sábado, fevereiro 11, 2006

Seguradoras vão pagar danos mesmo em situação de calamidade pública


Image Hosted by Imageshack
Site da Associação Portuguesa de Seguradores

O Governo constantes dos contratos de seguro que quer acabar com todas as cláusulasexcluem a responsabilidade das seguradoras em situações de calamidade pública, sendo que esta alteração consta da nova Lei de Bases da Protecção Civil, aprovada 6ª feira passada no Parlamento.

"Decreta-se a nulidade das cláusulas em contratos que excluam a responsabilidade das seguradoras em resultado da declaração da situação de calamidade pública", disse o Ministro da Administração Interna, António Costa, ontem, durante a discussão no plenário.

Com esta nova regra, as seguradoras não podem alegar a calamidade pública para não pagar os estragos causados a bens e pessoas servindo-se de uma cláusula que consta de muitos contratos, e é utilizada pelas companhias de seguro para se salvaguardarem do pagamento de custos muito avultados, passando a ser nulas pelo que as companhias têm de assegurar os custos.

A declaração de calamidade pública é uma decisão que o Governo pode tomar em situações extremas, como sismos, inundações, fogos ou pandemias.

No Verão passado, a hipótese chegou a ser equacionada para os incêndios, mas na altura, o Governo optou por não o fazer, argumentando que, ao invocar esta cláusula, as seguradoras não pagariam e as vítimas não seriam ressarcidas.

Embora seja uma medida positiva, é de ter em especial atenção o clausulado das apólices, pois estas podem determinar de forma selectiva as situações nas quais as seguradoras são dispensadas de pagar os danos sofridos pelo segurado, utilizando terminologias e excepções que podem tornar inútil ou contraproducente esta decisão governamental.

Sabendo-se que a questão essencial, neste momento, tem a ver com o problema dos fogos florestais e que, caso as companhias seguradoras sejam obrigadas a pagar os danos, esta nova responsabilidade vai-se reflectir no valor dos prémios a pagar, colocando-os fora do alcance de muitos proprietários.

Neste caso, podem-se verificar situações perversas, dado que não podendo pagar um prémio de seguro agravado pelo novo clausulado, poderemos assistir a uma diminuição do número de segurados, os quais serão penalizados em casos onde previamente estavam resguardados.

Portanto, para além da eliminação das cláusulas abusivas, a mesma lei deverá contemplar a possibilidade de o segurado prescindir voluntariamente das novas coberturas, sendo que neste caso a seguradora não poderia aumentar o prémio para além do valor da inflação.

Dado que esta medida promete polémicas e situações complexas, iremos acompanhar os resultados e consequências, que só serão conhecidos na altura da renovação dos contratos, e muito especialmente, na altura da aplicação, caso este ano se verifiquem situações semelhantes às do ano passado em termos de incêndios.

Internet Explorer 7.0 Beta 2 & Blogger


Image Hosted by Imageshack
Écran de "blog" no RSS do Internet Explorer 7.0

Fizemos recentemente o "upgrade" da versão 6.0 para a versão Beta 2 ou Preview do Internet Explorer 7.0, a última que será colocada em teste antes do lançamento da versão final, de modo a experimentar as potencialidades deste novo produto da Microsoft.

Tendo vantagens evidentes sobre versões anteriores, como a utilização de "tabs", permitindo várias sessões numa mesma sessão de Explorer, ou de leitura de "feeds" RSS, esta versão de teste tem algumas limitações, nomeadamente a de apenas ser instalável em computadores com Windows XP SP2 e após validação da instalação, e um pequeno "bug" na altura da criação de mensagens novas no Blogger.

Assim, para quem usar esta versão do IE 7.0 e o Blogger, pode ter dificuldades em ver o conteúdo da nova mensagem quando passa de modo "HTML" para "Compose", sendo possível deparar-se com um espaço em branco em vez do texto e imagens introduzidas.

É de notar que pela alteração do formato do cursor movendo-se sobre a área em branco, pode-se intuir que existe algo não visível, sendo vagamente identidicavel com imagens ou texto.

Esta situação, que acontece na altura da criação de novos "posts", pode ser facilmente ultrapassada acedendo ao "Preview" e retornando depois ao "Compose", que nesta altura já deverá funcionar normalmente.

No caso de estarmos a editar "posts" já publicados, esta situação com o Blogger nesta versão do IE 7.0 é esporádica, mas, caso aconteça quando, por exemplo, se coloca um "link", também pode ser ultrapassada da mesma forma.

Uma curta mensagem alertando para este problema já foi enviada para o Blogger, no sentido de os alertar para esta situação que, cremos, se deve à nova versão do Explorer estar ainda em testes, e supomos que será resolvida quando o produto defenitivo for apresentado.

Apesar deste problema, o novo IE 7.0 apresenta, entre outras, a vantagem acrescida de estarmos a utilizar um "browser" que suporta "feeds" RSS, pelo que vale a pena fazer o "upgrade" e experimentar desde já um excelente produto que, muito em breve, vai ser um "standard" a nível dos computadores pessoais.

Caso alguém tenha problemas semelhantes, porque sabemos que vários dos nossos leitores têm os seus próprios "blogs", aqui fica uma solução temporária para os ultrapassar, certos de que a Microsoft e a Google resolverão este problema através de actualizações de "software".

sexta-feira, fevereiro 10, 2006

Jogos Olímpicos de Inverno no Google Earth


Image Hosted by Imageshack
Imagem de Torino no Google Earth

Está disponível para "download" a partir do "site" do Google Earth a actualização que permite observar com grande detalhe a área onde se vão realizar os próximos Jogos Olímpicos de Inverno.

Para além de poderem ser observados na televisão, através do Google Earth é possível ter uma ideia mais concreta quer do terreno onde estes Jogos se realizam, quer da forma de lá chegar, onde se alojar ou tomar refeições.

No entanto, e para além desta actualização, vale a pena pesquisar outros ficheiros de actualização no formato KMZ, específico para este "software", sobretudo os respeitantes a áreas conhecidas, de modo a obter uma maior precisão nas visualizações das várias regiões portuguesas feitas a partir do Google Earth.

Adicionamos a ligação para a Lynx_Pt/IPRedes.net


Image Hosted by Imageshack
Site provisório da Lynx_Pt / IPRedes.net

Adicionamos recentemente a ligação para o "site" provisório da Lynx_Pt / IPRedes.net, onde se encontram informações relativamente a esta iniciativa de prevenção de fogos florestais, que recorre ao uso de tecnologia de ponta, nomeadamente de GPS diferenciais.

Para além da inovação de que se reveste este Projecto, ao qual damos todo o nosso apoio, este é um importante passo na conciliação entre a tecnologia e as reais necessidades do País, dando um necessário contributo na luta contra um flagelo que se tem repetido anualmente.

Por outro lado, e sobretudo para quem se interessa mais por esta área tecnológica, nomeadamente por estar ligado à informática, engenharia ou geografia, entre outras, esta pode ser uma oportunidade de colaborar num projecto inovador, numa área com perspectivas de futuro, e onde há, ainda, muito para explorar.

No entanto, há muitas outras possibilidades de participação, nomeadamente através da participação nas estações ou postos de comando móveis, onde os todo-o-terreno podem vir a desempenhar um papel importante ou, eventualmente, na própria concepção de módulos que possam vir a ser instalados em viaturas.

É de salientar que a Lynx_Pt / IPRedes.net terá acesso à rede europeia de satélites, facto que permite aceder a tecnologia e informações previamente apenas disponíveis para os Governos dos países participantes no projecto ESA/ERIN.

Enquanto estudamos a melhor forma de colaboração, aconselhamos uma visita ao "site" provisório da Lynx_Pt / IPRedes.net e uma pesquisa no Google por "DGPS" ou "differential GPS", de forma a conhecer melhor o funcionamento deste tipo de equipamentos e a tecnologia com eles relacionada.

Esperamos brevemente voltar a este assunto e a um Projecto que vamos acompanhar em detalhe, dado que o uso de novas tecnologias na prevenção e combate aos fogos florestais é, para nós, do maior interesse.

Carta para a Land Rover Inglesa


Image Hosted by Imageshack
Defender em missão de socorro na neve

Já abordamos em diversos foruns a questão da sucessiva recusa da Land Rover Portuguesa em homologar pneus, mesmo quando estes constam do manual do veículo, pelo que enviamos a seguinte carta para a sede em Inglaterra:

Attached is the reply from Land Rover Portugal to the letter I’ve send and you forwarded to them.

They just reinstate they previous letter and refuse to allow the 7.50x16 tires mentioned in the users manual and allowed in all other European countries I know. This is the common reply from your representative in Portugal and the reason why I’ve send the letter directly to you is quite easy to understand: Land Rover Portugal isn’t helpful enough for owner of classic Series.

Again, I need a statement confirming that the tires 7.50x16.00 can be used in my Serie 3 SWB. This information included in the Users Manual, pages 119 and 173, but only a statement from the maker is accepted by our authorities.

If you cannot help me by sending a letter in your own office paper, forwarding any message to Land Rover Portugal is just a waste of time and resources and the reason I decided to ask it from you. If, for any reason, you cannot help this Land Rover owner, following the example of your representative here, I will consider this matter closed by lack of assistance.


Esta foi a 2ª tentativa, dado que na 1ª vez a carta foi reencaminhada directamente para a filial em Portugal, sem qualquer resultado que não o de reafirmar as medidas de pneus constantes da declaração previamente enviada e que não contempla todos os modelos que vêm incluidos no manual.

Esta carta da Land Rover Portuguesa a que nos referimos, basicamente consta de um único parágrafo onde diz confirmar as medidas constantes da declaração anterior, sem acrescentar qualquer comentário ou justificação.

Desta vez, informamos a Land Rover Inglesa que, caso não fosse possível atender às pretensões de incluir outras medidas de pneumáticos numa declaração, não houvesse o envio à filial portuguesa, dado que esta nunca mostou qualquer tipo de abertura, pelo que seria uma nova perda de tempo.

Aliás, continuar num jogo de empurra não é nossa intenção, dado que apenas cria situações de tensão e de conflitualidade que em nada beneficiam as partes envolvidas ou quem vier a formular um pedido semelhante, razão pela qual a opção é de não insistir, mas dar conhecimento se houver alguma evolução relevante.

Esta carta foi enviada no final de Dezembro, não tendo sido obtido qualquer resposta até hoje, pelo que, mesmo sabendo que pode ser demorado, colocamos a questão ao Departamento Jurídico do ACP e inquirimos junto da DGV no sentido de o manual oficial do veículo poder substituir uma declaração da marca.

Quando e se houver alguma resposta por parte das entidades contactadas, a mesma será aqui publicada, mas não havendo, tiraremos as devidas elações relativamente ao comportamento de uma marca que insiste em perder clientes.

Entretanto, sugerimos que, sempre que haja um conflito, este seja reportado por carta para a morada da sede em Inglaterra, de modo a que esta se aperceba de que a filial portuguesa não está a conduzir da melhor forma o seu relacionamento com clientes ou proprietários de veículos da marca, e que este facto já está a ter consequências a nível da implantação no mercado nacional.

quinta-feira, fevereiro 09, 2006

Já disponível o "chat" no Gmail e testado no IE 7 Beta 2


Image Hosted by Imageshack
"Chat" integrado no Gmail testado no IE 7.0 Beta 2

Já está disponível, no nosso caso desde ontem à noite, o "chat" através do Gmail, permitindo a utilização de "instant messaging" a partir da caixa de correio do Google Mail, conforme anunciamos num texto recentemente publicado.

Apesar de algumas críticas que lemos, consideramos o sistema de "pop-up" como não intrusivo, mas com o defeito de não permitir colocar a janela de diálogo onde se pretende, faltando ainda algumas das características de outros produtos do tipo do Messenger.

Para além da facilidade de utilização, salientamos o facto de partilhar o sistema de armazenamento de mensagens e o livro de endereços do correio electrónico, correndo inteiramente num "browser", facto que o torna especialmente apetecível para quem não tenha possibilidade de usar alguns dos produtos mais habituais do mercado.

Para além dos testes com os "browsers" sugeridos, e enquanto esperamos pelo alargamento a novas plataformas, testamos a versão Beta 2 do Internet Explorer 7, com suporte RSS, com sucesso e vantagens evidentes sobre as anteriores deste produto da Microsoft.

Brevemente voltaremos à nova versão deste "browser", de modo a analisar mais em profundidade estas evoluções que parecem verdadeiramente promissoras, implementando algumas características que estavam em alguns produtos da concorrência, como o caso do Firefox, mas entretanto aconselhamos a testar esta nova funcionalidade do Gmail e experimentar as suas novas potencialidades.

Paypal e pagamentos no EBay - 4ª parte


Image Hosted by Imageshack
Rolex falso vendido no Ebay

Outro problema, de nível completamente diferente, que pode surgir com o Paypal deriva da forma como são realizados os reembolsos no caso de o vendedor não enviar o item adquirido ou este ser substancialmente diferente do anunciado.

Se o fornecedor não fornecer uma prova do envio, em princípio, o Paypal procederá ao reembolso, caso o montante necessário exista na conta do vendedor ou, assinalando-a, para no caso de esta receber um pagamento, a quantia em causa ser encaminhada imediatamente para quem apresentou a queixa.

Há, no entanto, situações mais complexas, nomeadamente a de o bem recebido não estar conforme o anunciado ou de não haver disponível a quantia para o reembolso, algo que em caso de vendedores menos escrupulosos e que decidem defraudar em simultâneo diversos clientes pode vir a suceder.

No caso de o bem ser substancialmente diferente, mas haver uma prova de que algo foi entregue, acaba por ser a palavra de quem o adquiriu contra a de quem o vendeu, sendo difícil ao Paypal chegar a uma conclusão a menos que esta seja evidente, algo que é raro de acontecer.

Mesmo assim, esta é uma melhoria registada recentemente, dado que apenas há alguns anos, o Paypal não discutia "questões de qualidade", o que permitia a vendedores sem escrúpulos vender peças falsas ou de menor qualidade, refugiando-se em descrições vagas e fotografias de baixa defenição, podendo, no limite, enviar uma caixa vazia em correio registado.

Neste caso, ou quando não há possibilidade de reembolso devido à inexistência de fundos na conta do vendedor, resta a opção de apresentar queixa junto da companhia ou entidade bancária que emitiu o cartão de crédito a partir do qual foi efectuado o pagamento via Paypal, exigindo a devolução da quantia paga.

Normalmente, para manter os clientes, as companhias de cartões de crédito satisfazem estes pedidos desde que não sejam recorrentes e indiciem falta de precaução no uso do cartão, tentando depois ajustar as contas com o Paypal que acaba, por vezes, por suportar os custos derivados de uma transação infeliz.

Quando tal acontece, não conheço nenhum caso de recusa por parte de quem emitiu o cartão de crédito, dado que todas as entidades emissoras têm seguros que cobrem este tipo de risco, pelo que preferem manter os clientes satisfeitos e reembolsar por um bem que não foi entregue, qualquer que seja a razão, mesmo em caso de extravio postal, ou que não corresponde ao adquirido.

Daí que a maior segurança seja sempre a de usar em conjunto um cartão de crédito, preferencialmente de um banco no qual existam diversos activos, e o Paypal, utilizando as capacidades complementares de ambos e coordenando esforços no sentido de fazer negócios tão seguros quanto possível.

Este texto encerra, pelo menos temporariamente, o conjunto de explicações relativamente ao uso do Paypal e à forma de pagar em segurança por items adquiridos no EBay, mas caso surjam dúvidas, estas podem ser colocadas nos comentários, de forma a serem lidos por todos, ou enviadas por correio electrónico.

quarta-feira, fevereiro 08, 2006

10.000 visitas!


Image Hosted by Imageshack
10.000 visitas

Ao chegar às 10.000 visitas, queremos agradecer aos nossos leitores, e muito especialmente a quem fez ligações para este espaço, pelo apoio e incentivo que nos deram.

Esperamos continuar a contar com a vossa presença neste espaço de reflexão e contamos com as vossas sugestões e críticas no sentido de nos ajudar a melhorar os conteúdos e ir mais de encontro aos vossos interesses.

A todos, o nosso obrigado!

Chat & Gmail


Image Hosted by Imageshack
"Chat" integrado no Gmail num "browser"

Foi recentemente anunciada pela Google a possibilidade de utilizar "instant messaging" ou "chat" a partir da caixa de correio do Google Mail, complementando os já conhecidos serviços de correio electrónico e de transmissão de voz.

Esta nova possibilidade, que estará disponível brevemente, é válida para quem utilizar o Explorer 6.0 ou o Firefox 1.0 ou superior, permite substituir produtos tão conhecidos como o Microsoft Messenger, integrando-os no próprio "browser".

O processo é simples, bastando escolher o contacto e selecionar o envio de mensagem ou, caso esteja "on-line", começar um "chat" no próprio "browser", sem a necessidade de recorrer a outros programas.

Torna-se também possível guardar as conversas da mesma forma como são gravadas os "emails", sem a necessidade de "logs" específicos e, muitas vezes, difíceis de pesquisar, sempre com a vantagem de se encontrarem disponíveis no mesmo local onde estão as mensagens.

Lembramos, mais uma vez, que dispomos de convites de Gmail disponíveis, bastando para tal que nos contactem via correio electrónico ou colocando um comentário a seguir a esta mensagem.

A falta de respostas de quem nos governa


Image Hosted by Imageshack
Tomada de posse do XVII Governo Constitucional

Temos vindo a insistir com diversas entidades governativas na necessidade urgente de haver um esforço organizado de mobilização da sociedade civil antes do início da época de incêndios, tendo enviado "dossiers" com sugestões, propostas de planos de acção e informações técnicas relativamente à problemática dos incêndios florestais.

Embora possa parecer que os incêndios de Verão ainda vêm longe, as alterações no clima que se verificaram nos últimos anos demonstram que cada vez menos se pode falar de uma época de fogos, e sim de um problema permanente que se torna mais evidente quando se conjugam uma série de factores meteorológicos.

Esta necessidade de planeamento deriva, para além do mais, do facto de ser necessário que cada voluntário planeie a sua participação na altura da marcação das suas férias e das da sua família, sem o que dificilmente poderá ter a disponibilidade necessária.

Por outro lado, existem processos de formação absolutamente necessários e que dependem de um planeamento e calendarização adequadas, sem o que a eficiência dos participantes é severamente penalizada, podendo inclusivé comprometer a sua segurança.

Infelizmente, do adiar das respostas poderá, mais uma vez, resultar um agravamento do problema, sobretudo se tivermos em conta que a destruição anual do nosso património natural não é minimamente compensada pelo reflorestamento e que, relativamente às perdas humanas que se verificam, não existe reparação possível.

Assim, e caso se mantenha o actual silêncio, não deixaremos de responsabilizar os actuais decisores políticos que, não tomando as iniciativas que se impoem, continuam a permitir que Portugal arda sempre que as condições meteorológicas o propiciam.

terça-feira, fevereiro 07, 2006

Paypal e pagamentos no EBay - 3ª parte


Image Hosted by Imageshack
Mensagem falsa aparentando ser do Paypal

Embora seja um sistema seguro, existem situações para as quais qualquer utilizador de sistemas de pagamento "on-line"e deve estar particularmente alerta, dado configurarem potenciais perigos de fraude.

O "spoofing", ou envio de falsas mensagens que procuram obter dados confidenciais dos clientes, é uma das maiores vulnerabilidades dos sistemas de pagamento "on-line" e tem afectado bancos e empresas financeiras não só em todo o Mundo, mas também em Portugal, como no recente caso do Millenium-BCP.

Como os sistemas de encriptação de dados são praticamente invulneráveis aos burlões, a solução mais simples é a de simular um incidente e solicitar a reintrodução de dados confidenciais num "site" que, aparentando ser do próprio Paypal, pertence a alguém que não passa de um burlão.

Na imagem apresentada, pode-se ver o pedido de dados típico de uma mensagem falsa, que incluem desde os identificadores necessários a movimentar a conta de Paypal, como o endereço de correio electrónico e "password", e do cartão de crédito, como o nome, número, data de expiração e o próprio código de acesso PIN.

A Paypal, tal como qualquer outra entidade bancária ou equiparada, nunca pede dados confidenciais, seja em que caso for, via email, e avisa para não seguir quaisquer ligações incluidas numa mensagem, optando por digitar por extenso o endereço de internet a que se pretende aceder.

Aliás, uma das vantagens do pagamento através de Paypal, é a garantia de que toda a informação relativamente ao cartão de crédito fica encriptada e nunca é do conhecimento do vendedor, evitando assim situações no mínimo suspeitas.

Normalmente, é fácil detectar se a ligação é falsa, pois basta colocar o rato sobre ela e veremos aparecer na área inferior do "browser" o verdadeiro endereço para onde este dirige, o qual nunca é o do Paypal, não obstante ser habitual haver ligações e imagens genuinas misturadas para dar o máximo de credibilidade ao embuste.

Alertamos para o facto de, muitas vezes, apenas a ligação para o "site" de introdução de dados não ser genuina, pelo que é sobretudo esta que deve ser verificada com o máximo de cuidado, sendo o nosso conselho nunca seguir este tipo de "links".

Estas falsas mensagens devem ser reportadas para spoof@paypal.com, de modo a que sejam tomadas medidas rápidas no sentido de desactivar o "site" e o endereço de correio originário e como forma de confirmar que as mensagens não são provenientes do Paypal.

Caso cheguem a introduzir algum dado, é absolutamente imperativo avisar imediatamente quer o Paypal, quer a entidade que emitiu o cartão de crédito de forma a que estes sejam cancelados e alterar quaisquer "passwords" que tenham sido introduzidas.

Na 4ª e última parte deste conjunto de textos, vamos focar o processo de reembolso e os passos a seguir caso o negócio se verifique ser fraudulento.

Lynx_Pt/IPRedes.net no combate aos incêndios florestais


Image Hosted by Imageshack
Site provisório da Lynx_Pt / IPRedes.net

Na sequência de uma mensagem enviada pela Lynx_Pt / IPRedes.net, apelando à colaboração numa iniciativa de combate aos incêndios florestais, vimos transcrever o conteúdo do "site" deste novo projecto, que visa a integração das novas tecnologias no combate a um flagêlo que tem devastado anualmente o nosso País:

O combate aos incêndios é complicado, especialmente por motivo de falta dos meios.

O IPRedes.net tem em estudo um projecto de apoio à este combate. Isto tem por base uma sistema D-GPS (GPS Diferencial) em combinação com Dados Meteorológicos e imagens por satélite.

O sistema consiste de (re)transmissores de dados D-GPS e meteorológicos, entre 300 e 2.700 (conforme o alcançe dos mesmos), unidades de processão móveis de combate e unidades móveis de comando. Para mais pormenores, diriga-se à nossa site em http://www.ipredes.net (brevemente disponível), ou a http://lynxpt.blog.com/.

Para conceber isto está a procurar apoio junto da Comunidade Europeia e da Agencia Espacial Europeia (ESA) como também ajuda facilitário do parte da Universidade do Porto.

Em breve damos notícias dos desenvolvimentos. Pelo resto o IPRedes.net é uma instituição a fundar sem fins lucrativos.

Se quiser apoiar este projecto com dinheiro, trabalho voluntário ou material informático, contacta por telefone (+351) 964977916 ou por email jpmulder@programmer.net.

Já podemos contar com apoio técnico da parte da ESA/ESRIN (Itália) no que diz respeito às tecnologias de Observação Terrestre a partir de espaço (Earth Observation Satellites) que nos cede accesso a todas as satélites de observação terrestre necessários em caso de calamidade, coisa até agora reservado apenas aos governos.


Para além de desejar boa sorte a este projecto tecnologicamente inovador e absolutamente necessário, já informamos a IPRedes.net estar ao dispôr no que podermos ajudar com a experiência entretanto recolhida.

Queremos ainda realçar o facto de ser necessário colocar a tecnologia ao serviço de quem mais precisa e onde é mais necessária, neste caso aumentando a eficácia dos sistemas de prevenção e combate aos incêndios florestais, ajudando a proteger as vidas e o património de quem se confronta anualmente com esta tragédia.

Numa altura em que se fala insistentemente de um "Choque Tecnológico", muitas vezes com projectos de utilidade duvidosa, nas quais as novas tecnologias surgem completamente desfasadas das reais necessidades do País, projectos concretos, dirigidos especificamente no sentido de encontrar soluções para problemas prementes, são essenciais não só para o desenvolvimento nacional, mas também para reforçar a auto-confiança dos portugueses.

segunda-feira, fevereiro 06, 2006

Tomada dupla de isqueiro, webcam e leitor de cartões


Image Hosted by Imageshack
Adaptador duplo de isqueiro

Não é a 1ª vez que alertamos para alguns items que podem ser úteis, complementando algumas das soluções aqui mencionadas, quando os encontramos a um preço francamente favorável.

Numa das últimas visitas a uma loja gerida por chineses, deparamo-nos com alguns equipamentos eléctricos ou electrónicos a preços francamente convidativos, que tornam quase indesculpável não adquirir uma tomada dupla de isqueiro por 4€, uma webcam por 12€ e um leitor de cartões que não passa dos 10€.

O modelo de adaptador de isqueiro disponível actualmente é o transparente, mais pequeno na fotografia, e os restantes equipamentos mencionados têm interface USB para ligação a computadores pessoais.

A loja em causa fica na Av. Óscar Monteiro Torres nº 55, que vai desde a Praça do Campo Pequeno à Avenida de Roma e é conhecida entre os possuidores de Land Rovers pelas várias lojas de peças que aí existem.

Assim, quando precisarem de alguma peça ou passarem pela zona, justifica-se uma visita a esta loja onde estes e outros items poderão ser encontrados.

Paypal e pagamentos no EBay - 2ª parte


Image Hosted by Imageshack
Formulário de inscrição no Paypal

Para utilizar os serviços do Paypal é necessário, antes de mais, proceder a uma inscrição, a qual é independente da do EBay, utilizando para tal um cartão de crédito, como meio de pagamento, e um endereço de correio electrónico que será verificado no processo de adesão.

O preenchimento do formulário "on-line", não deverá apresentar dúvidas, sendo de ter em atenção que o endereço de entrega dos bens deve coincidir com a do títular do cartão de crédito, dado que o Paypal impõe essa condição como forma de verificação da morada.

É de notar que a primeira questão a responder é ao país de origem, de modo a que a legislação local em termos de recolha de dados e privacidade seja respeitada, e a moeda prefencial bem como a jurisdição fiquem defenidas desde o início.

Muitos vendedores apenas enviam para moradas verificadas, portanto para a que consta do endereço do Paypal e do títular do cartão, de modo a evitar problemas de extravio e garantir uma protecção no caso de o cliente evocar o não recebimento alegando extravio ou erro na morada.

Durante o processo de inscrição é efectuado o envio de um email de verificação e um movimento de 1 dólar ou euro, que depois é reposto, de forma a validar o cartão de crédito utilizado.

É de ter em atenção que o "login" no Paypal é o endereço de correio electrónico com o qual é efectuado o registo, pelo que se deve escolher um endereço pessoal permanente, evitando endereços de empresa ou instituições a que se possa perder o acesso ou que sejam controlados por administradores de sistemas.

Após validar a conta, é possível fazer o primeiro "login" e começar a utilizar este meio de pagamento, efectuando pagamentos seja de bens adquiridos no EBay, seja de quaisquer outros, desde que se conheça qual o endereço registado no Paypal pelo vendedor.

Se o objectivo for o de pagar items adquiridos no EBay, junto do item encontra-se um "icon" de pagamento, que conduzirá o processo, bastando para tal selecionar a opção Paypal, introduzir a "password" e, eventualmente, introduzir ou corrigir valores relativos aos portes ou a possíveis despesas ou comissões de pagamento.

Todo o sistema do Paypal baseia-se em endereços de correio electrónico, com cartões de crédito e contas bancária associadas, pelo que, quando o detendor do endereço X quer enviar uma quantia a quem possui o endereço Y, não é necessário fornecer qualquer outro tipo de informação adicional, encarregando-se o sistema de efectuar os necessários movimentos bancários com base nas informações previamente armazenadas.

Nas 3ª e 4ª partes deste conjunto de textos referentes ao Paypal, iremos chamar a atenção para algumas questões de segurança e cuidados a observar no uso deste sistema.

domingo, fevereiro 05, 2006

Paypal e pagamentos no EBay - 1ª parte


Image Hosted by Imageshack
Site do Paypal

Já por várias vezes mencionamos o EBay Inglês como fonte de peças raras ou a preços reduzidos, sejam novas ou usadas, de modo a que os custos normalmente elevados de quem possui um Land Rover sejam mantidos tão baixos quanto possível.

Um dos factores essenciais para um bom negócio, é a segurança no pagamento e a possibilidade de o reverter caso surja um problema inesperado, pois só assim existe o necessário clima de confiança.

Sabendo que o vendedor apenas procederá ao envio após o pagamento, até ao produto adquirido ser recebido existe um período de alguma incerteza, dado que mesmo a informação de um registo de expedição não garante que a mercadoria chegue ou corresponda à descrição incluida na listagem.

Assim, e dado que em caso de envio de dinheiro, mesmo que em carta registada, ou de transferência bancária, o processo é ireversível, aconselha-se a usar um processador de pagamentos independente, que ofereça soluções de reembolso, e que serão adicionadas às previstas na maioria dos cartões de crédito.

Como a maioria dos vendedores do EBay são particulares, que não podem aceitar pagamentos directos via cartão de crédito, este meio tem que ser processado através de uma entidade que proceda ao débito e transfira o pagamento para a conta bancária do vendedor, cobrando, naturalmente, a comissão do serviço, que corresponde a um pequeno valor base na ordem dos 35 cêntimos e uma percentagem que anda pelos 3% do valor total.

É, portanto normal, embora não de acordo com as regras, as quais determinam que o pagamento via Paypal deve ser suportado pelo vendedor, que este faça acrescer o preço de venda de uma pequena margem, na ordem dos 3%, que compense as comissões pagas.

No entanto, e dado que os débitos de Paypal são feitos em Euros, independentemente da moeda em que é feita a licitação, não há lugar a pagamentos de taxas de câmbios e o valor total da transação fica sempre abaixo do que seria em caso de transferências bancárias internacionais.

O Paypal é, provavelmente, o sistema mais difundido a nível mundial para este tipo de pagamentos, tendo-se tornado de tal maneira essencial ao funcionamento do EBay, que foi adquirido por esta, transformando-se na forma de pagamento oficial desta companhia de leilões.

Aliás, o próprio EBay integra, sempre que possível, os seus processos de protecção e reembolso com o Paypal e desaconselha quer transferências bancárias, quer vales postais ou o uso da Western Union para efeitos de pagamentos, dado que a muitos destes meios estão associados diversos esquemas de fraude provenientes, sobretudo, do Extremo Oriente.

Na 2ª parte deste conjunto de textos, referentes ao Paypal, a publicar amanhã, serão focados alguns dos procedimentos essenciais, nomeadamente a criação da conta e sua utilização, e como este meio se articula com a protecção dada pelos cartões de crédito individuais.

Interruptor para faróis de Série 3


Image Hosted by Imageshack
Interruptor para faróis de Série 3

Muitas das pequenas peças que, por vezes, é necessário substituir com alguma urgência podem ser difíceis de encontrar, não obstante o seu baixo preço.

Os interruptores de 3 posições, tal como os que são utilizados para os faróis nos Série 3, podem ser adquiridos pelo valor mínimo de licitação no EBay, que anda pela meia dúzia de Euros já com portes incluidos, bastando para tal alguma paciência para esperar pela oportunidade certa.

Para além do modelo descrito, existem versões de apenas duas posições, só com "on" e "off", por valores semelhantes, sendo peças que, pelo seu baixo custo, podem ser adquiridas com o objectivo de as manter como reserva para eventuais reparações, já que numa situação de urgência, será difícil esperar por uma peça a bom preço.

Caso seja possível, o ideal será adquirí-lo junto de um vendedor onde se possa obter diversas peças, de modo a reduzir o custo dos portes, e que aceite pagamentos através de cartão de crédito ou Paypal.

Assim, recomendamos uma pesquisa por "switch" na área do EBay inglês reservada aos Land Rover, e a aquisição de algumas destas peças que, quando avariam, são tão urgentes de substituir quanto difíceis de encontrar.
Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin