sexta-feira, dezembro 13, 2019

2 horas para socorro no centro de Lisboa - 3ª parte

O accionamento de uma segunda ambulância também do Beato, que iria percorrer a mesma distância, é algo que deve ser explicado, sobretudo se o contacto foi efectuado directamente para a corporação de bombeiros e não através do Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CDOS), que poderia ter meios posicionados num local mais favorável e que, portanto, chegariam mais rapidamente ao local do incidente.

Por outro lado, tendo sido pedido um meio diferenciado, no caso concreto, pelo que se sabe, uma Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER), que não foi enviada, presume-se que por indisponibilidade, mas cuja ausência nesta ocorrência tem que ser justificada, aponta igualmente para uma flagrante escassez de meios ou para uma gestão duvidosa dos mesmos.

Oviamente, face às distâncias a percorrer, pode o CDOS ter concluído que a VMER chegaria ao local da ocorrência após o doente ter chegado ao hospital, caso a ambulância que o transportava partisse nessa altura, pelo que a espera pela VMER deixaria de fazer sentido, mas o facto é que, face ao tempo que decorreu entre o accionamento de meios e a chegada ao destino, tal necessita de ser devidamente esclarecido.

Infelizmente, as condições de transitabilidade em Lisboa, uma cidade cada vez mais desestruturada, onde vias para veículos são eliminadas, dando lugar a ciclovias, algo que sucede em vias estruturantes e essenciais para o socorro, contribui para o aumento do tempo de espera e para a impossibilidade de efectuar as missões com a rapidez necessária para que se revelem eficazes.

quinta-feira, dezembro 12, 2019

Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios nada adiantam - 3ª parte

Compreende-se, portanto, que vários autarcas nem sequer tenham activado os respectivos planos, alegando, quase sempre, que o que deles consta já estava a ser seguido e que da sua activação não resultariam melhorias na coordenação das operações ou na protecção das populações, o que, sendo raramente analizado na altura, acaba por confirmar a inutilidade do plano e o absurdo da sua aceitação por parte da tutela.

Naturalmente, todos estes planos deviam ter sido criteriosamente analizados e avaliados por uma entidade independente e com os conhecimentos adequados na altura da sua submissão, sendo liminarmente recusados, com as implicações legais daí decorrentes, caso não se enquadrassem no que o legislador efectivamente previu.

Apesar de anunciado uma análise destes planos municipais por parte do Instituto de Conservação da Natureza, tal representa, pela sua incidência, uma visão parcial, pelo que urge uma revisão mais abrangente e a sua inclusão, mesmo que com as necessárias alterações, num nível de planeamento superior, devidamente integrado, numa perspectiva mais larga, sem que cada plano fique confinado aos concelhos de que são originários.

Se a ideia destes planos municipais pode ser útil, a verdade é que da sua implementação não resultou qualquer das vantagens a que supostamente dariam origem, sendo um exemplo prático do que de pior se faz neste País, onde as aparências escondem uma dura realidade, enquanto muitos vivem na ilusão de uma segurança que o planeamento efectuado teria a qualidade que o tornaria numa base de acção exequível, capaz de proporcionar um auxílio relevante no combate aos fogos.

quarta-feira, dezembro 11, 2019

Buy Me a Coffee


Buy Me a Coffee at ko-fi.com

2 horas para socorro no centro de Lisboa - 2ª parte

É de notar que estamos a falar de uma ambulância de socorro indiferenciada, portanto não está em causa a especificidade do meio, que pode ser um condicionante, como resultado de uma menor disponibilidade de meios mais especializados, pelo que temos que nos equacionar quanto aos meios efectivamente disponíveis, bem como à sua distribuição geográfica.

Assim, meia hora entre o alerta e a chegada de um meio de socorro, que atravessou a cidade numa hora de movimento, seria sempre de prever, e este tempo já seria exagerado face ao que se pode esperar dentro de Lisboa caso o meio accionado estivesse mais perto, como de Campo de Ourique, sendo de estranhar que o meio indiferenciado mais perto partisse do Beato.

A avaria da ambulância, sendo imprevisível, pode ou não ser expectável, dependendo do seu estado de manutenção, idade, qualidade de construção, bem como de todos os diversos factores e condicionalismos que determinam a fiabilidade deste tipo de meio que, obviamente, é submetido a um grande desgaste, pelo que necessita de cuidados que se coadunem com a importância das missões onde é utilizado.

Convém, portanto, saber qual o estado da ambulância enviada, se estaria a cumprir os planos de manutenção ou se o seu estado permitiria desempenhar missões com este nível de responsabilidade de forma segura, excluindo-se, naturalmente os imprevistos, mas assegurando que todo o possível foi feito para minorar o risco de incidentes.

terça-feira, dezembro 10, 2019

Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios nada adiantam - 2ª parte

Desta forma, muitos municípios cumpriram a formalidade constante da legislação em vigor elaborando um documento cujo principal impacto foi o respectivo custo, sendo que o trabalho, em casos específicos, foi entregue a empresas cuja competência para o efeito é, no mínimo, duvidosa e que, obviamente, nunca deveriam ter recebido uma tal incumbência.

Assim, e porque a prioridade foi o cumprimento da legislação, evitando sanções ou perdas de verbas, e não a sua utilidade objectiva, estes planos acabam por, em diversas situações, nem sequer serem accionados, tal a inutilidade dos mesmos e a possibilidade de, face à sua qualidade, contribuirem para agravar uma situação já de sí complexa, acrescentando um novo factor de instabilidade que tornaria mais visível o absurdo do respectivo conteúdo.

É óbvio que um plano adequado a cada caso específico implica um nível de conhecimentos que poderá não estar ao alcance de todos os municípios, e que existe toda uma envolvência, complementaridade e subsidariedade que interage com a realidade local e tudo o que a circunscreve, a qual necessita de ser avaliada a um nível superior, mas da qual depende o realismo e exequabilidade de qualquer plano, independentemente do nível a que é implantado.

Por outro lado, a atribuição ao nível municipal de planos que se deviam articular com uma visão estratégica nacional, actualmente completamente inexistente, determina a escassa valia e difícil aplicabilidade dos mesmos, que, podendo ser eficazes num conjunto limitado de situações localizadas, não serão suficientes para estabelecer forma eficazes de enfrentar problemas mais complexos, sobretudo quando ultrapassem os limites do respectivo concelho.

segunda-feira, dezembro 09, 2019

2 horas para socorro no centro de Lisboa - 1ª parte

Era invitável que o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) abrisse um inquérito após o falecimento do médico Carlos Amaral Dias, ocorrida numa ambulância que chegou ao hospital de destino perto de duas horas após ter sido dado o alerta.

Esta situação ocorreu no centro de Lisboa, local da residência da vítima, que residia perto do Marquês de Pombal e, portanto, a uma curta distância do Hospital de S. José, para onde estava previsto o respectivo atendimento, e uma demora de duas horas entre o alerta e a chegada, independentemente dos incidentes que possam ocorrer, levanta graves desconfianças quanto ao funcionamento do socorro em Portugal.

As declarações da porta-voz do INEM, obviamente, não descansam ninguém, e o pedido de confiança na instituição, nesta altura e antes de concluído o inquérito, surge como inadequado e, no limite, descredibilizador, dando a entender que, face ao que parece ser um incidente da maior gravidade e que pode ser revelador do real estado do socorro, a situação parece controlada.

Quando se observa o cronograma da ocorrência, a primeira situação que desperta a atenção é o facto de ter sido accionada uma ambulância dos Bombeiros do Beato, que teria que atravessar grande parte da cidade de Lisboa, pelo que imediatamente ocorre se não estaria disponível um meio equivalente a uma distância menor e que pudesse chegar ao local do pedido num menor espaço de tempo.

domingo, dezembro 08, 2019

O "switch" Tenda SG105 - 2ª parte

Este modelo suporta "full" e "half" duplex, com as portas a negociar automaticamente as velocidades de 10, 100 e 1.000 Mbps, de acordo com as normas IEEE 802.3, IEEE 802.3u, IEEE 802.3x e IEEE 802.3ab, implementando um sistema de armazenamento e encaminhamento baseado numa tabela que pode incluir até 2.000 endereços físicos.

Um conjunto de "leds" permite uma rápida visualização do estado, seja em termos de alimentação, seja da actividade das diversas portas RJ-45, o que permite uma primeira despistagem de erros que, para uma análise mais profunda, será feita via sistema operativo dos equipamentos conectados, e que podem ser Windows, Linux ou MacOS, ou seja, todos quantos suportem os mesmos protocolos de rede usados por este "switch".

Trocar um "switch" em uso por este consiste, essencialmente, no desligar da fonte de alimentação e dos cabos, remover o equipamento, colocar o novo "switch", ligar os cabos e, finalmente, o transformador, ficando activo de imediato e passando a efectuar a transmissão dos dados, de forma transparente e sem que haja necessidade de alguma intervenção suplementar, salvo em caso de avaria ou de alguma situação muito peculiar em termos de configurações.

Com um preço que fica abaixo da dezena de Euros, incluindo portes a partir da Ásia, este "switch" representa um bom valor face ao preço pago, sendo adequado para uma modificação na estrutura de uma rede onde um modelo mais antigo, sem capacidade para transmitir a 1 Gb, represente um estrangulamento, nomeadamente, quando a ele sejam ligados computadores pessoais e sobretudo quando sejam várias as unidades simultaneamente em uso que dependem desta ligação.

sábado, dezembro 07, 2019

"Mensagens" do Google passará a verificar origem de mensagens

A aplicação de "Mensagens" do Google, provavelmente o programa de envio de mensagens via telemóvel mais popular do Mundo, começou a receber uma novidade relevante, a verificação da entidade que procede ao envio, actualmente apenas disponível nos Estados Unidos, mas que irá progressivamente ser alargado a outros países.

Este nova funcionalidade baseia-se num sistema de verificação de identidade a partir do qual o Google determina se quem efectuou o envio é, efectivamente, quem diz ser, recorrendo a um conjunto de algoritmos que previnem o utilizador que uma dada mensagem pode ser enganadora, eventualmente assumindo os contornos de um esquema de "phishing", um tipo de ataque cada vez mais utilizado e que, não obstante os avisos de diversas entidades, continua a ser particularmente perigoso.

Recentemente, muitos utilizadores de comunicações móveis em Portugal receberam mensagens enganadoras, aparentando serem provenientes de entidades ou empresas conhecidas, como aconteceu com o Pingo Doce, que os redireccionavam para "sites" falsos, destinados a recolher dados pessoais ou a infectar o dispositivo utilizado para o acesso.

Actualmente já está disponível a possibilidade de reportar uma mensagem como indesejável e bloquear quem procede ao envio, mas tal decisão parte sempre do receptor e, embora a opção de reportar a mensagem possa ter efeito sobre quem procede ao envio, o facto é que não funciona de forma preventiva, pelo que esta nova possibilidade vem diminuir os riscos de um engano com consequências imprevisíveis.

sexta-feira, dezembro 06, 2019

O "switch" Tenda SG105 - 1ª parte

Numa semana parcialmente dedicada a actualizar o sistema informático que utilizamos, para além de computadores pessoais, substituímos um dos "switches" que utilizamos, tendo optado por um Tenda SG105, com capacidade de transmitir até 1 Gb, o que representa um substancial aumento face ao modelo 10/100 usado até agora.

Dispondo de um "router" com portas de 1 Gb, com placas de rede com a mesma velocidade nos diversos equipamentos desta rede, o "switch" com portas que apenas comunicam com velocidades até 100 Mbits por segundo representava um estrangulamento que, actualmente, é fácil de ultrapassar, dado o preço a que os "switch" de 1 Gb se encontram no mercado.

O Tenda SG105 é um "switch" de 5 portas, das quais apenas 4 serão utilizáveis como expansão caso se use a restante para ligação a outro equipamento, como o "router", de muito fácil instalação, que dispensa qualquer tipo de configuração, e de pequenas dimensões, pelo que pode ser facilmente acondicionado ou colocado num local considerado como adequado à ligação de diversos cabos de rede.

Construído em plástico de alta qualidade, com uma placa principal que suporta até 10 Gbps de largura de banda, este "switch" tem um consumo muito baixo, sendo alimentado por uma fonte universal, mas que pode ter conector do tipo americano, que tem saída de apenas 5V a 0.6A, operando em temperaturas entre os 0º e os 45º e com humidade, sem condensação, entre os 10% e os 90%.

quinta-feira, dezembro 05, 2019

Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios nada adiantam - 1ª parte

Da análise de alguns dos Planos Municipais de Defesa da Floresta Contra Incêndios, inevitável após ocorrências durante as quais algumas fragilidades foram expostas, decorria a sua baixa qualidade ou inadequação, podendo-se inferir que estavamos diante de casos pontuais, que, face ao conjunto nacional, se revesteriam de alguma excepcionalidade.

No entanto, após uma análise mais extensa por parte do Tribunal de Contas, as conclusões tendem a apontar para uma falta de qualidade generalizada, com os planos, que muitas vezes, ou na maioria, em nada contribuem para o fim a que se propoem, não passando de um mera formalidade que, sendo obrigatória, resultaria em sanções em caso de ausência.

Das 200 páginas do relatório Tribunal de Contas constam 13 conclusões, todas negativas, que descrevem a inutilidade dos planos nos 8 municípios analizados, a que acrescem outros 22 que responderam a um inquérito, as suas fragilidades estruturais, a ausência de avaliação, a incapacidade dos municípios em melhorar a eficácia ou a implementar medidas com base nestes planos ou a sua inadequação à realidade local.

Também o Governo é visado relatório do Tribunal de Contas, por não verificar de forma adequada e efectiva a validade de um conjunto de planos que se não traduzem em nenhuma melhoria ou vantagem quantificável, mas que são aceites de forma acrítica, registando-se o cumprimento da lei, independentemente da forma como este suposto cumprimento se traduz, sendo óbvio que a qualidade não consta dos critérios de aceitação, já que se presume nem sequer haver validação.

quarta-feira, dezembro 04, 2019

Actualização gratuita para o Windows 10 - 2ª parte

Desta forma, que assim o pretender ou necessitar, pode proceder a uma instalação de raiz, ou limpa, substituindo a actualização, algo que aconselhamos caso o equipamento já estivesse em uso, mas que pode ser dispensado caso a instalação do sistema operativo actualizado, um 7 ou 8 fosse nova e nunca tivesse uso, pelo que não teria sido afectada ou detriorada pela instalação e remoção de programas ou componentes.

Este processo é legítimo, dele resultando uma cópia registada, mas associada ao computador e não a uma conta da Microsoft, ou seja, caso o computador deixe de estar operacional ou de ser utilizado, não é possível migrar o Windows para outro equipamento, pelo que, caso surja uma situação semelhante, é necessário percorrer os passos descritos, sendo sempre possível que, um dia, tal se verifique impossível por decisão da Microsoft.

Indiscutivelmente, a Microsoft pretende que os Windows mais antigos, e que têm vindo a perder o respectivo suporte, sejam actualizados para o 10, do que resulta uma maior segurança para o equipamento onde é efectuada a actualização, mas também para a comunidade, dado que existe uma segurança colectiva que depende não apenas do conjunto, mas dos vários componentes, e aqui os mais vulneráveis, nomeadamente os que correm sistemas operativos desactualizados, são portas de entrada para diversos perigos.

Aconselhamos os nossos leitores que possuam equipamentos com Windows 7 ou 8 a proceder à actualização para o Windows 10, tão rapidamente quanto possível, por ser impossível saber por quanto tempo esta possibilidade de o efectuar de forma gratuita e legítima irá ser possível, sendo certo de que ganharão em termos de funcionalidades e segurança, ficando com uma plataforma que suportará melhor futuras actualizações, quando disponíveis.

terça-feira, dezembro 03, 2019

Perigos do RFID - 2ª parte

Tal como em tudo, é preciso, para além do conhecimento do método de funcionamento destes dispositivos, sabendo quais as suas características e vulnerabilidades, ter o bom senso e a prudência adequadas, evitando situações de risco, algumas tão banais como o a colocação de um cartão exposto num local onde possa estar presente um leitor.

É de notar que este tipo de equipamento emissor não tem nenhuma forma de ser desligado, pelo que está permanentemente activo, seja como emissor activo, seja passivo, devendo-se ter uma especial atenção aqueles que possuem um maior alcance, o que permite uma intercepção a uma distância superior e, portanto, se tornam mais vulneráveis, sendo de adoptar medidas de segurança que contrariem esta possibilidade.

As carteiras que bloqueiam o sinal têm um custo baixo, que pode ficar entre os dois e três Euros, incluindo portes, revelam-se eficazes, evitando intercepções quando os dispositivos emissores se encontram no seu interior, pelo que são sempre um investimento a ter em conta e uma forma de armazenamento que aconselhamos, mas existem situações durante as quais, por questões inerentes ao uso dos dispositivos, deixam de ser eficazes.

Não garantindo 100% de segurança, mas elevando-a substancialmente, estas carteiras serão o primeiro passo, sendo francamente mais convenientes e fáceis de utilizar do que o recurso a soluções de improviso, as quais, mesmo que eficazes, por pouco intuitivas ou menos disponíveis, tendem a resultar em comportamentos mais negligentes, razão pela qual preferimos não sugerir esse tipo de improvisação.

segunda-feira, dezembro 02, 2019

Actualização gratuita para o Windows 10 - 1ª parte

Recentemente, adquirimos uma estação de trabalho Dell que trazia instalado, devidamente licenciado e activado, um Windows 7 Pro, o qual foi actualizado para o Windows 10 Pro, recorrendo a uma "pen" criada a partir do "Windows Media Creation Tool", um "software" disponível no "site" da Microsoft e que permite criar cópias para instalação deste sistema operativo, destinado a um equipamento específico ou para instalações múltiplas.

A criação da "pen", que deve ter uma capacidade de 8 Gb ou superior e cujo conteúdo é completamente apagado, é automatizada, pedindo muito poucos dados ao utilizador, os quais consistem, essencialmente, se o destino é o equipamento onde decorre o processo, e nesse caso é selecionada a versão adequada do sistema operativo de modo automático, ou se o destino é outro, o que implica que seja o utilizador a fornecer as informações adequadas.

A actualização em sí, dispondo do meio de instalação, neste caso a "pen" gerada, é igualmente simples, mantendo-se os dados do equipamento, bem como configurações e parâmetros, devidamente migrados para o novo sistema operativo, cabendo ao utilizador uma intervenção muito limitada, mas que, neste processo, implica selecionar manter os dados existentes, pois serão estes a validar o Windows 10 instalado.

É de notar que o Windows 10 apenas fica activado, e portanto devidamente licenciado, quando se efectua a actualização a partir de um Windows 7 ou 8, na mesma versão, e que esteja igualmente licenciado, criando-se assim uma associação entre o computador, que tem um conjunto de identificadores únicos, gravados na fábrica, e o número de série do Windows instalado.

domingo, dezembro 01, 2019

Land Rover Owners de Janeiro de 2020 já nas bancas

Já se encontra nos locais de venda habituais a edição de Janeiro de 2020 da Land Rover Owners International, com o destaque a ir para uma curiosa comparação entre dois modelos que, em Inglaterra, podem ser adquiridos por valores semelhantes, um Discovery 2 e um Defender, sendo que o primeiro está em excelente estado, enquanto o segundo necessita de cuidados, incluindo a nível de mecânica, para ficar em condições adequadas.

A diferença de preços, face ao mercado português, é abissal, custando metade do que se paga entre nós, o que deve merecer uma reflexão, algo que se prolonga nos modelos novos, como o recente Discovery que mereceu uma análise no mesmo número desta revista, bem como expedições fora de estrada no conforto de um Range Rover recente, um luxo ao alcance de muito poucos residentes no nosso País.

Outros modelos, como o Serie curto com motor V6 ou um Defender 130 numa rara configuração de transporte de líquidos, mereceram igualmente atenção, tal como um guia para quem se inicía nos passeios fora de estrada e que, estando pensado sobretudo para a realidade britânica, não deixa de se revelar interessante, proporcionando um conjunto de ensinamentos a ter em conta.

A instalação de um bloqueio central num Discovery 2 ou a de um para-choques para guicho, algumas expedições, entre estas a que foi efectuada pelo Zimbabwe num Freelander 2, são igualmente interessantes, como o são as rúbricas habituais, bem como a própria publicidade, que muito contribui para a divulgação de novos produtos e pode servir de inspiração para modificações ou como base de novos projectos.

sábado, novembro 30, 2019

Perigos do RFID - 1ª parte

O uso de sistemas que recorrem a rádio-frequências tem-se vindo a popularizar, sendo certo que este tipo de tecnologia apresenta diversas vantagens, e uma maior comodidade, mas o facto é que encerra um conjunto de perigos resultantes de vulnerabilidades inerentes à sua concepção e implementação.

São muitos e distintos os equipamentos que usam este tipo de comunicação, abreviada para RFID, ganhando destaque entre estes os que permitem efectuar um acesso, que podem ter a forma de um cartão ou um comando, mas também para efeitos de pagamentos sem contactos, como acontece com diversos cartões bancários.

A possibilidade de intercepção, dada a escassa distância de funcionamento, parece garantir alguma segurança, mas o facto é que tal pode não ser o suficiente, podendo haver um segundo receptor, com sistema de amplificação, nas proximidades, o que, acompanhado dos dispositivos físicos e lógicos adequados, pode resultar na cópia ou na retransmissão do sinal, sendo conhecidos casos de acessos indevidos recorrendo a este tipo de tecnologias.

O furto de viaturas que permitem entrada e accionamento do motor sem chave, recorrendo apenas a um cartão com RFID, ou a possibilidade de cópia durante pagamentos levantam fundados receios quanto a este tipo de tecnologia, devendo-se adoptar medidas no sentido de evitar este tipo de criminalidade que, infelizmente, parece ser cada vez mais frequente.

sexta-feira, novembro 29, 2019

Placas de rede de 1.200 Mbps por 10 Euros - 3ª parte

A potência de transmissão vai dos 18+/-1dBm para as comunicações a 11 Mbps do protocolo 802.11b, passa pelos 15+/-1dBm para comunicações a 54 Mbps, nos protocolos 802.11g e 802.11n e vai até aos 12+/-2dBm no caso do 802.11ac, com EVM entre inferior a -15db para 11 Mbps, a -27 para 54 Mbps e -30 para o protocolo 11ac.

Também é necessário, por vezes obrigatório, implementar diversos protocolos de autenticação e segurança, sendo que, no caso concreto, o WPA, WPA2, WEP, /802.1X e WMM estão contemplados, sendo de notar que o Windows 10 deixou de suportar o WEP/TKIP, pelo que placas que não implementem outros protocolos deixam de ser utilizáveis, isto sem nos referirmos às questões de segurança inerentes a protocolos mais fracos.

Obviamente, outros modelos poderão ter características ligeiramente diferentes, sem se afastarem do essencial, caso se opte por seguir estes critérios, com os preços a ter pequenas variações, que consideramos pouco significativas, pelo que será sempre de escolher a que apresente melhores características, sendo os protocolos implementados, incluindo na ligação ao computador e o tipo de antena os mais relevantes, já que a comparação entre os modelos de "chip" se revela mais complexa e pouco intuitiva.

A troca de placas de rede por outras que ofereçam melhor desempenho e segurança, será um dos melhores investimentos na actualização de um sistema informático, sobretudo porque poderão passar de um computador para outros, caso necessário, tendo um retorno operacional e funcional num espaço de tempo muito curto e, caso o aumento de segurança tenha impacto, podem revelar-se como uma opção essencial, para a qual o preço não pode justificar a sua exclusão.

quinta-feira, novembro 28, 2019

As caixas militares Edak

As caixas militares de origem suiça da Edak foram concebidas para fins militares, destinando-se, sobretudo a serem utilizadas em aviões, razão da escolha do alumínio, um material mais leve do que o ferro e que oferece uma excelente resistência contra impactos e conta a corrosão.

Apesar de originalmente destinadas ao transporte de equipamentos e ferramentas, estas caixas de elevada resistência e qualidade podem ser usadas para fins civis, sendo particularmente úteis em expedições, permitindo acomodar e proteger objectos com dimensões elevadas sem que disso resulte um peso exagerado, que fica perto dos 13 quilos, abaixo de uma caixa comparável em ferro, material usado na maioria das caixas deste tipo e que as torna vulneráveis à corrosão.

Esta caixa tem dimensões externas de 710 x 470 x 195 milímetros e inclui uma gaveta interior, de uso opcional, com 645 x 395 x 103 milímetros, que assenta em suportes ou divisórias de 50 milímetros colocadas na superfície inferior, resultando assim na divisão do espaço e numa maior facilidade de remover objectos acomodados no interior.

O preço ronda a centena e meia de Libras, a que acrescem portes, elevando o valor final para perto de duas centenas de Euros, um valor elevado, sobretudo sabendo que são unidades usadas, mas que se justifica, caso corresponda às necessidades específicas do comprador, pela sua excelente qualidade e durabilidades, sendo certo de que irá ter uma vida muito longa.

quarta-feira, novembro 27, 2019

Placas de rede de 1.200 Mbps por 10 Euros - 2ª parte

Os modelos mais baratos não possuem marca, pelo menos conhecida e identificável, mas são construídos em redor de um "chip" conhecido e utilizado pelos fabricantes mais conceituados, o que facilita em muito o seu suporte em termos de "software", bem como a respectiva compatibilidade com os sistemas operativos mais populares.

Desta relativa padronização, em redor de um conjunto de "chips" relativamente reduzidos, resulta uma maior facilidade de instalação, configuração e despistagem de erros, com o "software" de suporte a poder estar incluído no próprio sistema operativo, o que dispensa a adição de novos controladores obtidos externamente, do que podem resultar não apenas erros ou incompatibilidades, mas também um menor desempenho, sobretudo se os protocolos mais recentes estiverem incorrectamente implementados.

Construída com base no "chip" MT7612UN, opera nos protocolos IEEE802.11ac, a, n, g e b, conecta-se a um computador com sistema operativo Windows, Linux ou MacOS através de um conector USB 3.0, podendo ser ligado, com perda de desempenho, numa porta USB 2.0 e possui uma antena external ominidireccional, orientável, de 5dBi.

As velocidades de transmissão são as habituais, começando no máximo de 11 Mbps para o 802.11b, 54 Mbps para o 802.11g, 150 Mbps para o 802.11n e um máximo de 433 Mbps para o 802.11ac, podendo, com agregação de canais, atingir os 1.200 Mbps, com um alcance máximo, em condições ideais, de perto de uma centena de metros.

terça-feira, novembro 26, 2019

CNPD considera ilegais câmaras em viaturas - 4ª parte

A detecção e recolha de imagens surge como indissociável das novas tecnologias aplicadas à navegação e segurança dos veículos, mas também como espelho de uma nova realidade social e cultural, na qual a imagem ganha um novo protagonismo, algo que sucede desde que os actuais dispositivos móveis passaram a poder efectuar a gravação estática ou dinâmica de imagens, do que resulta um paradigma completamente novo e que escapa à análise da CNPD.

Ao misturar duas realidades completamente distintas, sugerindo que uma câmara instalada numa viatura, mas que pode ser extensível a uma transportada por um ciclista, motociclista ou um simples peão, a CNPD comete um grave erro de avaliação, comprometendo novas tecnologias, omnipresentes nos dias de hoje, e pondo em causa a legitimidade de equipamentos e dispositivos destinados a salvaguardar a segurança de quem os utiliza e dos demais utentes da via onde circulam.

Não temos dúvidas de que, caso contestada em tribunal, a legalidade de possuir câmaras em veículos será validada, mantendo-se, naturalmente, as limitações decorrentes da legislação em vigor quanto ao seu armazenamento, tratamento e utilização, mas sem cair no absurdo que, no limite, impede toda e qualquer filmagem num local mais concorrido, onde a impossibilidade de obter um enquadramento que exclua outros frequentadores do mesmo ou elementos identificadores seja funcionalmente permanente.

segunda-feira, novembro 25, 2019

Placas de rede de 1.200 Mbps por 10 Euros - 1ª parte

Um dos investimentos que efectuamos, ao longo dos últimos anos, foi a progressiva substituição das placas de rede sem fios, selecionando sempre modelos que suportam duas frequências, os tradicionais 2.4 GHZ e os 5.8 GHz, com agregação de canais e antenas externas orientáveis.

Naturalmente, tal só faz sentido caso o "router" ou outro tipo de ponto de acesso, suporte os novos protocolos, algo que é cada vez mais comum, com os equipamentos mais recentes disponibilizados pelos principais operadores a implementar o IEEE 802.11ac, podendo, no entanto, apresentar uma implementação e desempenho bastante variado, com a velocidade e qualidade a variar de um modelo para outro.

Tal revelou-se absolutamente essencial, dada a profusão de dispositivos a operar nos 2.4 GHz, entre estes, e cada vez são mais, aqueles que estabelecem ligações via "bluetooth", mas também muitos dos equipamentos mais antigos, e que permanecem em uso, ou aqueles que se ligam a pontos de acesso que operam nesta frequência, actualmente particularmente sobrecarregada.

Podem-se encontrar no mercado, por preços cada vez mais acessíveis, este tipo de placa, sendo possível efectuar aquisições por valores que rondam a dezena de Euros, incluindo portes a partir da Ásia, um valor que dispensa o pagamento de direitos alfandegários, pelo que o valor final fica muito abaixo dos praticados entre nós e que, facilmente, se aproximam do dobro deste preço.

domingo, novembro 24, 2019

Efeitos em fotos digitais - 2ª parte

Temos recorrido, sobretudo ao "Funny Photo", por ser de muito fácil utilização, ter um bom número de filtros e de combinações para montagens fotográficas e ser gratuito, apresentando como principal falha o facto de não ser possível regular os filtros, o que retira alguma flexibilidade de utilização.

Por outro lado, no caso concreto deste "site" e de outros similares, as dimensões das fotos são reduzidas, neste caso a 800 pixels de largura, o que pode ser insuficiente para alguns fins, mas que, tendo em conta o facto de o serviço ser gratuito, terá que ser tolerado, podendo-se, naturalmente procurar uma plataforma com menos limitações ou um tipo de efeitos que se adeque mais aos objectivos específicos de cada um.

No exemplo ilustrado, recorremos ao filtro de "pintura a óleo", um dos muitos incluídos nas pinturas ou efeitos antigos, mas temos feito experiências diversas com outros filtros, como o "efeito noturno", que aplicamos noutros modelos, como o de alguns aviões, ou o "desenho a carvão", tal como testamos com uma foto do Defender, sempre com resultados interessantes e que, pelo escasso investimento de tempo, permitem muitas experiências sem grande trabalho.

Sugerimos aos nossos leitores que se interessem pela fotografia e pretendam algum tipo de efeitos que as diferencie, sem custos ou dispêndio de tempo, que recorrem ao "Funny Photo" ou a "sites" semelhantes e façam as suas próprias experiências que, mesmo não tendo os resultados pretendidos, podem proporcionar alguma diversão.

sábado, novembro 23, 2019

OffTime para dispositivos móveis - 2ª parte

A possibilidade de configurar pequenas aplicações ou atalhos para uma maior facilidade de acesso a aplicações acelera os procedimentos que permitem recuperar algum do tempo sem contacto, tentando optimizar a gestão do uso do dispositivo móvel numa altura em que as restrições desaparecem, ou são atenuadas, dependendo do programa usado e das opções de configuração, procurando alcançar um equilíbrio entre a disponibilidade e a possibilidade de manter o foco num conjunto de actividades mais relevantes.

É de notar que, para interagir com todas as aplicações ou funcionalidades descritas, o programa encarregado de proceder a esta gestão necessita que lhe seja concedido um conjunto muito substancial de permissões, incluindo-se aqui a nível da lista de contactos, pelo que a sua escolha deve ser efectuada com particular prudência.

A OffTime tem uma versão gratuita, suportada por anúncios, e uma descrita como "Pro", que é paga e implementa funcionalidades adicionais, incluindo-se aqui a possibilidade de recorrer a diversos perfis e iniciá-los de forma automática, de acordo com um calendário pré-estabelecido, o que, para quem tem uma vida com menos rotinas, pode ser interessante.

Também está aberta a possibilidade de aderir ao programa "Beta", onde os utilizadores testem as versões a serem lançadas, as quais possuem novas funcionalidades e melhoramentos, mas correndo o risco de utilizar uma aplicação menos estável e que pode enviar um maior volume de dados de funcionamento para quem a desenvolve, sendo este um exemplo das várias aplicações destinadas a este fim e que se encontram actualmente disponíveis.

sexta-feira, novembro 22, 2019

CNPD considera ilegais câmaras em viaturas - 3ª parte

Colocar os valores da privacidade, segundo o conceito da CNPD, acima da protecção da vida humana, isto caso se, abusivamente, se tente equiparar as câmaras presentes nos veículos às de segurança, colocadas de forma estática, surge como violando princípios elementares de proporcionalidade, invertendo prioridades que, para defender alguns valores, comprometem outros que são universalmente considerados superiores, como o é o da protecção da vida humana.

É de notar, igualmente, que as câmara utilizadas em veículos possuem um sistema rotativo de gravação por blocos, apagando as sequências mais antigas como forma de recuperar espaço para as mais recentes, enquanto bloqueiam apenas aquelas que forem assinaladas por sensores de desaceleração, quando os valores atinjam os que são habitualmente associados a um acidente.

Por outro lado, a sofisticação das câmaras instaladas em veículos, muitas das quais incluem um receptor de sinal GPS ou estão incorporadas em sistemas de navegação bem mais abrangentes, como um dispositivo baseado em "Android" no qual estão presentes diversas aplicações, vão muito para além de um sistema de segurança, revelando-se polivalentes e de uma utilidade muito superior, na qual a funcionalidade que pode ser associada à mera vigilância se perde na compexidade de possibilidades que encerra.

Muitos destes equipamentos são utilizados para fins turísticos ou culturais, como forma de disponibilizar informação de um determinado percurso, fornecendo um conjunto de dados relevantes que possam potenciar o interesse de eventuais viajantes ou visitantes, fazendo parte de soluções publicamente disponibilizadas em muitos "sites" por um conjunto de entidades cada vez mais alargado e abrangente.

quinta-feira, novembro 21, 2019

OffTime para dispositivos móveis - 1ª parte

Os dispositivos móveis, sobretudo os mais recentes, alteraram substancialmente a vida de todos quantos os usam, e mesmo, de forma colateral, todos quantos com eles interagem, levantando um conjunto de questões complexos, entre as quais o estar permanentemente em contacto, seja via telefone, seja através dos numerosos aplicativos disponibilizados.

O desligar o telefone, o ficar incontactável, torna-se cada vez mais difícil, sendo, nalguns casos, estigmatizado, resultando numa maior pressão, numa menor capacidade de focagem, e mesmo em problemas de sono, para mencionar alguns dos problemas mais evidentes, o que justifica, para além de abordagens do ponto de vista sociológico, médico ou legal, a intervenção de diversos produtores de "software" que se destina a proporcionar algum tempo de isolamento.

A maior parte destes programas permite, selectivamente, bloquear chamadas telefónicas, mensagens e notificações, efectuar respostas automáticas, parametrizadas pelo utilizador e restringir ou controlar o acesso a aplicações ou mesmo às funções convencionais de um telefone, como o efectuar chamadas ou enviar mensagens.

É fornecida uma completa lista de actividade que foi bloqueada, incluindo-se aqui uma interessante análise do uso dado ao dispositivo, a determinação de objectivos a alcançar, a possibilidade de estabelecer limites globais e mesmo de efectuar comparações entre diversos utilizadores da mesma plataforma.

quarta-feira, novembro 20, 2019

CNPD considera ilegais câmaras em viaturas - 2ª parte

Chamamos a atenção para o facto de estar expressamente mencionados os "acessos ao imóvel", do que decorre, imediatamente, sem outras interpretações possíveis, que este artigo, evocado pela CNPD foi concebido com câmaras fixas emm mente, sem o que o articulado deixa de fazer sentido, sendo completamente inadequadas para câmaras destinadas a outros fins.

Equiparar uma câmara estática, mesmo que orientável, essa sim com óbvios propósitos de vigilância, que obtém a mesma imagem, ou um conjunto de imagens repetidos, de forma automatizada e sem qualquer outro propósito, pelas suas limitações e natureza, do que proporcionar meios de prova, a uma que obtém imagens dinâmicas e irrepetíveis incorre num flagrante erro de análise, do que decorreria a impossibilidade de filmar em público.

Assim, as filmagens que os turistas efectuam em monumentos nacionais, as fotos que quase todos tiramos em locais públicos, onde é virtualmente impossível excluir transeuntes ou veículos, seriam igualmente ilegais, tal como a recolha efectuada por numerosas empresas e entidades públicas, seja para fins privados, seja para fins comerciais.

Acresce o facto de a grande maioria das viaturas modernas incluir câmaras, com os mais diversos propósitos, mas entre os quais se destaca a segurança rodoviária, alertando para o atravessamento de linhas divisórias de faixas de rodagem ou para uma escassa distância para outro veículo, impedindo assim o recurso a equipamentos cujo propósito é o de diminuir a sinistralidade rodoviária, sendo que este é um problema particularmente grave em Portugal.

terça-feira, novembro 19, 2019

O rádio digital HYS modelo TC-819DP - 2ª parte

Existe a possibilidade, opcional, de o equipamento incluir um sistema de gravação e reprodução de conversações e de integração de um receptor GPS para determinação da posição exacta, o que aumenta em muito as suas possibilidades de integração num ambiente mais profissional.

Este rádio muito compacto, com apenas 60 × 135 × 36 milímetros e um peso de apenas 262 gramas, incluindo a antena e o "clip" para o cinto, opera a 7.4V DC com tolerância de mais ou menos 15%, dispondo de uma bateria com uma capacidade de 1800 mAh, suportando temperaturas entre os -20º e os +60º.

O preço do conjunto, que inclui transformador, o "clip" para o cinto e o manual do utilizador, ronda os 70 Euros, dependendo muito das quantidades encomendadas, acrescendo, quase certamente, direitos alfandegários, sendo necessária licença, obtida junto da ANACOM, para o poder operar sem incorrer numa ilegalidade.

Tal como outros modelos que apresentamos previamente, este TC-819DP representa um progresso substancial face aos modelos analógicos e a sucessiva diminuição de preços dos rádios digitais, presumimos que irá permitir brevemente uma transição completa, estabelecendo assim como padrão um novo tipo de comunicações de que resultará, muito provavelmente, o abandono do analógico e a descida de preço dos modelos assim simplificados.

segunda-feira, novembro 18, 2019

CNPD considera ilegais câmaras em viaturas - 1ª parte

Recentemente, a Comissão Nacional de Protecção de Dados (CNPD) considerou como ilegais as câmaras montadas em viaturas, equiparando-as a câmaras de segurança, do que decorre a necessidade de uma autorização para a sua instalação e para o armazenamento e tratamento dos dados obtidos.

O argumento usado pela CNPD quanto à ilegalidade de obter imagens nas quais surjam pessoas, incluindo nesta expressão a dimensão jurídica da mesma, ou elementos identificadores, concretamente matrículas, obtidas num espaço público, onde a presunção de privacidade é inexistente, implicaria a impossibilidade de fotografar ou filmar qualquer local onde, inevitavelmente e independentemente do enquadramento, estivessem presentes pessoas ou veículos, desde que identificáveis.

Argumenta a CNPD que segundo o artigo 19º da Lei 58/2019, que transpõe para a legislação nacional o Regulamento Geral de Proteção de Dados da UE (RGPD), estabelece um conjunto de potenciais violações da privacidade que podem resultar da captação de imagens em espaço considerado público, prevendo coimas que começam nos 500 Euros caso os infractores sejam pessoas singulares e o dobro caso efectuadas por empresas.

Concretizando, segundo o artigo 19º da Lei 58/2019, as câmaras de videovigilância não podem recolher imagens de "vias públicas, propriedades limítrofes ou outros locais que não sejam do domínio exclusivo do responsável, exceto no que seja estritamente necessário para cobrir os acessos ao imóvel".

domingo, novembro 17, 2019

Disponível o Opera 65 final

O Opera lançou a versão 65 do seu popular navegador e, mais uma vez, o ênfase recai sobre a privacidade, uma vertente cada vez mais essencial quando se navega na Internet, melhorando a implementação da versão anterior, sendo agora imediato ver quais os anúncios e os "trackers" bloqueados, surgindo novas e mais simples formas de configuração.

O sistema continua a basear-se na "EasyPrivacy Tracking Protection List", que inclui uma extensa listagem dos "sites" e "trackers" conhecidos, bloqueando-os, do que resulta não apenas uma maior privacidade, mas uma velocidade superior de carregamento das páginas, que o Opera estima em perto de 20% e que, conjuntamente com o bloqueador de publicidade, por atingir os 76%.

A outra novidade visível são as modificações na barra de endereços, com diferentes nuances de claridade, de modo a que a visibilidade melhore, uma nova disposição das opções visíveis sob a barra, muito de acordo com o projecto Opera Reborn 3, com os "sites" a ganhar prioridade sobre as ligações.

Os "bookmarks", disponíveis no painel lateral, ganham uma maior visibilidade, facilitando o acesso e a respectiva configuração ou edição, sendo que as restantes novidades, essencialmente a nível do melhoramento do código, serão menos visíveis, mas contribuirão para um melhor desempenho e maior estabilidade do Opera, que continua a merecer a nossa preferência.

sábado, novembro 16, 2019

Efeitos em fotos digitais - 1ª parte

Para muitos, modificar fotografias digitais de forma automática, pode ser a resposta a um gosto pessoal, mas também uma forma de obter uma imagem com aspecto completamente diferente do original e que melhor corresponda a um dado objectivo, como o de uma montagem ou um folheto publicitário.

Embora existam programas sofisticados, que permitem obter excelentes resultados, devidamente personalizados, a maioria são pagos e todos implicam um grau de conhecimento, e mesmo um equipamento informático, que não está ao alcance de todos, pelo que o mais comum, salvo em situações profissionais, é recorrer a uma plataforma "online" que efectue de forma automática as modificações pretendidas.

A grande maioria dessas plataformas é inteiramente automatizada, com algumas a permitir escolher o grau de intensidade do efeito e, nos casos onde tal é aplicável, como o efeito de uma luz, o ponto de origem, pelo que se trata, essencialmente, de carregar uma foto, selecionar o efeito, e proceder à sua descarga ou partilha.

Queremos alertar para alguns perigos desta última opção, nomeadamente quando a partilha é efectuada para uma plataforma ou rede que implica o uso de credenciais de autenticação, por estas, durante o processo, poderem ser passadas ao "site" onde é efectuado o processamento da foto, o que representa um risco de segurança substancial.

sexta-feira, novembro 15, 2019

O rádio digital HYS modelo TC-819DP - 1ª parte

São cada vez mais acessíveis os rádios portáteis digitais, capazes de operar em modo VHF e UHF, pelo que já são muitos aqueles que optam por esta tecnologia, que permite comunicações encriptadas de alta qualidade, colocando de parte os antigos equipamentos analógicos, com os quais estes novos modelos são compatíveis.

O HYS modelo TC-819DP é um rádio com modo digital e analógico portátil que opera nas frequências entre os 136 e os 174 MHz, entre os 400 e os 470 MHz e nos 466 MHz, a mesma dos rádios PMR, com potência em VHF de 5W/1W e em UHF de 4W/1W, tendo um alcance que pode alcançar a dezena de quilómetros.

Com capacidade de armazenamento de 256 canais, espaçados a 12.5 KHz em modo digital e em 25 KHz no modo analógico, possui frequência de modulação 4FSK no modo digital, com precisão menor ou igual a 5%, e 11KF3E/16KF3E no analógico, com uma potência de canal adjacente maior ou igual a 70dB a 25KHz, maior ou igual a60dB a 12.5KHz e maior ou igual a 50dB a 6.25KHz.

O écran LCD permite apresentar os menus em inglês e chinês, e estão presentes as funções mais habituais, como seleção de potência, encriptação de comunicações, busca automática, modo de chamadas múltiplas, funções de SMS, alarme de emergência ou cancelamento remoto de comunicações.

quinta-feira, novembro 14, 2019

Adquirir em plataformas de "crowdfunding" - 3ª parte


Construída em tecido de poliuretano laminado, obedecendo a especificações militares, esta canoa está disponível em duas cores, verde militar e vermelho vivo, existindo ainda duas variantes de maiores dimensões, e com preços francamente mais elevados, mas que possuem outro tipo de capacidade e são mais adequadas a um uso de maior duração em zonas de rápidos.

O preço começou pelos 250 dólares, para os primeiros apoiantes do projecto, passou depois para os 299, num estágio intermédio de desenvolvimento, e encontra-se agora, quando se aproxima do lançamento, nos 325 dólares, existindo opções para conjuntos que podem incluir diversos items ou várias unidades, os quais tendem a permitir aquisições por valores inferiores aos praticados unitariamente.

Uma vez lançado no mercado, o preço de venda será de 400 dólares, ou seja, mais 150 do que aqueles que optaram por efectuar o pagamento logo nas primeiras fases do projecto, o que, caso tudo corra pelo melhor, o que numa larga percentagem dos casos acontece, este será um investimento acertado, demonstrando assim um dos principais factores que tem levado a que esta forma de financiamento tenha uma crescente adesão, sendo adoptado mesmo por parte de firmas conceituadas que, desta forma, reduzem em muito o investimento de capitais próprios.

A opção pela participação numa aquisição durante um processo de "crowdfunding", quando bem estudada, tende a ser rentável, e a nossa experiência confirma-o, permitindo efectuar compras a um preço bastante favorável, sendo que, nalgumas situações, será a única possibilidade de proceder à compra, seja porque nunca será comercializado no mercado, seja porque o preço atingirá valores que vão para além das possibilidades do comprador, levando-nos a sugerir aos nossos leitores que acompanhem as plataformas mais conhecidas e efectuem pesquisas de produtos que lhes venham a interessar.

quarta-feira, novembro 13, 2019

O rádio CD Thunderpole T-3000

A Thunderpole, um fabricante de equipamentos de comunicações inglês, apresentou o rádio CB da bando dos 27 MHz, T-3000, um modelo de preço acessível, custando apenas 99.99 Libras, perto de 115 Euros, e muito compacto, desenhado para ser instalado numa prateleira de 1 DIN, pelo que pode substituir um vulgar autorádio, dado ter a mesma dimensão frontal.

Com apenas 85 milímetros de profundidade, capaz de operar a 12 e 24 volts, este modelo, uma vez instalado, integra-se completamente no painel do veículo, possuindo um microfone frontal, o conector para o microfone e um écran de boas dimensões, com cor selecionavel e intensidade regulável, para além dos botões necessários à operação.

O T-3000 tem 80 canais europeus e comunitários, mais bandas europeias, uma potência de 4 Watt e opera em modo AM e FM, inclui funções "scan", "squelch" manual e automático, S-Meter, bloqueio de teclas, mudança de banda premindo apenas um botão, subida e descida de canal no microfone, suporta VOX e canais 9 e 19, pelo que implementa as principais funcionalidades que se pretende num rádio CB desta gama.

A instalação tem um misto de rádio, em termos de conexões e face à necessidade de uma antena compatível, e de autorádio, com o mesmo tipo de instalação física, incluindo os acessórios necessários, podendo ainda ser alimentado via tomada de isqueiro e colocado num suporte próprio, o que dispensa instalação, permitindo ser colocado e retirado com facilidade, operando, eventualmente, ligado a uma antena de base magnética.

terça-feira, novembro 12, 2019

Duplicar contornos

Apesar dos avanços dos sistemas ópticos e digitais, nas suas mais diveras formas, a reprodução de uma forma existente pode ser, em muitos casos, efectuada através de equipamentos ou dispositivos mais simples, que funcionam mecanicamente, dispensando quaisquer acessórios ou conhecimento de tecnologias sofisticadas, incluindo-se aqui os duplicadores de contornos.

Construído em plástico ABS, com dimensões de 146 x 105 x 26 milímetros e um peso de apenas 180 gramas, este marcador de perfís tem a capacidade de registar contornos com profundidades até aos 45 milímetros, numa extensão de 146 milímetros, com registo em unidades métricas e imperiais e tendo um preço que ronda os 7 Euros e meio.

O processo de utilização é simples e intuitivo, bastando pressionar este utensílio contra o objecto cuja forma se pretende registar, fazendo com que os perfís sejam deslocados, duplicando a forma original, o que permite o seu registo e facilita a construção de peças com a mesma forma.

Para concluir o processo, pode-se, simplesmente, recorrer a um lápis para seguir o contorno obtido, registando-o numa folha que pode servir de molde ou guia num processo de corte, que reproduzirá a forma do objecto original, sendo que, naturalmente, será de proceder a alguns pequenos ajustes, dependendo da precisão exigida.

segunda-feira, novembro 11, 2019

Adquirir em plataformas de "crowdfunding" - 2ª parte

O pagamento efectua-se, tipicamente, através de um meio electrónico, cartão de crédito ou de débito, podendo haver a alternativa de recorrer ao Paypal, sendo de ter em atenção quais os portes, que devem ser anunciados pelo promotor do projecto, bem como a possibilidade de existir pagamento de direitos alfandegários, algo que ocorre quando o envio é efectuado a partir de um país extra comunitário.

Portanto, depois de feitas a contas e havendo uma estimativa do prazo de entrega, tendo avaliado o grau de cumprimento que se pode esperar de um projecto ainda em curso, será de efectuar uma avaliação dos vários factores e uma análise comparativa com as propostas existentes no mercado, comparando características e preços, antes de optar pela participação numa aquisição via plataforma de "crowdfunding".

Apesar de a maioria das campanhas estar orientada para produtos electrónicos, a variedade é imensa, pelo que optamos por escolher como exemplo algo diferente, concretamente uma canoa insuflável com características que os responsáveis pelo projecto consideram únicas, entre estas a facilidade de transporte, face às suas pequenas dimensões, peso e forma de acomodação, e à capacidade de navegar em locais estreitos e mesmo com alguns obstáculos.

Esta canoa individual tem um peso inferior dois quilos, enche-se em poucos segundos e pode transportar 180 quilos de peso, vindo responder a um pedido para uma embarcação insuflável, compacta e resistente, que pudesse ser enchida sem o recurso a uma bomba e que permitisse o atravessamento de cursos de água estreitos e com corrente forte.

domingo, novembro 10, 2019

Fim de semana trágico nas estradas portuguesas - 3ª parte

Esta seria uma das justificações para o elevado número de veículos detectados em excesso de velocidade, segundo as autoridades policiais, do que resultou que num único fim de semana prolongado, mais de 100 acidentes provocassem uma dezena de vítimas mortais, 24 feridos graves e mais de 350 feridos ligeiros, números que excedem em muito os verificados no ano anterior, mas, se efectivamente muitos circulavam numa velocidade superior ao permitido por lei, certamente muitos outros o faziam a uma velocidade incompatível com as condições da via, incluindo-se aqui o efeito da chuva que ocorreu nesse período.

É de notar que, mesmo não conhecendo estatísticas que estabeleçam a ligação entre o tempo chuvoso, e consequentemente piso molhado, ou outras condições adversas e o número de acidentes, não temos dúvidas que o aumento de acidentes e vítimas está ligado a estes factores, podendo acrescer as questões de calendário, ou seja a existência de feríados que facilitem viagens de maior extensão, mas não um período que dispense quem quer aproveitar este período de aproveitar o escasso tempo ao máximo.

E aqui voltamos ao omnipresente factor humano, consubstanciado num comportamento que a legislação dificilmente poderá controlar, e que fica bem patente pelo número de acidentes que se tende a considerar como ocorrendo em excesso de velocidade mas que, não havendo provas que o demonstrem, serão quase certamente, o resultado de uma velocidade excessiva, fruto de uma óbvia falta de prudência e de alguma incapacidade técnica, factores muito comuns nos condutores portugueses, que se consideram muito melhores a conduzir do que realmente são.

Para estes, apenas a presença de uma autoridade é dissuasora no momento da infração, única forma de prevenir situações que, mesmo posteriormente punidas, podem ter consequências da maior gravidade para os próprios e para terceiros, mas a falta de investimento em meios de vigilância, reduzindo o número de quilómetros percorridos pelas autoridades policiais, enquanto se opta pela que gera maiores receitas, nomeadamente a cobrança de coimas, acaba por promover os comportamentos que urge desencorajar.

sábado, novembro 09, 2019

Adquirir em plataformas de "crowdfunding" - 1ª parte

Nas plataformas de angariação de fundos para projectos, habitualmente associadas à designação "crowdfunding", encontram-se propostas de novos produtos, alguns completamente revolucionários, outros com características únicas ou melhoramentos face às propostas existentes no mercado que, pelo seu estado de desenvolvimento, podem ser adquiridos a preços inferiores aos que serão praticados após o lançamento oficial.

Naturalmente, adquirir um produto nestas condições corresponde a um investimento, dado que o produto ainda não atingiu final, pelo que podem surgir dificuldades ou imprevistos que, no limite, podem resultar no cancelamento do projecto, sendo certo de que quem efectuou a aquisição será penalizado, perdendo o correspondente à comissão do "site" onde a angariação de fundos decorreu, para além de o capital em causa ter estado empatado durante o processo.

Não obstante estes problemas, o risco tende a ser diminuto, sobretudo quando o produto é avaliado cuidadosamente, existem artigos publicados por especialistas que o apoiam, disponibilizados em publicações ou plataformas credíveis e verificáveis, e quando o apoio já permitiu que o produto se aproxime de uma fase final, sobretudo quando estão disponíveis protótipos completamente funcionais ou unidades de pré-produção.

Nesta altura, ainda é possível adquirir o produto por um valor inferior ao que será praticado no mercado, e por vezes trata-se de diferenças de preço substanciais, e o prazo de entrega, sendo superior ao de uma aquisição de um produto em "stock", já não será demasiadamente longo, passando, em muitos casos, de alguns meses para escassas semanas.

sexta-feira, novembro 08, 2019

Fim de semana trágico nas estradas portuguesas - 2ª parte

A estrutura da sinistralidade em Portugal, quando comparada com as médias europeias, inclui problemas graves, como perto de 55% de vítimas mortais dentro das localidades, contra menos de 40% na União Europeia, ou a influência do álcool, que atinge numeros particularmente elevados, inclusivé entre os peões, que, quando autopsiados apresentam taxas de alcoolémia em 20% das vítimas.

É patente nos diversos acordãos, que se podem encontrar coligidos, a enorme percentagem de acidentados, conduzindo as mais diversas viaturas ou deslocando-se a pé, que se encontram alcoolizados, sendo óbvio que o comportamento de muitos, fácil à sua completa irracionalidade, foi influenciado pelo álcool ou por outras substâncias psicotrópicas.

Mas o comportamento não resulta apenas do álcool ou de outras substâncias, mas também da falta de aptidão técnica de muitos condutores, que são incapazes de ajustar o seu comportamento, e aqui a velocidade é decisiva, às circunstâncias do momento, sejam as suas capacidades pessoais, que não são sempre idênticas, mas também às condições de circulação e à presença de outros utentes da via, primando por excesso de confiança, falta de prudência e incapacidade de reagir de forma tecnicamente adequada a cada incidente.

Talvez pior ainda, para além da questão meramente técnica existe uma irresponsabilidade que resulta de as consequências da fiscalização serem particularmente baixas durante vários anos, com menos de 15% das infrações graves a não terem o devido seguimento, ou seja a implicar sanções para o responsável, resultando uma manifesta sensação de impunidade, do que resultava o desprezo de muitos pelo cumprimento das regras mais básicas do Código da Estrada.

quinta-feira, novembro 07, 2019

O autorádio RM-JQ1583C - 3ª parte

A compatibilidade com os suportes digitais mais comuns, embora com limitações, dado que suporta apenas unidades com até 16 Gb, é interessante, tal como o é a possibilidade de proceder a uma ligação via conector AUX a um dispositivo externo, que pode ser um telemóvel ou um leitor de CD, um tipo de suporte que este rádio não lê, seguindo uma tendência cada vez mais habitual e que permite baixar substancialmente os custos dos equipamentos.

Este tipo de rádio também suporta um controle remoto, a partir do qual se podem efectuar todas as operações de controle, algo que pode ser interessante caso estejam presentes vários ocupantes e se justifique que aqueles que não podem aceder fisicamente ao rádio também o possam controlar, como, por exemplo, para regular o volume caso se pretenda efectuar uma conversa ou fornecer informações.

É de notar que existem modelos que para além do comando, suportam ser controlados via telemóvel via ligação "bluetooth", para o que está disponível uma aplicação para plataformas "Android", nas versões 4.4 e superior, que, tendo menos funcionalidades e uma maior complexidade quando comparada com o comando, permite aceder aos comandos essenciais o que, juntamente com a funcionalidade como "kit" de mãos livres, não deixa de ser interessante.

Um rádio deste tipo tem um preço que, incluindo portes, pode ficar entre os 12 e os 15 Euros, o que evita o pagamento de direitos alfandegários, custando menos de metade do que se pede em Portugal por um modelo com características semelhantes, o que justifica a sua aquisição num grossista baseado na Ásia ou no eBay, mesmo sabendo que existirá um tempo de espera que será sempre de algumas semanas.

quarta-feira, novembro 06, 2019

Promoção de produtos para veículos no Lidl

Não obstante uma boa parte dos produtos para veículos que estarão disponíveis na promoção que a cadeia Lidl realiza a partir de 5ª feira, dia 14 de Novembro, alguns dos produtos justificam a sua menção, e o nosso destaque vai, mais uma vez, para o estojo de primeiros socorros, que oferece uma excelente relação entra a qualidade e o preço.

Este estojo, que inclui um total de 44 peças, entre as quais se podem encontrar alguns dos items mais comuns para a prestação de primeiros socorros, como pensos, adesivos ou tesoura, mas também instruções de uso do material incluído, e que podem ser complementados por algum tipo de medicação, tem um preço de 5.99 Euros e a sua presença mais do que se justifica num veículo ou mesmo numa habitação.

O carregador de bateria, num modelo mais sofisticado do que os habitualmente vendidos no Lidl, e mais dispendioso, com um preço de 49.99 Euros, é particularmente flexível, suportando baterias de 6 e 12V até aos 250A, possui selecção de corrente de carga, modo de teste, sistema de protecção e proporciona um impulso de corrente de arranque directo de aproximadamente 75A a 12V.

Tal como o carregador, o estrado com rodas e banco, que permite trabalhar com o conforto possível sob um veículo ou o macaco hidráulico com capacidade de elevação de duas toneladas até 357 milímetros e custam respectivamente 29.99 e 24.99 Euros, destinam-se sobretudo a quem faça alguns trabalhos de mecânica, mesmo que no seu próprio veículo, mas outros produtos, que vão desde escovas limpa parabrisas a uma lanterna recarregável passando por um minicompressor são bem mais abrangentes e podem justificar uma visita a uma loja desta cadeia.

terça-feira, novembro 05, 2019

Fim de semana trágico nas estradas portuguesas - 1ª parte

Com o termo da operação que visava a segurança rodoviária no fim de semana prolongado do início de Novembro, a operação Todos os Santos, verifica-se que a sinistralidade rodoviária em Portugal continua a atingir níveis não apenas muito elevados, como crescentes, algo que se tem verificado ao longo dos últimos anos.

Esta evolução negativa, que se segue a outra no sentido positivo, a qual, durante muitos anos, resultou numa descida consistente do número de vítimas de acidentes de viação, já foi abordada por diversas vezes neste "blog", sendo incluídos os dados estatísticos que traduzem uma realidade que, infelizmente, ultrapassa em muito a frieza impessoal dos números.

Têm sido apontadas diversas causas, algumas bastante plausíveis, como uma menor presença visível das autoridades policiais nas estradas ou o uso cada vez mais intensivo de dispositivos electrónicos, incluindo como auxiliares de navegação, resultando na dispersão da atenção dos condutores, mas o facto objectivo é que não existem dados suficientemente objectivos que confirmem ou desmintam o que é, essencialmente, um misto de análise de números e de percepção baseada no conhecimento do comportamento humano.

Assim, será sempre de complementar a realidade traduzida pelos estatísticas de acidentes rodoviários com dados provenientes de outras fontes, nas quais se podem obter informações relevantes, incluindo as circunstâncias de muitos acidentes, as quais constam, embora tardiamente, de acordãos, sempre que do acidente decorre um processo judicial.

segunda-feira, novembro 04, 2019

Land Rover Owners de Dezembro de 2019 já nas bancas

Já está presente nos locais de venda habituais a edição de Dezembro de 2019 da Land Rover Owners International, com o protagonismo da capa a ir para um Defender 90 200 Tdi, um modelo já com algumas décadas, mas no qual foram introduzidas alterações com a adopção de um sistema bi-turbo, transformando completamente o deu desempenho.

A preparação de um Defender 130, o modelo de maiores dimensões, para expedições, a conversão para gás liquifeito de um Discovery Tdi, que passa a cumprir normas anti-poluição muito rigorosas, uma avaliação da versão actualizada do Discovery Sport, onde as alterações introduzidas são pouco visíveis no exterior, merecem igualmente uma leitura atenta.

Um artigo interessante aborda a polémica substituição dos balões por molas nos Discovery 2, uma opção de muitos, que assim reduzem custos de manutenção, sacrificando conforto, enquanto outros abordam a avaliação dos Freelander 2, um modelo tipicamente sub-valorizado, um Minerva 80" em versão de ambulância, considerado uma autêntica raridade, e um conjunto de passeios e expedições que se podem revelar inspiradores.

Estão igualmente presentes as habituais secções, incluindo-se aquelas em que participam os leitores, as notícias dos diversos clubes dedicados à marca, bem como a extensa publicidade temática, complementada pela análise de diversos produtos, alguns bastante conhecidos, e dos classificados, destinados a um mercado britânico que, face à iminência do Brexit, pode sofrer alterações profundas, num número onde não faltam motivos de interesse e que será, possivelmente, dos últimos provenientes de um país comunitário.

domingo, novembro 03, 2019

O autorádio RM-JQ1583C - 2ª parte

Naturalmente, a maior ou menor dificuldade de instalação depende de cada modelo de veículo concreto, mas tipicamente o processo passa pela remoção de uma moldura existente em torno do rádio, o que permite introduzir uma chave que solte o equipamento, após o que este é puxado para fora da gaveta e os cabos desconectados, sendo de recordar a posição relativa dos dois cabos ISO.

A instalação é efectuada de forma inversa, depois de subsituir a moldura metálica do rádio anterior pela do novo, inciando-se pela ligação dos cabos ISO e da antena, e de outros, caso existam, após o que se deve efectuar um teste de funcionamento que, sendo positivo, permitirá prosseguir o processo, com o rádio a ser empurrado para dentro da gaveta até ficar preso, terminando-se com a colocação da moldura.

Este RM-JQ1583C tem uma potência de saída de 25W em quatro canais, com conecção RCA, suporta frequências de rádio FM entre os 87.5 e 108.0 MH, possui conectores para suportes digitais sob a forma de cartões SD e "pens" USB e suporta comunicações via "bluetooth", permitindo a ligação a um telemóvel ou um leitor de músicas que use este tipo de comunicação.

Obviamente, a característica que consideramos como essencial é o poder substituir um "kit" de mãos livre, que, adquirido em Portugal é mais caro do que o rádio, o que permite utilizar o telemóvel com menos restrições, efectuando comunicações durante a condução enquanto se cumpre o que a legislação prevê, evitando assim multas e mesmo uma possível inibição de conduzir.

sábado, novembro 02, 2019

Cursos de plataformas "on line" - 2ª parte

Apesar de alguns dos conteúdos parecerem bastante básicos ou rudimentares, na maioria destes módulos pode-se encontrar um conjunto de informações e de alertas importantes, alguns dos quais menos intuitivos, mas também quais os recursos que as várias plataformas disponibilizam para minorar ou resolver problemas, entre estes algumas soluções pouco conhecidas cujo acesso se encontra quase oculto pela multiplicidade de opções de alguns menus.

No entanto, nos cursos mais avançados, existe uma maior complexidade e podem surgir outro tipo de questões, algumas derivando da multiplicidade de conceitos envolvidos, outras como resultado de conceitos que podem ser menos claros, algo entendível quando se trata de uma plataforma complexa, gratuita para os utilizadores, mas que gera receitas impressionantes, essencialmente baseadas em publicidade de vários tipos, as quais se baseiam em dados, muitas vezes pessoais, cuja disponibilização e utilização convém entender.

Mesmo para quem conheça bem uma plataforma, ou assim o entenda, dispender algum tempo a avaliar os conteúdos formativos de quem concebeu todo um sistema frequentado por milhões de utilizadores poderá revelar-se um bom investimento, não apenas porque, inevitavelmente, surgirão novidades, mas porque ajuda a entender os conceitos que estão por detrás do que é imediatamente visível e que determinou a implementação de funcionalidades e sistemas.

Os interessados podem inscrever-se gratuitamente no "Facebook Blueprint", usando os mesmos dados de "login" do Facebook, após o que terão acesso ao catálogo de módulos disponíveis, que têm mencionado o nível de exigência e o tempo necessário para a ser completado, e se encontram avaliados por que os frequentou, podendo então analizar se os conteúdos vão ao encontro das suas expectativas e necessidades, valendo a pena, na nossa opinião, um investimento em tempo na consolidação de conhecimentos nesta área.

sexta-feira, novembro 01, 2019

O autorádio RM-JQ1583C - 1ª parte

Substituir um autorádio, seja por avaria, seja por necessidade de actualização ou por qualquer outro motivo, é algo com que uma grande parte dos proprietários de veículos, sobretudo quando estes já têm alguma idade, se irão defrontar, sendo de optar, consideramos, por um modelo que implemente algumas funcionalidades básicas, como a ligação ao telemóvel ou o suporte de unidades de armazenamento digitais.

Optamos por um rádio com suporte para mãos livres do modelo RM-JQ1583C por possuir as características mínimas exigíveis, sendo certo de que, por existir uma manifesta normalização em termos de alimentação eléctrica, que será a mesma para veículos que usam veículos de 12V, a escolha é particularmente abundante sem termos de qualidade e de preço.

Naturalmente, será sempre de escolher um modelo compatível com a gaveta, sempre de formato normalizado e que será 1 ou 2 DIN, de apenas 1 DIN neste caso concreto, o que só permite instalar os modelos de rádio de menores dimensões, como o que escolhemos e que tem 187 x 102 x 60 milímetros e pesa apenas 400 gramas.

Destinando-se a uma substituição, será sempre de optar por um equipamento que possua o mesmo tipo de conectores, o que facilita imensamente a instalação, praticamente colocando-a ao alcance de quem possuir alguma habilidade manual e as ferramentas habituais numa residência, sendo que neste caso, dado que o rádio a substituir tinha fichas ISO, optamos por um modelo com o mesmo tipo de fichas.

quinta-feira, outubro 31, 2019

As estações de trabalho Dell T1700 - 4ª parte

Poucos serão aqueles que utilizarão as 6 baías disponíveis, a que acrescem as que são ocupadas pelo disco e por um leitor e gravador de CD e DVD, ou que irão acrescentar placas, já que o número de portas e conectores são suficientes, vindo já um dos "slots" ocupados pela placa gráfica, mas será sempre possível adicionar leitores de cartões, que podem requerer uma placa controladora, uma placa de rede sem fios ou uma com mais portas USB de alta velocidade.

Assim, face ao desempenho que este Dell, ou equipamentos semelhante permitem, e que podem ser relevantes para quem utilize programas de cálculo ou necessitem de um bom desempenho a nível gráfico, esta será uma opção a ter em conta, mesmo sabendo que o volume e o consumo de energia podem ser penalizadores face a modelos de menores dimensões que, talvez por causa disso, tendem a ser muito mais populares e que, tendo processadores mais conhecidos, serão igualmente os mais pesquisados.

Aproximando-se em termos de desempenho de um Intel i7, mas com uma memória RAM que é o dobro da maioria dos computadores vendidos em segunda mão e que compensa uma menor rapidez de processamento quando comparado com competidores mais recentes, podendo ser melhorado com discos de trabalho SSD e usando um par de SATA configurados como RAID para salvaguardar a informação do utilizador, equipado com uma boa placa gráfica, este T1700, apesar dos seu anos, apresenta um excelente desempenho para o preço pedido, sendo uma opção muito interessante.

Nesta altura de incerteza devido ao Brexit, o que pode condicionar, e muito, compras em Inglaterra, onde existe um elevado número deste tipo de computador, do que resulta um preço mais acessível, eventuais interessados deverão efectuar uma pesquisa e concretizar possíveis aquisições antes que o preço suba, como consequência de uma inevitável passagem pela Alfândega, algo a que um objecto com este volume não escapa.