sábado, setembro 03, 2011

Rede de capot improvisada em Defender - 2ª parte

Image Hosted by ImageShack
Uma fivelas para prender as duas redes

Para além da rede e fixações, é ainda necessário um conjunto de ganchos que prendam as correias sob o capot, um elástico, semelhante aos usados para acondicionar carga, que fica em volta do conjunto e uma corda para prender as duas redes entre sí.

Existem vários métodos para unir as duas redes, mas um dos mais simples é simplesmente furar no cruzamento das tiras ao longo de uma extremidade e colocar um simples ilhós com furo interno de 5 mm, cuja ferramenta de aplicação pode ser adquirida por poucos Euros.

Pelos furos, depois de protegidos, faz-se depois passar um corda, ou mesmo um elástico, que vai unir as redes e permitirá a separação das mesmas sem a necessidade de alterar a restante configuração ou desmontar um componente.

Seguidamente, passamos o elástico pelas correias de fixação, junto da rede, o qual servirá para apertar todo o conjunto, envolvendo assim a carga transportada, e terminamos dando um simples nó direito, prendendo assim as pontas.

sexta-feira, setembro 02, 2011

Acesso móvel e periodicidade de publicação - 2ª parte

Image Hosted by ImageShack
Alguns prémios do "Kanguru"

Por outro lado, o tarifário da ZON surgia como demasiado adequado a uma utilização circunstancial, com poucas alternativas, dado que o centro do negócio da empresa é, efectivamente, o das comunicações fixas, onde são líderes de mercado, oferecendo soluções muito completas.

Neste caso, e porque a Optimus é especializada em comunicações móveis, seja de dados, seja de voz, que pelo seu formato digital acabam por ter um tratamento equivalente em muitos aspectos, a solução pela qual optamos corresponde ao pretendido, inclusivé a nível da facilidade de instalação, perfeitamente automatizada.

Também em termos de cobertura nas zonas que frequentamos, o "Kanguru" tem demonstrado corresponder ao esperado, estando no "site" da Optimus um mapa de cobertura detalhado, que permite verificar quais as velocidades permitidas em cada freguesia, sendo sempre de ter em conta que em zonas rurais podem-se verificar variações.

Esta é uma solução que recomendamos aos nossos leitores, desde que adequando o tarifário às respectivas necessidades, de modo a que não se verifique um pagamento excessivo pelo tráfego ou pela simples permanência "on-line", factores essenciais na viabilidade de qual tipo de conexão.

Miniatura do Fiat G 91 R4 da FAP

Image Hosted by ImageShack Uma miniatura do Fiat G 91 R4 da FAP

A primeira miniatura de uma nova colecção de aviões de comate, lançada pela Altaya / Planeta de Agostini, é o conhecido Fiat G 91 R4, utilizado pela Força Aérea Portuguesa ao longo de diversas décadas e que participou em acções durante a Guerra Colonial.

Esta miniatura, na popular escala 1/72, vem inteiramente pintada, decorada e quase completamente montada, bastando selecionar as peças do trem de aterragem, que pode estar recolhido, na posição de voo, ou extendido, caso se pretenda reproduzir o avião em terra.

O nível de pintura e acabamentos, com a decoração da esquadra "Jaguares", é de excelente nível, adequando-se ao período inicial de serviço dos Fiat, com a camuflagem alemã, que mais tarde seria substituída por um padrão verde e castanho que envolveria completamente a aeronave.

Apesar de raramente apresentarmos miniaturas, para além das que reproduzem modelos da Land Rover, o facto de este avião ser conhecido de muitos dos nossos leitores, sendo contemporâneo de muitos dos que fizerem serviço militar na FAP, justifica a sua menção, aconselhando-se a adquirí-lo rapidamente, dado que pelo preço de 2.99 Euros esgotará rapidamente.

quinta-feira, setembro 01, 2011

Acesso móvel e periodicidade de publicação - 1ª parte

Image Hosted by ImageShack Um écran do acesso à Internet

O facto de, por diversas razões termos necessitado de nos deslocar, tem implicado utilizar um acesso à Internet via 3G ou 3.5G, o que, apesar de velocidade e fiabilidade, tem menores possibilidades do que o acesso fixo e permanente que habitualmente utilizamos.

Resulta deste facto, alguma dificuldade acrescida em termos de elaboração e publicação de textos, pelo que em casos felizmente raros não foi possível publicar os dois textos diários habituais nos dias úteis, facto pelo qual apresentamos o nosso pedido de desculpas.

Temos optado, com base nas críticas de diversos orgãos especializados, por uma ligação móvel da Optimus, habitualmente conhecida como "Kanguru", que tem correspondido em termos funcionais às expectativas, mantendo uma ligação estável e, apesar de esta ser uma "pen" de 3.6 Mbps, com uma rapidez adequada.

Outra razão para optar por esta solução foi a compatibilidade com o Windows 7, algo que não sucedia com a antiga "pen" fornecida pela ZON, a qual obrigava e um longo processo de compatibilização e não oferecia o desempenho e a facilidade de uso que se exige neste tipo de equipamento.

Doentes pagam transporte gratuito - 2ª parte

Image Hosted by ImageShack
Uma ambulância dos bombeiros

Este último aspecto é, para nós, dos mais lamentáveis, dado que serão as populações de um Interior empobrecido, muitas vezes abandonado, onde existem cada vez menos infraestruturas, quem será mais penalizado, podendo mesmo vir a impossibilitar o acesso a tratamentos, algo que consideramos inaceitável.

Objectivamente, mesmo sabendo que os custos reais diferem, não parece justo que quem vive ou sobrevive numa zona remota, onde a existência de populações é essencial, se veja penalizado pelo preço do transporte de doentes, sobretudo quando foi o próprio Estado, ao encerrar unidades de saúde locais, que conduziram a esta situação.

Naturalmente, que não podem ser as corporações a suportar estes custos, menos ainda quando existe uma manifesta falta de racionalidade, numerosos abusos e uma falta de coordenação a nível de consultas, que poderia, por exemplo, permitir uma maior concentração de doentes num único transporte, para o que seria necessário um sistema que facilitasse esta opção.

Fora de questão, obviamente, está a possibilidade de fazer transitar encargos para os doentes, certos de que muitos interromperiam tratamentos devido a falta de disponibilidade financeira, com consequências imprevisíveis, mas que podem gravosas ou mesmo fatais, sobretudo quando se trate de doenças crónicas que obrigam a um controle periódico ou tratamentos prolongados, que não permitem interrupção.

quarta-feira, agosto 31, 2011

Conversor de tomada inglesa para europeia

Image Hosted by ImageShack
Um conversor de tomada inglesa para europeia

Muitos dos inversores vendidos no EBay optam por uma tomada de 220 volts num formato universal, que se aproxima mais do utilizado no Reino Unido do que aquele que conhecemos e é usado na maioria dos países europeus, entre os quais Portugal.

Existem inúmeros conversores, mas será de escolher um que tenha um fusível interno, neste caso de 13A, bem como o conector padronizado na Europa com ligação à terra e uma tolerância que atinja os 250 V, como forma de proteger o inversor.

Este modelo é em nylon branco, com uma boa resistência física, tem dimensões de 25.4 mm de diâmetro e 87 mm de comprimento, obedece a normas de segurança inglesas de segurança em termos eléctricos, sendo bastante seguro em termos de uso.

Em princípio, o conversor oferecerá uma primeira barreira de protecção, com o inversor a oferecer a segunda e, caso esteja ligado à caixa de fusíveis, esta conferirá uma terceira, protegendo assim o sistema eléctrico do veículo a vários níveis, de forma a evitar que um equipamento defeituoso danifique o sistema eléctrico do mesmo.

Regiões de Portugal e Espanha vão gerir Emergências em conjunto - 2ª parte

Image Hosted by ImageShack
Uma ambulância do INEM

Numa fase inicial, serão analisados os métodos de gestão do sistema de emergência dos participantes, de modo a compatibilizá-los antes de entrar num campo mais prático de de elaborar os protocolos de actuação e cooperação.

Segue-se uma fase de atribuição de meios comuns, seguindo-se um processo de formação e testes através de simulacros, após o que se procederá a uma avaliação, que precederá a entrada em vigor do protocolo e a gestão comum dos meios disponibilizados.

Para além dos protocolos e meios comuns, serão fomentadas actividades e actuações comuns, com especial enfâse na compatibilização de meios e procedimentos que facilitem uma acção conjunta nos vários níveis de emergência e do socorro.

Ganha assim, força e maior consistência uma cooperação que, de forma mais informal, e portanto menos eficaz, já se sente naquela zona fronteiriça, sendo que desta forma será alcançada uma maior eficácia e racionalização de meios, podendo esta experiência alargar-se a outras zonas fronteiriças.

terça-feira, agosto 30, 2011

Regiões de Portugal e Espanha vão gerir Emergências em conjunto - 1ª parte

Image Hosted by ImageShack
Uma helicóptero do INEM

As regiões espanholas da Galiza e de Castela e Leão em conjunto com a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte estão a desenvolver um projecto que visa a gestão conjunta de meios de emergência, usando de forma automática os recursos disponíveis dos dois lados da fronteira.

O projecto "Assistência Recíproca Inter-regional em Matéria de Emergências" (ARIEM 112) conta com o envolvimento dos governos e autoridades de protecção civil e de saúde das regiões espanholas participantes, bem como dos seus congéneres portugueses, com o objectivo de estabelecer sistemas de colaboração em diversas áreas do socorro.

Será implementado um sistema de cooperação permanente entre os serviços de gestão e de activação de meios em caso de emergências, prevendo-se a padronização de meios informáticos e de comunicações, de forma a permitir o seu uso integrado.

O curso do projecto, que será implementado em quatro fases e deve estar operacional em 2012, está orçado em 400.000 Euros, dos quais 300.000 seráo comparticipados por fundos comunitários atribuidos a projectos transfronteiriços.

segunda-feira, agosto 29, 2011

Facebook melhora controle de privacidade

Image Hosted by ImageShack
Um écran do Facebook

O Facebook, a par de um conjunto de novas funcionalidades, como o "ticker", que permite acompanhar mais facilmente um conjunto de novidades, melhorou alguns aspectos em termos de privacidade, tornando a configuração mais intuitiva.

A visualização de dados, como mensagens afixadas, fotografias ou vídeos, bem como os "tags" do utilizador são agora mais controláveis, sendo que neste último caso reduz substancialmente o "spam", que muitas vezes surge desta forma.

Algumas destas alterações têm efeitos à posteriori, pelo que mesmo podem surgir situações onde alguns dados de outros utilizadores parecem desaparecer, mas tal deve-se somente a defenições de privacidade agora implementadas.

O Facebook foi muitas vezes criticado devido a permitir um acesso demasiado simples a dados pessoais, sobretudo porque a configuração de privacidade era mais complexa do que a do novo Google +, pelo que estas novidades mais do que se justificam.

Doentes pagam transporte gratuito - 1ª parte

Image Hosted by ImageShack
Uma ambulância de transporte

A falta de capacidade financeira das corporações de bombeiros vai levar a situações nas quais os doentes se vêm na contingência de pagar viagens de regresso, a partir de Setembro, as quais seriam gratuitas de acordo com a legislação.

Apesar do aumento de restrições, que reduzem o número de transportes gratuitos, o facto é que o valor pago às corporações continua a ser insuficiente, transformando esta vertente da sua actividade em algo de ruinoso, com implicações graves nas restantes actividades, incluindo o socorro.

Se adicionarmos os atrasos nos pagamentos por parte do Estado, que infelizmente se agravam com prazos cada vez mais dilatados, bem como a perda de receitas resultante da actual crise que atravessamos, é facilmente intuível que os problemas financeiros das corporações se vão agravar.

Também os doentes, sobretudo os com menores recursos, bem como os que residem em zonas afastadas dos locais de tratamento, ou que necessitem de múltiplas deslocações, enfrentarão dificuldades acrescidas, para além de se depararem com uma flagrante injustiça, dado que, pela diferença de distâncias relativamente aos habitantes dos grandes centros urbanos, o valor do transporte é mais elevado.

domingo, agosto 28, 2011

Protecção para caixa de velocidade de Defender

Image Hosted by ImageShack
Uma protecção para caixa de velocidade de Defender

Entre as várias protecções existentes para os Land Rover Defender, existem as destinadas a proteger a caixa de velocidades, sendo esta uma opção secundarizada, após a das barras de direcção, diferenciais e depósito de combustível.

A caixa não é, efectivamente, o componente mais vulnerável, mas não deixa de ser essencial para o funcionamento do veículo, justificando-se protegê-la quando se circule em zonas mais acidentadas, onde impactos pela parte inferior sejam de prever.

Este modelo de protecção, feita em alumínio com 6 mm de espessura, é adequada para os Defender 300 e Td5 nas suas várias versões, 90, 110 e 130e protege a caixa de pancadas ou colisões, sem adicionar um peso substancial ao veículo.

O preço ronda a centena de Euros, a que acrescem portes a partir de Inglaterra, o que tipicamente faz acrescer uma trintena de Euros, sendo esta uma das várias alternativas com que nos deparamos durante as nossas pesquisas.
Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin