sábado, novembro 07, 2015

Land Rover Owners de Dezembro de 2015 já nas bancas

Antes da data habitual, já se disponível nos locais de venda habituais a edição de Dezembro de 2015 da Land Rover Owners International, com o destaque da capa e o artigo principal a terem como protagonista o "One Ten", um dos modelos menos conhecidos da Land Rover, que acabou por ficar algo esquecido entre os Serie 3 e os Ninety e Defender.

Para além dos habituais passeios e expedições, com diversas sugestões que, transpondo para outro local, podem ser inspiradoras, o encontro organizado pelos editores da revista tem um especial destaque, sendo o objecto de uma extensa reportagem onde alguns dos modelos participantes de maior interesse são os verdadeiros protagonistas.

Nesta perspectiva, são descritas algumas propostas de Land Rover especialmente vocacionados para passeios e expedições, as quais variam muito em preço e potencial, cada um adequado a um fim específico, num artigo que é complementado por outros onde alguns veículos, com uma vocação mais profissional, têm um merecido destaque.

Acrescem os vários artigos técnicos sobre a reconstrução e reparação dos modelos mais antigos, incluindo como preparar os Serie para o Inverno, bem como a apresentação e uma breve crítica de alguns novos produtos, a que se adicionam numerosas páginas de publicidade temática, são interessantes, contribuindo para o sucesso daquela que é a publicação independente mais relevante da Land Rover.

sexta-feira, novembro 06, 2015

Suportes para filmagem em movimento - 7ª parte


Um modelo intermédio, mas de boa qualidade, como o Acinecity UK ACR14C, tem quatro ventosas, uma boa capacidade de estabilização, suportando uma câmara de até 9 quilos, tem um preço que ronda as duas centenas de Euros, sem incluir a cabeça orientável, essencial para a montagem da câmara.

Os preços para este tipo de suporte são elevados, podendo começar nos sessenta Euros para um sistema de dupla ventosa, que passa facilmente para a centena, caso inclua a cabeça orientável, e chegando a ultrapassar os quinhentos a seiscentos Euros no caso dos modelos mais sofisticados, como uma Skier.

Naturalmente que, conforme a utilização a que se destina, assim se justifica optar por uma ou outra solução, mas mantendo como condição que esta ofereça segurança em termos de utilização e para o equipamento suportado, o que elimina imediatamente um conjunto de modelos de baixo custo, ficando a melhor relação entre preço e qualidade no segmento intermédio, onde se podem efectuar as melhores aquisições.

Para uma utilização prática e resultados de bom nível, é de equacionar a possibilidade de dispender entre os 150 e os 200 Euros, adquirindo-se assim um modelo resistente, capaz de absorver a maioria das vibrações, e que fixe solidamente uma câmara, mesmo com um peso razoável, sem o risco de ceder, podendo-se assim gravar em alta defenição sem que a qualidade da gravação fique comprometida.

quinta-feira, novembro 05, 2015

Umas cheias previsíveis - 1ª parte

O mau tempo que recentemente afectou o Algarve, atingindo de forma particularmente severa a cidade de Albufeira, apesar da sua raridade temporal, não terá o carácter de excepcionalidade que muitos lhe atribuem, com as consequências a serem potenciadas por um conjunto de opções determinadas por prioridades económicas que colocam em risco a segurança das populações.

As consequências de algumas horas de chuva intensa ficaram bem patentes nas inúmeras reportagens, bem como nas fotos que muitos dos que as presenciaram foram disponibilizando, mas as causas e todo o processo que levou a que se verificasse esta inundação ficaram por analizar, sendo patente alguma desresponsabilização por parte de grande parte dos protagonistas.

Foram diversos os factores que, para além da elevada precipitação, contribuiram para a gravidade do ocorrido, incluindo-se nestes todo o conjunto de alterações introduzidos por sucessivos planos de reordenamento, incluindo o tão falado "Polis", bem como a preparação das populações, a qual depende, naturalmente das previsões e alertas emanados pelas entidades competentes.

Apontado por muitos como uma das causas do sucedido, a falta de alertas apenas pode servir de fraca desculpa, tendo o Instituto do Mar e da Atmosfera feito os devidos alertas para a zona do Algarve, colocando-o sob "Alerta Laranja" com perto de 24 horas de antecedência e, perto da meia noite do dia das cheias, passando o nível para "Alerta Vermelho", o mais sério da actual escala.

quarta-feira, novembro 04, 2015

Suportes para filmagem em movimento - 6ª parte

Em consequência, os suportes mais complexos, formados por um maior número de componentes móveis, como aqueles em que duas ventosas estão unidas entre sí por um braço ajustável, e cada conjunto está ligado por outro braço, igualmente regulável, formando um H, com a câmara a ser fixa no centro, absorvem de forma muito mais eficaz as trepidações, que vão sendo sucessivamente absorvidas entre os vários elementos e respectivas ligações.

Num sistema de apenas três pés, esta implementação não é possível, mas cada perna pode ser ajustável em extensão, sendo basicamente um tubo que é fixo por aperto nas extremidades, o que permite que parte das vibrações sejam absorvidas, sendo que neste caso, tal como em suportes de dois pés, a cabeça ganha ainda uma maior importância, que ultrapassa em muito a simples orientação da câmara e a sua fixação da forma pretendida.

Um sistema interessante, e adequado para câmaras de acção leves, é o utilizado nos "drones", que consta de duas placas, uma das quais é aparafusada no suporte e a outra sob a câmara, unidas por quatro parafusos espaçados por borrachas, podendo-se mesmo equacionar recorrer a molas, o que absorve choques e vibrações.

Com duas placas, cada com um furo em cada extremidade, que permita passar parafuso, anilhas e porcas, outro no centro, para o parafuso do tripé, por um lado, e outro que vai suportar a câmara, por outro, e um conjunto de 4 borrachas, eventualmente complementados por molas, algo que se pode improvisar com facilidade, pode-se obter um sistema de amortecimento simples e eficaz, que melhora os resultados de uma filmagem em movimento.

terça-feira, novembro 03, 2015

Bolsas polivalentes em veículos

Apesar de concebidos como bolsas para usar à cintura, o formato deste conjunto permite uma utilização diversificada, podendo ser instalado, sem que sejam necessárias adaptações, em diversos locais no interior de uma viatura, como as costas de um assento ou uma estrutura de apoio.

Construida num tecido tipo "Oxford", bastante resistente e à prova de água, e com 35 x 5 x 16 centímetros e uma capacidade interior conjunta abaixo dos 5 litros, o conjunto de 3 bolsas, que incluem divisórias em rede para melhor acomodação de pequenos objectos, tem capacidades de arrumação complementadas por um sistema "molle", que permite fixação de bolsas adicionais padronizadas e por aneis em "D" para suspensão de pequenos items.

Desta forma, o sistem torna-se modular, permitindo aumentar, sem exageros, a capacidade interna, ficando fixo através de um cinto ajustável com fecho de abertura rápido, que pode ser apertado em torno de um assento ou numa grade, mesmo na vulgar grade que separa o compartimento de carga, ou em tantos outos locais onde é possível dispor de algum espaço não aproveitado.

Este tipo de bolsa, fechada por fechos éclair, com uma secção de cordão para facilitar o manuseamento, está disponível em diversos padrões de camuflagem, alguns bem conhecidos, ou numa única cor, como o verde, amarelo escuro ou negro, tendo um preço que ronda a dezena de Euros, incluindo portes a partir da Ásia.

segunda-feira, novembro 02, 2015

Suportes para filmagem em movimento - 5ª parte


Para além do peso suportado, e que deve ser avaliado de acordo com as regras anteriores, esta última característica é essencial, de modo a que, com as oscilações ou trepidação, a câmara deixe de estar orientado de acordo com o pretendido, do que pode resultar a inutilidade das filmagens e mesmo um dano no equipamento, caso venha a colidir com a estrutura do próprio suporte ou do veículo onde este está instalado.

O travamento é feito, normalmente, através de uma simples patilha, que, ao ser accionada, bloqueia qualquer movimento, sendo que este extra, tal como o de um sistema de bolhas de nível, que ajuda a obter uma melhore defenição da orientação, pouco faz acrescer ao preço de uma cabeça de tripé de qualidade aceitável.

A questão seguinte é, naturalmente, a absorção de vibrações, o que implica que o suporte tem que ter alguma complexidade, incluindo um sistema de amortecimento que pode residir na forma como as ventosas e respectivos suportes são concebidos, bem como a nível dos braços ou numa plataforma montada sobre molas, sobre a qual é montada a cabeça de tripé, podendo, inclusivé, resultar da combinação de diversos elementos.

Os suportes mais baratos, pela sua concepção, dificilmente implementam algum sistema de amortecimento dado que a sua resistência se baseia, em grande parte, na rigidez dos componentes, que podem, no limite, incluir uma estrutura de uma só peça, terminada de ambos os lados pelas ventosas e com uma cabeça firmemente fixa no centro, pelo que em vez de absorver vibrações, se limita a transmití-las até à câmara.

domingo, novembro 01, 2015

Acabar com classe 2 para veículos com mais de 110 no eixo dianteiro

Todos conhecemos a absurda disposição que determina que um veículo com 1.10 metros ou mais na vertical do eixo dianteiro, independentemente de outras características relevantes, como peso ou dimensão, deixe automaticamente de estar incluido na classe 1, a mais favorável em vias portajadas.

Esta iniquidade, destinada a promover a venda dos monovolumes então produzidos na Auto Europa, em Palmela, penalizando não apenas a concorrência directa, mas uma enorme quantidade de modelos, alguns dos quais de muito pequenas dimensões, há muito que devia ter sido corrigida, o que, por beneficiar injustamente as concessionárias, nunca aconteceu.

Decorre, por iniciativa do "Auto Hoje", uma das mais conhecidas publicações do mundo automóvel em Portugal, mais uma petição no sentido de acabar com esta descriminação que penaliza largas dezenas, ou mesmo centenas de milhares de proprietários, obrigados a dispender perto do dobro do que paga quem conduz um modelo com uma configuração diferente.

Assim, convidamos os nossos leitores, sobretudo aqueles que são directamente afectados, mas também quantos considerem esta situação injusta, a assinar electronicamente a petição que visa terminar com uma descriminação cujos fundamentos violam qualquer princípio racional e, por se destinarem a favorecer um modelo específico, mesmo sem o mencionar, contrariam a universalidade que deve ser inerente a qualquer lei.
Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin