sábado, janeiro 12, 2013

Coldre para câmara fotográfica - 3ª parte

Image Hosted by Google Um modelo profissional de coldre para câmara

Também as correias adicionais, uma delas sobre o ombro do lado oposto ao do coldre, que ajudam a sustentar melhor o cinto e distribuir o peso de forma mais eficaz, bem como aquela que se destina à câmara, contribuem para um uso mais prático e seguro, dando uma segurança extra em termos de prevenção de quedas.

Apesar de prático, transportar uma câmara desta forma, ou de outra sempre que fora de um estojo ou saco adequado, implica alguns cuidados, recomendando-se protegê-las sempre que possível, recorrendo, por exemplo, a protectores de écran e, quando disponível, a um revestimento em silicone, que existe para diversos modelos.

Também será recomendável proteger a objectiva e um parasol em borracha pode ajudar a proteger a extremidade, complementando a tampa, que neste tipo de situação deve estar presente até ao momento em que se preveja o uso da máquina.

Para além dos sistemas de transporte que mencionamos, existem ainda os arneses, que constam, essencialmente, de um conjunto de correias que permitem transportar uma ou duas câmara penduradas frontal ou lateralmente, sempre um pouco soltas, algo que nos faz preterir o arnês a favor do coldre, o qual alia uma maior segurança a uma boa disponibilidade no acesso ao equipamento.

sexta-feira, janeiro 11, 2013

Land Rover Owners de Fevereiro de 2013 já nas bancas

Image Hosted by Google A capa da LRO de Fevereiro de 2013

Com algum atraso face aos prazos habituais, sem dúvida devido a esta época festiva que atravessamos, chegou aos pontos de venda habituais o número referente a Fevereiro de 2013 da Land Rover Owners, com o destaque a ir para as 10 experiências mais emocionantes a viver dentro de um Land Rover.

No entanto, para um português, será o artigo sobre excursões no interior do País, nomeadamente nas Beiras, que se desenvolve ao longo de sete páginas, descrevendo um percurso que passa pela Serra da Estrela, vai até ao Litoral, incluindo Figueira da Foz e Aveiro e retorna ao interior que merece a nossa preferência.

Também é de interesse o extenso artigo sobre alguns dos Land Rover usados no "Camel Trophy", sobre veículos modificados, entre eles um Defender 130 e um Discovery "pick up", bem como alguns dos artigos técnicos, alguns sobre temas tão úteis como a adição de faróis suplementares.

No total, são 228 páginas, muitas delas com publicidade que também serve de catálogo ou como anúncio de produtos, que merecem a pena ser lidas, contendo um vasto conjunto de informações úteis, sem esquecer a vertente lúdica que também é inerente aos Land Rover.

Coldre para câmara fotográfica - 2ª parte

Image Hosted by Google Um modelo profissional de coldre para câmara

Este tipo de coldre pode ser fornecido por diversos fabricantes, sendo os menos dispendiosos os da "Good Partner", de origem chinesa, que pesam 120 gramas e suportam até 20 quilos de peso, sendo na sua maioria em plástico de alta resistência, com reforços peças em metal, os quais custam perto de uma vintena de Euros, incluindo portes a partir da Ásia.

Outros modelos, bastante mais resistentes, que podem incluir um cinto especificamente construido para este efeito, facilmente atingem o dobro ou mesmo o triplo do preço, mas tal justifica-se com equipamentos que podem custar alguns milhares de Euros.

Um conjunto destes, para além do suporte em metal, inclui uma base almofadada, que serve de resguardo tanto para a câmara como para quem a transporta, evitando que colidam entre sí, bem como um cinto de especificações militares, acrescendo, nos modelos de topo, uma correia extra que prende o conjunto a tiracolo.

Para além da inclusão de peças em metal, que substituem as de plástico, o facto de incluir uma base e não apenas um pino como forma de conexão com a câmara, permite um posicionamento desta de forma completamente diferente, com a objectiva dirigida para trás e não para baixo, ficando assim mais protegida.

quinta-feira, janeiro 10, 2013

Coldre para câmara fotográfica - 1ª parte

Image Hosted by Google Um modelo de coldre para câmara

No seguimento do texto anterior, abordamos agora alguns modelos de coldre para máquinas fotográficas, os quais constituem mais uma alternativa em termos de transporte no grupo que permite uma utilização rápida do equipamento, começando pelos modelos mais habituais.

O conjunto inclui o coldre propriamente dito, um pino terminado com uma roscagem de 1/4", que será fixo na câmara, no mesmo local onde se aparafusa o tripé, sendo apertado com a ajuda de uma chave "allen", também incluida na caixa onde são bem visíveis as instruções.

A utilização é extreamente simples, bastando começar por aparafusar o pino na câmara, apertando com a chave fornecida, e colocar o coldre no cinto, que, obviamente, deverá ser suficientemente resistente e com uma fivela adequada, de preferência com algum tipo de segurança.

Seguidamente, basta deixar deslizar a câmara, de modo a que o pino entre por dentro do coldre, ficando esta segura por um sistema de segurança, que inclui uma pequena alavanca de destravamento, cuja manipulação é necessária para soltar a câmara.

quarta-feira, janeiro 09, 2013

Parafuso de suspensão e mosquetão para câmara - 2ª parte

Image Hosted by Google Um modelo de parafuso de suspensão rebatível

O parafuso de suspensão IS-XG II é feito em aço inoxidável, com roscagem de 1/4" compatível com a maioria das câmaras, numa extensão de 4.5 mm, e inclui uma borracha de protecção, tendo uma resistência capaz de suportar pesos de até 20 quilos, que em muito excedem o de uma máquina fotográfica.

O mosquetão IS-V é feito no mesmo material, com uma dimensão máxima de 20 x 40 mm e 3.9 mm de diâmetro, suportando pesos até aos 10 quilos, com o mosquetão alternativo, que consta da imagem, a apresentar características físicas semelhantes.

O mosquetão pode ser conectado a uma alça, um gancho de fixação ou uma correia, por exemplo, sendo que, mais uma vez, se deve ter em atenção a resistência desta, bem como a amplitude de movimentos permitida, dado que desta pode resultar o perigo de impacto contra um obstáculo que danifique o equipamento.

Como alternativa a este sistema de transporte, existem os coldres que se prendem em cintos, e que, embora também não protejam a câmara, a mantêm mais perto do corpo, o que aumenta a segurança desta, permitindo também o seu uso imediato, o que justifica abordar este tipo de solução muito brevemente.

terça-feira, janeiro 08, 2013

Parafuso de suspensão e mosquetão para câmara - 1ª parte

Image Hosted by Google Um modelo de parafuso de suspensão e mosquetão para câmara

Para além das alças, que serão o sistema mais convencional para transportar uma máquina fotográfica, dado serem quase sempre incluidas no conjunto fornecido pelos fabricantes, estão disponíveis outras alternativas que permitem o transporte em segurança e ao alcance da mão, como os sistemas de suspensão, que normalmente incluem parafusos e mosquetões.

Existem diversos tipos de parafuso para o efeito, sendo que os mais simples, e resistentes, não possuem qualquer peça móvel, enquanto os restantes possuem o sistema de fixação rebatível, ficando mais ajustados ao corpo da máquina quando não se encontram em uso.

No entanto, se por um lado tal é bastante prático, a maioria destes parafusos apenas suporta pesos de até 1 quilo, o que, podendo, aparentemente, ser suficiente, nos parece muito pouco seguro, sobretudo se houver um esticão súbito, que pode mais que duplicar o peso do equipamento.

Se atentarmos que uma máquina fotográfica de médias dimensões, do tipo DSLR, com uma objectiva mais volumosa se aproxima de um quilo, facilmente se conclui que num movimento mais brusco tal pode ser ultrapassado, comprometendo a segurança do equipamento, razão pela qual desaconselhamos este tipo de parafuso a menos que suporte um muito maior peso.
Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin