sábado, junho 28, 2008

Efeitos colaterais do uso de localizadores - 1ª parte


Image Hosted by ImageShack
Os sistemas de neutralização existem

Conforme já referimos, o Ministério da Administração Interna (MAI) optou por uma acção coincidente com a nossa sugestão de solicitar a cooperação das seguradoras na disseminação de equipamentos de geolocalização e imobilização a ser instalados em viaturas, adicionando uma campanha de sensibilização e o uso de sistemas capazes de identificar uma matrícula e verificar em tempo real se existe algo pendente relativamente ao veículo.

Na altura, lamentamos quer a falta de resposta do MAI, quer o facto de a rapidez com que anunciou a ideia não ser compatível com um estudo aprofundado e, obviamente, não ter tido o tempo para reflectir nos possíveis efeitos colateriais ou na possibilidade de neutralizar o sistema.

Tal como todos os nossos leitores com alguma experiência ou conhecimentos nesta área dos localizadores via GPS com envio de referenciação e recepção de comandos via SMS têm, estes sistemas apresentam vulnerabilidades que podem ser exploradas por criminosos que se queiram apropriar das viaturas onde estejam instalados.

Na utilização original que propusemos, concretamente em termos de organização e de gestão de frotas de veículos, estas vulnerabilidades não se fazem sentir, com excepção das limitações decorrentes de falhas de sinal de rede móvel ou de obstáculos que impeçam a recepção do sinal de GPS, mas quando existe uma vertente a nível de segurança, na qual podem ser introduzidos factores externos adicionais, o caso muda de figura.

O sistema de "transponders", que propusemos como substituto do método de informação fotográfica baseada na matrícula, será menos vulnerável a interferências, sobretudo se a colocação dos equipamentos for devidamente estudada, sendo uma das soluções mais realistas em termos de protecção, sem, obviamente, esquecer que qualquer comunicação remota é passível de ser afectada por contra-medidas electrónicas.

sexta-feira, junho 27, 2008

Negociação em situações de crise e no dia a dia


Image Hosted by ImageShack
Capa do livro "Negotiate and Win"

Negociar, nas suas mais diversas implicações, é algo que fazemos diariamente quando interagimos com quem nos rodeia e tentamos chegar a compromissos ou equilíbrios que são essenciais para a vida em sociedade.

O livro "Negotiate and Win" escrito pelo antigo detective da Polícia de Nova Iorque, Dominick J. Misino, que se celebrizou na negociação de reféns e como instrutor de negociadores, constitui uma boa base de trabalho no desenvolvimento destas competências necessárias para quem desempenha missões na área do socorro.

Uma diferença importante é que este livro, ao contrário do anterior, estabelece paralelos com as negociações que enfrentamos no dia a dia, como a compra de um carro ou de uma casa, de modo a facilitar a compreensão e a que os conteúdos sejam aplicados nas situações mais comuns.

O preço de capa é de 19.99 dólares americanos, a que acrescem portes, mas seja em livrarias "on-line", seja no EBay, é possível encontrar um exemplar por valores muito inferiores, que, no nosso caso, rondaram os três dólares ou dois euros.

Este é um livro que aconselhamos a todos quantos necessitem de negociar, mesmo que seja nas situações mais correntes do dia a dia, dado ensinar um conjunto de técnicas úteis que podem ser utilizadas quando pretendemos adquirir um bem ou serviço, mas que mercerá especial atenção para quem tenha que intervir em situações de risco, nas quais estejam em causa a segurança ou a própria vida humana.

RSB pode vir a ser uma reserva nacional - 2ª parte


Image Hosted by ImageShack
Veículo dos Sapadores Bombeiros

Há muito que somos favoráveis a uma maior profissionalização do socorro e da existência de uma estrutura distrital e nacional capaz de escalonar reservas em termos de efectivos e equipamentos às corporações com base local, sendo que as unidades de sapadores podem ter um papel a desempenhar, mas tal tem que ser planeado com especial cuidado, salvaguardando os meios necessários para o desempenho das missões que actualmente estão atribuidas.

No caso concreto do RSB, que tem um papel fundamental na segurança da cidade de Lisboa, a pronta concordância do presidente da câmara sugere que a autarquia pensa, essencialmente, em partilhar os custos inerentes ao funcionamento e manutenção do Regimento e não na disponibilidade futura para realizar as missões actuais.

Por outro lado, o Governo e a própria ANPC parecem estar a tirar partido da crise camarária para aquirir, como que em saldo, uma unidade profissional, o que será financeiramente mais convidativo do que criar outra de raiz, mas que pode ter os efeitos colaterais já mencionados em termos da segurança da Capital.

Continua a faltar uma perspectiva global em diversos aspectos da vida nacional, afectando áreas tão diversas como o socorro, o desenvolvimento regional ou a própria economia, acabando as políticas sectoriais por ser vítimas da inexistência de um plano que as integre e coordene, podendo falhar não devido ao seu mérito individual, mas pelos efeitos colaterais que nem sempre são devidamente avaliados.

A falta de uma visão integrada resultará, para além das óbvias dificuldades de planeamento exigente e rigoroso que exigem, dos inúmeros poderes pessoais que tantos querem manter, colocando os seus interesses individuais acima dos da colectividade, levantando constantes obstáculos à introdução de alterações que os privem de lugares que consideram de relevo.

Mais do que problemas organizacionais de raiz, serão as mentalidades as responsáveis pela inércia que impossibilitam ou adiam reformas inevitáveis para a modernização do País.

quinta-feira, junho 26, 2008

Já está disponível o Land Rover do Shaun


Image Hosted by ImageShack
Land Rover do Shaun

Já está disponível o Land Rover Serie que aparece na série Shaun, a ovelha, realizado pela Airfix na escala 1:10, segundo informação do "site" do fabricante.

Este é, tanto quanto sabemos, o maior modelo de Land Rover Serie para montar, com dimensões muito superiores aos da Monogram, um Serie 3 SWB actualmente fora de produção, e ao Serie 3 LWB da Italeri, ambos na escala 1/24.

O conjunto inclui, para além do Land Rover, a ovelha Shaun e alguns dos seus companheiros de aventura na série que os popularizou, um conjunto de tintas acrílicas e pinceis, sendo que o nosso interesse é, obviamente, na reprodução do Serie 2 e não nas figuras da animação.

Este modelo custa 22.99 libras, a que acrescem portes, se adquirido directamente no "site" da Airfix, mas que nas lojas "on-line" ou no EBay inglês, o preço cai para valores inferiores.

Para os adeptos dos Land Rover, este é um modelo a não perder, dado ser a maior réplica de um Serie 2 que encontramos no mercado, com perto de 35 cm de comprimento, o que o transforma numa miniatura de respeito.

Automóvel particular substitui ambulância - 2ª parte


Image Hosted by ImageShack
Uma ambulância do INEM em Lisboa

O porta-voz do INEM, reconhece que o CODU recebeu uma chamada e o 112 outras duas chamadas, mas alega que em nenhum dos três contactos foi efectuado qualquer pedido de socorro ou dada informação sobre o estado clínico da vítima que permitisse avaliar da gravidade da mesma, presumindo-se que será esta a razão pela qual não foram activados meios.

Presumimos que este caso, que foi reportado de imediato à Administração Regional de Saúde do Alentejo, dê origem a um processo de averiguações no sentido de esclarecer quais as razões pelas quais os meios não foram activados, não podendo excluir-se, para já, a sua não disponibilidade, sobretudo se nos lembrar-mos que a equipa da VMER tem falta de elementos, do que resulta uma sobrearga de trabalho para outras unidades.

Obviamente, caso as gravações das chamadas fossem disponbilizadas, seria possível confirmar esta versão, mas parece estranho que nas chamadas efectuadas a partir do Centro de Saúde não tenha sido prestada qualquer informação sobre o estado da criança, para além de que seria expectável que houvesse uma resposta imediata a um pedido de uma unidade onde está em funções pessoal médico.

O socorro em diversas áreas do Interior, com uma especial incidência no Alentejo, tem-se revelado problemático, com numerosas situações de atraso ou não comparência dos meios adequados, sem que tenham sido implementadas soluções que evitem a repetida perda de vidas humanas ou traumas graves que resultam da demora na prestação de cuidados médicos.

Igualmente grave, é a falta de um controle de qualidade externo do INEM e a não divulgação do resultado dos inquéritos que se seguem a situações onde o atendimento não terá sido, alegadamente, o mais adequado, deixando a dúvida permanente quanto ao serviço prestado por esta entidade.

Apesar de promessas repetidas e declarações demagógicas, o socorro no Interior de Portugal continua a sofrer de manifestas carências não só em termos de meios, mas também de coordenação e organização, do que resultam óbvios perigos para as populações que aí residem.

É lamentável que o abandono a que está votado o Interior continue a obrigar muitos dos seus habitantes a deslocar-se para as grandes cidades no Litoral, do que resulta uma cada vez maior desertificação, potenciada pelo encerramento de serviços do Estado, cuja manutenção é considerada injustificável perante o escasso número de utentes, mas que acaba por levar a novas vagas de migrações.

Enquanto este ciclo não for interrompido, este processo inexorável vai agravar a situação dramática que se vive no Interior do País, cada vez mais vulnerável a crises sociais ou tragédias naturais, resultando num encapotado aumento de despesas e de subsídiso que se manifestam incapazes de resolver problemas de raiz estrutural.

quarta-feira, junho 25, 2008

RSB pode vir a ser uma reserva nacional - 1ª parte


Image Hosted by ImageShack
Brasão dos Sapadores Bombeiros

A possível transferência da tutela do Regimento de Sapadores Bombeiros (RSB) de Lisboa para a Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) ganhou mais força com a nomeação do tenente-coronel Joaquim Pereira Leitão para o comando deste unidade actualmente dependente da autarquia lisboeta.

O próprio presidente da câmara de Lisboa, António Costa, demonstrou abertura a esta possibilidade de integrar o RSB no Sistema Nacional de Protecção Civil, facto a que as dificuldades financeiras da autarquia e a necessidade de introduzir melhoramentos no RSB não estará alheia.

Não obstante, nem todos concordam com esta perspectiva, para quem a integração do RSB no sistema nacional, corresponde a uma governamentalização desta unidade e a uma opção de centralismo, facto agravado pelo perfíl do novo comandante que considera que "o Regimento poderá constituir-se, assim, como uma Reserva Estratégica Especial Nacional, com altos níveis de qualificação e de resposta, para intervenções específicas".

A ideia de usar o RSB como uma reserva nacional, através da celebração de um protocolo com a ANPC, mesmo que este se mantenha nominalmente como um serviço municipal, levanta alguns receios junto da população lisboeta, para quem esta unidade de bombeiros é essencial na área do socorro e cujos efectivos e meios, já escassos para as missões a desempenhar, podem ficar ainda mais reduzidos devido à dispersão.

Na verdade, importa saber não apenas quais as reais razões, que podem resultar tão somente da fragilidade financeira da câmara de Lisboa e não de uma motivação estratégica, bem como os efeitos em termos da disponibilidade de meios de socorro na actual área de actuação do RSB, para além da forma de integração numa estrutura nacional.

terça-feira, junho 24, 2008

Software de gestão de meios para bombeiros


Image Hosted by ImageShack
Écrans do software de gestão de meios

Recebemos da Realestudo uma mensagem com descrição de um programa de gestão de meios para corporações de bombeiros que, por ser algo raro, queremos aqui apresentar resumidamente.

O "software" suporta múltiplos operadores e inclui gestão de ocorrências e meios em tempo real, com possibilidade de informar as populações, descrição de locais, posicionamento de pontos de água e outros detalhes relevantes para a actividade operacional.

Para uma demonstração sem compromisso do "Gestão de Meios Total", a Realestudo pode ser contactada através do "site" ou do telemóvel 965018056.

Automóvel particular substitui ambulância - 1ª parte


Image Hosted by ImageShack
Um operador numa central do INEM

A falta de meios de socorro no Alentejo obrigou um médico de Beja, com o consentimento dos pais da vítima e por decisão da direcção do Centro de Saúde de Beja, a transportar no seu carro particular, uma criança de três anos ferida com gravidade num acidente.

A criança foi vítima de um atropelamento quando atravessava uma passagem de peões no centro de Beja, pelas 08:43 e socorrida inicialmente no Centro de Saúde local, que fica nas imediações, mas, perante a gravidade dos ferimentos, foi decidido optar pelo seu envio para o Hospital local, tendo sido efectuado o pedido ao Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) de Lisboa e Vale do Tejo, que terá accionado o pedido de meios de socorro.

A primeira chamada para o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) foi efectuada pela condutora da viatura que atropelou a criança e as seguintes pelo próprio Centro de Saúde, mas quer a Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER), quer a ambulância adstrita ao 112 estacionada nos bombeiros não compareceram.

Após meia hora à espera por uma ambulância, que não apareceu, um médico acabou por transportar a criança no seu carro particular, acompanhado pela mãe do vítima e por dois colegas, para o Hospital de Beja, de onde acabou por seguir para o Hospital de Santa Maria, em Lisboa, acompanhada de um médico e de uma enfermeira, dada a gravidade do seu estado.

A Polícia de Segurança Pública, que foi alertada através da chamada inicial do 112 e enviou para o local uma viatura de prevenção de acidentes da Esquadra de Trânsito, confirmou que não compareceu no local qualquer ambulância ou veículo de socorro.

segunda-feira, junho 23, 2008

Skype 4.0 Beta está disponível


Image Hosted by ImageShack
Écran do Skype 4.0

O Skype está a testar uma nova versão do seu "software" que implementa novas características nas videochamadas, um método de conversação que tem cada vez mais adeptos.

A versão 4.0 Beta 1 do Skype tem um especial enfase no vídeo, permitindo aos utilizadores, entre outras funcionalidades, efectuar chamadas de vídeo em écran normal e não apenas numa pequena janela, tirando partido da maior rapidez das comunicações e do aumento de resolução das modernas "webcams", ou colocar imagens de maior dimensão no perfil, facilitando a sua visualização.

O Skype 4.0 detecta as características do computador e a velocidade da largura de banda larga disponível, ajustando assim as suas "performances", mas, tal como acontece com outras versões de teste, esta deve ser usada com prudência.

O Skype tem mais de 300.000 de utilizadores registados em todo o mundo, a maioria deles usando serviços gratuitos, mas com um número crescente de serviços pagos, que permitem contactar ou receber chamadas a partir de telefones convencionais.

Área ardida em 2008 é substancialmente superior à do ano passado


Image Hosted by Imageshack
Um incêndio florestal em Portugal

Em 2008 verificou-se um substancial aumento percentual da área ardida relativamente ao mesmo período do ano passado, com base nos dados recolhidos de Janeiro a Maio pela Direcção-geral dos Recursos Florestais (DGRF).

Os dados provisórios que constam do "site" da Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC), dão conta de 3.443 hectares ardidos nos cinco primeiros meses do ano, correspondendo a um aumento homólogo de 67%.

No entanto, quando comparados com os cinco anos anteriores, os valores apontam para menos 1.779 hectares ardidos e menos 1.091 ocorrências registadas.

Este ano os distritos mais afectados foram os de Braga, onde arderam 878 hectares e de Vila Real, com 668, registando igualmente o maior número de ocorrências, respectivamente com 147 e 163 registos.

Em termos mensais, o maior número de incêndios registou-se em mês de Março, com 1.053, seguindo-se Fevereiro, com 925 ocorrências, e Abril com apenas 220.

Estes números ainda são pouco significativos e não traduzem a realidade de um País onde a área florestal diminuiu substancialmente ao longo da última década, com grandes perdas em 2003 e 2005, o que influencia decisivamente as estatísticas, criando uma ideia de sucesso que é contestável.

A diminuição de área florestal, o aumento das descontinuidades, a melhoria da coordenação e dos meios de combate e um ano de 2007 atípico, com uma área ardida anormalmente baixa, influenciam os dados estatísticos, os quais acabam por omitir parte da realidade e, sobretudo, as razões que estão na origem destes números.

domingo, junho 22, 2008

Resultados à medida das conveniências - 2ª parte


Image Hosted by ImageShack
Um teste de matemática

Existem, no entanto, outros métodos para obter classificações de acordo com um dado objectivo, recorrendo a técnicas específicas na concepção dos teste de avaliação, os quais irão traduzir as intenções que presidiram à sua elaboração.

Preparar um teste que consubstancie um dado resultado é fácil e requer apenas alguma prática, colocando perguntas acessíveis à maioria dos alunos em número suficiente para que estes respondam acertadamente, adicionando algumas questões um pouco mais difíceis, que terão menor percentagem de respostas acertadas e, finalmente, um número reduzido de perguntas a que apenas um reduzido número responderá correctamente, de modo a que poucos atinjam a nota máxima, evitando assim críticas de facilitismo.

O resultado é óbvio, sabendo-se "à priori" que a esmagadora maioria responderá ao lote de perguntas mais fáceis, que sendo em número suficiente pordem garantir uma positiva, sendo que os restantes grupos de perguntas irão servir, essencialmente, para obter alguma dispersão de resultados sempre sem sair das classificações que se pretendem obter.

Usando esta técnica, uma observação pouco atenta leva a uma ilusão de que os resultados terão sido positivos, quando, na verdade, estamos diante de uma mera manipulação dos mesmos, suportados numa dispendiosa operação mediática cujo único valor foi o de fazer passar uma dada mensagem.

Existem outras técnicas para além das duas aqui apresentadas como exemplos, sendo que os objectivos são sempre similares e, infelizmente, lamentáveis, dado serem forma de manipular a verdade, criar junto de todos, inclusivé em quem faz exames, a ideia falsa de que atingiu um dado nível e dissuadir a exigência e o esforço.

O resultado desta postura acaba sempre por traduzir-se num baixo nível de conhecimentos, camuflado sob qualificações que não traduzem competências reais, que têm como consequência um País pouco desenvolvido, desmotivado, onde critérios de esforço e de competência são pouco observados, e que se refugia em estatísticas para ocultar uma triste realidade.
Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin