sábado, julho 30, 2016

Vale a pena reportar o "spam"? - 2ª parte

O objectivo de reportar "spam" é exactamente esse, o de ser incluído numa espécie de "lista negra" de mails que não devem ser contactados, sob pena de que o emissor e outros envolvidos possam sofrer retaliações por parte de quem presta o serviço, incluindo-se neste a possibilidade de o IP ser incluído numa lista de endereços bloqueados, do que resulta que as mensagens enviadas, mesmo para quem as não denuncia, são filtradas.

Obviamente, para quem envia mensagens, ter o próprio endereço assinalado como originando "spam" é extremamente inconveniente, podendo inviabilizar toda uma campanha, caso o tráfego seja bloqueado ou classificado automaticamente como indesejável, deixando de conseguir aceder à caixa de entrada do destinatário.

Por outro lado, a pressão sobre quem presta o serviço, que vê os seus endereços de IP ou "sites" em listas negras, ajuda a evitar que continuem a ter como cliente quem tem comportamentos menos aceitáveis, sendo comum terminarem o contrato com quem não cumpre as condições de serviço, nas quais o envio de mensagens comerciais indesejáveis consta sempre como motivo para resolução.

Assim, o reportar mensagens indesejáveis, mesmo aquelas que são de teor meramente comercial, para além de poder ter, no médio prazo, vantagens para quem o faz, contribui para manter a Internet mais fluída e segura, acabando com um tráfego que, efectivamente, ninguém pretende, mas que poucos tentam contrariar.

sexta-feira, julho 29, 2016

"Cat S60" com câmara térmica - 1ª parte

A maioria dos nossos leitores associará a Caterpilar a maquinaria para construção civil, como escavadoras, tractores ou outras máquinas de grande porte, mas este fabricante inclui linhas diferenciadas, entre elas de vestuário e de electrónica.

Recentemente lançado, o "Cat S60" é um "smartphone" de alta resistência, destinado a operar em qualquer local e que é o primeiro a implementar uma câmara térmica, capaz de ser utilizado não apenas em condições de baixa visibilidade, mas também para verificar a existência de zonas de calor ou a existência de humidade.

A possibilidade de utilizar uma câmara térmica, do tipo FLIR ou "Forward Looking Infra Red", para a qual existem diversos utilitários na "Play Store", é, indiscutivelmente, o elemento central deste modelo com certificação IP68 e algo que o torna único a nível de "smartphones".

A câmara térmica, posicionada na parte traseira, poderá ser usada para os mais diversos efeitos como, por exemplo, verificar a existência de humidade, detectar se existe perdas de calor em janelas e portas, etc, mas também para tirar fotografias no escuro, obtendo-se o efeito típico que resulta das variações térmicas.

quinta-feira, julho 28, 2016

Bolsas laterais para Serie e Defender

Entre muitas outras soluções, a Exmoor Trim, um dos fabricantes de acessórios em lona mais conhecidos no mundo dos Land Rover, propõe um painel com bolsas, destinado a aumentar o espaço útil, sobretudo a nível de acomodação de pequenos volumes nos Serie e Defender, modelos onde, mesmo quando o espaço o permite, os volumes tendem a ser mal acomodados.

Construído em lona, semelhante à utilizada nas capotas, disponível em khaki e cor de areia, inclui um total de sete bolsas para armazenamento, sendo quatro abertas e três com fecho através de correias, com todo o conjunto a ser bem finalizado, demonstrando uma qualidade e resistência assinaláveis.

A fixação realiza-se através de um conjunto de ganchos, protegidos com pintura a pó, ligados a um conjunto de tensores ou esticadores, que permite que este painel seja instalado em apenas 5 minutos, não sendo necessário furar nenhuma peça do veículo, pelo que, após a sua desmontagem, não ficam marcas de utilização.

Os ganchos podem ser fixos na estrutura da capota de lona ou nas nervuras de um tejadilho rígido, pelo que este sistema é compatível com os diversos modelos de Serie e de Defender, com excepção de modelos como os "truck cab" ou "crew cab", tendo um preço que ronda os 95 Euros, a que acrescem portes a partir de Inglaterra.

quarta-feira, julho 27, 2016

Colchões insufláveis para veículos - 2ª parte

Muito maior, com 190 centímetros de comprimento e 130 de largura, mas espesso, com 16 centímetros contra os perto de 8 do modelo anterior e pesando 4.5 quilos, mais quilo e meio que a outra versão, está disponível um modelo de colchão para caixas de carga.

Este modelo, substancialmente mais caro, com preços a aproximar-se dos 150 Euros, a que podem acrescer direitos alfandegários, é substancialmente mais confortável, sem as mesmas restrições de comprimento e assentando integralmente sobre uma plataforma uniforme, mas é compatível com um muito menor número de veículos.

Tal como com o modelo anterior, este também pode ser utilizado noutros locais, como no interior de uma tenda, ou na praia, mesmo sobre a água, e, neste caso, inclui a bomba para o insuflar, dado que, face ao volume, dificilmente poderia ser insuflado de outra forma.

Estas colchões são exemplo dos inúmeros modelos disponíveis no mercado, adaptados a diferentes modelos de veículos e que permitem dormir no interior sem o recurso a plataformas complexas ou a modificações e equipamentos dispendiosos, sendo de ter em conta para todos quantos apreciem expedições e neles encontrem inspiração para conceber ou planear as suas próprias soluções.

terça-feira, julho 26, 2016

Ineos quer produzir o Defender - 2ª parte

Naturalmente que, como consequência da actual legislação, muito será alterado, sobretudo em termos de segurança, um dos pontos fracos do actual Defender, e normas anti poluição, única forma de ser homologado, mas também se espera que, num mundo dominado pela electrónica, surjam numerosas outras alterações.

O plano da Ineos passa pela produção do novo Defender numa fábrica no Norte de Inglaterra, perto de um porto, de modo a facilitar a exportação, e implica um investimento estimado em 300.000.000 de Euros, sendo de prever que o novo modelo obedeça a métodos de produção completamente diferentes, o que faz todo o sentido face às alterações que se espera sejam introduzidas.

Este não será, na nossa opinião, um novo Defender, tal o número de alterações que terão que ser introduzidas, nem se pode assegurar que seja o legítimo descendente, por a Land Rover também possui planos para construir um modelo que suceda ao Defender que produziu durante décadas, pelo que o enquadramento do produto da Ineos ainda é difícil de estabelecer.

Apenas uma cedência da Jaguar Land Rover, permitindo que a produção do Defender proseguisse, resultaria num modelo realmente parecido, pelo que o produto da Ineos poderá ficar mais distante do original do que aqueles que são ainda hoje produzidos na Turquia e no Irão, onde o Morattab Pazhan continua a replicar, mesmo que com diferenças substanciais, o aspecto do modelo inglês, podendo ser facilmente confundido com este.

segunda-feira, julho 25, 2016

Land Rover Owners de Agosto de 2016 já nas bancas

Já se encontra nos locais de venda habituais a edição de Agosto de 2016 da Land Rover Owners International, com o destaque de capa a pertencer a um Range Rover motorizado por um V12 da Aston Martin, numa modificação complexa mas que resulta num desempenho muito acima do que se obtinha a partir do motor original.

Num período que para muitos é de férias, os artigos sobre viagens e expedições ganham especial relevo, com percursos em locais tão distintos como Inglaterra, África do Sul ou América Central, recorrendo a diferentes modelos da Land Rover, entre eles alguns clássicos que continuam a demonstrar, para além de uma impressionante longevidade, uma grande capacidade para enfrentar as dificuldades destes percursos.

Os restauros de modelos antigos, como um Serie 1, agora motorizado por um V8, ou um protótipo do One Ten, o teste de um Ninety V8, também integralmente restaurado, e a nova "Classe Q", uma nova competição destinada a Land Rover modificados de acordo com um conjunto de regras, também mereceram destaque,

Acrescem os numerosos artigos técnicos e a apresentação e testes de produtos, sejam eles novos, sejam os que foram utilizados pelos colaboradores de forma mais extensa, complementada pelas numerosas páginas de publicidade temática, a partir da qual é possível seguir a evolução de um mercado que, em virtude da saída da Comunidade Europeia por parte do Reino Unido, enfrentará a necessidade de um conjunto de modificações, que podem passar pelo estabelecimento de subsidiárias no espaço comunitário.

domingo, julho 24, 2016

Vale a pena reportar o "spam"? - 1ª parte

Muitos leitores têm colocado a questão sobre a valia de reportar mensagens indesejadas, seja via um serviço especializado, como o Spamcop, seja directamente a quem presta o serviço que permitiu o envio ou ligações contidas na mensagem, normalmente, aquelas que terão maior interesse comercial e justificam o envio.

Naturalmente, que o reportar depende do nível de incómodo e do próprio conteúdo das mensagens, devendo-se diferenciar entre o mero "spam", ou seja mensagens indesejadas de cariz comercial que não implicam perigo para o receptor, e aquelas que consubstanciam um crime, como aquelas em que se tenta enganar o destinatário de modo a que aceda a "sites" infectados ou forneça informações confidenciais, tal como sucede no "phishing".

Se no primeiro caso, tal poderá ser opcional, no segundo, consideramos ser um dever cívico, essencial para tornar a Internet mais segura, contribuindo para eliminar ameaças que, caso permaneçam, tendem a alastrar e a comprometer a segurança de um número cada vez maior de utilizadores, podendo resultar em prejuízos incalculáveis.

No entanto, reportar de forma agressiva todas as mensagens pode resultar numa substancial diminuição destas, caso o endereço de quem as denuncia seja incluído numa lista de "spam trap", um tipo de endereço instituído por muitas organizações, prestadores de serviços ou entidades para detectar e perseguir quem envia correio indesejável.
Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin