Hosted by Imageshack
Placa PCMCIA UMTS Merlin U630

As novas tecnologias permitem um acesso cada vez mais rápido à informação, utilizando as redes de transmissão de dados das operadoras de telecomunicações.

A ligação pode ser obtida através de uma placa própria, como a Merlin U630 para redes UMTS, ou da ligação a um telemóvel com capacidade de transmissão de dados, sendo a velocidade máxima determinada pelas capacidades do equipamento e da rede no local e nas condições em que a comunicação se efectua.

Assim, estão actualmente disponíveis a nível europeu 3 diferentes protocolos, a que correspondem distintas velocidades máximas de acesso:

UMTS 384 Kbps
GPRS 53.6 Kbps
GSM 14.4 Kbps

Tipicamente, os equipamentos tentam estabelecer uma ligação utilizando o protocolo mais favorável, que permita uma velocidade mais elevada, a menos que haja uma configuração específica ou restrições contratuais que determinem outro critério.

Quando não é possível comunicar utilizando o protocolo desejado, ou existe uma perda de qualidade derivada das condições de transmissão, o equipamento de comunicação tenta manter a ligação baixando a velocidade ou tentando outro protocolo.

Assim, se um equipamento estabeleceu uma sessão de transmissão de dados via UMTS e perde o acesso a esta rede, tentará operar em GPRS e, caso tal não seja possível, poderá tentar em GSM, com as consequentes perdas em termos de velocidade, sendo que, caso haja uma degradação substancial, a aplicação pode inclusivé deixar de funcionar.

Actualmente, a rede UMTS, normalmente associada aos telemóveis de 3ª geração, apenas cobre áreas restritas do território nacional, pelo que o sistema implementado nos automóveis da Brigada de Trânsito que aqui noticiamos, quando fora dos grandes centros urbanos, tende a ficar demasiadamente lento para ser praticável.

A possibilidade de utilizar ligações de alta velocidade permite o acesso, por exemplo, a sistemas de informação geográfica, como o Google Earth, que, em conjunto com um GPS, pode servir de alternativa aos sistemas de orientação convencionais.

Talvez agora, que a ainda fraca disseminação da rede UMTS afecta directamente os interesses do Estado, possamos assistir a uma maior implementação que venha a cobrir todo o território nacional e não apenas as áreas onde existem mais clientes.

segunda-feira, dezembro 26, 2005

Postal de Natal em russo


Image Hosted by Imageshack
Postal de Natal em russo

Para os ortodoxos, o Natal é apenas comemorado na noite de 6 de Janeiro, quase duas semanas após ter sido festejado pelos católicos, mas já recebemos cartões de alguns dos nossos amigos da Rússia e da Ucrania.

Com os desejos de um Feliz Natal para os nossos amigos de Leste, aqui deixamos o cartão que um deles nos enviou.

Incêndios de Natal


Image Hosted by Imageshack
Lareira acesa, um dos perigos de Inverno

É exactamente na época de Natal que chegam aos quarteis dos Bombeiros um maior número de pedidos de socorro para incêndios domésticos, como resultado de fogos derivados de lareiras, braseiras ou fugas de gás de equipamentos de aquecimento.

Se relativamente aos fogos existe um alerta, derivado do aumento da temperatura ou das labaredas, as fugas de gás resultantes de uma má queima são inodoras e invisíveis, portanto, dificilmente são detectadas, provocando uma morte silenciosa.

Fica aqui um alerta que nunca é de mais repetir, no dia seguinte à morte de duas crianças em Vila Nova de Gaia, vítimas de um incêndio doméstico, e de uma idosa, intoxicada por monóxido de carbono durante o sono, pelo que sugerimos uma visita ao site da Direcção-Geral de Geologia e Energia e, como prenda de Natal atrasada, um detector que alerte em caso de fuga de gás.

domingo, dezembro 25, 2005

6 mortos e 10 feridos graves desde o início da Operação Natal


Image Hosted by Imageshack
Acidente de viação ocorrido durante a noite

Só ontem, véspera de Natal, foram registados 299 acidentes de viação, de que resultaram 3 mortos, 10 feridos graves e 97 feridos ligeiros, o que eleva para 6 as vítimas mortais desde o início da operação especial de vigilância no Natal.

No dia anterior, 6ª feira, tinham-se verificado 375 acidentes, de que resultaram 3 mortos, 13 feridos graves e 89 feridos ligeiros.

No sábado, a GNR detectou 58 condutores com excesso de álcool, 29 dos quais foram detidos por apresentarem uma taxa de alcoolemia igual ou superior a 1,2, num total de 2.243 condutores fiscalizados, tendo registado 943 autos de contra ordenação, dos quais 486 por infracções graves e 76 por infracções muito graves.

Foram detectados 880 casos de excesso de velocidade, 44 condutores ou passageiros sem cinto de segurança ou sistema de retenção adequado, 19 de circulação de veículo sem seguro obrigatório e detidos 9 condutores por condução sem habilitação legal.

As estatísticas portuguesas são, no entanto, bastante enganadoras dado que apenas incluem as vítimas declaradas mortas na altura do acidente ou nas primeiras horas após este acontecer, e não aqueles que, após internamento hospitalar vêm a sucumbir e que, segundo as poucas estatísticas disponíveis, correspondem a metade dos feridos graves.

Também os 5 turistas italianos mortos num acidente na Madeira, não foram incluidos, dado que não se deveu ao normal tráfego resultante das viagens natalícias, pelo que continua a haver um esforço para esconder a realidade tal como ela é, ocultando uma substancial percentagem de vítimas mortais.

Assim, enquanto se manipula as estatísticas e a opinião pública, é possível fazer crer que tem havido uma redução do número de acidentes superior à real e, de alguma forma, esconder uma triste realidade que coloca Portugal fora dos parametros de qualquer país civilizado.

É Noite de Natal


Image Hosted by Imageshack
Presentes junto de Árvore de Natal

E, portanto, tempo para estar com aqueles que nos são mais queridos.

A todos um Feliz Natal.

sábado, dezembro 24, 2005

Conduza com cuidado!


Image Hosted by Imageshack
Acidente rodoviário

Com o aumento da intensidade do tráfego rodoviário nesta altura do ano, o número de acidentes de viação sobe exponencialmente, não obstante os conselhos e os esforços dos milhares de agentes das forças de segurança que patrulham as estradas nacionais.

Dado que há previsão de chuva para os próximos dias, sobretudo no Sul e Centro do território continental, reiteramos o tantas vezes repetido conselho da Brigada de Trânsito para que todos conduzam com prudência e não transformem esta época que deve ser festiva em período de luto.

Aprovada reforma da protecção civíl


Image Hosted by Imageshack
Serviço Nacional de Bombeiros e Protecção Civíl

O Governo aprovou na passada quinta-feira, de forma definitiva, os 8 diplomas que compõem a reforma da protecção civíl e têm como principal objectivo a reorganização do sistema florestal e de combate aos incêndios.

A resolução que adopta as Orientações Estratégicas para a Recuperação das Áreas Ardidas foi também aprovada no conjunto de 8 diplomas que tinham sido aprovados na generalidade no Conselho de Ministros do passado dia 29 de Outubro, em Mafra.

Além dos diplomas correspondentes à reforma da Protecção Civíl, foram também aprovados 5 decretos-lei que, entre outras medidas, criam o Grupo de Intervenção de Protecção e Socorro (GIPS), dentro da GNR, e extinguem a Agência para a Prevenção de Incêndios Florestais, atribuindo as funções da mesma à Direcção-Geral dos Recursos Florestais.

Nesta altura ainda se desconhece se foram introduzidas alterações, e em caso afirmativo quais, como resultado das propostas dirigidas ao Ministério da Administração Interna durante o período de discussão pública que decorreu em Novembro.

Caso as várias propostas de que temos conhecimento, entre elas a da Liga dos Bombeiros Portugueses, não tenham sido acolhidas, é caso para nos interrogarmos sobre o valor real da discussão pública de diplomas do Governo em Portugal e de expressões tão do agrado dos nosso políticos como a "democracia participativa".

Esperamos brevemente, embora provavelmente só em 2006, ter acesso ao articulado definitivo dos diplomas agora aprovados, certos de que, caso não tenham sido introduzidas alterações, teremos mais um período de contestação por parte dos principais envolvidos de que poderão resultar consequências gravosas para todos.

sexta-feira, dezembro 23, 2005

Feliz Natal


Image Hosted by Imageshack
Você deixou o fogo aceso de propósito só para poder brincar com o brinquedo novo

Desejamos um Feliz Natal a todos os nossos amigos e leitores, agradecendo o interesse com que visitaram estas páginas e esperamos continuar a contar convosco durante o ano que está prestes a começar.

Para todos, aqui fica o nosso cartão de Natal, com votos de Festas Felizes.

Clinómetro adquirido no EBay


Image Hosted by Imageshack
Clinómetro e conector para tomada de isqueiro

Chegou finalmente, um pouco mais de um mês após a compra, o clinómetro ou medidor de inclinações adquirido no EBay por uma dúzia de euros, incluindo o envio a partir de Hong Kong.

Para o encontrar no EBay basta uma pesquisa por "clinometer" e surgem várias opções, tendo optado pela menos dispendiosa após calcularmos os custos de transporte e estimarmos que, tendo em conta o preço, não haveria direitos alfandegários a pagar.

Estas fotografias iniciais demonstram o desenho simples de um modelo inteiramente em plástico, com iluminação através da tomada de isqueiro e que se destina a ser preso, através de um autocolante de duas faces, no topo do tablier de instrumentos.

Apesar de a instalação ser intuitiva, o fabricante chinês teve o cuidado de incluir instruções no sentido de este ser colocado na perpendicular ao eixo longitudinal do veículo e numa posição que não obstrua o campo de visão, após o que se pode proceder ao seu ajuste com a viatura parada num local horizontal e plano.


Image Hosted by Imageshack
Clinómetro iluminado ligado a 12V

Numa sala inteiramente às escuras, necessário para testar o grau de iluminação, o clinómetro foi ligado a um arrancador de baterias com tomadas de isqueiro de 12 volts, de modo a verificar não apenas o funcionamento, mas a praticabilidade.

Como é normal nestes equipamentos de gama económica, a luz é particularmente intensa, como se tal fosse uma afirmação de qualidade por parte do construtor, sendo mais forte do que a totalidade do painel de instrumentos de um Série, o que quase permite utilizá-lo como luz de leitura.

Não sendo tão bem acabado como muitos dos modelos comercializados, o facto de custar perto de um terço do preço das versões mais dispendiosas, acaba por compensar, pelo que poderá ser uma prenda de Natal a preço módico para quem possua um todo o terreno e o vencedor do campeonato de pechinchas deste ano quase a terminar.

quinta-feira, dezembro 22, 2005

Queimada mata homem de 68 anos em Penamacor


Image Hosted by Imageshack
Área florestal queimada

O corpo de um homem de 68 anos foi encontrado carbonizado, ontem, junto a uma queimada, em Aldeia do Bispo, no concelho de Penamacor.

Os bombeiros dirigiram-se ao local na sequência de um alerta de incêndio florestal, segundo informou o Centro Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Castelo Branco, tendo transportado o corpo para o gabinete médico-legal do Hospital Amato Lusitano, em Castelo Branco, a fim de ser autopsiado.

Ainda há poucos dias, houve um incêndio no Concelho de Gouveia, que se suspeita ter sido originário numa queimada que ficou descontrolada, o que demonstra que não é a ausência de calor que diminui o risco de acidente.

Esta morte, que provavelmente não será contabilizada dado que as estatísticas dos incêndios florestais parecem ter sido encerradas em Outubro, eleva para uma vintena o número de mortes pelo fogo em 2005, colocando-o ao nível dos mais elevados dos últimos anos.

Câmara vai identificar pontos negros de Lisboa


Image Hosted by Imageshack
Passagem de peões obstruida por obstáculos

Os objectivos do plano da Câmara Municipal "Lisboa Capital de Segurança Rodoviária" passam pela intervenção nos chamados "pontos negros" e ainda por uma vertente pedagógica, a fim de apelar aos condutores e aos peões para uma mudança de comportamentos.

"Os estudos da Direcção-Geral de Viação (DGV) indicam os locais onde há mais acidentes, mas não referem pontos específicos", disse ao Correio da Manhã fonte do gabinete da vereadora da Mobilidade, Marina Ferreira, qua acresceu "por exemplo o Campo Grande é uma zona de risco, mas em que parte?".

O plano que vai ser lançado, pretende responder a questões como esta, para que a Câmara possa actuar com a sinalização e a semaforização necessárias, mas por outro lado, ainda de acordo com a mesma fonte, "a questão da segurança rodoviária envolve toda a sociedade civíl".

Assim sendo, o plano "Lisboa Capital de Segurança Rodoviária" passa também por uma vertente pedagógica, pelo que "vão ser feitas acções de sensibilização junto dos alunos dos 1º, 2º e 3º Ciclos, para aprenderem os comportamentos que devem adoptar quando circulam em Lisboa".

Por seu lado, a campanha "100% Cool", também integrada neste projecto, será direccionada para os alunos do ensino secundário dado que a campanha visa incentivar os jovens a escolher um condutor que não beba álcool durante as saídas nocturnas.

No entanto, tratando-se de problemas estruturais e de mentalidades que um simples plano de prevenção, por muito eficaz que seja, não pode resolver, a abordagem desta questão deverá ser efectuada de forma integrada, incluindo as vertentes urbanísticas para além da questão rodoviária, algo que parece fora do âmbito dos planos camarários.

Esta situação é tanto mais grave dado o completo divórcio entre as instituições e a sociedade civíl, fruto de um cada vez maior clima de desânimo e desconfiança agravados pela actual crise económica, pelo que , antes de fazer apelos, será conveniente reactar um relacionamento há muito cortado.

Não é apenas neste caso que a mobilização dos cidadãos é fundamental, pois já o referimos na necessidade de participação popular na prevenção dos incêndios, mas pelas respostas recebidas pelos organismos públicos, os apelos que estes fazem não passam de mera retórica inconsequente, muito provavelmente com a secreta esperança que sejam ignorados.

Efectivamente, o Estado e as entidades públicas não se sentem à vontade a cooperar com a sociedade civíl, pelo que todos os apelos a que assistimoscontinuamente parecem enquadrar-se tão somente numa perspectiva do "politicamente correcto" e nunca em iniciativas que visem uma participação activa dos cidadãos.

quarta-feira, dezembro 21, 2005

Publicidade Land Rover 90


Image Hosted by Imageshack
Folheto publicitário do Land Rover 90

De entre os cartazes ou folhetos apresentados, este é o primeiro a ser verdadeiramente moderno, e a frase "os novos Land trazem uma vida dupla", é ilustrada pelas duas indumentárias dos personagens bem como pela dupla face do veículo.

Nos anos 80, a perspectiva unicamente utilitária dos Land Rover há muito que tinha acabado, e cenários agrícolas onde os Série rebocavam arados ou transportavam produtos para as feiras eram agora pertença do passado, tornando-se necessário explorar novos nichos de mercado onde fosse possível aumentar as vendas.

A insistência passou a ser no sentido da polivalência, da aventura e, objectivamente, nos novos segmentos de mercado que se abriam, protagonizados por uma classe média e alta com maior poder de compra do que os tradicionais proprietários.

É de notar que quando este modelo surgiu, as vendas da Land Rover estavam a baixar, fruto de uma certa desactualização dos Série e da concorrência de outras marcas, nomeadamente de uma vaga de importações provenientes do Japão, pelo que a publicidade se torna mais incisiva do que no passado.

Atropelamentos mortais em Lisboa duplicam


Image Hosted by Imageshack
Acidente rodoviário em zona urbana

Apesar do número de atropelamentos ter diminuído de 2004 para 2005, este ano registou-se um maior número de casos mortais em Lisboa, com a Direcção-Geral de Viação a registar mais 6 casos do que no ano passado.

Dados da Direcção-Geral de Viação indicam que de 7 mortos por atropelamento nas ruas de Lisboa em 2004 se passou para 13 no corrente ano, mas a Direcção Nacional da PSP avança com 22 vítimas mortais, sendo estes os acidentes que mais contribuíram para o aumento do número de mortos nas estradas da capital.

No total, e ainda segundo a PSP, cujos números são francamente superiores aos da DGV, verificaram-se 894 atropelamentos, dos quais resultaram, para além dos 22 mortos já mencionados, ainda 132 feridos graves e 794 feridos ligeiros.

Segundo as estatísticas, os sinistros são mais habituais entre as 12:00 e as 18:00, mas nos primeiros quatro meses deste ano, o período que registou maior número de acidentes foi entre as 00:00 e as 06:00 da madrugada.

A situação preocupa, entre outros, a ACA-M, Associação do Cidadão Auto-Mobilizado, que já enviou uma carta sobre o assunto á vereadora do trânsito da Câmara Municipal de Lisboa, Marina Ferreira, onde incita "a Câmara Municipal deve reconhecer a sua responsabilidade social na situação vergonhosa que é a elevadíssima sinistralidade rodoviária na cidade".

No entanto, a maior parte destas opiniões acabam por ser tendenciosas, ilibando os peões e responsabilizando, de forma quase exclusiva, os condutores, pelo que deverá ser feita uma análise mais cuidada e menos emotiva, capaz de expor com verdade e isenção este fenómeno assustador.

Voltaremos a esta questão, que afecta de modo particular os proprietários de veículos todo o terreno, particularmente estigmatizados em diversos países europeus, de forma a reflectir um pouco sobre esta triste realidade.

terça-feira, dezembro 20, 2005

O novo IA e o preço dos Defender


Image Hosted by Imageshack
Anúncio publicado pela Land Rover

Surgiu na imprensa escrita e em diversos sites, um novo anúncio, aparentemente da responsabilidade da Land Rover Portugal, já que não identifica nenhum concessionário, onde se alertam os potenciais compradores para o aumento de preço do Defender "hard-top" em consequência das alterações introduzidas no Imposto Automóvel para 2006.

De um valor actual a partir de 24.098.32 euros passa-se em 2006, dentro de apenas 10 dias, para os 30.668.79 euros, o que corresponde a um aumento superior a 6.500 euros, ou 1.300 contos em moeda antiga.


Image Hosted by Imageshack
Texto do anúncio publicado pela Land Rover

No entanto, feito o alerta, relembro que num Fórum surgiu a informação de que a Land Rover Portugal tinha encontrado uma forma de contornar o problema, embora não fosse mencionado como.

Assim, ou a suposta solução não existe, e o que consta deste anúncio está correcto, ou, havendo possibilidade de evitar o aumento, a Land Rover Portugal está a fazer uma publicidade enganosa, manipulando as informações de forma a, eventualmente, aumentar as vendas de 2005.

Seja como for, em breve saberemos a resposta e nessa altura tiraremos as devidas elações.

Publicidade Land Rover Série 3


Image Hosted by Imageshack
Folheto publicitário do Land Rover Série 3

Após uma sequência de desenhos a carvão, ilustrando os Land Rover dos anos 50 e 60, nos anos 70 a publicidade da marca passou a ser primordialmente composta de fotografias, deixando para trás as impressões artísticas que, apesar da sua qualidade, muitas vezes ilustravam de forma deficiente os veículos.

Também o novo posicionamento mais abrangente deste modelo acaba por eliminar os cenários tipicamente agrícolas, num perspectiva de uma maior universalidade de uma utilização centrada agora no todo o terreno, abrindo assim caminho a novos mercados.

Esta fotografia, capa de um catálogo dos anos 70, apresenta as versões curta e comprida, nas suas várias variantes, com configurações "pick-up", "soft-top" e "hard-top", de forma a ilustrar o maior número de variantes possível.

De entre as várias variantes, a versão "hard-top" é a que mais se destaca relativamente às imagens publicitárias anteriores, dado ser uma evolução no sentido de uma viatura com maior capacidade de transporte de passageiros, onde a introdução de alguns pequenos luxos permite a sua utilização no dia a dia.

segunda-feira, dezembro 19, 2005

Polícia identificará condutor e viatura em segundos


Image Hosted by Imageshack
Automóvel de patrulha da PSP

A GNR e a PSP vão dispor de um novo sistema de informática móvel que permitirá aceder a todos os dados de um condutor e respectiva viatura em tempo real e a qualquer momento.

O objectivo principal é travar a insegurança rodoviária combatendo eficazmente as infracções e a criminalidade.

O projecto deverá entrar em vigor nos primeiros meses de 2006 e permitirá a execução de contra-ordenações e o pagamento ou depósito das contra-ordenações directas.

Será ainda possível aceder à informação de viaturas roubadas e a apreender, histórico de contra-ordenações, cartas de condução, dados de veículos ou membros de empresas de segurança privada, entre outras.

As viaturas das forças de segurança, para além de um computador portátil equipado com uma placa de comunicações 3G, que pode ser removido do veículo em caso de necessidade, vão ter ainda uma impressora para que possam imprimir o auto e fornecer de imediato a cópia à pessoa ou entidade autuada.

Pretende-se com estes novos meios informáticos, cujo investimento rondará os 4 milhões de euros, que haja uma maior eficácia policial e diligência dos processos através de um acesso permanente à informação.

Sendo uma medida importante, necessita que sejam devidamente acautelados os problemas de segurança que decorrem do uso de redes "wireless", dado que a ausência de uma conexão física torna este método, quando não são implementadas as necessárias seguranças, particularmente vulneráveis a utilizadores não autorizados.

Em Portugal este problema é tanto mais grave dado que, apenas há 2 anos, numa simples viagem entre o Saldanha e o Marquês de Pombal, foi possível detectar 20 redes empresariais sem fios não protegidas, todas absolutamente vulneráveis a quem pretendesse usá-las como ponto de acesso à Internet ou a uma tentativa de acesso indevido.

Placa de instruções da caixa de transferência


Image Hosted by Imageshack
Placa de instruções da caixa de transferência

Se para os proprietários dos Série a utilização da caixa de velocidades e de tranferência é algo de perfeitamente interiorizado, para os menos experientes pode haver alguma confusão, nomeadamente na correcta utilização da caixa de transferências.

Para obviar alguns problemas e esclarecer todas as dúvidas, a Land Rover incluía as instruções no interior do habitáculo, seja na mesma placa onde está o número de chassis, seja numa placa destinada especificamente a esse fim, como a que hoje apresentamos.

No Ebay é possível adquirir estas placas a um preço bastante mais baixo do que numa loja, sendo frequente encontrá-las em leilão a partir das 3 ou 4 libras, já incluindo o envio para Portugal.

Brevemente, esperamos colocar uma imagem devidamente digitalizada e com as dimensões correctas, tal como temos feito, de forma a poder ser impressa por eventuais interessados em substituição de uma placa real.

Este é um retoque interessante na finalização de um restauro ou um auxíliar de memória para os menos habituados a tantas alavancas ou que insistem em transitar continuamente com a tracção integral ligada.

domingo, dezembro 18, 2005

Ponte de Lima vai ter Zona de Intervenção Florestal


Image Hosted by Imageshack
Zona agrária

A Associação Florestal do Lima (AFL) anunciou hoje que terá constituída em 2007 uma Zona de Intervenção Florestal (ZIF) em Ponte de Lima, para garantir uma melhor gestão da floresta na região.

Em declarações à agência Lusa, a técnica responsável pelo projecto explicou que os objectivos fundamentais da criação da ZIF são "resolver os problemas estruturais da pequena propriedade sem gestão florestal e garantir a protecção de espaços".

A ZIF de Ponte de Lima integrará uma área de intervenção de 1.141 hectares e compreende parte das freguesias de Anais, Cabaços, Calvelo, Fojo, Lobal, Friastelas e Rebordões do Souto.

A criação das Zonas de Intervenção Florestal foi aprovada em Junho pelo Governo para que os proprietários e produtores florestais possam gerir este património de forma correcta, com o apoio de técnicos qualificados e acesso a recursos económicos provenientes de diversos fundos.

Segundo o Ministério da Agricultura, as ZIF são áreas florestais contíguas, constituídas por espaços maioritariamente florestais e que serão submetidas a planos de gestão e de defesa da floresta.

Embora as ZIF sejam uma óbvia necessidade, muitos pequenos proprietários continuam a recear a perda de controle e até de posse, pelo que a implementação desta solução continua a ter dificuldades que, em muitos casos, impossibilita a sua aplicação.

Por outro lado, existem em Portugal demasiadas parcelas cujos proprietários são desconhecidos, levando à impossibilidade de responsabilizar quem não cuida dessas áreas florestais, ou quem não aceita incluí-las numa zona devidamente ordenada, pelo que será aconselhável rever alguma da actual legislação de forma a agilizar todo o processo.

Incêndio no Parque Natural da Serra da Estrela


Image Hosted by Imageshack
Zona queimada na Serra da Estrela

Ocorreu hoje, com início às 09:30, um incêndio que lavrou durante todo o dia no Parque Natural da Serra da Estrela, disse à agência Lusa uma fonte do Centro Distrital de Operações de Socorro (CDOS) da Guarda, acrescentando que as chamas consumiram uma área florestal na zona de Malhão, no concelho de Gouveia.

O CDOS da Guarda informou ainda que o fogo foi combatido por 36 bombeiros, provenientes de 5 corporações do distrito, apoiados por 6 viaturas e um helicóptero, numa zona de difícil acesso onde a maioria do esforço acaba por recair sobre os meios humanos.

Ainda segundo o CDOS da Guarda, o incêndio foi considerado extinto já depois do cair da noite, tendo ocorrido na mesma área em que a 10 de Janeiro, também em pleno Inverno ocorrera outro fogo florestal.

Muito provavelmente, o incêndio terá sido o resultado de uma queimada que ficou descontrolada devido aos fortes ventos que se faziam sentir na altura, já que o terreno é zona de pastos, mas serve de alerta para o facto de o risco de fogos se estender aos meses mais frios.

Durante este ano, o Parque Natural da Serra da Estrela foi devastado por incêndios florestais, com graves consequências a nível ecológico, as quais foram desvalorizadas pelo actual Executivo, não obstante os sucessivos avisos de autarcas locais e organizações ambientalistas.

Embora exista uma capacidade de regeneração natural, até hoje pouco foi feito para recuperar as áreas florestais queimadas, pelo que os recursos turísticos desta zona se arriscam ficar reduzidos aos desportos de Inverno, com graves prejuizos para um Parque Natural já bastante empobrecido.

sábado, dezembro 17, 2005

Publicidade Land Rover


Image Hosted by Imageshack
Folheto publicitário da Land Rover nos anos 50

Infelizmente a qualidade e dimensão da reprodução que obtivemos não permite apreciar devidamente este folheto, mas quer a imagem, quer o slogan, indiciam claramente os seus destinatários.

As frases "sempre a andar" ou "para trabalho ligeiro ou cargas pesadas", numa tradução algo livre, associado à imagem de um Série 1 a ser pesadamente carregado com sacos, num cenário tipicamente agrícola, são do mais típico que há na publicidade da Land Rover desta época.

Neste folheto, já surge uma nova versão longa, para além da curta, sendo esta apresentada em versão "pick-up", evidenciando o grande espaço disponível para carga como argumento de venda.

Esta foi uma época de ouro para os desenhadores, sendo comum na publicidade da Land Rover os alguns trabalhos a carvão, excelentes do ponto de vista artístico, em substituição de fotografias que, uma década depois, viriam a ser o meio de representação previlegiado.

Missão de observação de sapadores chilenos


Image Hosted by Imageshack
Bombeiros sapadores chilenos

Chegou ontem ao Chile uma equipa portuguesa que vai recolher informações sobre o funcionamento dos sapadores e do sistema de combate a incêndios naquele país, com vista à constituição do Grupo de Intervenção de Protecção e Socorro (GIPS), integrado na Guarda Nacional Republicana.

A equipa de reconhecimento é constituída por 4 elementos, um representante do Serviço Nacional de Bombeiros e Protecção Civil, um da Escola Nacional de Bombeiros e dois da GNR, e deverá permanecer naquele país sul americano durante cerca de uma semana.

A formação dos 500 elementos do GIPS, que deverá estar operacional já no próximo Verão, está a ser articulada entre as três entidades referidas.

Os sapadores chilenos têm vindo a colaborar com os bombeiros portugueses ao longo dos anos mais recentes, tendo gerado algumas polémicas devido aos métodos propostos e aos reparos feitos relativamente a algumas práticas habituais em Portugal.

Lembramos que a falta, ou o pouco uso de ferramentas de sapador e o gasto excessivo de água, sugerido num relatório dos sapadores chilenos, causou um certo mal estar entre os bombeiros portugueses, não obstante a apreciação globalmente positiva da actuação destes ao longo dos meses do Verão passado.

É importante ressalvar que o elevado número de incidências, a evolução demográfica no Interior, nomeadamente o envelhecimento e diminuição da população, e o seu reflexo no número de voluntários, condiciona as tácticas utilizadas que, não sendo as ideais, são as possíveis.

Como única forma de obviar estes problemas, uma maior incidência na prevenção e no ordenamento do território é o caminho a seguir, sendo o único que permite obter resultados concretos sem a contrapartida de custos incompatíveis com o actual estado das finanças públicas.

sexta-feira, dezembro 16, 2005

Snorkel no Ebay


Image Hosted by Imageshack
Snorkel para Land Rover

Não é apenas em Inglaterra que se podem obter algumas peças para Land Rover a preços razoáveis, pelo que vale a pena visitar os sites do Ebay na Alemanha, França e Espanha onde, mesmo que com menor variedade e preços normalmente mais elevados, sempre vão surgindo algumas oportunidades.

Este "snorkel" completo esteve instalado num Série 3 109", tendo sido leiloado e vendido no Ebay alemão por um preço de 33.29 Euros, a que acresce o transporte que, curiosamente, é mais barato quando proveniente da Alemanha do que de Inglaterra.

Basicamente este é o modelo de "snorkel" mais comum, sendo composto por um topo em metal e tubos de plástico, devidamente adaptados aos Série de condução à esquerda, pelo que a instalação em sí não oferece dificuldades de maior.

Não sendo absolutamente necessário, pode-se dizer que é um pequeno luxo que se desculpa como prenda natalícia em alternativa a outros equipamentos mais dispendiosos.

Quando for instalado, aproveitaremos a ocasião para colocar o kit de respiração dos diferenciais de que já falamos.

Publicidade Rover


Image Hosted by Imageshack
Folheto publicitário da Rover

A associação entre os automóveis Rover, mais antigos e de créditos firmados, e os Land Rover, acabados de chegar ao mercado, mas já com uma reputação de solidez, é a tónica dominante deste cartaz.

O automóvel, hoje em dia pouco recordado, é o Rover Seventy-Five, também conhecido por P4-75, uma berlina de 4 portas, propulsionada por um motor de 6 cilindros com 75 cv e transmissão manual de 4 velocidades a que, mais tarde, foi acrescentado de série um "overdrive".

O Land Rover é, obviamente, o conhecido Série 1, em versão curta, ainda no princípio da sua carreira e que em breve passará a ser o protagonista dos futuros cartazes publicitários da marca.

No essencial, o cartaz enumera os distribuidores presentes numa feira de automóveis na Escócia em Novembro de 1949, sem dúvida uma das primeiras a seguir à 2ª Guerra Mundial, com menção aos respectivos stands ou pavilhões, onde podem ser apreciados e adquiridos estes veículos, mas sem incluir características dos modelos apresentados.

quinta-feira, dezembro 15, 2005

Primeiro satélite do sistema Galileu lançado no dia 26


Image Hosted by Imageshack
Satélite Galileo

A Agência Espacial Europeia (ESA) vai lançar o primeiro satélite do sistema de navegação Galileu, o Galileo In-Orbit Validation Element GIOVE-A, no próximo dia 26, a partir do Cazaquistão.

De acordo com o comunicado da ESA, "o sistema de navegação por satélite europeu começará a converter-se em realidade no dia a seguir ao Natal", com o lançamento do primeiro satélite de validação em órbita.

O satélite, que girará em redor da Terra a uma distância de 23.200 quilómetros, será lançado por um foguetão russo Soiuz-Fregat, a partir do Cosmódromo de Baikonur.

O Galileu é o primeiro sistema de navegação por satélite para uso e controlo exclusivamente civil, integrando um conjunto de 30 satélites.

O sistema, orçado em 3.300 milhões de euros, passou por graves dificuldades na sua fase de desenvolvimento devido a divergências entre os seus gestores.

A navegação por satélite permite conhecer a nível mundial, a partir de um determinado ponto, a posição, velocidade e tempo onde se encontra o utilizador, esteja ele imóvel ou em movimento.

Para uso civíl tem sido utilizado até agora o sistema norte-americano GPS (Sistema de Posicionamento Global), controlado pelo Exército dos Estados Unidos, enquanto que o russo Glonass, que poucos conhecem, é usado quase exclusivamente para fins militares.

Este sistema de iniciativa europeia, levado a cabo pelo Galileo Joint Undertaking e que deverá entrar em funcionamento em 2010 vai melhorar, por exemplo, os serviços de ajuda e salvamento em caso de acidentes, permitindo uma autonomia em relação aos sistemas americano e russo.

Explosão e fogo destroem quartel dos Bombeiros de Minde


Image Hosted by Imageshack
Quartel dos Bombeiros de Minde antes da explosão

Um incêndio seguido de explosão destruiu ontem o piso térreo do quartel dos Bombeiros Voluntários de Minde, no concelho de Alcanena, consumindo 9 viaturas e causando 5 feridos, um dos quais em estado grave.

O caso, que já começou a ser investigado pela Polícia Judiciária, reduziu a capacidade da corporação a serviços mínimos, já que ficaram sem telefones e comunicações via rádio, sem camaratas e gabinetes e com 60% das viaturas inoperacionais.

Segundo o coordenador de operações de socorro no distrito de Santarém, Joaquim Chambel, o incêndio deflagrou pelas 07:00 e terá tido origem numa ambulância estacionada na garagem do quartel, ao nível do rés do chão, seguindo-se a explosão de uma botija de oxigénio e do monóxido de carbono que se acumulou no local.

Na garagem estavam 4 ambulâncias e 5 carros de combate a incêndios, que ficaram destruídos, enquanto um veículo de desencarceramento foi retirado das chamas.

Salvaram-se as viaturas mais antigas, que se encontravam estacionadas ao ar livre, nas traseiras do quartel, e incluem 1 ambulância e 4 carros de combate a incêndios, para além do veículo de desencarceramento já mencionado.

Um civíl de 42 anos foi atingido por um portão metálico aquando da explosão e está internado em estado grave no Hospital de Santa Maria, em Lisboa, enquanto outros 4 feridos, 3 bombeiros e um civíl, que inalaram fumos, foram assistidos no local pelo INEM.

Durante os próximos dias, as chamadas de urgência vão ser reencaminhadas para os Voluntários de Alcanena, dado que os Bombeiros de Minde actualmente apenas conseguem responder a pequenos incêndios e acidentes de viação.

quarta-feira, dezembro 14, 2005

Land Rovers militares em Portugal - 3 ª foto


Image Hosted by Imageshack
Folheto publicitário do Shorland

Mesmo o material militar necessita de algum esforço de venda e a Short Brothers and Harland Limited, fabricante do Shorland, não deixou de recorrer à publicidade para promover o seu producto mais famoso.

O conteúdo do folheto, em sí, é extremamente simples e directo, mencionando como mercado alvo forças móveis de polícia, patrulhas de fronteira, forças de segurança interna, unidades de reconhecimento e para-militares, após o que são enumeradas as principais características.

É realçado o facto de ser construido sobre uma base militar de Land Rover 109, com a aprovação da marca, e ser blindado, embora com limitações, contra o fogo de armas ligeiras.

Com uma tripulação de 3 elementos, comandante, condutor e artilheiro, encarregue de manejar uma metralhadora Browning .303 instalada numa torre com rotação de 360º, o Shorland dispunha de escotilhas de evasão para situações de emergência e da capacidade de operar em qualquer clima, para o que havia sistemas opcionais de aquecimento e refrigeração reforçados.

Não consta do folheto, mas decisivo era o preço de aquisição, de 4.500 libras em 1966, e o baixo custo de manutenção, dado que muitas peças são partilhadas com os Land Rover de que deriva, tornando-o num veículo particularmente apetecível por parte de países com recursos económicos limitados como o nosso.

Automóveis sem seguro podem ser bloqueados ou removidos


Image Hosted by Imageshack
Automóvel bloqueado

A nova legislação, que já mencionamos, permite o bloqueio e remoção das viaturas estacionadas na via pública que não possuam seguro válido, desde que tal conste das bases de dados da Direcção Geral de Viação.

Segundo este novo diploma, o facto de estar num local público, mesmo imobilizado, não é justificativo para não possuir seguro válido, dado haver a presunção de que o veículo pode circular, existindo limites temporais para o estacionamento.

Por outro lado, mesmo imobilizado, um veículo pode ver-se envolvido num acidente, seja que de forma indirecta, seja como consequência de uma problema mecânico como uma falha de travões.

Assim, podem as autoridades policiais proceder ao bloqueio ou remoção dos veículos, sendo que só após prova da existência de seguro válido estes serão devolvidos aos seus proprietários.

Esta possibilidade, que duvidamos venha a ser aplicada na prática, permitiria remover largos números de veículos abandonados os quais, normalmente, não têm seguro válido, disponibilizando o sempre escasso espaço de estacionamento para outras viaturas.

Chamamos, mais uma vez, a atenção para o facto de estas alterações já serem aplicadas em contratos celebrados após 01 de Novembro e que serão aplicadas aos restantes a partir de Março de 2006 na altura das renovações.

terça-feira, dezembro 13, 2005

IVA a 5% para limpeza das florestas


Image Hosted by Imageshack
Área florestal

Seguindo uma das várias sugestões das Associações de Productores Florestais, que pretendem um choque fiscal para o sector florestal, o Governo anunciou a descida da taxa de IVA de 21 para 5% para custos e serviços relacionados com a limpeza de florestas, enquanto subiu as coimas para os proprietários que não cumpram as suas obrigações legais.

Esta é uma medida que só marginalmente terá algum impacto, dado que a grande maioria das florestas pertence a pequenos proprietários que não possuem capacidade de as limpar, sendo as mesmas adjacentes às grandes manchas verdes devidamente ordenadas, que assim ficam com a sua segurança seriamente comprometida.

Entretanto, para além destas decisões avulsas, espera-se ainda que sejam adoptadas medidas estruturantes e que se passe a encarar a prevenção como uma prioridade nacional.

Fundos devolvidos por falta de peritos


Image Hosted by Imageshack
Resultado dos incêndios deste Verão

A falta de nomeação atempada de peritos especializados em avaliação de danos já custou a Portugal, pelo menos, 25 milhões de euros, correspondente ao montante que foi devolvido à União Europeia no final de 2004 e que se destinava a compensar os prejuízos sofridos nos incêndios de 2003.

O Estado português nunca nomeou nenhum perito para avaliar prejuízos resultantes de calamidades”, disse ao Correio da Manhã, Rui Teixeira de Almeida, presidente do Conselho Executivo da Câmara Nacional de Peritos Reguladores.

Esta situação persiste até aos dias de hoje, apesar dos insistentes apelos da Federação Europeia de Peritos/FUEDÍ que, já este ano, enviou uma carta ao secretário da Estado da Administração Interna, Ascenso Simões.

Na missiva, datada do mês de Agosto, o presidente da Federação Europeia de Peritos, Marco Cincotti manifesta a sua preocupação pelos “enormes incêndios que devastam Portugal (...) e os efeitos que eles provocam nas pessoas e suas propriedades”.

Na altura, a FUEDÍ colocou à disposição do Governo português um modelo de avaliação dos prejuízos, que permitiria uma intervenção rápida e eficaz da União Europeia, uma vez que os relatórios iniciais dos prejuízos sofridos devem ser endereçados à UE num prazo de 10 semanas após o início dos sinistros, mas nunca houve resposta por parte do Executivo.

Esta situação repetiu-se em 2005, apesar da Câmara Nacional dos Peritos Reguladores (CNPR) ter constituído um Grupo de Intervenção de Catástrofe, constituído por 20 empresas, composto por profissionais especializados em diversas áreas, prontos a intervir de imediato em caso de calamidade.

Estes fundos, que são sempre mencionados pelos Governos garantidos, numa tentativa de acalmar as populações afectadas, são apenas cedidos após um exaustivo trabalho de peritagem que nunca foi realizado, esquecendo-se os Executivos de mencionar a devolução das verbas não utilizadas, quando tal acontece, na esperança que ninguém disso se aperceba.

Mais do que lamentar, é necessário apurar responsabilidades políticas e, eventualmente, cíveis e criminais, pelo desperdício dos valores em causa, os quais são compensados através do aumento de impostos, forma fácil de agir para quem é incapaz de desempenhar o cargo para o qual aceitou ser nomeado.

Neste caso concreto, não há desculpas e o facto de se repetir, envolvendo dois executivos diferentes, é demonstrativo do desempenho de alguns políticos que continuamos a eleger e a manter.

Freguesias de Pombal criam corpo de bombeiros


Image Hosted by Imageshack
Bombeiros Voluntários de Pombal

A devastação provocada pelos incêndios do Verão passado levou três freguesias do concelho de Pombal, Guia, Ilha e Mata Mourisca, a unirem-se para criar uma nova corporação de bombeiros.

A construção do quartel vai custar 600.000 euros, mas a julgar pelo entusiasmo da população, o novo corpo de voluntários deverá estar apto a entrar em acção na próxima época de fogos florestais.

A ideia de criar uma secção Oeste dos Bombeiros Voluntários de Pombal surgiu pela primeira vez na década de 70, mas só agora, depois dos trágicos fogos do ano passado, começou a ser concretizada.

Em simultâneo, foi iniciado um curso de formação para bombeiros, no qual se inscreveram mais de uma centena de voluntários destas freguesias.

É um projecto muito importante em que todos estamos muito empenhados”, conforme realçou o comandante dos Voluntários de Pombal, José Costa, para quem a criação da nova corporação também servirá para reforçar o socorro na futura via rápida que vai passar naquela zona.

Esta forma de resposta das populações é de louvar, sobretudo num País onde a tendência é responsabilizar o Estado pela resolução de todos os problemas, enquanto se esquece o papel da sociedade civíl, cada vez mais alheia às questões que a todos atormentam.

Assim, para além de desejar boa sorte para este projecto, esperamos que outros lhe sigam o exemplo e recebam os merecidos apoios por parte das entidades oficiais.

segunda-feira, dezembro 12, 2005

Ambientalistas da Amadora


Image Hosted by Imageshack
Blog dos Ambientalistas da Amadora

Adicionamos a ligação para o blog dos Ambientalistas da Amadora, onde são debatidos problemas de carácter ambiental comuns aos grandes centros urbanos.

Sobretudo a quem habita nesta área urbana, aconselhamos não só a visita mas também a contribuição através da denúncia de situações que necessitem de ser corrigidas, utilizando o contacto de correio electrónico disponibilizado.

Seguradoras obrigadas a pagar mais depressa


Image Hosted by Imageshack
Land Rover à espera de seguradora

O Governo prepara-se para obrigar as companhias de seguros a acelerarem os pagamentos das indemnizações em caso de sinistros automóveis, através de uma proposta legislativa que está a ser discutida entre as secretarias de Estado da Defesa do Consumidor e das Finanças e o Instituto de Seguros de Portugal (ISP) e prevê a aplicação de multas para as seguradoras que não cumprirem com os prazos definidos pelo Executivo.

Segundo uma fonte oficial do gabinete de Fernando Serrasqueiro "actualmente, quer haja ou não declaração amigável de acidente automóvel subscrita pelos intervenientes num acidente, os segurados continuam a ser prejudicados pelos atrasos das empresas de seguros que tardam em reconhecer a sua responsabilidade e, consequentemente, a proceder ao pagamento das indemnizações devidas".

Assim, "o objectivo da Secretaria de Estado é o de estabelecer prazos para o cumprimento das obrigações das seguradoras, nomeadamente prazos para a realização de peritagens, para a assunção da sua responsabilidade e para o pagamento das indemnizações devidas e dos serviços prestados em sede de regularização do sinistro. O não cumprimento dos prazos estabelecidos dará lugar a coimas e outras sanções acessórias".

Como complemento das recentes alterações de que resultam a anulação dos seguros quando estes não sejam pagos dentro dos prazos, particularmente bem vinda pelas seguradoras, esta nova iniciativa legislativa vem dar resposta a muitas queixas legítimas dos segurados, que em muitos casos esperam anos até obterem uma indemnização.

Lembramos ainda que, segundo dados das próprias seguradoras, o prazo médio para pagamento de uma indemnização por danos corporais é de 3 anos, sendo que nos casos mais complexos esta pode apenas ser paga por imposição judicial após esgotados todos os recursos o que equivale, frequentemente, a mais de 10 anos de espera.

Estamos conscientes de que há prazos mínimos que devem ser determinados de forma realista, permitindo as necessárias investigações e apuramento de responsabilidades, mas as estratégias dilatórias de muitas seguradoras que visam pressionar no sentido de um mau acordo obtido rapidamente em detrimento de uma solução justa que pode tardar, há muito que deviam ter obrigado a esta alteração legislativa.

domingo, dezembro 11, 2005

Land Rovers militares em Portugal - 2 ª foto


Image Hosted by Imageshack
Shorland da GNR e Série 3 da Armada

Destaca-se a versão blindada, designada por Shorland, e que foi utilizada durante anos pela GNR, nomeadamente integrado em unidades de Cavalaria.

Existindo em diversas versões baseadas no 109, o modelo utilizado em Portugal inclui dotação para uma metralhadora ligeira e um sistema de lançamento de fumo para protecção, o que permite a sua utilização como veículo de reconhecimento.

Foram construidos diversos modelos de Shorland, com base em Série 2 e 3, tendo sido utilizados inicialmente na Irlanda, após o que foram adoptados por diversos países europeus, dando início a uma série de variantes blindadas, algumas das quais ainda em uso.

Quando o Shorland 5 deixou de ser produzido, as várias variantes estvam ao serviço em 38 países, da Argentina à Malásia, passando pela Líbia ou pelo Burundi, havendo ainda um grande número de modelos específicos para funções tão diversas como a segurança de aeroportos ou luta anti-motim.

A título de curiosidade, podemos adiantar que em 1966 o Shorland custava 4.500 libras, excluindo armas, rádio e sistemas de aquecimento ou refrigeração de alta capacidade, o que é, apesar de tudo, um preço quase imbatível que o tornou popular em muitos países.

Dado ser um veículo interessante, voltaremos ao Shorland em breve, nomeadamente para incluir algums detalhes suplementares e o folheto publicitário da época.

O outro modelo, um Série 3 da Armada está adaptado para reboque de viaturas e atrelados, sendo provavelmente um pronto socorro ligeiro, possibilidade que é reforçada pela existência de um rotativo e do sinal montado na capota.

Sendo mais comum, existia também em versões civís, correspondendo a uma adaptação simples de realizar utilizando um Série 3 curto, pelo que não será de estranhar se um dia virmos num encontro de Land Rover a assistência ser prestada por um destes veículos.

Soft-Top adquirido no Ebay - 2ª parte


Image Hosted by Imageshack
Calhas para portas e parabrisas

Este é o conjunto de peças mais difícil de obter em 2ª mão, e realmente só por uma vez as encontramos à venda no Ebay, pelo que aproveitamos para as adquirir em vez de dispender algumas centenas de euros num conjunto novo.

É um pouco mais comum encontrar conjuntos equivalentes para os Defender os quais, infelizmente, são incompatíveis com os Série, pelo que é necessário esperar pelo modelo apropriado.

Na imagem pode-se ver que a peça que se coloca sobre o para-brisas está em duplicado, e, a avaliar pelos restos de pintura agora já removidos, seriam provenientes de um veículo militar inglês com a típica camuflagem em tons de verde e preto.

Não se nota nesta fotografia, mas as peças que correm sobre as portas têm aparafusados os cantos que permitirão ligar a calha que fica sobre o parabrisas, pelo que o conjunto para um "truck cab" em lona está completo, com excepção de alguns parafusos e do 1º arco.

Logicamente, o primeiro passo é endireitar qualquer parte que disso necessite, algo raro neste tipo de peças, e remover os restos de tinta com recurso ao decapante e a uma lixa de aço.

Uma opção que pode ser interessante, será a de galvanizar todas estas peças, contribuindo assim para uma maior duração das mesmas, sendo que o processo não é particularmente dispendioso e dá um acabamento mais profissional.

A questão da galvanização será tratada na mesma altura em que avaliarmos qual o tratamento a fazer a algumas peças metálicas recentemente adquiridas, concretamente os reforços da caixa de carga, e que também necessitam de acabamentos, estando ainda dentro do orçamento que fizemos e no qual incluimos 50 euros para extras.

Sabendo como é fácil ultrapassar os custos previstos, a existência de um orçamento é um factor importante de controle de despesas que, infelizmente, é uma prática pouco comum em Portugal, mas que, sem recursos a receitas extraordinárias, tentaremos cumprir.

sábado, dezembro 10, 2005

Cruzamento de dados entre seguradoras e a DGV


Image Hosted by Imageshack
Site da Direcção Geral de Viação

O Governo acolheu de forma positiva uma eventual troca de informações entre a Associação Portuguesa de Seguradores (APS) e a Direcção-Geral de Viação (DGV), de modo a verificar se os documentos emitidos correspondem a veículos com seguro.

Ambas as entidades estão há 5 anos em negociações para celebrarem um protocolo que permita o acesso recíproco às bases de dados, mas até hoje todas as tentativas têm falhado.

Em 2001, a Comissão Nacional de Protecção de Dados arquivou o primeiro projecto de documento, em virtude de não terem sido introduzidas as alterações recomendadas e uma segunda tentativa, feita em 2003, espera ainda por um parecer desta Comissão, algo que, sendo típico em Portugal, é sempre de lamentar.

No entanto, nos avisos de seguros mais recentes, já é feita a menção à inscrição na base de dados da Associação Portuguesa de Seguradores de todos os casos em que estes sejam anulados por falta de pagamento, de forma a que sejam do conhecimento de todas as entidades envolvidas.

Entretanto, a validade dos seguros pode ser facilmente consultada via Internet, permitindo um contacto mais rápido com a seguradora onde tenham sido realizados.

Caso este sistema fosse automatizado e comparado com os registos da DGV, seria obtido o necessário cruzamento de dados, algo que está disponível para quem tenha acesso à Internet pelo que apenas a automatização do processo continua proibida.

Land Rovers militares em Portugal - 1 ª foto


Image Hosted by Imageshack
Range Rover da GNR e Lightweight da Armada

As forças armadas e de segurança portuguesas utilizaram ao longo dos anos diversos modelos de Land Rover nas mais variadas missões, sendo nosso propósito lembrar alguns deles, sobretudo modelos mais raros ou que, de alguma forma, se tenham distinguido.

Nesta foto o veículo mais interessante, dada a sua raridade, parece ser o Range Rover da GNR, pintado de branco e provavelmente destinado a funções de representação protocolar.

A matrícula desta versão descapotável, o único exemplar com esta característica que conheço, é GNR L-13 e já é do modelo aprovado pela Comunidade Europeia, tendo sido fotografado no Parque Eduardo VII em Lisboa.

O Lightweight da Armada aparenta ser uma versão standard, provavelmente destinada sobretudo ao Corpo de Fusileiros e com capacidade para operar nas inúmeras missões que esta força especial desempenhou durante os conflitos em África, mas que permaneceu ao serviço muito após o termo desta guerra.

sexta-feira, dezembro 09, 2005

Governo pondera criar Taxa de Carbono em 2006


Image Hosted by Imageshack
Poluição industrial

O Governo admite avançar já em 2006 com a criação da Taxa de Carbono, que incidirá sobre as actividades sociais e económicas mais poluentes, disse à Lusa o secretario de Estado do Ambiente, Humberto Rosa.

O governante, que falava à margem da Conferência das Nações Unidas para as Alterações Climáticas, em Montreal, afirmou que esta "será uma medida seguramente desta legislatura, não estando fora de hipótese de avançar em 2006".

A Taxa de Carbono, que incidirá sobre as "actividades sociais e económicas que emitem mais dióxido de carbono, onerando-as", é um objectivo deste Governo, "no sentido de que estimular as boas praticas", afirmou Humberto Rosa para quem a medida contribuirá ainda para "o reforço financeiro do Fundo Português de Carbono, complementando as transferências do Orçamento de Estado".

O Fundo Português do Carbono, que irá ser criado pelo Governo, tem uma dotação de 6.000.000 de euros para 2006 e permitirá comprar licenças de emissões para fazer face às exigências do Protocolo de Quioto.

Ao abrigo deste protocolo, Portugal não pode ultrapassar em mais de 27% as emissões de Gases com Efeito de Estufa (GEE) no período 2008-2012, tomando como referência o ano de 1990, em que se produziram 60.000.000 de toneladas de emissões, algo que, com as actuais tendencias, se afigura quase impossível mesmo tendo em conta as medidas constantes do último Orçamento Geral de Estado.

Verifica-se também que é através de medidas penalizadoras para as empresas e não pela via dos incentivos, dos apoios à modernização e de um novo enquadramento legal para as políticas energéticas, que o Governo pensa, erradamente, poder resolver o problema do excesso de emissões poluentes, sendo que esta suposta ponderação acerca da criação de uma Taxa de Carbono provavelmente esconde uma decisão já tomada.

Esta situação decorre da falta de políticas integradas e de uma verdadeira coordenação, sendo adoptadas medidas avulsas, de carácter economicista, mas sem verdadeiras perspectivas de mudança que permitam encarar o futuro com confiança.
Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin