sábado, outubro 24, 2009

Já arderam mais de 80.000 hectares em 2008


Image Hosted by Imageshack
Sapadores no combate a um incêndio florestal

Até ao passado dia 15 arderam em Portugal perto de 82.000 hectares de floresta e mato, batendo os números registados em qualquer dos quatro anos anteriores

Os dados, ainda provisórios, da Autoridade Florestal Nacional apontam para valores de área ardida perto de cinco vezes superiores aos do período homólogo de 2008, um ano atípico durante o qual arderam apenas 15.260 hectares, pelo que a comparação perde algum sentido, mas que não podem deixar de ser um alerta para uma possível evolução futura.

Lembramos que foi estabelecido como objectivo limitar a área ardida a um máximo de 100.000 hectares anuais, valor que devia há muito ter sido substituido pela obrigatoriedade de repor a área florestal destruida acrescida de uma percentagem que garanta o ser crescimento sustentado.

Tal como mencionamos anteriormente, a probabilidade de se atingirem os 100.000 hectares de área ardida este ano é baixa, mesmo tendo em conta o prolongar do tempo quente, já que não é expectável que as condições na última quinzena de Outubro e em Novembro e Dezembro sejam propícias a grandes fogos, mas será de lembrar que o dispositivo foi bastante reduzido e que um pequeno incêndio nesta época do ano poderá ter consequências mais gravosas do que durante o Verão.

Independentemente da área ardida, a diminuição da área florestal, resultante de um número de novos povoamentos que não compensa os destruidos pelo fogo, e o crescente abandono do Interior e da actividade agrícola implica que mesmo abaixo dos 100.000 hectares considerados como objectivo, estamos perante um défice e, consequentemente, diante de mais uma derrota, por muito que se pretenda usar os números para demonstrar o contrário.

sexta-feira, outubro 23, 2009

Wikiloc ganha prémio do National Geographic Society


Image Hosted by Imageshack
Um percurso no Wikiloc

Menos conhecido que a Wikepedia, mas obedecendo ao mesmo princípio de permitir aos utilizadores escrever e alterar artigos, o Wikiloc assume-se como um repositório interactivo de percursos que podem ser utilizados livremente por quem os pretenda percorrer.

Recentemente, novas características foram adicionadas, como o desenhar percursos sobre mapas topográficos, que agora incluem a elevação, agora adicionada automaticamente, versus a distância, numa base de dados que inclui mais de 110.000 percursos e de 160.000 fotos e vídeos.

A importância deste conjunto de informação, bem como o motor de gestão associado, o qual tem sido sucessivamente melhorado, foi reconhecida pela National Geographic Society, instituição cujo reconhecimento e prestígio internacional dispensa qualquer tipo de apresentação.

É raro que uma iniciativa que depende essencialmente da adesão dos utilizadores atinja uma tal importância, pelo que, para quem ainda não conhece o Wikiloc, aconselhamos uma visita e, se possível, a colaboração através do envio de informações que serão partilhadas com os restantes utilizadores deste sistema.

Tratamento noticioso do suicídio na GNR e na France Telecom - 2ª parte


Image Hosted by ImageShack
Militares da GNR numa operação stop

A ideia de que o suicídio é contagioso, independentemente da sua validade, terá aqui pouca aplicação, pois dentro de uma instituição militar como a GNR não haverá ninguém que não esteja ao corrente, pelo que somos tentados a admitir que esta não será a razão pela forma como é feito o tratamento jornalístico deste problema.

Aliás, é de notar que existe uma especial incidência de casos entre os militares da GNR em postos no Interior, sendo que nas unidades de maior dimensão o número é menor, enquanto tal não se verifica, pelo que conhecemos, entre os que cumprem missões no exterior, onde o risco é francamente superior ao existente em território nacional.

O facto de as ocorrências se verificarem em áreas remotas, longe dos princiais centros urbanos, poderá também ter algum efeito a nível noticioso, tal como sucede com outras situações onde aquelas que ocorrem perto das cidades de Lisboa e Porto ganham especial destaque em meios de comunicação social para os quais o imediatismo tem especial importância e que remetem para a imprensa escrita o que não podem noticiar quase em tempo real.

Entre a eficácia do trabalho jornalístico, o imediatismo que se traduz em audiências, a complexidade de um tema incómodo que não pode ser abordado de ânimo leve e uma aparente falta de vontade, que pode ser consequência de pressões, algo que não é inédito na comunicação social portuguesa, este é um tema que parece haver pouca vontade de abordar.

quinta-feira, outubro 22, 2009

Windows 7 final chega ao mercado


Image Hosted by ImageShack
Um écran do novo Windows 7

Chega hoje ao mercado a versão defenitiva do Windows 7, com o qual a Microsoft encerra o infeliz capítulo do Vista e proporciona um sucessor digno ao XP.

Para além de exigir menos recursos dos equipamentos onde corre, o Windows 7 é também mais barato que o seu antecessor, com preços que variam entre os 89.99 euros e os 364.99 euros num total de seis versões diferentes.

O Windows 7 é mais rápido, mais compacto e com novas funcionalidades multimédia que o tornam mais fácil de utilizar, levando a alterações a nível da própria construção de novos equipamentos, que vêm ao encontro das novas possibilidades do sistema operativo.

Para quem usa produtos da Microsoft, sobretudo para os utilizadores do Vista, esta é uma actualização que se recomenda, dado que após o período de evolução e testes o Windows 7 se tem revelado como muito superior ao seu antecessor.

Do fogo às cheias numa semana


Image Hosted by Imageshack
Cheias em Lisboa (RTP)

As alterações climáticas têm resultado numa muito rápida progressão entre temperaturas quentes e pouca humidade no ar para situações de temporal, com chuvas intensas, frio, ventos fortes e as consequentes inundações e danos.

O típico período de acalmia que medeava entre o fim do que se chamava "época dos fogos" e a efectiva chegada do mau tempo, onde era possível proceder uma reorganização do dispositivo, à recuperação de equipamentos danificados e mesmo ao descanso do pessoal, desgastado pelos meses de intensa actividade no Verão, parece ter desaparecido ou estar substancialmente encurtado, dificultando assim as operações de socorro.

Por outro lado, esta continuidade aponta mais uma vez no sentido de dispor de efectivos em permanência, pelo que a necessidade um maior número de profissionais faz-se cada vez mais sentir, evitando flutuações de efectivos que tendem a ocorrer quando existe uma dependência demasiado grande dos voluntários.

Às alterações climáticas devia responder uma alteração dos meios de socorro em termos organizacionais, na sua capacidade de mobilização, no posicionamento do dispositivo e nos meios envolvidos, facto que ganha uma maior gravidade se atentarmos ao facto de ser expectável que a evolução seja no sentido actual, ou seja, de variações mais bruscasa nível do clima e de uma instabilidade que propicia os desastres naturais.

quarta-feira, outubro 21, 2009

Versão Beta do Office 2010 estará disponível em Novembro


Image Hosted by Imageshack
O écran do novo Office 2010 da Microsoft

A versão Beta do Office 2010 da Microsoft estará disponível para ser testada pelo público a partir do próximo mês de Novembro, após ter sido enviada para um conjunto de utilizadores selecionados no passado mês de Junho.

A Microsoft apontou para uma data posterior ao lançamento comercial do Windows 7 para disponiblizar esta versão "Beta", dado que esta será a combinação em que pretende apostar durante os próximos tempos em termos de "software" base instalado nos computadores que optem pelos seus produtos.

Prevê-se que a versão final chegue ao mercado em meados do próximo ano, após a disponibilização de uma "release candidate", mas a data defenitiva ainda não foi revelada pelo fabricante.

Num altura em que surgem cada vez mais alternativas sem custos para o utilizador, o novo Office vai enfrentar um conjunto de dificuldades para se afirmar, tendo sobretudo a vantagem de necessitar de um menor período de aprendizagem por parte de quem está familiarizado com versões anteriores e de continuar a haver um elevado número de organizações que continua a recear usar "software" livre.

Tratamento noticioso do suicídio na GNR e na France Telecom - 1ª parte


Image Hosted by ImageShack
Militar da GNR

Desde o início de 2008, que um total de 20 militares da Guarda Nacional Republicana (GNR) puserarm termo à vida, facto pouco noticiado quando comparado com um número pouco superior de funcionários da France Telecom que fizeram o mesmo no mesmo espaço de tempo.

Acresce ainda a comparação dos efectivos, mais escassos na GNR do que empresa francesa de telecomunicações, do que resulta uma muito maior incidência, revelando a maior gravidade da situação que se vive dentro desta força de segurança.

No entanto, enquanto os suicídios na France Telecom são objecto de tratamento jornalístico com algum destaque nos canais televisivos, os que ocorrem na GNR ficam, normalmente pelas páginas da imprensa, longe da atenção do grande público que tende a centrar-se mais na informação audio-visual.

Pode-se tentar encontrar algumas razões para esta diferença de tratamento noticioso, que opta por destacar o que se passa fora das nossas fronteiras e, percentualmente, de forma mais limitada, se bem que, objectivamente, tal pareça sempre difícil de justificar.

terça-feira, outubro 20, 2009

Falta de privacidade no "Street View"


Image Hosted by Imageshack
Uma matrícula bem visível no "Street View"

Logo a seguir ao seu lançamento, a funcionalidade "Stree View" do Google Maps levantou questões quanto à privacidade de pessoas e dos seus bens, fotografados com detalhes que os tornariam facilmente identificáveis.

Como resposta, o Google obscureceu ou distorceu as faces das pessoas e as matrículas de automóveis, mas tal parece não ter resultado a 100%, facto comprovado pela foto do nosso próprio Land Rover, onde a matrícula é perfeitamente visível.

Na imagem que apresentamos, optamos por deixar um conjunto de dois dígitos como forma de demonstrar até que ponto a identificação é fácil, facto que se torna mais grave devido à localização geográfica precisa do mapa.

Para além da privacidade, entramos em questões relacionadas com a segurança, sendo que o Google oferece aos menos bem intencionados as ferrramentas necessárias para actos que prejudicam o cidadão comum, que tem o direito a não ser exposto desta forma.

Redução de efectivos em tempo quente - 2ª parte


Image Hosted by Imageshack
Sapadores no combate a um fogo florestal

Também os meios aéreos, que têm limitações de operação durante a noite ou com mau tempo, são igualmente reduzidos, diminuindo ainda mais a capacidade de reacção e a eficácia de uma primeira intervenção a nível de contenção, remetendo o combate para uma fase posterior, altura em que a possibilidade de propagação se torna bastante real.

Apesar de esta situação estar a ser avaliada por parte da ANPC, a simples análise das alterações climáticas, a sua previsível evolução e o próprio ressurgimento de novas povoações em diversas áreas florestais devastadas nos anos de 2003 e 2005 deviam fazer prever e prevenir os problemas com que algumas corporações agora se deparam.

A actual forma de mobilização de meios segundo um conjunto de fases pré-determinadas, que obecedem a uma calendarização rígida e pouco adequada a uma realidade que evoluiu constantemente nos últimos anos, necessita, obviamente de ser revista, de forma a que haja uma maior flexibilidade e uma capacidade de resposta melhorada fora das fases consideradas onde se verifica um maior número de ocorrências.

A maior distribuição de ocorrência ao longo do ano permite, naturalmente, apontar no sentido de um maior efectivo fixo, a ser coberto essencialmente por elementos profissionais ou semi-profissionalizados, complementados por voluntários melhor preparados e enquadrados, aos quais caberá sempre um papel essencial no socorro.

segunda-feira, outubro 19, 2009

Nova tecnologia para redes WiFi


Image Hosted by Imageshack
Um equipamento WiFi

Uma nova tecnologia, designada por WiFi Direct, vai permitir implementar redes do tipo "peer to peer" sem a necessidade de um equipamento central, como um "router".

Este novo protocolo permite a identificação e agregação de equipamentos, que poderão ser computadores, impressoras, telemóveis ou outros que implementem esta tecnologia, de modo a que estes comuniquem entre sí directamente, sem um dispositivo que coordene a interacção.

O WiFi Direct tem um alcance de 100 metros, dependente dos obstáculos, vindo competir directamente com o Bluetooth na implementação de pequenas redes sem fios que dispensem uma estrutura rígida em torno de equipamentos que coordenem as comunicação.

A Wi-Fi Alliance, que reune empresas que desenvolvem productos na área das tecnologias Wi-Fi, prevê que equipamentos suportando esta norma estejam disponíveis no mercado já em 2010.

Redução de efectivos em tempo quente - 1ª parte


Image Hosted by Imageshack
Combate a um incêndio florestal

O rigidez de um planeamento que tem pouco em conta as alterações climáticas patentes nos últimos anos e a falta de um conjunto de profissionais em regime de permanência em número adequado, tem levantado problemas no combate aos fogos, feita agora com um número de efectivos reduzido.

Embora as temperaturas, quando estamos a meio de Outubro, se mantenham perto do limite dos 30º, um dos números usados para balisar o aumento de risco de fogos, a Directiva Operacional da Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC), determina que apenas 1.497 dos 5441 elementos até então disponíveis permanecem adstritos ao combate aos incêndios florestais.

Com níveis de alerta que continuam a situar-se no amarelo em diversos distritos e por dias consecutivos e números de ocorrências diárias que podem andar na casa da centena, a ANPC não reviu o dispositivo, de modo a aumentar a disponibilidade de recursos num ano em que a tendência para a diminuição de área ardida se inverteu.

Esta redução de meios, prevista e concretizada, tem merecido críticas por parte de diversas corporações, sobretudo das que actuam em locais mais remotos ou isolados, e que dificilmente podem contar com reforços com a rapidez necessária para evitar que um pequeno foco de incêndio se propague rapidamente.

domingo, outubro 18, 2009

Compressor de 17 bar no Lidl


Image Hosted by Imageshack
Compressor de 17 bar no Lidl

Um pequeno compressor, capaz de encher, por exemplo, pneus, coletes de salvamento ou bóias é um equipamento que se justifica incluir num pequeno "kit" de emergência multifuncional, sem que tal acarrete nem o dispêndio de um valor elevado, nem um peso ou ocupação de espaço excessivo.

O compressor que hoje mencionamos possui uma mangueira com cerca de 50 cm, com três bicos adaptadores, manómetro integrado com 2 medidas, num máximo de 250 PSI / 17 Bar e um cabo de ligação a tomada de isqueiro com aproximadamente 3 metros.

O sistema de utilização é extremamente simples, mesmo para quem tenha pouca ou nenhuma experiência, bastando ligá-lo a uma tomada de isqueiro, ou a um adaptador equivalente caso seja necessário usá-lo longe de uma viatura, colocar na mangueira o bico correcto para a válvula em causa e ligá-lo, controlando, caso necessário, a pressão através do manometro.

Este modelo estará à venda nas lojas Lidl a partir de dia 22 de Outubro pelo preço de 9.99 euros e, não obstante não poder rivalizar com modelos mais potentes e dispendiosos, permite repor a pressão dos pneus longe de estações de serviço.
Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin