sábado, janeiro 09, 2010

Meio milhão de visitas


Image Hosted by ImageShack
500.000 visitas !

Acaba por ser um marco, o atingir os 500.000 visitantes neste espaço de reflexão e de troca de informações que criamos no ano de 2005.

Ao atingir este número, queremos agradecer aos nossos amigos e leitores, que nos têm apoiado e incentivado ao longo destes anos e de quase 3.000 posts, nos quais temos vindo a partilhar notícias, ideias, sugestões e os nossos conceitos acerca dos temas que nos propusemos abordar.

A todos, queremos agradecer e esperamos contar connvosco no futuro, esperando que os temas abordados e a forma como o fazemos seja do vosso agrado.

Galileo deverá estar operacional em 2014


Image Hosted by ImageShack
Uma imagem do sistema Galileo

A Comissão Europeia anunciou que três dos seis contratos que permitirão ao sistema de navegação por satélite Galileo foram assinados, prevendo-se que o sistema fique operacional em 2014.

Dentro de semanas os mesmos contratos com a ThalesAleniaSpace, e origem italiana e que irá ser responsável pela manutenção do sistema, com a OHB alemão, encarregue de fornecer 14 satélites e com a Arianespace francesa, que através dos foguetões Ariane enviará os satélites para o espaço, serão formalmente assinados dentro de semanas.

Após um período de estagnação, a assinatura destes contratos permite ao Galileo sair de uma longa fase crítica e voltar a avançar, sendo agora previsto para 2014 que o sistema possa estar operacional.

Obviamente, ainda faltam muitos passos para que o sistema esteja completo e a sua viabilidade comercial assegurada, sem o que, para além das vantagens de um sistema autónomo, o Galileo poderá ser mais um encargo a suportar pelos europeus, enquanto continuam a usar os mesmos receptores de GPS e usar o sistema americano que, após ser removido o factor de erro, serve a esmagadora maioria das aplicações.

sexta-feira, janeiro 08, 2010

Rádio e antena montados no Defender - 1ª parte


Image Hosted by ImageShack
O rádio Excel montado no Defender

Estão finalmente instalados no nosso Land Rover Defender 90 o rádio Midland e a antena e respectivo suporte que adquirimos em Inglaterra através do EBay.

A instalação do rádio implica essencialmente duas ligações, sendo uma eléctrica, a partir da caixa de fusíveis, sendo esta uma das soluções possíveis, podendo-se optar igualmente por ligá-lo directamente à bateria, o que facilita a instalação, mas não garante qualquer protecção contra sobrecargas.

É possível ligar o rádio de modo a que possa ser ligado mesmo quando o veículo está desligado, algo que pode ser interessante em caso de urgência, ou, tal como acontece com outros equipamentos eléctricos, quando a chave se encontra na posição "2", o que evita que um esquecimento deixe o rádio ligado, consumindo a bateria.

Ambas as opções têm, obviamente, vantagens e desvantagens, sendo de equacionar ambas, tendo em conta o consumo do rádio e a possibilidade de descarregar a bateria em caso de uso intenso com o veículo parado ou por distração, e a eventual necessidade de o operar com o motor e circuito eléctrico desligado.

quinta-feira, janeiro 07, 2010

Cadeado no pino de reboque - 2ª parte


Image Hosted by Imageshack
Cadeado no pino de reboque

Existem diversos modelos de cadeado, desde o modelo convencional, como o que adquirimos por menos de um euro, aos mais sofisticados e que são praticamente impossíveis de destruir devido ao corpo que envolve o pino de segurança, com preços que rondam os três a quatro euros.

O uso de um cadeado é recomendável sobretudo em situações em que o reboque fique atrelado sem supervisão, dado que em situações normais, em trânsito, um simples "clip" será mais fácil de utilizar e quando fora de uso, o ideal é guardar o pino no interior do veículo, em local seguro.

A nossa opção foi no sentido do cadeado mais barato, adquirido numa loja de artigos de baixo preço, que permite manter o pino no local, sempre que necessário, sem grandes preocupações, mas aconselhamos que, sempre que não esteja em uso, este seja transportado no interior do veículo, evitando tentações e problemas com as autoridades.

Exitem inúmeras soluções, mas aconselhamos a nunca deixar o pino no exterior caso não esteja em uso ou a sua necessidade seja previsível para breve e, menos ainda, deixá-lo num local público sem que esteja devidamente vigiado.

Google apresenta Nexus One


Image Hosted by Imageshack
O novo Nexus One da Google

O Google apresentou o seu novo "smartphone", um autêntico super telefone inteligente, com uma capacidade que o aproxima de muitos "netbooks", dando assim um novo significado á portabilidade.

O Nexus One tem um processador de 1GHz Qualcomm Snapdragon, um ecrã táctil de 3.7 polegadas, uma câmara de 5 megapixels com goelocalização e memória base de 4 Gb, expansível até 32.

Este equipamento pesa apenas 130 gramas, e tem uma espessura de 11.5 milímetros, sendo baseado no sistema operativo "Android", sobre o qual correm deiversas aplicações, como o Google Maps Navigation, uma aplicação baseada na cartografia disponibilizada pelo Google e que permite orientação de navegação por voz.

Nos Estados Unidos, o Nexus One custa 529 dólares, desbloqueado, mas pode ser adquirido a partir de 179 dólares com um contrato com a operadora T-Mobile, sendo a Vodafone o operador escolhido para a Europa.

quarta-feira, janeiro 06, 2010

Efeitos do mau tempo agravado pela intervenção humana - 2ª parte


Image Hosted by Imageshack
Inundações em Portugal

Agrava a situação a contingência financeira que impede a existência de redundância no fornecimento eléctrico em zonas rurais, algumas das quais permaneceram sem energia durante mais de uma semana, com as consequência que se podem imaginar para a vida das populações.

A falta de energia e de estradas transitáveis, que se pode extender por alguns dias, nalguns casos perto de uma semana, não apenas atrasa trabalhos de recuperação ou reconstrução, mas contribui para uma maior degradação dos bens atingidos e, inevitavelmente, para a perda total de alguns.

Acresce o desgaste provocado nas populações, que necessitam não apenas de recuperar rapidamente aquilo que perderam, mas de iniciar os trabalhos tão rapidamente quanto possível, única forma de evitar um prolongar doloroso da sensação de perda e de abandono e o desânimo que tal provoca.

A lentidão na reposição de um conjunto de condições essenciais, que alguns comentadores consideram normais e dentro dos padrões internacionais, tem sido demasiado lenta face ao tipo de calamidade natural, incomparavelmente menos grave do que as que resultam em demoras idênticas noutros países, e menoriza não apenas as perdas materiais, mas o efeito global que um longo período de desgaste psicológico tem sobre quem viu parte dos seus haveres desaparecer.

terça-feira, janeiro 05, 2010

Linha 112 com avaria em Vila Real


Image Hosted by Imageshack
Ambulância do INEM

As condições atmosféricas, nomeadamente uma forte trovoada, poderá ser responsável pela avaria da linha de emergência 112 no distrito de Vila Real, obrigando as chamadas a serem reencaminhadas para o número da rede fixa 259330240.

Esta situação implica que os agentes policiais têm que registar os dados manualmente e depois retransmití-los por telemóvel para o Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) do Porto, situação que implica demoras e a possibilidade acrescida de erros.

Não obstante a intervenção técnica ter começado poucas horas após a avaria, facto de realçar numa noite de passagem de ano, foram vários os casos em que houve a necessidade de usar o sistema alternativo que descrevemos, situação agravada por a noite de fim de ano ser propensa a acidentes e implicar um aumento do número de intervenções.

O problema aumenta na medida em que as comunicações fixas, ainda utilizadas por numerosos habitantes, sobretudo os mais idosos, demonstram ser igualmente vulneráveis e pelo facto de, como resultado do encerramento de diversos serviços de atendimento permanente, o tempo de evacuação de vítimas ter aumentado substancialmente.

A alternativa criada ao encerramento de serviços permanentes baseia-se em comunicações eficazes e deslocações rápidas, sendo manifesto que ambas são extremamente vulneráveis às condições atmosféricas, podendo, em zonas mais remotas do Interior, comprometer um socorro eficaz.

segunda-feira, janeiro 04, 2010

Cadeado no pino de reboque - 1ª parte


Image Hosted by Imageshack
Um pino de reboque

A maioria dos pinos de reboque possui na sua parte interior um sistema de retenção, que pode ser uma rosca, onde é aplicada uma porca, ou um furo, no qual é introduzido um "clip".

Se qualquer destes sistemas impede que o pino salte quando se verifica um salto ou uma condição que provoque a sua deslocação para cima, quando aos "amigos do alheio" oferecem fraca ou nenhuma segurança.

Optamos por adicionar ao pino do Defender um aro em borracha, de modo a reduzir um pouco o ruido quando este bate no suporte, podendo-se ainda, entre este anel e colocar uma pequena mola, que contribuirá para manter estável o pino.

Em vez do "clip", a opção foi por um simples cadeado de 30 mm, que oferece maior dissuação e obriga a um esforço adicional caso alguém pretenda levar o pino, peça que, sendo da maior simplicidade, não deixa de ser dispendiosa.

Mortes contabilizadas até 30 dias após acidentes rodoviários - 2ª parte


Image Hosted by Imageshack
Um acidente rodoviário em Portugal

O seguimento destas vítimas também irá permitir ao Ministério Público, bem como às autoridades policiais, agirem mais facilmente em conformidade com o efeito que um acidente tem nas vítimas, embora tal dependa também da capacidade de seguimento e informação prestada pelos hospitais onde se verifiquem os óbitos.

Naturalmente que desta alteração legislativa, caso devidamente implementada, decorrerá um aumento do número de vítimas, mas esta só será rigorosa caso exista um registo nominal adequado e externamente verificável, de modo a que familiares destas possam consultá-lo e mesmo solicitar alterações, caso verifiquem alguma falha.

O cruzamento de dados com os das forças de segurança ou de quem promove a evacuação das vítimas e um registo hospitalar, para o que é necessário a existências de ferramentas e de uma base de dados partilhada, trará algum rigor a um conjunto de dados que sabemos descreverem incorrectamente a realidade, pecando por defeito.

Portugal segue assim, com evidente atraso, uma prática comum na maioria dos países europeus, mas não basta legislar, é necessário atribuir os meios para que o novo método, mais exacto e complexo do que o anterior, seja rigoroso e que dos resultados obtidos se extraiam as devidas elações, as quais podem implicar rever os números publicados em anos anteriores, caso estes se afastem substancialmente da realidade.

domingo, janeiro 03, 2010

Descodificada a encriptação que protege comunicações móveis - 2ª parte


Image Hosted by Imageshack
Um telemóvel GSM Samsung

Obviamente, caso os algoritmos sejam revelados, assitiremos ao fim de uma era a nível de comunicações móveis, com a segurança das comunicações comprometidas e a perda de confiança dos utilizadores nos sistemas em uso e nos próprios operadores.

Nas mãos erradas, a possibilidade de interceptar comunicações teria um efeito devastador, mais grave ainda, a nível do caos generalizado, caso os métodos fossem detalhados e expostos publicamente, podendo resultar não apenas numa situação da maior gravidade em termos de comunicações, mas também a nível económico e financeiro, com a possibilidade de falência de diversos fabricantes, operadores e empresas do ramo.

No entanto, o algoritmo A5/1, com mais de uma vintena de anos, há muito devia ter sido substituido, de forma progressiva, aumentando a segurança da rede móvel, mas obviamente os fabricantes preferiram não investir nesta área e optaram por manter em uso uma encriptação originária dos anos 80.

Sendo preocupante, a descodificação desta encriptação acaba por ser um estímulo, aparentemente necessário, para que o nível de segurança das comunicações móveis aumente, pelo que devemos estar gratos por ter sido um cientísta e não um "hacker" a dar este passo, de modo a que possa haver uma revisão atempada dos sistemas de segurança em vez do caos que decorreria da sua exposição pública.
Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin