quarta-feira, setembro 19, 2018

Ministério Público vai acusar 18 por crimes no incêndio de Pedrogão Grande - 3ª parte

Não se pode aceitar situações de responsabilidades colectivas e difusas, onde os vários intervenientes são julgados como um todo, e como um todo evitam condenações pelos actos mais graves que praticaram, nem o facilitismo que generaliza, penalizando a todos, mesmo os inocentes com penas suspensas ou multas, como forma de apaziguar ou consolar a opinião pública, algo que pode suceder quando uma condenação é necessária para justificar um longo e penoso processo.

Também não se pode converter um processo judicial num julgamento político, sendo de separar devidamente as duas áreas, sem que, caso um decisor político tenha sido negligente enquanto governante, para além da avaliação política, seja igualmente julgado pelos seus actos, ou pela ausência destes, num processo que deve evitar as contaminações que o jogo partidário tende a promover.

Apurar responsabilidades a todos os níveis é absolutamente essencial, e aqui incluímos os vários níveis hierárquicos e de decisão, como forma de evitar que, tal como acontece em tantos casos, apenas os mais frágeis ou vulneráveis, tipicamente em cargos subalternos, venham a suportar as culpas que, a bem ver, têm origem bem distinta, resultando de decisões muitas vezes de carácter político, cujas consequências nunca são devidamente avaliadas, nem os seus protagonistas devidamente responsabilizados.

Este será, sem dúvida, um processo longo e de desfecho algo imprevisível, seja pela sua complexidade, seja pela estrutura do processo judicial, sendo de prever que incidentes, recursos processuais de vária ordem, venha a atrasar um julgamento que venha a encerrar um dos capítulos mais lamentáveis da história nacional e que é necessário como contributo para a paz de todos aqueles que perderam entes queridos na tragédia de Pedrogão Grande.

terça-feira, setembro 18, 2018

Moldes para pequenas peças - 1ª parte

Existem diversos métodos para produzir pequenos moldes, destinados à produção de pequenas séries, sendo essencial ter como ponto de partida a peça a reproduzir, o que, neste caso, não se pretendendo contruir a peça de raiz, pode ser aquela que queremos substituir, desde que corrigida e com a forma correcta, e que será usado para dar origem ao molde a utlizar.

Os moldes mais baratos são aqueles que são feitos em silicone, um material facilmente moldável e que suporta bem a temperatura dos materiais mais utilizados para este fim, como as ligas metálicas com baixa temperatura de fusão, muito usadas em modelos, ou compostos sintéticos, muito semelhantes a vernizes ou a pequenas esferas plásticas que derretem em água a ferver.

Existem diferentes técnicas para preparar um molde, que irão depender do material a utilizar, que podem dar origem a uma única peça, o que implica um molde de duas peças, ou a duas peças, para o que um molde simples, de uma única peça, será o suficiente, sendo certo de que, num processo caseiro, o material a utilizar será vertido, por gravidade, e não introduzido por pressão, do que resultam algumas limitações.

A título de exemplo, o recurso a uma substância que solidifique por aquecimento, sob efeito da luz solar ou de uma lâmpada de ultra violetas, como as usadas para secar as unhas depois de pintadas, precisa de uma exposição adequada, pelo que um molde aberto, em duas peças, será o mais adequado, sendo necessário, neste caso, proceder à colagem das peças assim moldadas.

segunda-feira, setembro 17, 2018

Land Rover Owners de Outubro de 2018 já nas bancas

Já se encontra nos locais de venda habituais a edição de Outubro de 2018 da Land Rover Owners International, com um novíssimo Discovery 5, cheio de tecnologia, a merecer o destaque na capa, sendo testado até aos limites fora de estrada, num esforço para avaliar se a nova geração é uma digna sucessora de modelos onde a mecânica era primordial.

O restauro de um antigo Serie 2A, depois de anos de abandono, e que ganhou uma nova vida, um 101 "Forward Control" que continua a trabalhar, não obstante a sua idade, um Defender com uma preparação algo extrema e designado por "British Bulldog", e um artigo sobre os conhecidos guinchos da marca Winch merecem, igualmente uma leitura atenta.

O guia de compra do Range Rover L322, adaptado ao mercado inglês, mas com informações úteis para todos, as expedições, incluindo em antigos Serie, e um conjunto de artigos técnicos, onde a instalação de um suporte de rádio de 2 DIN num Defender merece especial interesse, serão igualmente úteis para muitos leitores.

Tal como acontece com outros números desta publicação, complementam esta edição os artigos que relatam as actividades de diversos clubes, a apresentação de novos produtos, bem como o teste prolongado a outros, mais antigos, sempre complementados pela extensa publicidade temática, a que acrescem as várias secções regulares, incluindo a colaboração dos leitores, ou a resposta a perguntas e dúvidas destes, naquela que continua a ser a publicação independente sobre Land Rover mais popular.

domingo, setembro 16, 2018

Passaporte da Estrada Nacional 2

Com o intuito de promover o potencial turístico dos concelhos atravessados pela Estrada Nacional 2, foi lançado um passaporte, que pode ser pedido gratuitamente, onde os viajantes poderão recolher as provas de atravessamento, sob a forma de carimbos, ficando assim com um comprovativo de presença, tal como acontece com os passaportes destinados a viagens internacionais.

Com 738.5 quilómetros, partindo de Chaves e terminando em Faro, a EN2, que para alguns é a "Route 66" portuguesa, encontra-se entre as estradas mais compridas do Mundo e é a maior na Europa, atravessando 11 distritos os distritos de Vila Real, Viseu, Coimbra, Leiria, Castelo Branco, Santarém, Portalegre, Évora, Setúbal, Beja e Faro, ou seja, todo o País de Norte a Sul, numa enorme multiplicidade de cenários.

O número de pontos de interesse, alguns deles nas proximidades e que implicam pequenos desvios, é de tal forma elevado que existem publicações destinadas unicamente a esta estrada, tendo características muito diferentes nas várias zonas do País que são atravessadas, e que, conforme a altura do ano, terão paisagens muito diferentes, nalguns casos com implicações que se podem revelar complexas, como a presença de neve ou gelo.

Estão disponíveis na Internet os mapas, locais de interesse, possíveis programações de viagem, ou outras informações que proporcionem a todos quantos pretenderem percorrer esta longa estrada uma viagem interessante e segura, que se irá prolongar por vários dias, pelo que o planeamento terá que ser efectuado com a necessária atenção, independentemente do tipo de viagem que se pretenda efectuar, mesmo que recorrendo a um veículo que proporciona uma boa autonomia.

sábado, setembro 15, 2018

Caixas de rebites em plástico para veículos

Todos os veículos possuem rebites em plástico, destinados a fixar forros, abas ou outros acessórios, que, pelo material em que são construídos e pelos esforços a que são submetidos podem necessitar de substituição, o mesmo acontecendo, na maioria dos casos, quando a peça que prendem necessita de ser substituída.

Sendo uma peça extremamente barata, em termos individuais, dispor de uma reserva, composta por vários modelos, fará algum sentido, sobretudo quando o veículo já tem alguma idade ou é submetido a um desgaste superior ao normal, devendo-se selecionar um sortido que inclua os modelos e medidas mais comuns.

Estes são simples rebites aplicados por pressão, sem necessidade de nenhuma ferramenta para aplicação, que serão facilmente removidos com uma chave de fendas ou cortando a cabeça, sendo certo que, após a remoção, tendem a ficar danificados ou inutilizados, impondo-se a sua substituição.

Um caixa com 350 unidades das medidas mais comuns, na sua maioria em cor negra, mas com alguns rebites em cor clara, tem um preço que fica perto de 15 Euros, incluindo portes, existindo um sem número de alternativas, algumas mais baratas, mas com menos unidades, embora mantendo os mesmos modelos, o que permite numerosas opções de escolha adaptadas, naturalmente, ao investimento pretendido e ao modelo de veículo em causa.

sexta-feira, setembro 14, 2018

Arrancadores polivalentes - 2ª parte

Comum a virtualmente todos os modelos é a presença de conectores USB, para carregamento de dispositivos, um conjunto de lâmpadas "led", normalmente entre 3 e 4, com diferentes modos de operação, contínua, intermitente ou "strobe" e dois níveis de intensidade, com capacidade para operar até 72 horas, com a carga completa e sem que haja outras utilizações da bateria.

Com um peso que ronda as 600 gramas e de aproximadamente 17.5 x 7.5 x 3.5 centímetros, a que acresce o peso e volume de acessórios, como cabos e transformador, o que permite um fácil transporte e acomodação, este tipo de arrancador baseado numa bateria de polímeros de lítio, consegue efectuar até 25 arranques de uma viatura com sistema eléctrico de 12 volts, desde que com motores com menos de 4.0 litros de cilindrada, caso funcionem a gasolina, e 2.5 litros se a diesel.

Existem numerosos modelos, com preços completamente distintos, sendo critério base a corrente de pico necessária para arrancar o motor mais exigente daqueles em que se pretende utilizar o arrancador, seguindo-se, naturalmente, outros, como a possibilidade de alimentar computadores portáteis ou outros dispositivos electrónicos ou o tipo de iluminação proporcionada.

Havendo a possibilidade de comprar por um preço pouco superior num país comunitário, pensamos que a importação da Ásia pouco se justifica neste caso, sendo de verificar cuidadosamente as características, incluindo acessórios, como cabos, bolsa de transporte ou outros, podendo este tipo de equipamento revelar-se essencial quando em locais remotos, onde outras fontes de energia são difíceis de obter.

quinta-feira, setembro 13, 2018

Ministério Público vai acusar 18 por crimes no incêndio de Pedrogão Grande - 2ª parte

Tendo em conta a complexidade da evolução das chamas, da variação das condições climáticas ou de um conjunto de factores ambientais, bem como as reportadas falhas de redes de comunicações, será de prever uma longa disputa legal, com tentativas sucessivas de fazer transitar a responsabilidade ou de a diminuir com base nos diversos atenuantes conhecidos.

Sendo certo, segundo os dados conhecidos, que houve falhas a vários níveis, inclusivé a nível superior, porque aqueles que não estavam à altura das responsabilidades que assumiram foram nomeados por alguém, que foi escolhido por uma tutela política, esperamos que o apuramento não se restrinja apenas aos actores directos, mas também, e sobretudo, aos que contribuiram para que o cenário fosse criado, do que decorreu o sucedido.

Raramente se apuram por completo as responsabilidades de uma tragédia, com a diluição desta pelos numerosos intervenientes, esbatidos por circunstâncias consideradas atenuantes, mas que elas próprias são, em muitos casos, o resultado de negligências e erros, e protegidos pela sempre presente inevitabilidade, consubstanciada na falta de sorte tradicional que persegue os incautos e todos aqueles que descuram os seus deveres.

Estamos conscientes de que, mesmo que o processo tenha sido adequadamente instruído e baseado num conjunto sólido de provas, a sua complexidade irá dificultar condenações, mesmo face à tentação de responsabilizar, ainda que de forma muito moderada, alguns dos intervenientes, como forma de apaziguar a opinião pública e evitar a revolta contra o sistema judicial, no que pode resultar numa flagrante injustiça que irá penalizar, sobretudo, os mais vulneráveis de entre os acusados.

quarta-feira, setembro 12, 2018

Tendas em bolha insufláveis

Pouco conhecidas entre nós, as tendas insufláveis transparentes em formato de bolha são uma alternativa interessante face a modelos mais convencionais, proporcionando uma excelente visibilidade para o exterior e uma integração interessante no ambiente que as rodeia, podendo ser posicionadas livremente e removidas, sem que daí resulte um impacto ecológico negativo.

O modelo que hoje apresentamos tem dimensões de, aproximadamente, 3.5 metros de diâmetro, a que acresce perto de metro e meio do tunel de entrada, tendo uma estrutura que lhe permite alguma rigidez e um sistema de portas que funciona como válvula, com a circulação de ar, que resulta da acção de uma bomba, a ser essencial para que a tenda se mantenha erguida e rígida.

Construída em plástico PVC, a instalação deste tipo de tenda é simples, bastando escolher um local plano e sem objectos com arestas cortantes no solo e ligar a bomba de 370W, que carece de alimentação a 220V, que irá insuflar a tenda, o que implica a existência de corrente eléctrica nas proximidades, pelo que este não é um modelo para locais isolados ou remotos.

O conjunto, com a tenda e respectivos acessórios, bomba eléctrica, material de reparação e saco de transporte tem um preço que ronda o milhar de Euros, a que irão acrescer taxas alfandegárias, pelo que esta solução se revela competitiva para entidades que necessitem de um alojamento temporário, com características muito específicas, sendo uma delas a óbvia falta de privacidade, mas que proporcionem uma experiência muito diferente do habitual.

terça-feira, setembro 11, 2018

Ministério Público vai acusar 18 por crimes no incêndio de Pedrogão Grande - 1ª parte

Serão 18 os arguidos ligados ao incêndio de Pedrogão Grande, incluindo diversos comandantes operacionais da Protecção Civil a nivel distrital e comandos dos bombeiros locais, que, nalguns casos, serão acusados de 64 crimes de homicídio por negligência, para além de centenas de outros por danos corporais agravados e, quase certamente, muitos outros de danos, podendo acrescer novos crimes a uma lista já extensa.

Os sucessivos erros na condução das operações, a falha na avaliação da situação operacional, a falta de informação transmitida entre os elementos que combatiam a chamas e às próprias populações, que foram completamente abandonadas, encontram-se entre explicitadas no que será a acusação promovida pelo Ministério Público e que, provavelmente, será a mais grave de todas as que têm na origem um incêndio florestal

Funcionários da EDP, da Ascendi e ex-autarcas, que não efectuaram acções pelas quais eram responsáveis, como a manutenção e limpeza de faixas junto de estradas, o planeamento do território ou planos de defesa, serão igualmente acusados, sendo de prever que durante o mês de Setembro a acusação seja conhecida, no termo de um processo de inquérito complexo e que envolveu diversas entidades e um substancial esforço.

Naturalmente, no decurso do processo podem ser apurados novos factos que poderão dar origem à constituição de outros arguidos ou à instauração de processos autónomos, algo que, face à complexidade e extensão dos factos já conhecidos será previsível, esperando-se que algumas responsabilidades a nível hierárquico superior venham igualmente a ser apuradas, nomeadamente a nível de coordenação nacional ou de quem efectuou nomeações segundo critérios inexplicáveis.

segunda-feira, setembro 10, 2018

Repórter TVI: "O Compadrio" em Pedrógão - 4ª parte

Tal só é possível com a cumplicidade de muitas entidades, responsabilizando-se igualmente o Governo que entregou a coordenação, sem qualquer controle, a entidades locais, sem competências adequadas, vulneráveis a pressões e dirigidas, infelizmente, por quem parece, à luz das reportagens, não possuir a seriedade necessária para lidar com este tipo de fundos.

Igualmente lamentável é a alteração do regulamento do fundo Revita, que agora permite a venda das habitações recuperadas antes de decorrido o prazo de 10 anos, previsto em regulamentos anteriores, sendo manifesto que existe uma óbvia descoordenação, com o presidente da câmara de Pedrogão a declarar que ignora quanto dinheiro ainda se encontra disponível.

Não se podendo aceitar com a mais absurda incompetência, e quem não é capaz de desempenhar um cargo ou uma função não pode aceitar tal incumbência, é a nível criminal que se pode enquandrar o que se passa com a reconstrução das habitações destruídas em Pedrogão Grande, sendo óbvio que uma falha na investigação e condenação dos responsáveis, vai comprometer todas as acções de solidariedade propostas para um futuro próximo, sendo certo que as contribuições serão muito menores.

Os danos e prejuízos causados pela forma como a reconstrução de Pedrogão Grande são, efectivamente, incalculáveis, com os donativos a não serem encaminhados para o destino proposto, pelo que apenas uma punição exemplar pode, de alguma forma, evitar que futuras iniciativas de solidariedade sejam votadas ao fracasso, com o prejuízo óbvio daqueles a quem estas se destinavam.

domingo, setembro 09, 2018

Circulação fora de estrada no EILR

Das declarações do presidente da LandMania prestadas no Encontro Ibérico Land Rover 2018, Rui Marinho, queremos destacar as que abordam um problema desde há muito conhecido e comentado por nós, concretamente o efeito negativo na circulação nos espaços rurais que decorre do aumento das restrições à prática do todo o terreno.

É sabido que, embora possa envolver alguns riscos, fruto da irresponsabilidade de uns poucos, a prática do todo o terreno contribui de forma decisiva para a manutenção dos caminhos rurais, mantendo-os transitáveis durante todo o ano, mas especialmente quando chega o bom tempo e, como resultado das férias, o número de veículos a transitar aumenta substancialmente.

Acontece que é exactamente por esta altura, a mesma em que ocorre um maior número de incêndios florestais, que as proibições que impedem a circulação fora de estrada estão em vigor, diminuindo drasticamente os veículos que aí circulam na altura em que a manutenção das vias é de maior importância, podendo ser determinantes no combate às chamas e na segurança dos intervenientes, que podem necessitar de vias de retirada circuláveis.

No encontro estiveram presentes mais de 5.000 participantes, com mais de um milhar de viaturas, e tal corresponde apenas a um clube, com associação a uma única marca, o que permite intuir o enorme do número de praticantes que, caso pudessem prestar o seu contributo, não apenas em termos de transitabilidade, mas também na economia local, teriam um importante contributo para a sustentabilidade e desenvolvimento de algumas das zonas mais deprimidas do País.

sábado, setembro 08, 2018

Arrancadores polivalentes - 1ª parte

Inicialmente muito dispendiosos, os "power pack" com múltiplas funções já podem ser adquiridos por preços acessíveis, com a vantagem acrescida de um aumento das funcionalidades incorporadas, o que transforma um equipamento pensado como arrancador para veículos num dispositivo multifuncional, que pode ser utilizado para múltiplos fins.

Os actuais arrancadores compactos possuem uma maior capacidade do que os seus antecessores, sendo possível adquirir um modelo com pico de corrente que atinge os 800A, o necessário para um motor diesel de 2.5 litros, como os utilizados por muitos Land Rover, por valores que rondam os 75 Euros, incluindo portes a partir da Europa, o que evita grandes demoras e pagamento de direitos alfandegários.

Para além da sua função base, como arrancador de motores autónomo, para o que incluem os necessários cabos, com sistema de protecção contra inversão de polaridade e o sistema a ser activado por um botão independente, para além do que liga o equipamento, são adicionadas várias funções que dependem do modelo exacto, pelo que a escolha deve ser equacionada de acordo com o uso prioritário e complementar.

Vários modelos possuem um pequeno écran LCD onde é possível verificar a carga da bateria interna, enquanto outros possuem uma saída que permite utilizá-los como transformador para computadores portáteis, sendo, neste caso, incluídos o cabo e respectivos adaptadores, pelo que pode suportar a maioria dos modelos existentes no mercado.

sexta-feira, setembro 07, 2018

Repórter TVI: "O Compadrio" em Pedrógão - 3ª parte

Foi emitida a 2ª parte da reportagem da TVI relativamente à recuperação das casas destruídas em Pedrogão Grande, agora com novos documentos, onde se pode encontrar a lista de habitações efectivamente destruídas e aquelas que foram acrescentadas, num total de 32 novas residências.

A mudança de 2ª para 1ª habitação, como forma de obter verbas para reconstrução, a correcção de uma primeira para uma segunda listagem, como forma de os proprietários recuperarem casas onde não residiam, o valor orçamentado superior a 150.000 Euros, o facto de haver proprietários no estrangeiro ou familiares de autarcas,

É possível ver em imagens do Google Earth que algumas casas estavam virtualmente destruídas, sem condições de habitabilidade, obviamente devolutas, que foram dadas como 1ª habitação, sendo possível, através dos registos do Google verificar diversas situações onde a falsidade das declarações é facilmente demonstrável, face ao seu estado na altura em que as fotos foram recolhidas.

Nalguns casos, é manifesto que as casas nem sequer arderam, sendo demonstrável pelo facto de sobre estas passarem cabos de comunicações que não foram afectados, algo impossível caso houvesse um fogo nessa área, enquanto noutras a vegetação que cresce no interior indicía um abandono muito anterior à data dos fogos, demonstrando claramente o estado em que já se encontravam desde há muito.

quinta-feira, setembro 06, 2018

Próxima grande actualização do Windows 10 chega em Outubro

A próxima grande actualização do Windows 10 está prevista para Outubro, quando, de forma progressiva, os equipamentos que utilizam este sistema operativo serão sucessivamente actualizados, de forma automática e em horários que, tanto quanto possível, minimizem o impacto na sua utilização.

Para além dos melhoramentos em termos de funcionamento e segurança, importantes mas que podem passar desapercebidos à maioria dos utilizadores, serão implementadas novas funcionalidades, como o "clipboard" com acesso à "cloud", o tema ou modo escuro para o explorador de ficheiros ou um conjunto de melhoramentos no Edge, que, apesar das sucessivas melhorias, continua a não ter a aceitação que efectivamente merece.

Após a actualização, o sistema terá a versão 1809, ficando visíveis diferenças em várias opções, incluindo nas comunicações sem fio, via "wifi" ou rede móvel, na configuração de écrans de alta resolução, no Windows Defender, que passará a ser Windows Security, tal como em diversas aplicações, como Notepad, que permitirá pesquisas a partir do seu interior, ou o Skype, que terá uma nova versão, com novas funcionalidades.

Lembramos que estas actualizações, que mudam a compilação, ou "build", do Windows, mudam o núcleo do sistema operativo, sendo, em termos básicos, uma reinstalação do mesmo, mantendo os parâmetros e definições do utilizador, pelo que, mesmo sendo inteiramente automática, pode pedir confirmação ou redefinição de algumas configurações, bem como algumas validações, pelo que o processo será mais moroso e necessita de um acompanhamento diferente de uma actualização de rotina.

quarta-feira, setembro 05, 2018

O "estado de necessidade" ou a necessidade do Estado - 4ª parte

Aliás, na visita de membros do Governo às zonas afectadas, para além das intenções, era manifesto que não estava estabelecido qualquer plano, nem sequer em linhas gerais ou nos seus conceitos mais básicos, algo que ficou bem patente na forma abstracta como os anúncios iam sendo feitos, sem que fossem sustentados por dados concretos, envelope financeiro ou calendário de implementação, remetendo os apoios para linhas já existentes, eventualmente desburocratizando o acesso a estas.

A revolta das populações e de diversos autarcas, a prudência do Presidente da República, que afasta triunfalismos obviamente injustificáveis face à devastação, ou a perspectiva triunfante do Governo são, nesta altura, contradições inevitáveis, face a interesses conflituantes ou à necessidade de estabelecer uma trégua enquanto o combate ainda recentemente decorria e o apuramento dos factos ainda permite todas as especulações, mas este é um assunto que, tal como as tragédias do ano passado, não acabará aqui.

Não temos dúvidas que, face à ausência de vítimas mortais, o impacto destes fogos será muito inferior ao que resultou das tragédias do ano passado, mas face à devastação e ao número de afectados, alguns dos quais perderam tudo o que possuiam, e às consequências na economia de toda uma região, será necessário que o processo de reconstrução e reordenamento seja devidamente acompanhado, sem o que este pode cair no esquecimento ou, pura e simplesmente, repetir os erros do passado.

O impacto real do fogo em Monchique demorará a ser apurado, e dependerá em muito da existência ou não de outros grandes incêndios, de se verificarem ou não vítimas mortais, e da forma como o dispositivo e o próprio poder político enfrentarem as situações com as quais se irão deparar, sendo certo que a tolerância da opinião pública tem vindo a diminuir, pelo que situações que apenas suscitavam resignação e tristeza podem agora resultar em revolta.

terça-feira, setembro 04, 2018

Caixas estanques para telemóveis

Por serem dispendiosas, sobretudo face ao decrescente preço das câmaras de acção, as carcaças estanques para telemóveis, que lhes permitem operar debaixo de água, com as restrições inerentes em termos de comunicações, são pouco conhecidas fora de um segmento muito especializado.

Disponíveis em versões específicas, destinadas a um único modelo de telefone, ou universais, para o que existem algumas variantes, estas caixas selam completamente o equipamento, protegendo-o até profundidades da ordem dos 40 metros, enquanto permitem a sua operação e a utilização dos seu recursos, nomeadamente em termos de câmara, caso submerso, mas facilitando igualmente a operação a outros níveis quando fora de água.

Este tipo de caixa, com flutuabilidade neutra, inclui superfícies transparentes, destinadas à operação da câmara e acesso aos menus, com os diversos botões a facilitar um uso que se pretende universal, muito embora se deve verificar se é compatível com um modelo concreto, bem como a exequibilidade da sua operação, antes de efectuar uma aquisição.

Construídas em aço inoxidável, vidro óptico, borracha e policarbonato, com "o-rings" na zona dos botões, este modelo de caixa protege o equipamento no interior até 40 metros de profundidade e com temperaturas entre os 0-40°, tendo dimensões externas de 212 × 60 × 112 milímetros e um peso aproximado de 580 gramas, tendo um preço que, incluindo portes, se aproxima dos 200 Euros, o que apenas justifica a sua compra em casos muito específicos.

segunda-feira, setembro 03, 2018

66% dos incêndios resultam de queimadas - 2ª parte

Naturalmente, estamos a falar dos incêndios que foram investigados, pelo que pequenos fogos, sem grandes consequências, não são incluídos nesta estatística, sendo intuitivo que estes serão ainda mais fortuitos do que aqueles que resultaram em fogos de grandes dimensões dado que nestes haveria uma maior probabilidade da existência de intencionalidade, com actos no sentido de potenciar o seu alastramento.

Desta forma, caso se as investigações abrangessem a totalidade dos incêndios, algo que, face aos recursos existentes, não é possível, será inevitável que a percentagem de fogos com causas determinadas como não intencionais aumentasse substancialmente, enquanto as restantes, por oposição, diminuiriam na mesma proporção, atingindo níveis pouco mais do que residuais o que, efectivamente, parece corresponder à realidade e à própria intuição resultante do conhecimento do panorama nacional e do comportamento humano.

Não queremos com isto dizer que os incêndios que resultam de actos intencionais e deliberados não assumam grande gravidade, mas que a teoria de que existe uma rede criminosa por detrás desta realidade, e até prova em contrário, é algo que consideramos completamente fictício e que apenas serve como manipulação da opinião pública ao serviço de interesses ou propósitos que os seus divulgadores ou apoiantes se recusam a esclarecer.

A fictícia rede de incendiários, a conspiração de uma organização tão criminosa quanto desconhecida, tem servido, essencialmente, como forma de desculpabilização por parte de todos quantos cometeram erros, seja por actos, seja pela inacção, para quem a imprevisibilidade e malícia do crime seria o motivo que levou à derrota das suas acções, as quais, quase certamente, a existirem, terão sido erradas ou ineficientes, pelo que merecem uma avaliação de todos, sem atenuantes nem desculpas.

domingo, setembro 02, 2018

Lisboa, cidade fechada - 35ª parte

A reparação ou requalificação de edifícios, quando destas não resulte a expulsão dos residentes, vítimas do actual mercado imobiliário, é sempre positiva, sendo que este tipo de obras deve obedecer a um conjunto de regras conhecidas e corrigir erros que, posteriormente, poderão ter implicações, que, no limite, venham a comprometer as obras realizadas.

Uma reparação profunda do exterior, o que implica sempre a dispendiosa montagem de andaimes, deixando ficar os cabos dos operadores de comunicações, surge como inadequada, sendo mais razoável investir essa verba na passagem dos cabos para o interior, tapando os buracos e danos resultantes da sua colocação no exterior, e, caso a verba seja insuficiente, adiar a reparação e pintura, que a presença dos cabos pendurados rapidamente comprometem.

Por experiência própria, temos a noção de que passar cabos do exterior para o interior tem custos e implica incómodos, não sendo suficiente enterrá-los quando atravessam a via pública, mas proceder ao seu encaminhamento pelo interior do prédio e a distribuição pelas várias residências, mudando o ponto de entrada e obrigando a instalar novos cabos que, ao contrário dos provindos do exterior, tendem a ser mais longos e passar por mais do que uma divisão.

No entanto, efectuar uma reparação do exterior e manter os cabos, com todos os furos que tal implica e pelos quais haverá infiltrações comprometedoras da obra realizada, danificando-a em escassos anos, parece ser um investimento pouco razoável, sendo que este tipo de obras devia obrigar, na altura do licenciamento, a rever esta situação, digna de um país do terceiro mundo e incompatível com uma cidade que parece estar na moda.

sábado, setembro 01, 2018

Suporte de roda sobressalente da Mantec via excedentes militares

Já muitas vezes nos referimos a excedentes militares como forma de adquirir material de elevada qualidade, normalmente produzido por fabricantes conceituados, a preços baixos, apenas com a penalização de alguma possível detrioração derivada do período de armazenamento que, em muitos casos, apenas se reflete a nível da embalagem exterior.

Os suportes para pneu sobressalente da Mantec utilizados pelos Defender militares ingleses são de excelente qualidade de construção, de uma robustez ímpar, revelando-se muito superiores em termos de durabilidade face aos seus rivais, nomeadamente os mais baratos, por vezes sem marca conhecida, comercializados por diversos revendedores.

Neste caso concreto, o modelo destinado aos Land Rover Defender com porta traseira de abertura lateral, que tem um preço de tabela que pode andar acima dos 250 Euros, pode ser adquirido, incluindo portes a partir de Inglaterra, por metade deste valor, o que corresponde a uma enorme poupança para cada unidade.

Este tipo de oportunidade não surge com frequência, e nem sempre são detectadas atempadamente, pelo que, tendo algo em vista, sugerimos configurar os alertas do EBay, de modo a que nos seja enviada uma mensagem sempre que surja o item pretendido, o que permitirá, pelo menos, ser informado de algumas oportunidades, sendo possível que as melhoras, na altura da recepção da mensagem, podem já não ser concretizáveis, caso todas as unidades já tenham sido vendidas.

sexta-feira, agosto 31, 2018

66% dos incêndios resultam de queimadas - 1ª parte

66% dos incêndios investigados resultaram de queimadas, o que vem confirmar algo que sempre consideramos evidente, o facto de ser a negligência, independentemente da sua gravidade, e não o dolo que está por detrás da grande maioria dos incêndios florestais, desmontando-se assim diversas teorias conspirativas.

A ideia de que a maior parte dos incêndios será de resultado de actos intencionais, não se utilizando aqui a expressão negligente porque esta pode igualmente ser aplicada em situações de crime, ou a que existiria uma rede conspirativa, nunca descoberta, que, por motivos inconfessáveis, atearia os fogos, volta, assim, a ser derrotada, e com ela muitos do que, insistentemente e sem provas, a suportam com base em meras conjecturas.

Todos recordamos que a culpa já foi atribuída a madeireiros, forças políticas de esquerda e de direita, a interesses imobiliários ou outros, que funcionariam em rede, de forma organizada e estruturada, obedecendo a algum tipo de coordenação que, supostamente, passaria por uma estrutura hierárquica, configurando uma autêntica associação criminosa da qual, não obstante as investigações efectuadas, nunca houve qualquer indício.

Assim, o que as investigações conhecidas, o conhecimento da realidade nacional, e do próprio ser humano, e o bom senso, ou senso comum, todos apontam no mesmo sentido, não conspirativo, e que se traduz na falta de cuidado, que pode ser criminosa, mas não intencional, na ausência de conhecimentos e de recursos e na falta de ordenamento do território, o que permite o rápido alastrar das chamas, podendo simples queimadas dar origem a incêndios de grandes dimensões.

quinta-feira, agosto 30, 2018

Actualizações nos "routers" de 5 GHz - 2ª parte

No caso do Huawei HN8247Q, o "router" de 1 Gb que a Vodafone disponibiliza, a possibilidade de serem visíveis duas redes, uma com a identificação original do equipamento e outra idêntica, seguida de "5G", e que corresponde à frequência de 5 GHz, implica, caso se queira aceder a esta última, a uma nova autenticação, que pode ser feita via WPS, caso usado e suportado no caso específico.

Se a configuração via WPS é simples, podendo ser efectuada premindo o botão do "router" ou através dos seus menus de configuração, o facto de surgir uma nova rede, que pede uma chave de acesso, pode parecer como algo inesperado e mesmo confuso, podendo vários utilizadores associar esse identificador a uma rede que não é a sua, ignorando a única conexão a que, efectivamente, conseguirão aceder caso usem a banda dos 5 GHz.

É de notar que, na maioria dos locais, continuam a existir muito poucas redes de 5 GHz, bastando para o verificar forçar uma placa de rede a usar apenas esta frequência e verificar quantas redes ficam visíveis, não sendo inédito que apenas surja a do próprio, o que tem implicações positivas a nível de possíveis interferências, muito comuns nos 2.4 GHz, onde, para além de redes, operam os dispositivos "bluetooth".

Na altura de renegociar um contrato com um operador, para além da escolha deste, cujos critérios variam não apenas devido ao serviço e ao respectivo custo, mas à disponibilização e fiabilidade em cada local específico, será de solicitar um "router" da última geração, que, mesmo mantendo a velocidade contratualizada, pode permitir um melhor desempenho da rede interna o que, só por sí, representa um aumento de valor do serviço.

quarta-feira, agosto 29, 2018

Repórter TVI: "O Compadrio" em Pedrógão - 2ª parte

Acresce o facto de casas de segunda habitação daqueles que foram favorecidos foram beneficiadas, com a recuperação a ir muito para além do estado original, com dispendio de largas somas, enquanto para noutros casos, de grande necessidade, as verbas eram insuficientes para uma simples reconstrução.

Foi referido o exemplo de um palheiro que passou a ser uma residência, neste caso uma moradia, ou de pessoas que mudaram a sua morada fiscal de uma casa que não ardeu para outra que foi consumida pelas chamas, ficando assim com duas casas, uma delas paga integralmente por dinheiros públicos ou de donativos, num total de perto de três dezenas de casas suspeitas, sendo que muitos casos foram há muito relatados e mesmo divulgados.

As várias denúncias dirigidas à autarquia são ignoradas, incialmente negadas, sendo patente nas respostas o embaraço e mesmo flagrantes indícios de falta de verdade, com respostas dúbias ou duplices, que, efectivamente, apontam no sentido da mentira, sendo a ocultação da verdade, tal como a indução em erro, formas de, efectivamente, mentir.

Para além dos crimes de que se suspeita, e que estão em investigação por parte do Ministério Público, o sucedido com o processo de reconstrução em Pedrogão terá um impacto devastador no apoio a futuras vítimas, algo bem patente com a falta de donativos para as vítimas do recente incêndio de Monchique, pelo que o prejuizo será bem maior do que o contabilizado, podendo ser efectivamente incalculável.

terça-feira, agosto 28, 2018

Actualizações nos "routers" de 5 GHz - 1ª parte

A maioria dos "routers" disponibilizados pelos operadores de comunicações recebem actualizações da programação interna, genericamente designada por "firmware", com alguma periodicidade, sendo necessário que sejam desligados e novamente ligados para que esta fique activa, de forma muito semelhante ao que sucede com as actualizações dos computadores.

Enquanto alguns operadores, ou modelos de equipamento, forçam as actualizações, e portanto o "router" desliga momentaneamente e volta a arrancar, interrompendo as comunicações, mas procedendo a uma actualização quase automática, outros contam com a acção do cliente para o fazer, ou seja, caso este nunca desligue o "router", as actualizações ficam, simplesmente, pendentes, podendo vir a acumular-se caso o "router" se mantenha ligado em permanência por um período longo.

Desta situação podem decorrer erros ou inconsistências no serviço, com falhas a vários níveis, como, por exemplo, na dificuldade de aceder ao servidor de DNS ou a interrupções momentâneas, quase sempre imperceptíveis do fluxo de dados, afectando essencialmente o serviço de Internet, mas não o de televisão ou telefone fixo.

Das actualizações podem, igualmente, resultar diferenças na forma como a configuração é efectuada, podendo esta refletir-se em termos funcionais, nomeadamente no acesso sem fios, sobretudo quando o "router" suporte as duas bandas, de 2.4 GHz e de 5 GHz, sendo possível que passe a gerir as duas de forma distinta e independente, o que obriga a reconfigurar os computadores que usem ambas as frequências ou apenas uma delas.

segunda-feira, agosto 27, 2018

O "estado de necessidade" ou a necessidade do Estado - 3ª parte

Na impossibilidade de controlar um fogo de grandes dimensões, face à eminência de uma vasta área ardida num território onde um incêndio de grandes dimensões era previsível, razão pela qual foi considerada uma zona de risco, e após as tragédias do ano anterior e do esforço, ou das intenções, promovido pelas entidades oficiais, tornou-se necessário controlar os danos políticos e minorar a desconfiança das populações no sistema de socorro, escolhendo um tipo de argumentação que, de alguma forma, pudesse apontar para o sucesso.

Esta desconfiança aumenta não apenas junto das populações, que viram um incêndio anunciado como controlado prolongar-se, como também junto das forças de segurança, quando o Primeiro Ministro levanta questões quanto a possíveis excessos, mais uma vez sem os concretizar, numa tentativa de passar as responsabilidades do decisor político para o operacional no terreno, que gere uma situação resultante de um conjunto de factores a que é completamente alheio.

Existem testemunhos, alguns dos quais credíveis, que apontam para excessos, que, a existir, devem ser investigados, tendo em conta a especificidade da situação, mas um julgamento antecipado, descredibiliza a autoridade policial, diminui a sua autoridade, e compromete a sua acção futura, ao aumentar a possibilidade de resistência, potenciando situações de conflitualidade mais graves.

Entre a grande vitória do Ministro da Administração Interna e um sucesso mais moderado por parte do chefe do Governo, vai pouca diferença, que pouco mais é do que simples retórica, com o foco a incidir na ausência de perda de vidas humanas enquanto a destruição de mais de 20.000 hectares, habitações e outros bens é, de alguma forma, minimizada alegando serem substituíveis mesmo que, objectivamente, os seus proprietário não o possam fazer, seja por falta de recursos, seja porque não terão tempo de vida para tal.

domingo, agosto 26, 2018

Versão 55 do Opera já encontra disponível

A versão 55 do Opera já se encontra disponível desde há uns dias, o suficiente para efectuar testes e proceder à sua utilização para que se possa concluir que na compilação actual, a 55.0.2994.44, possui a estabilidade e compatibilidade requeridas para poder ser utilizado sem problemas mesmo pelos mesmo experientes.

Entre as novidades está um novo desenho da página de configurações, incluindo o suporte para o modo escuro, um melhor controle sobre as páginas visitadas, acesso simplificado aos "bookmarks", correcção de algumas falhas reportadas em versões anteriores e um melhoramento geral, incluindo a nível de desempenho, mantendo as características que nos levaram a adoptá-lo como navegador padrão, incluindo-se aqui a VPN gratuita.

No entanto, para muitos a principal melhoria será a possíbilidade de recorrer às extensões do Chrome, para o que se terá que aceder à respectiva loja e proceder à instalação de forma análoga à do navegador a que se destinam originalmente, o que vem permitir aos utilizadores do Opera um grande leque de opções e a possibilidade de o utilizarem mesmo quando um conjunto de extensões ou uma maior compatibilidade com o Chrome são requeridas.

Baseado no Chromium, o Opera tem evoluído muito rapidamente, disponibilizando em permanência, para além da versão estável, versões Beta e Developer, onde se podem antever algumas das funcionalidades em estudo, e eventualmente a ser implementadas no futuro, podendo os mais interessados descarregar estas versões e testá-las, antecipando assim o que lhes poderá estar reservado caso optém por este navegador.

sábado, agosto 25, 2018

Tendas insufláveis para oficinas

Uma tenda insuflável de grandes dimensões, que possa ser utilizada no exterior ou no interior de uma oficina pode ser uma alternativa a alguns modelos de cabines de pintura, cuja instalação tende a ser definitiva, comprometendo esse espaço mesmo quando não se encontra em uso, algo que pode ser incompatível com instalações onde existem restrições de espaço.

As tendas insufláveis representam uma alternativa viável, com um preço que poderá começar perto de um milhar de Euros para os modelos de menor dimensões, encontrando-se opções com entre 6 e 10 metros de comprimento, 3 a 5 de largura e 2.5 a 3.5 de altura, em tecido "oxford" e PVC, com opção de cores e possibilidade de inclusão de acessórios, como as bombas de enchimento, essenciais para a sua utilização.

Este tipo de tenda está pensado para que a iluminação e a extracção de vapores seja adequada a operações de pintura, mas pode igualmente ser utilizada para exposições, pequenas acções de formação ou outras onde seja necessário um espaço fechado de carácter provisório, protegendo do frio, chuva, vento e proporcionando um espaço interior confortável.

De fácil transporte e utilização, podendo ser armazenada em espaços reduzidos, este tipo de tendas é resistente em termos físicos e térmicos, tolerando bem o calor, o frio, raios ultra-violetas ou humidades, não é inflamável, pode ser limpa com facilidade, e o preço compara-se favoravelmente com alternativas mais definitivas, que inevitavelmente sacrificam permanentemente parte da área útil disponível numa oficina.

sexta-feira, agosto 24, 2018

Repórter TVI: "O Compadrio" em Pedrógão - 1ª parte

Justifica-se ver a reportagem da TVI relativamente à alteração de morada fiscal para obter benefícios na recuperação de casas através da alteração da morada fiscal, dando a entender que estariam a ser recuperadas primeiras habitações quando, efectivamente, há muito que não estariam habitadas.

Alegadamente com o conhecimento e por sugestão de responsáveis autárquicos, que, segundo a reportagem, terão sido aconselhados a prestar falsas declarações, afirmando que casas destruídas nos incêndios eram de primeira habitação, diversas casas abandonadas foram reconstruidas antes daquelas que eram realmente habitadas.

Os diversos testemunhos, o embaraço do presidente da câmara de Pedrogão, as respostas evasivas dos familiares, a consistência da narrativa, tudo aponta no sentido da veracidade do conteúdo da reportagem, o que, a confirmar-se, será da maior gravidade, consubstanciando diversos crimes e um insulto contra todos quantos contribuiram com o seu esforço e com donativos para reparar os danos resultantes dos fogos.

Com a inversão de prioridades, muitos são aqueles cuja primeira habitação ainda não foi reconstruída, vivendo em condições inaceitáveis, sem qualquer apoio, nem sequer em termos de materiais de construção, muitos deles doados, sendo preteridos a favor de quem tem ligação ao poder local, apontado a reportagem no sentido de um favorecimento flagrante.

quinta-feira, agosto 23, 2018

Programadores de chaves para automóveis - 2ª parte

Para alguns modelos, pode ser necessário introduzir um "pin" ou código para programar novas chaves, cabendo ao utilizador obter a informação necessária, sendo ainda possível remover do sistema chaves perdidas ou avariadas, para que, no primeiro caso, não possam ser indevidamente utilizadas, evitando assim riscos desnecessários.

Também é de notar que este tipo de equipamento se destina unicamente a programar chaves, não serve para aceder a diagnósticos ou efectuar testes que vão para além do sistema de alarme e imobilização, sendo que, caso se pretenda alargar as possibilidades, terão que ser equacionadas outras possibilidades, sendo a mais adequada a de um equipamento complementar, já que este conjunto de funcionalidades integrado num único dispositivo pode ser francamente dispendioso.

O modelo que consta das fotos tem um preço, com portes, que ronda os 85 Euros, incluindo-se no conjunto, para além do equipamento, o cabo de ligação ao veículo, um transformador para programação ligado a um computador e o manual de operação em suporte digital, sendo quase certo que o preço final será superior dado a quase inevitabilidade do pagamento de direitos alfandegários.

No entanto, mesmo que se possa falar de perto de 110 Euros, caso seja compatível com o veículo pretendido, este será um investimento a ter em conta, sobretudo se poder ser rentabilizado prestando pequenos serviços, mas devemos alertar que, para muitos proprietários de Land Rover, a solução encontra-se nos equipamentos específicos para veículos da marca, como as Nanocom, facto que resulta de uma menor compatibilidade com protocolos universais.

quarta-feira, agosto 22, 2018

O "estado de necessidade" ou a necessidade do Estado - 2ª parte

Surge aqui o facto de o incêndio ter decorrido numa zona referenciada como sendo de risco, onde o Governo, por ter conhecimento deste perigo, ter o dever de, conjuntamente com entidades locais, adoptar medidas preventivas numa extensão muito superior às que foram realizadas até ao início da ocorrência.

Tendo conhecimento do risco, da sua própria responsabilidade e da possibilidade de o combate ter pouco sucesso face ao conjunto de factores que se verificavam no início do incêndio, a opção foi pelo controle de danos políticos, mesmo que disso possa resultar uma maior extensão da área ardida, recorrendo ao valor supremo da vida humana como justificação para uma táctica no mínimo duvidosa.

Em termos gerais, se sempre que exista um fogo de maiores dimensões se evacuassem as populações da zona potencialmente afectada, dificilmente haveria vítimas, mas a devastação seria de tal ordem que a sustentabilidade dos residentes ficaria seriamente comprometida, com tudo o que tal implica na sua qualidade de vida e mesmo na sua longevidade, face ao tipo de consequências aos vários níveis que se podem esperar e, efectivamente, prever.

As evacuações em massa, por vezes de forma desordenada e abrangendo quem pode contribuir para a defesa de uma povoação e quem, pela idade ou estado de saúde, deve ser protegido, o envio de evacuados, sem escolta, por estradas que estes desconhecem, ou operações tardias, em que o risco de partir pode ser superior ao de ficar, são apenas alguns dos problemas relatados e que, esperamos, serão averiguados na altura certa, merecendo um estudo detalhado por ter sido a primeira vez que este tipo de opção foi concretizada de forma generalizada.

terça-feira, agosto 21, 2018

Land Rover Owners de Setembro de 2018 já nas bancas

Com algum atraso, eventualmente devido às férias, chegou aos locais de venda habituais a edição de Setembro de 2018 da Land Rover Owners International, com o destaque da capa a ir para um Defender "crew cab", habitualmente "double cab" para os britânicos, que foi inteiramente recuperada e equipada e debita actualmente 200 cavalos, transformando-a num dos mais interessantes exemplares deste modelo.

O raríssimo Minerva blindado, destinado a uso militar, a reconstrução de um Serie IIB "Forward Control", a recuperação do célebre Defender "Tomb Raider", são igualmente motivos de interesse, tal como o são as expedições em Inglaterra, merecendo destaque a de um Discovery em Omã, onde operaram as forças especiais britânicas, e cujos locais de combate são revisitados.

Um guia de aquisição dos Freelander Td4, de acordo com o mercado britânico, mas com conselhos aplicáveis em toda a parte, os melhoramentos no conhecido IRD deste modelo, o restauro e utilização de um Defender "pick up", são igualmente interessantes e contribuem para uma maior abrangência deste número.

Entre o conjunto de artigos técnicos encontra-se a reconstrução do motor de arranque dos Td5, uma operação que tende a ser necessária ao longo da vida destes modelos, a divulgação de actividades de diversos clubes, a apresentação de novos productos, a que acresce uma extensa publicidade e o teste prolongado a produtos há mais tempo no mercado, complementam mais um número desta popular publicação.

segunda-feira, agosto 20, 2018

O "estado de necessidade" ou a necessidade do Estado - 1ª parte

Nos incêndios de Monchique a evacuação das populações consideradas em risco, foi efectuada, por vezes de forma compulsiva, sob a alegação da existência de um "estado de necessidade", que veio a justificar um conjunto de acções e formas de actuação que continuam a gerar polémica.

Sendo a vida um bem jurídico, caso esta esteja em perigo, as autoridades são obrigadas a agir, independentemente da vontade de quem esteja em risco e mesmo que tal não represente um perigo para outros, pelo que a opção por salvar vidas recorrendo a meios coercivos não representa uma ilegalidade, estando prevista na legislação em vigor.

Mesmo a entrada em habitações sem autorização, ou mesmo contra a vontade dos proprietários ou residentes, e a sua retirada conta vontade é, neste contexto, legal, pelo que, exceptuando possíveis exageros no uso da força que, numa situação deste tipo, terá forçosamente de se entender, ficando apenas em aberto a forma como foi determinado se tal era realmente necessário e inevitável, de modo a que fique ao abrigo do actual enquadramento legal.

Naturalmente, estão excluídas situações de previsibilidade ou que se sabia virem a suceder, contra as quais não foram adoptadas as medidas necessárias, e que, naturalmente merecem uma análise diferente, sendo exemplo invadir um terreno alheio com um poço para suprir a ausência de uma reserva de água em época de seca, quando tudo, mesmo o senso comum, seria o suficiente para tomar medidas adequadas como forma de prevenir algo razoavelmente previsível.

domingo, agosto 19, 2018

Programadores de chaves para automóveis - 1ª parte

A esmagadora maioria dos veículos recentes possui sistemas de chaves codificadas, ligadas a um alarme ou imobilizador, e a sua substituição pode ser dispendiosa, sendo frequente atingir valores na ordem das centenas de Euros, do que resulta a tentação de adquirir um equipamento que permita a sua programação, cujo preço pode ficar perto dos 100 Euros, o que, acrescendo ao facto de poder ser utilizado em novas situações, surge como um investimento lógico.

Na verdade, o problema pode ser bastante mais complexo, dependendo do modelo de veículo e do equipamento selecionado para o efeito, a que acresce a necessidade de adquirir as chaves por codificar e possuir os conhecimentos para efectuar uma operação que, sendo simples, pode correr mal, sobretudo em função do equipamento utilizado, podendo, no limite, bloquear o sistema de alarme e imobilização do veículo, obrigando ao seu reboque para uma oficina especializada.

Não havendo soluções realmente universais a preço acessível, é obrigatório verificar cuidadosamente se o equipamento a utilizar é compatível com o veículo, o que implica não apenas ser o modelo exacto, mas do ano e da versão correcta, lembrando que um modelo com a mesma designação, e mesmo aparentemente igual, comercializado em países ou continentes diferentes pode ter sistemas completamente distintos a nível de electrónica.

Os sistemas de programação devem, igualmente, permitir uma actualização do "software" interno, sem o que deixarão de ser compatíveis com os novos veículos e eventuais erros presentes não poderão ser corrigidos, sendo ainda de equacionar a possibilidade de selecionar um modelo com diferentes tipos de conectores, já que a típica ficha OBD2 não é universal em termos físicos.

sábado, agosto 18, 2018

Bolsas anti RFID - 2ª parte

Outra solução, que será a mais adequada em termos práticos, é recorrer a uma das inúmeras bolsas destinadas a evitar a propagação do sinal RFID, algumas das quais disponíveis por preços muito baixos, que rondam os 2 a 3 Euros, e podem ser facilmente transportadas num bolso ou guardadas em casa, sendo este um pequeno investimento a ter em conta.

Exemplos destas bolsas, sejam rígidas, em alumínio, com perto de 11 por 7 centímetros, o suficiente para cartões de crédito, normalmente com divisões internas, ou flexíveis, podendo alojar chaves ou mesmo um telemóvel, com modelos mais sofisticados a disponibilizarem espaços para diversos tipos de objectos, protegendo-os a todos.

No caso dos telemóveis, são bloqueados os vários tipos de sinal, cortando as comunicações via rede móvel, mas também o "wifi", "bluetooth", NFC, recepção de GPS, pelo que o portador fica virtualmente incontactável, devendo esta opção ser equacionada com cuidado, tais as implicações que acarreta.

Muitos dos modelos são essencialmente idênticos aos de bolsas convencionais, com o exterior nos mais diversos materias e com formatos distintos, pelo que visivelmente impossíveis de distinguir, e os respectivos preços em pouco excedem os praticador pelas que não oferecem o mesmo tipo de protecção, sendo uma opção a ter em conta para todos os que usam equipamentos RFID e pretendem evitar clonagens.

sexta-feira, agosto 17, 2018

Monchique 2003-2018 - 5ª parte

Sem alterações estruturais, o incêndio de 2018 não passa de um segundo "round" do incêndio de 2013, com alguns combates de menor relevo pelo meio, e outros "rounds" se seguirão caso após esta tragédia se permita que tudo continue na mesma, repetindo erros sucessivos que, inevitavelmente, em condições semelhantes, terão as mesmas consequências.

Repetir erros esperando que o resultado seja diferente é algo que nem vale a pena qualificar, sob pena de nos vermos forçados a utilizar expressões pouco adequadas a um uso em público, mas a impunidade que se vive entre nós, a falta de responsabilização política e mesmo civil ou criminal, quando aplicável, permite que este tipo de situações se mantenha em toda a extensão do território nacional.

Repetir erros esperando que o resultado seja diferente é algo que nem vale a pena qualificar, sob pena de nos vermos forçados a utilizar expressões pouco adequadas a um uso em público, mas a impunidade que se vive entre nós, a falta de responsabilização política e mesmo civil ou criminal, quando aplicável, permite que este tipo de situações se mantenha em toda a extensão do território nacional.

Até à data, este foi o maior incêndio que ocorreu este ano na Europa e não será pela ausência de perda de vidas humanas que alguém tem o direito de se orgulhar por uma vitória que não existiu, podendo apenas manifestar alguma resignação face ao controle de danos que, quando é a única opção, aliás inerente ao combate, é sempre consubstaciada numa derrota com maior ou menor extensão.

quinta-feira, agosto 16, 2018

Bolsas anti RFID - 1ª parte

Um cada vez maior número de veículos possui um sistema de acesso por rádio-frequência, dispensando a chave física, do que, para além de um maior conforto e simplicidade de utilização, decorre o perigo de o sinal ser interceptado, permitindo a sua clonagem e a reprodução das suas funções, nomeadamente abrir e por em funcionamento a viatura.

As chaves deste tipo de veículo emitem continuamente um sinal que pode ser interceptado por quem disponha de um equipamento apropriado e se encontre nas proximidades, para o que um amplificador e receptor de sinal e um computador serão necessários, pelo que alguém nas proximidades da residência de quem use este tipo de chaves e possua o material necessário pode, posteriormente, tentar furtar a viatura.

É de notar que dispositivos emissores não são apenas destinados a veículos, havendo versões destinadas a outros fins, como a abertura de portas ou outros acessos, estes normalmente com o formato de um cartão de crédito, e que muitas empresas distribuem aos seus funcionários, por vezes sem os advertir dos perigos decorrentes do seu uso ou simples transporte.

Existem diversas formas de abafar o sinal emitido, alguns dos quais bastante simples, como a colocação do emissor no congelador, o que terá consequências para a bateria, no micro-ondas, sendo de ter o cuidado de não o ligar sem retirar as chaves do interior, ou de o envolver em papel de alumínio, do tipo usado para embrulhar alimentos, o que virtualmente evita a emissão, impedindo a duplicação.

quarta-feira, agosto 15, 2018

Monchique 2003-2018 - 4ª parte

Também a forma como as entidades oficiais se dirigem às populações, não raramente anunciando sucessos, ou induzindo as populações a acreditar nestes quando ainda podem estar longe de se concretizar, e durante o processo acarretar situações particularmente graves, a ausência do primeiro-ministro, que opta por se manter afastado, não interrompendo as férias ou o remeter para responsáveis políticos de segunda linha o anúncio de más notícias, são tudo menos benéficos, contribuindo para a desconfiança na tutela política.

Sendo cedo para analizar o comando e coordenação das operações no terreno, onde a presença do comandante Vaz Pinto, anteriormente substituído como consequência do seu desempenho nos fogos de 2013, na serra do Caldeirão, teve papel essencial, temos que reconhecer que existem muitas dúvidas quanto à forma como foi orientado o combate, sendo absolutamente essencial que estas sejam prontamente esclarecidas.

A forma como os meios de socorro actuaram em Monchique, em consequência das orientações recebidas, e portanto excluindo a responsabilidade dos operacionais, tem sido criticada e o facto de o comando transitar do nível distrital para o nacional, independentemente das justificações, indicia que haveria falhas reconhecidas pela hierarquia o que, no fundo, seria a confirmação das declarações de diversos operacionais e da sensação geral.

Com o tempo serão feitas as contas aos prejuízos, que incluem numerosas casas e edificações, veículos, uma extensa mancha florestal e de produção agrícola, sendo sempre difícil de calcular a sua projecção no futuro, pela perda de rendimentos directos e indirectos numa zona onde o turismo é relevante e que, nos próximos anos, pode ser bastante afectado pela destruição resultante destes fogos.

terça-feira, agosto 14, 2018

Multímetros no EBay

Se há um equipamento que todos quantos efectuam pequenas reparações que envolvam electricidade, ou que pretendam alguma recolher informações antes de solicitarem um serviço nessa área, é um multímetro digital, que pode ser utilizado em múltiplas situações, seja em casa, seja num veículo, podendo prevenir problemas sérios ou custos injustificáveis.

O modelo que propomos, a título de exemplo, tem capacidade para medir voltagens AC e DC, corrent DC, resistência, continuidade, díodos e transistores, possui protecção para sobre cargas, sendo suficientemente resistente para a maioria das situações, em parte devido à protecção em borracha amovível, podendo ficar apoiado na base rebatível, o que facilita o uso e ajuste de funções, realizado através de um "switch" rotativo de 20 posições.

Este modelo concreto pode medir voltagens DC 200mV, 2V, 20V, 200V e 600V, com margem de erro de 0.5%, corrente DC 200microA, 2mA, 20mA, 200mA e 10A, com margem de erro de 1.0%, resistencia, em Ohms de 200, 2k, 20k, 200k e 2M, com erro máximo de 1%, medição de tríodos e díodos, ou verificação de continuídade, pelo que abranger a maioria das situações para as quais um equipamento deste tipo é necessário.

Construído em plástico preto, o écran LCD iluminado tem 45 x 20 milímetros e suporta numeração até 1999, as dimensões totais são 135 x 65 x 30 milímetros, necessitando de uma bateria 6F22 de 9V para operação, tem um preço abaixo dos 5 Euros, incluindo o manual de operação, o que corresponde a perto de um terço do valor de um modelo equivalente adquirido entre nós.

segunda-feira, agosto 13, 2018

Monchique 2003-2018 - 3ª parte

A ausência de populações tem outra consequência, nomeadamente a nível de reacendimentos, sendo de esperar que, sem que os habitantes locais os controlem e com os operacionais deslocados para frentes de fogo activas, a probabilidade de estes darem origem a incêndios de alguma gravidade aumenta, criando situações complexas e obrigando a novas movimentações de meios que seriam necessários noutros locais.

Sem a orientação das populações locais, já que os bombeiros locais estarão empenhados no combate dificilmente reforços provenientes de outros concelhos, por vezes habituados a uma orografia completamente diferente, poderão operar eficazmente, sobretudo durante a noite, sem que disso decorra um risco inaceitável, pelo que a janela de oportunidade que resulta de condições climatéricas mais favoráveis se perde face à diminuição das acções.

No entanto, estas alterações não implicam uma maior confiança nas autoridades, sendo manifesto que a desconfiança decorrente do ano anterior se mantém, patente na inversão de trânsito numa auto-estrada, face a uma situação controlada, ou a obstrução à evacuação, com as vítimas mais graves a ocorrer durante uma fuga, possivelmente como resultado de pânico e da falta de conhecimento do terreno.

Aliás, a forma como o Estado, através das diversas entidades envolvidas tem abordado a questão dos incêndios, seja por estarem envolvidas em polémicas, como no apoio às vítimas dos incêndios do anos passado, seja em contradições, perseguindo os proprietários que não limpam os terrenos, por vezes por falta de recursos, enquanto a vegetação chega às estradas, propriedade do próprio Estado, que também não limpa adequadamente os seus terrenos, dificilmente inspira confiança às populações.

domingo, agosto 12, 2018

Descarga de documentos do Scribd

Provavelmente mais conhecido que o Issuu, o Scribd é uma plataforma que funciona de forma muito semelhante, destinando-se à partilha ou auto-publicação de textos, sendo um dos mais importantes repositórios de publicações, algumas oficiais, disponibilizadas total ou parcialmente pelos autores ou editores, enquanto outras são carregadas por utilizadores comuns.

No Scribd é possível encontrar desde obras completas, algumas de autores conceituados, livros técnicos, publicações temáticas, revistas, recentes ou antigas, para além de muitos inéditos, compondo uma das maiores bibliotecas virtuais da actualidade a que acresce um sistema de carregamento de textos por parte dos utilizadores, que pode funcionar como moeda de troca para descarregar outros documentos.

Estão presentes as habituais funcionalidades de pesquisa ou visualização "on line", mas a descarga, dependendo do documento, pode ser proíbida ou paga, sendo esta última possibilidade a fonte de receitas do Scribd, que vende assinaturas que permitem um acesso muito mais amplo e um conjunto de funcionalidades mais abrangentes.

O "Docdownloader" é um utilitário "on-line" que permite descarregar documentos do Scribd, independentemente do facto de ter ou não activo o botão "download", de muito fácil utilização, bastando adicionar a ligação original, mas que, pela experiência que temos, revela-se algo lento em termos de desempenho, o que dificulta uma utilização com alguma intensidade.

sábado, agosto 11, 2018

Publicações disponíveis no Issuu

Destinado sobretudo a publicações independentes, ou mesmo a algumas revistas, que aqui encontram uma plataforma para divulgação, o Issuu possui também uma enorme variedade de livros e documentos que abrangem os mais diversos temas, incluindo muitas obras conhecidas e intemporais.

Com um sistema de visualização no próprio "site", com um conjunto de funcionalidades que permite uma leitura fácil e que, no seu essencial, corresponde a um leitor de PDF, onde funções como o "zoom", a mudança de páginas ou a pesquisa facilitam a leitura, o Issuu é um repositório onde a flexibilidade de consulta grátis merece destaque.

Nem todas as publicações estão acessíveis na sua integra, seja por opção de quem as publica, seja porque foram digitalizadas de forma incompleta, e muitas não podem ser descarregadas de forma directa, muito embora estejam disponíveis utilitários para o fazer, sendo patente que a qualidade das publicações presentes varia substancialmente, encontrando-se desde o formato digital original a digitalizações feitas com pouco cuidade, algumas das quais resultando na ilegibilidade do documento.

Infelizmente, sem controlo de qualidade e um sistema de apreciação, várias vezes se acede a uma publicação, verificando posteriormente que é virtualmente inútil, mas o facto é que, mesmo com estes problemas, o Issuu inclui um conjunto muito extenso de publicações, para cujo acesso completo é necessário efectuar um registo rápido, justificando-se bem a consulta deste "site" sempre que se procure um documento na Internet.

sexta-feira, agosto 10, 2018

Estado falha controle accionista do SIRESP - 3ª parte

Desta forma, a actual estrutura accionista, Altice, Estado e Motorola, representa em sí um entrave ao melhoramento do sistema ou à sua completa substituição por uma plataforma baseada nas tecnlogias mais recentes, implementando um conjunto de funcionalidades a que todos estamos habituados nos nossos terminais inteligentes e que, infelizmente, os modelos adoptados pelo SIRESP, na sua configuração actual, não suportam.

É de notar que, quase certamente, nenhum de nós aceitaria contratualizar um serviço com o conjunto de funcionalidades prometidas pelo SIRESP, e que, efectivamente, não estão presentes numa situação de crise, sem que tal tenha as implicações proporcionais ao prejuízo causado, como resultado de uma contratação que coloca o Estado numa situação de flagrante desvantagem, enquanto remunera de forma régia os privados, que obtêm uma rentabilidade muito superior ao que se pode considerar justo, mesmo em caso de funcionamento exemplar e com todas as funcionalidades necessárias.

Tendo em conta o desempenho geral do SIRESP, com todas as limitações existentes e que resultam da sua concepção e estrutura, o investimento nesta solução parece-nos inadequado, semelhante ao que seria continuar a gastar dinheiro num automóvel dos anos noventa e esperando que, caso se gastasse o suficiente, pudesse competir com os modelos actuais, algo que, diz-nos a experiência e o bom senso, nunca poderá acontecer.

Desde o seu início que o SIRESP se encontra envolto em polémicas, que abrangem toda a vertente contratual e legal, para além do seu desempenho, sempre associado a um conjunto de protagonistas, alguns dos quais ainda permanecem na vida política, e que, para além de não contribuirem para a resolução deste problema, não são responsabilizados pelos prejuizos causados e que, prevemos, se continuem a avolumar, dado o eternizar deste longo processo.

quinta-feira, agosto 09, 2018

Monchique 2003-2018 - 2ª parte

Apesar das dificuldades no combate, e estas, tal como em anos anteriores, devem-se, em grande parte, a um cenário demasiado problemático, com uma vegetação desordenada, uma enorme carga térmica ou dificuldades de acesso, a que acrescem condições climatéricas adversas, existem melhorias, sobretudo na protecção das populações, o que denota uma alteração a nível dos procedimentos e, eventualmente, das mentalidades.

Um factor de relevo é a opção de evacuar as populações em risco, actual ou previsível, com a antecedência que permita uma evacuação em segurança e alojamento temporário em local seguro, num esforço destinado a evitar as perdas de vidas humanas de forma semelhante ao sucedido no ano anterior.

O envio de mensagens de alerta, via SMS, de forma preventiva, alertando todos quantos residem em distritos de maior risco para que estejam alerta a novas informações e possam agir em conformidade, foi outra melhoria a salientar, esperando-se que o tipo de alerta evolua em termos informativos, com aviso para situações concretas e indicações a seguir ou entidades a contactar em caso de evolução desfavorável da situação.

O evacuar as populações significa que o apoio que estas dão durante o combate, seja na sua auto-defesa, seja na colaboração ou no apoio que prestam, deixa de existir, sendo possível que desta opção resulte a perda de algumas casas ou outras estruturas e bens, que deixam de ser defendidos pelos proprietários ou pelas comunidades, sendo óbvia a escolha de proteger a vida em detrimento de tudo o resto.

quarta-feira, agosto 08, 2018

Princesinho, oito anos depois

Passam oito anos sobre a partida do Princesinho, o pequeno filhote da Princesinha que tanto marcou todos aqueles que com ele conviveram, e que foi, talvez, o exemplo mais interessante de convívio com quem sempre lutou por um equilíbrio entre a vida de um gato autónomo e um membro de uma família, no que seria o melhor de dois mundos.

A aproximação do Princesinho foi tão rápida quanto inesperada, sobretudo pela ausência de contacto humano directo anterior, tendo, depois de uma refeição, decidido que queria uma festinha e um pouco de colo, demonstrando assim a sua afeição e reconhecimento por quem, desde o seu nascimento, contribuia para a sua alimentação e bem estar.

Após o contacto inicial, e sem acesso à moradia onde tinha nascido e que então se encontrava em obras, a mudança de residência foi imediata, estabelecendo horários muito próprios, que aparentavam um quase horário de trabalho, costumando sair pouco antes da meia noite e estando de regresso oito horas depois, altura em que se deitava na cama, pronto para uma longa soneca que se iniciava encostada ao seu "familiar" directo.

Não obstante a sua curta vida, e ainda menor período de convívio, o Princesinho continua a ser uma recordação muito viva e permanente, e aquele Sábado de 2010, pouco depois da hora de almoço, a ser lembrado com uma imensa tristeza, face ao desfecho de uma longa luta que, infelizmente, se sabia qual o resultado inevitável, sem que isso tenha, de algum modo, diminuido a intensidade da vida de um pequeno e extraordinário companheiro.