sábado, maio 09, 2015

Espelho de substituição para retrovisor

Partir um espelho retrovisor, mantendo o suporte, estrutura e mecanismo intactos, é algo que pode suceder a qualquer veículo, mas as consequências, dependendo do modelo exacto, podem resultar em encargos completamente díspares, com o fabricante, nalguns casos, a propor a substituição do conjunto completo, o que pode orçar em centenas de Euros.

A solução mais económica e mais rápida, quando possível, é substituir apenas o espelho, colando no seu lugar, sobre o original danificado, caso esteja completo e firmemente seguro, ou sobre o suporte deste, um novo espelho, com a superfície traseira autocolante, que irá aderir sobre uma superfície plana, substituindo apenas o espelho e mantendo os restantes componentes.

Devem-se observar alguns cuidados, nomeadamente a nível da preparação da superfície, removendo todos os fragmentos soltos ou em risco de se soltarem e, tanto quanto possível, uniformizar a superfície, que deve ficar tão plana e limpa quanto possível, após o que se remove o papel protector do novo espelho e se coloca no local correcto, podendo usar-se um pouco de resina sintética para reforçar a aderencia perto dos bordos.

Este processo demora escassos minutos e está ao alcance de qualquer um, sendo uma opção económica, dado que o espelho de substituição custa perto de uma dezena de Euros, incluindo portes, e dispensa qualquer mão de obra adicional, pelo que a aplicação se pode efectuar imediatamente após receber a peça o que, sendo a partir da Europa, demora aproximadamente uma semana.

sexta-feira, maio 08, 2015

Baratos mas funcionais - 2ª parte

Num âmbito semelhante, o pequeno, quase minúsculo, utensílio que envolve uma chave e pode ser usado como chave de parafusos ou de fendas, tem correspondido, tal como na sua funcionalidade de abre cápsulas, enquanto como pinça, o que obriga a remover do porta chaves, é manifestamente pouco prática e eficiente, perdendo em termos de resultado geral para a concorrência, como a ferramenta anteriormente descrita.

Concebidas como coleiras e convertidas para sistema de fixação do estojo de primeiros socorros, após ter sido retirada a peça onde seria presa a trela, as pequenas correias com ajuste e sistema de abertura rápida provaram ser mais do que adequadas e, eventualmente, superiores a alternativas concebidas para o efeito, com uma resistência e facilidade de utilização irrepreensíveis, para além de serem da cor que pretendiamos para este fim.

O estojo ou caixa protectora rígida para óculos tem a dimensão suficiente para a maioria dos modelos e protege adequadamente o conteúdo em caso de impacto, mas também a nível de pó e de humidade, sendo ideal para guardar uns óculos de uso ocasional, já que o fecho éclair não é a solução mais prática, perdendo para um sistema com velcro que, naturalmente seria mais dispendioso.

Também a pequena lanterna em formato de cartão de crédito, que se liga quando se roda a pequena peça em formato de lâmpada de onde emana a luz, tem sido utilizada sem problemas, não obstante alguma fragilidade do mecanismo, e a luz, mesmo sendo fraca, ilumina, por exemplo, um teclado ou um bloco de notas, permitindo o seu uso ou leitura com facilidade, com a bateria a demonstrar uma longevidade francamente superior ao esperado.

quinta-feira, maio 07, 2015

Consolas para tejadilho da ACC16 para Defender

A ACC16, um fabricante de acessórios de origem francesa, disponibilizou um modelo de consola modular para os Land Rover Defender, que se posiciona ao longo do para brisas, junto do tejadilho, e aproveita as furações existentes, não obrigando a alterações ou ao reposicionamento de equipamentos ou acessórios existentes.

A base do sistema é uma calha metálica de suporte, que atravessa o habitáculo de um lado ao outro, sobre a qual são adicionados os diversos módulos, que podem incluir desde simples gavetas a paineis para botões ou comandos, passando por simples paineis de finalização, destinados a cobrir espaços deixados vazios.

O preço base desta consola fica pela centena de Euros, a que acrescem portes, mas que inclui somente a calha de suporte e um módulo, que inclui uma baía para dispositivos DIN, como um rádio, e outra específica do fabricante, acrescendo um valor a pagar para cada um dos restantes módulos, pelo que o valor total desta consola completa pode facilmente passar dos 200 Euros.

Com uma boa qualidade de construção, evitando alterações no veículo, excepto para passagem de cabos, caso necessário, as consolas da ACC16 são sólidas, permitem uma configuração muito variada e de acordo com o pretendido por cada cliente individual, acomodando numerosos equipamentos e comandos de forma acessível, rentabilizando o escasso espaço que o Defender proporciona para efeitos de instalação de acessórios e mesmo de pequenos objectos.

quarta-feira, maio 06, 2015

Baratos mas funcionais - 1ª parte

Alguns dos equipamentos ou acessórios adquiridos a muito baixo preço, tipicamente perto de uma libra, o que equivale a perto de 1.40 Euros, segundo o actual câmbio, dado o seu baixo preço, levantaram algumas desconfianças quanto a um uso prolongado ou mesmo relativamente à sua adequação aos fins propostos, tendo-se revelado como uma agradável surpresa.

A pequena bolsa para objectos, onde se podem colocar documentos ou um cartão, inclusivé os que são usados nos parques de estacionamento pagos, revelou-se uma agradável surpresa, mantendo-se no seu lugar e cumprindo bem a sua função, sem ocupar espaço que realmente não abunda dentro do Defender, conhecido por ser estreito na zona dos assentos dianteiros.

O suporte para dispositivos, que permite fixá-los no para-brisas, demonstrou que, para além de seguro, pois nunca se soltou, agarra firmemente o equipamento, que pode ser um telemóvel com écran até às 5", dado que, a partir dessa dimensão, a pressão exercida pela mola nos parece excessiva, tem sido igualmente útil e de utilização muito fácil.

A ferramente de usos múltiplos, em formato de cartão de crédito, tem demonstrado ser suficientemente resistente para ser utilizada como chave de parafusos ou para remover cápsulas de garrafas, e mesmo a serrilha é funcional, embora as pequenas dimensões, que facilitam o transporte, comprometam um pouco o seu uso nesta função.

terça-feira, maio 05, 2015

Instalação do "pod" no Defender

Com a chegada, perto de 3 semanas após a encomenda, do "pod" para voltímetro, tomada de isqueiro e conectores USB, torna-se necessário proceder à instalação, obviamente sobre uma superfície plana, mas numa posição bastante flexível, dado que é possível posicionar os vários componentes de acordo com o pretendido, ficando apenas em aberto a questão da cablagem e, dependendo da superfície, da solução em termos de fixação.

Estes "pods" foram concebidos para serem montados sobre uma superfície, como o "tablier", inclusivé de uma embarcação, para o que os componentes com conectores possuem as tampas adequadas, mas nada impede que sejam montados seja sob este, seja ao alto, ao longo do tunel central por onde passa a transmissão, sendo essencial que se possa fazer uma ligação eléctrica com facilidade e que a superfície onde é aparafusado seja suficientemente sólida para que este não se solte.

Naturalmente, o voltímetro tem que estar suficientemente visível, de modo a poder ser consultado sempre que necessário, e as conexões fornecidas devem estar acessíveis e num local onde a saída dos cabos, que no total podem ser 3, permitam a ligação de equipamentos, como um GPS, uma câmara ou um telemóvel, sem que a cablagem fique demasiadamente exposta e se desligue com facilidade caso surjam solavantos.

Apesar de termos uma ideia concreta desde que procedemos à encomenda, agradecemos sugestões quanto à colocação deste "pod" no Defender, bem como a disposição dos vários componentes, com ou sem as tampas, e forma de fazer as ligações eléctricas, respeitando os critérios que estabelecemos e que, no fundo, são ditados pelo bom senso no sentido de garantir a funcionalidade necessária para dispor do número de pontos de alimentação suficientes para os equipamentos que utilizamos.

segunda-feira, maio 04, 2015

Novos "scanners" da Britpart para Land Rover - 3ª parte

A actualização do "software" dos veículos, ou seja a reprogramação, actualização ou reposição do conteúdo de uma unidade de gestão electrónica, calibragens, ajustes de altura, criação de múltiplos perfís, cópias de segurança destes, são algumas das funções incluidas apenas na versão que funciona por "bluetooth" e na versão "Pro", e que muita falta podem fazer a muitos utilizadores.

Logicamente que a opção típica de um particular será a de adquirir a versão menos dispendiosa e desbloquear as funções avançadas incluidas na "BT" ou "Pro" para um veículo específico, ou para os Land Rover que possua, mas tal é um investimento que se perde com a venda do veículo, caso o novo proprietário não valorize o "IIDTool" de forma adequada, dado que esta é uma solução que ultrapassa o meio milhar de Euros.

Assim, verificam-se inúmeras restrições, licenciamento algo complexo e um conjunto de funcionalidades que, efectivamente, não são inéditas em produtos mais acessíveis e que abrangem outras marcas, pagando um pequeno preço no caso de alguns Land Rover com características específicas e que o "IIDTool" suporta, mas que, em muitos casos, pode ser contornado.

Tal como o "scanner" proposto pela Terrafirma, que funciona autonomamente, o modelo proposto pela Britpart implementa algumas funcionalidades interessantes, mas a forma de licenciamento, as restrições quanto aos dispositivos compatíveis, que previlegiam os IOS e excluem a esmagadora maioria dos "Android", comprometem, na nossa opinião, o "IIDTool", e que, para quem não possua um dispositivo compatível, teria que pagar um acréscimo absurdo para poder utilizar esta solução, acaba por torná-la pouco competitiva face à concorrência.

domingo, maio 03, 2015

Nacional 222 é a melhor estrada do Mundo

A escolha da Estrada Nacional 222 como a melhor do Mundo resulta de um conjunto de permissas a partir dos quais foi elaborada uma fórmula ou algoritmo da qual resultou esta classificação de acordo com o Índice de Condução Avis, ou ADR – Avis Driving Ratio, num estudo que incluiu especialistas em diversas áreas.

Foram avaliados factores como o desenho do traçado, o tipo de curvas, o equilíbrio entre curvas e rectas, as distâncias de travagem e as zonas de maior aceleração, de modo a que a condução seja desafiante e variada, sem deixar de permitir apreciar devidamente a paisagem circundante, sem que tal envolva um acréscimo sério de risco de acidente.

Com um total de 93 curvas ao longo de 27 quilómetros, desde a Régua ao Pinhão, junto do Douro vinhateiro, com vista para para o rio, para socalcos e vinhedos, numa zona classificada pela UNESCO como Património da Humanidade, este percurso, que se efectua em meia hora a velocidade moderada, sobre um piso que nem sempre se encontra nas melhores condições, permite aceder ainda a um conjunto de locais e pontos de interesse em múltiplas áreas e aspectos.

A EN 222 está visível no Google Earth, mas as imagens disponíveis não se aproximam, de forma alguma, da realidade, pelo que esta será uma viagem a ter em conta, caso possível, sendo esta a única forma de apreciar devidamente toda a beleza envolvente de uma região única no panorama mundial.
Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin