sábado, dezembro 30, 2006

Relatório sobre o acidente do Beriev


Image Hosted by ImageShack
Painel de comandos do Beriev Be-200

Tal como mencionamos, foi atribuida a uma utilização de mapas pouco rigorosos a causa do acidente com o avião de combate a incêndios Beriev Be-200, ocorrida em Julho deste ano na Barragem da Aguieira.

O inquérito concluí que houve falhas na gestão dos recursos humanos da tripulaçãon e que, segundo o coordenador do Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves (GPIAA), coronel Anacleto Santos, a tripulação do Beriev "não tinha cartas actualizadas" e o planeamento terá sido "um pouco descurado".

No planeamento foram usados mapas do Google, obtidas a partir da Internet, para obter as distâncias disponíveis nas albufeiras, para onde foram transpostos dados calculados a partir de uma carta VFR+GPS publicada pela empresa Jeppesen.

Finalmente, foram usadas cartas do Instituto Geográfico do Exército (IGEOE), após o que se concluiu que os cálculos foram mal feitos ou efectuados sobre dados errados ou desactualizados, tendo-se verificado erros na determinação dos pontos de referência e nas distâncias.

Relembramos que no dia 6 de Julho, o Be-200 tentou reabastecer os tanques com 6.200 litros de água na Barragem da Agueira, em Santa Comba Dão, numa zona onde tal era tecnicamente impossível de efectuar.

Segundo o relatório, na trajectória planeada o Be-200 apenas estaria 2.550 metros em contacto com a água, enquanto os cálculos e dados em poder da tripulação apontavam para uma extensão de 3.800 metros.

De acordo com os cálculos dos investigadores do GPIAA, seriam necessários 2.839 metros para a manobra ser feita em segurança.

Neste cálculo falta a determinação das trajectórias em voo, ou corredores de aproximação, essenciais à concepção da manobra e vitais na altura em que, após sobrecarregado com o peso da água recolhida, o Beriev tem que ganhar altitude com rapidez.

Na verdade, o Be-200 necessita de muito menos do que esta distância, mas é necessário ter em conta a orografia específica do local, de modo a efectuar os cálculos correctos, após o que é necessário introduzir a necessária margem de segurança.

Antes do acidente, o Be-200 já conseguira recolher 4.000 litros de água, sem quaisquer problemas, mas quando foi efectuada uma tentativa de recolha de 6.200 litros, o avião embateu na copa de alguns eucaliptos devido a um "erro na determinação dos pontos de referência e na avaliação de distâncias".

Em consequência desta falha de planeamento, houve um embate na copa das árvores, tendo alguns ramos entrado para os motores, pelo que um deles teve que ser desligado.

O Be-200 conseguiu aterrar em segurança na Base Aérea de Monte Real, mas o motor esquerdo teve que ser substituido devido aos danos que sofreu no compressor e zona envolvente das turbinas.

Como mencionamos, a necessidade de reabastecer os tanques na totalidade era necessário para obter uma vantagem competitiva sobre o seu rival, o Canadair CL-415, dado que se houve limitações a valores inferiores, a maior capacidade de manobra do modelo canadiano superaria em termos operacionais o Be-200.

Por outro lado, considerar "um pouco descurado" o planeamento deste tipo de operação é algo que nos parece uma minimização absurda de um erro grosseiro cujas consequências podiam ter sido da maior gravidade.

É absolutamente inaceitável que um planeamento que decorreu nos meses antes da chegada do avião, portanto com tempo para fazer levantamentos no terreno, tenham sido realizados através dos meios anunciados, sem um sistema de validação através de uma cartografia alternativa, o que coloca em causa todo o profissionalismo da gestão da operação.

As conclusões, que acabam por ser uma sucessão de evidências, acabam por minimizar uma falta de planeamento grave, cuja responsabilidade deve ser apurada em sede própria, dado ser inaceitável permitir que a vida da tripulação e de quem esteja em terra seja colocada em risco devido a erros que não se podem aceitar a este nível.

Devemos, a bem do rigor, separar este acidente, derivado de factores humanos, da apreciação que se deve fazer da aeronave, pelo que o facto de se ter verificado este incidente apenas deve ter como consequências a revisão dos pontos de reabastecimento de água, com tudo o que tal implica em termos operacionais, mas não em termos das características técnicas do Be-200.

Esperamos que, ao contrário do que sucede habitualmente entre nós, haja consequências de uma atitude que, pelos resultados trágicos que poderiam daí resultar, bem merecem uma investigação por parte das autoridades judiciais de modo a que haja uma responsabilização efectiva de quem descurou os seus deveres.

sexta-feira, dezembro 29, 2006

VIº Curso Manutenção e Introdução ao Restauro de Clássicos


Image Hosted by ImageShack
Visite o "site" do ACP e faça-se sócio!

O Automóvel Clube de Portugal (ACP) vai realizar um "Curso de Manutenção e Introdução ao Restauro de Clássicos", com início no dia 9 de Janeiro de 2007.

Este curso dura 3 meses e realiza-se nas instalações da sede do Clube às terças e quintas-feiras entre as 18:30 e as 20:00, sendo efectuada uma "workshop" no Museu do Caramulo.

O preço deste curso é de 250 euros para os membros do ACP-Clássicos, de 300 para os sócios do ACP e de 400 para os não-sócios, sendo as inscrições limitadas.

Os temas incluem desde a escolha do clássico a reparações a nível de mecânica e de carroçaria, passando pela área de diagnósticos ou pela história do automóvel e incluem sessões práticas em oficinas especializadas.

Os contactos são os do ACP, ou através do mail acpclassicos@acp.pt e dos telefones 213180238/9 ou do fax 213542875.

Esta é uma oportunidade a não perder por parte de quem esteja a pensar recuperar um clássico ou queira, simplesmente, aprender os conceitos que presidem aos trabalhos de recuperação e de manutenção de automóveis antigos.

quinta-feira, dezembro 28, 2006

Não há controle no acesso à Internet promovido pela CML


Image Hosted by ImageShack
Esquema de uma rede sem fios

Conforme noticiamos, contactamos a Câmara Municipal de Lisboa (CML) no sentido de apurar se foram implementadas medidas que impeçam a utilização abusiva ou mesmo criminosa dos acessos públicos que esta autarquia tem disponibilizado em diversos jardins da capital.

Relembramos que consideramos esta iniciativa como extremamente positiva, mas que sem controle pode revelar-se contraproducente, facilitando um conjunto de práticas inaceitáveis, com a gravidade de acrescida de serem suportadas por um sistema público onde o anonimato das comunicações sem fios permite uma enorme liberdade de acção.

Infelizmente, o contacto que fizemos no dia 8 de Novembro foi respondido no dia 13 com a menção de que seria encaminhado para o Departamento de Modernização Administrativa e Gestão da Informação, do qual não obtivemos qualquer informação até dia 20, altura em que insistimos e informamos que, caso não houvesse resposta em 48 horas, presumiamos que não tivesse sido implementada qualquer medida de controle.

Hoje, esgotado todos os prazos e após novas insistências, lamentamos que a CML não tenha tido a vontade ou a capacidade de dar uma explicação, pelo que estamos convictos de que as imposições legais a que são obrigados os operadores que disponibilizam Internet de forma pública, não tenham sido observadas pela autarquia lisboeta.

Veículos de bombeiros de Vila Real com GPS


Image Hosted by ImageShack
Seguimento de veículo sobre mapa

Foi ontem apresentado em Vila Real um projecto-piloto que visa localizar e seguir os 136 veículos operacionais dos bombeiros do distrito via GPS.

O protocolo assinado entre o Serviço Nacional de Bombeiros e Protecção Civil (SNBPC) e a Federação dos Bombeiros do Distrito de Vila Real é válido por dois anos e contou com a presença do secretário de Estado da Administração Interna.

Este projecto, denominado "SALVO - Sistema de Apoio à Localização de Veículos Operacionais", será inicialmente destinado aos bombeiros de Vila Real, mas será após a fase inicial de teste alargado a todo o País.

O SALVO resulta de um protocolo celebrado, no início deste ano, entre a Cooperativa Agrícola de Reguengos de Monsaraz, que doou 50.000 euros para o projecto, e o SNBPC.

Segundo Ascenso Simões, no decorrer do próximo ano, este sistema será expandido, de modo a abranger todo o país, e será suportado através de candidaturas ao próximo Quadro Comunitário de Apoio.

Para o secretário de estado, este sistema "vai aumentar a segurança dos homens e dos veículos e permitir uma gestão mais eficaz dos meios envolvidos" e "permite determinar a localização exacta dos veículos no teatro de operações".

Resumidamente, em cada veículo será instalado um equipamento de localização que integra um sistema GPS (Global Position System), permitindo a sua localização através da Internet, via GPRS ou via telemóvel usando SMS.

Lembramos que aqui já apresentamos equipamentos que permitem o seguimento de veículos ou indivíduos, com características adequadas ao agora proposto, a preços individuais que variam entre os 150 e os 250 euros, sem descontos de quantidade ou encomendas directas à fábrica.


Image Hosted by ImageShack
Imagem 3D para melhor análise do terreno

Assim, fazendo o preço médio de 200 euros por unidade, os 50.000 euros doados pela Cooperativa Agrícola de Reguengos seriam suficientes para 250 equipamentos, ou seja, para todos os veículos do distrito de Vila Real e para a aquisição de infraestruturas.

Devemos, ainda, recordar, que estes sistemas de localização e seguimento, quando não via satélite, dependem em grande parte das redes de telemóveis, as quais são utilizadas para efeitos de comunicações, pelo que sem uma cobertura eficaz deixam de ser utilizáveis.

Esperamos, pois que, quer a nível orçamental, quer nos cuidados a ter na implementação deste sistema, sejam tido em conta os valores e os condicionalismos que temos vindo a mencionar, evitando assim gastos desnecessários com um sistema que, após finalizado, pode não oferecer a segurança pretendida.

Para o efeito, aconselhamos os nossos leitores a reler os textos sobre localização de veículos, sistemas de localização individuais e a sua disponibilidade, bem como relativamente às várias formas de localização e seguimento, onde esta problemática é abordada e alguns valores de equipamentos podem ser encontrados.

quarta-feira, dezembro 27, 2006

Aumento de mortos na Operação Natal


Image Hosted by ImageShack
Acidente de viação

Apesar da diminuição do número total de acidentes no período natalício, houve mais mortos do que no ano passado, do que se pode inferir que a gravidade das ocorrências foi superior.

Tal como é normal nas estatísticas rodoviárias portuguesas, nos 19 mortos contabilizados até agora não estão incluidas vítimas que faleceram após a chegada ao hospital, do que resulta uma franca sub-avaliação das consequências dos acidentes.

Esta situação pode decorrer do facto de, apesar do aumento da intensidade do tráfego rodoviário nesta altura do ano, haver menos tráfego do que no ano passado em virtude da crise económica, pelo que existe a possibilidade de circular a maiores velocidades, impossíveis com o trânsito mais compacto.

Para além da velocidade excessiva, o consumo de álcool, as manobras perigosas e a falta de utilização de dispositivos de retenção apropriados tem vindo a aumentar estas estatísticas negras de mais uma Natal.

Relativamente ao uso de cintos de segurança, não podemos deixar de reforçar a nossa posição, várias vezes expressa, de que este deve ser utilizado mesmo nas circunstâncias em que a actual legislação prevê a dispensa de uso, nomeadamente por parte de entidades policiais ou de tripulantes de veículos de emergência.

Neste caso concreto, será da maior importância que os comandantes e outros responsáveis sensibilizem os seus subordinados para a necessidade de adoptar procedimentos que reduzam os riscos de missões que sabemos ser difíceis e onde cada segundo conta.

Finalmente, reiteramos o tantas vezes repetido conselho da Brigada de Trânsito para que todos conduzam com prudência e não transformem esta época que deve ser festiva em período de luto.

Monitor de bateria


Image Hosted by ImageShack
Monitor de bateria

Para quem não dispõe de voltímetro ou amperímetro instalados no veículo, um monitor de bateria será um auxiliar a ter em conta caso surjam dúvidas quanto ao nível de carga ou ao desempenho do alternador.

As causas de descarga de uma bateria são diversas, sendo a mais comum derivada da imobilização do veículo por um período prolongado e das perdas que sempre existem, mas também podem derivar de uma falha no alternador que não a carrega o suficiente.

Embora seja possível verificar este tipo de situações com um multímetro, existem no mercado equipamentos destinados a este fim e que são de utilização particularmente fácil, mesmo para os menos experientes.

Ao contrário do multímetro, que necessita da escolha do modo de funcionamento e das escalas, de modo a obter resultados correctos, no caso deste monitor basta ligá-lo aos bornes da bateria, com o motor a funcionar, para obter a informação necessária.

Os resultados das leituras são fornecidos através de "leds" de várias cores, facilitando uma análise dos dados.

A carga da bateria, em termos de percentagem, e que poderá ser de 100%, 50% ou 25%, é assinalada por cores verde, laranja e vermelho, enquanto uma regulação alta implica o aparecimento de uma luz vermelha no topo.

De forma análoga, da análise do funcionamento do alternador podem surgir uma luz verde, se estiver normal, ou amarela, se for baixo, sendo que neste caso aconselhamos, numa primeira fase, a verificar se a correia não estará com um desgaste ou uma folga exagerada.

Sobretudo para quem não dispuser de um multímetro ou preferir um instrumento de utilização mais prática, sugerimos que examine os vários modelos que surgem nas grandes superfícies e nas lojas da especialidade, certos de que encontrarão um com as especificações pretendidas.

terça-feira, dezembro 26, 2006

Museu da miniatura automóvel vai nascer em Gouveia


Image Hosted by ImageShack
Miniatura antiga de Land Rover

Foi assinado um protocolo entre a autarquia local, Clube Escape Livre, Automóvel Club de Portugal e Fernando Taborda que constitui o primeiro passo para a criação, em Gouveia, do futuro Museu da Miniatura Automóvel.

O futuro museu ficará alojado num dos edifícios históricos anexos à Câmara Municipal, onde está localizado também o museu local de arquelogia.

A iniciativa partiu de um contacto de Fernando Taborda, que possui uma importante colecção, e que propôs ao Clube Escape Livre a criação de um espaço onde as suas miniaturas possam ser apreciadas pelo público.


Image Hosted by ImageShack
O edifício do futuro Museu da miniatura automóvel

Após contactos entre o Clube Escape Livre e a Câmara de Gouveia, esta responsabilisou-se pela cedência das instalações e do equipamento onde funcionará o Museu, tendo para o efeito indicado um edifício histórico que irá ser recuperado para o efeito.

Existem condições para que já em 2007 tenha lugar a inauguração do Museu da Miniatura Automóvel, para o qual a directora da Jaguar Land Rover Portugal, Helena Matias, já ofereceu as primeiras peças.

Este novo museu vem trazer mais um motivo de interesse a uma cidade que, pela sua riqueza natural e patrimonial, justifica ser visitada.

Versão 6.4 do CompeGPS com novos licenciamentos


Image Hosted by ImageShack
Écran de "waypoints" no CompeGPS

A nova versão 6.4 do CompeGPS, para além de introduzir um conjunto de melhorias que visam sobretudo a estabilidade do programa, prevê um novo sistema de licenciamento.

Esta última alteração, que inclui a possibilidade de versões registadas gratuitas com um conjunto de funções básicas e sem limite de tempo de utilização, prevê também o licenciamento de módulos individuais, do que resulta um produto mais barato para quem não necessitar da totalidade das funções.

Assim, é possível registar o módulo base, sem custos, e seguidamente, por exemplo, licenciar apenas o módulo de visão tridimensional, resultando num produto com menos possibilidades, mas muito mais acessível e adequado às necssidades individuais de cada utilizador.


Image Hosted by ImageShack
V-Map no CompeGPS

Também estão disponíveis mapas de diversas áreas europeias, de grande qualidade, que podem ser adquiridos separadamente e se constituem como uma alternativa às cartas topográficas militares do Instituto Geográfico do Exército.

Estes mapas, designados por "V-Maps" são da autoria da TeleAtlas e estão particularmente adaptados às novas versões do CompeGPS, resultando numa maior facilidade e rapidez de utilização.

Sendo agora possível testar e registar gratuitamente o módulo base da versão 6.4, será esta uma boa ocasião para quem ainda não conhece o CompeGPS experimentar as possibilidades deste programa.

segunda-feira, dezembro 25, 2006

Logo do Dakar 2007


Image Hosted by Imageshack
Logo do Dakar com 486x603 pixels

Para comemorar a partida do Dakar em Lisboa, disponibilizamos o logotipo deste evento, de forma a poder ser impresso em plástico autocolante amarelo ou transparente, aproveitando a cor de fundo do veículo ou para ser colada vidro.

A imagem, a preto e branco com 1 bpp, pode ser melhorada utilizando um programa de desenho e o ponto mais fraco, concretamente o símbolo de marca registada, pode ser removido de forma a melhorar o resultado final.

Tal como está, a imagem permite uma impressão num formato 20 x 15 cm com uma qualidade aceitável.


Image Hosted by Imageshack
Logo do Dakar 2007 com 400x330 pixels

Também incluimos o logo da edição de 2007 desta prova, com 400 pixels de largura, e que permite uma impressão de qualidade na mesma dimensão do anterior.

Para os mais puristas, os originais destes autocolantes vendem-se em lojas da especialidade ou no Ebay Inglês, com preços a partir das 3 a 4 libras, já com portes para Portugal incluidos.

Mais uma vez, um Feliz Natal para todos.

Postal de Natal em russo


Image Hosted by ImageShack
Postal de Natal em russo

Para os nossos amigos russos e ucranianos, que nos enviaram os votos de Festas Felizes, queremos retribuir com um postal de Natal numa língua que facilmente podem entender.

Lembramos que o Natal ortodoxo será apenas daqui a treze dias, mas para quem vive em países de tradição católica ou protestante e que se rege pelo calendário gregoriano, as celebrações acabam por se iniciar amanhã e prolongar-se por quase duas semanas.

domingo, dezembro 24, 2006

Ambulância dos Voluntários de Canas sofre despiste


Image Hosted by ImageShack
A ambulância dos Voluntários de Canas de Senhorim

Durante o dia de ontem, quando efectuava o transporte de uma paciente, uma ambulância dos Bombeiros Voluntários de Canas de Senhorim despistou-se em Casal Sancho, na EN 231, que liga Viseu a Nelas.

A ambulância, que embateu numa habitação, ficou completamente destruida e todos os ocupantes sofreram ferimentos, tendo vindo a falecer a sinistrada transportada na altura.

Entre os feridos, aquela que inspira maiores cuidados é a condutora da ambulância, Ercilia Rodrigues, bombeira há largos anos, que sofreu m traumatismo craniano e continua internada no Hospital de Viseu.

Nesta véspera de Natal, queremos enviar uma mensagem de solidariedade a todos os voluntários de Canas e os votos de rápidas melhoras aos sinistrados.

Orientação por indícios


Image Hosted by ImageShack
Musgo numa árvore: um dos indícios da Natureza

Para além da observação da posição do Sol, é possível em pleno dia obter um conjunto de indícios que permita uma forma rudimentar de orientação.

Alertamos para o facto de estes serem indícios, que, do ponto de vista probabilístico são consistentes, mas que individualmente ou por condições específicas, podem revelar-se enganadores, mas, por poderem representar a única opção de orientação, não queremos deixar de mencioná-los.

Musgo e cogumelos: Tendem a desenvolver-se mais do lado Norte, onde há mais humidade.

Casca das árvores: São normalmente mais espessas e rugosas e têm mais fendas do lado onde são atingidas por mais frio, correspondendo ao lado Norte.

Inclinação das árvores: As árvores inclinam-se na direcção do vento dominante, pelo que se soubermos de onde sopra, é possível saber qual a orientação destas

Folhas de eucalipto: As faces ficam orientadas para Este ou para Oeste, de modo a ficarem menos expostas ao sol.

Girassóis: A flor costuma estar orientada para Sul, onde recebem mais raios solares.

Tocas de animais: As entradas ficam normalmente viradas para Sul, de modo a ficarem abrigadas do vento frio que sopra do Norte.

Caracóis: Normalmente escolhem os muros e paredes voltados para Este e para Sul.

Formigas: As entradas dos formigueiros costumam estar viradas para Sul.

Também algumas construções, sobretudo antigas, obedecem a um conjunto de regras ou princípios que nos permite utilizá-las para efeitos de orientação.

Nestas construções não se incluem, logicamente, edificações que por constrangimentos urbanísticos tenham sido orientadas numa direcção inevitável, como no sentido de uma rua ou enquadrada num determinado conjunto onde a autonomia da sua construção se perca.

Igrejas: Durante séculos, as igrejas costumavam ser construídas de forma a que o Altar-Mor ficasse voltado para Este e a porta principal para Oeste.

Campanários e torres: Muitas possuem no topo um cata-vento, que pode incluir uma cruzeta com os Pontos Cardeais.

Moinhos: A portas dos moinhos portugueses ficam, geralmente, viradas para Sudoeste.

Este conjunto de indícios, se validados mutuamente, podem auxiliar na orientação, sempre com a necessária reserva que pode resultar de condições específicas, como, por exemplo, de uma orografia que mude a direcção dos ventos dominantes ou provoque alterações climáticas.

Se houver um conjunto de indícios que, de forma consistente, apontem num mesmo sentido, será, com o necessário cuidado, de considerar como fornecendo uma informação suficientemente segura para servir como base de orientação.
Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin