domingo, janeiro 20, 2019

Caneca eléctrica para veículos

Aquecer ou manter quente um líquido, como chá, café ou leite, num veículo pode revelar-se agradável a ajudar a melhorar o conforto numa viagem mais longa, sendo as canecas eléctricas, com alimentação via tomada de isqueiro, uma das soluções mais acessíveis e práticas, estando disponíveis inúmeros modelos, com diversos níveis de sofisticação, a que correspondem preços muito diferenciados.

Construído em aço inoxidável, com tampa e pega ergonómica em plástico, tem um diâmetro de 8 centímetros e uma altura de 8, um peso de 245 gramas e uma capacidade de 450 mililitros, e possui um termostato electrónico que regula a temperatura do liquido no interior para os 65º.

Não sendo configurável em termos de temperatura e sem dispor de um interruptor, o seu funcionamento limita-se a, uma vez com o líquido no seu interior, ser ligado na tomada de isqueiro de 12 volts de um veículo e esperar alguns minutos para que este atinja a temperatura pré-estabelecida.

Com um preço que fica perto da meia dúzia de Euros, incluindo portes a partir da Ásia, este será um dos modelos mais económicos, não tendo a sofisticação dos modelos mais dispendisosos, mas revela-se eficaz, prático e simples de utilizar, com o vedante em borracha a vedar bem, evitando derrames, e uma base em borracha anti-derrapante, que lhe confere alguma estabilidade.

sábado, janeiro 19, 2019

Luvas para écrans tácteis

A possibilidade de utilizar écrans tácteis com luvas calçadas, é cada vez mais premente, dado o crescente número de dispositivos que usam este tipo de tecnlologia, sendo ainda de prever que características anti-derrapantes, adequando-as a um maior número de actividades, incluindo a prática de alguns desportos.

Este tipo de luvas tende a ser em tecido elástico e macio, num composto com 82% de polyester e 18% de poliuretano, com forro interno em nylon, tendo ou um fecho eclair, ou um conjunto de elásticos e velcro para ajuste nos pulsos, evitando perdas de calor, sem que se torne difícil calçá-las.

Permitindo a fácil respiração da pele, este tipo de luvas protege bem contra vento e frio, mas não contra a chuva, revelando-se quentes e confortáveis caso o tempo esteja frio e seco, com a palma anti-derrapante a permitir agarrar objectos com segurança e o revestimento no topo dos dedos a facilitar o uso de écrans tácteis.

Disponíveis en diversos tamanhos, e convém ver as medidas e não o número, em várias configurações, e nas cores mais comuns, estas luvas, na versão não impermeável, tem preços que começam perto dos três Euros, subindo para o triplo para modelos de melhor qualidade e que protejam da chuva.

sexta-feira, janeiro 18, 2019

Elevar bancos num Defender

Uma solução simples, de baixo custo muito fácil instalação, para elevar os bancos dos Land Rover Defender foi recentemente apresentada pela David Bowyer's Off Road Centre, melhorando o ângulo de visão e, para muitos, o conforto que resulta de uma posição de condução mais elevada.

O "kit" é composto por quatro espaçadores, dois para a frente, elevando a calha do assento em uma polegada, ou perto de 25 milímetros, e outros dois para a rectaguarda, com o dobro da altura, sendo necessário proceder à remoção das calhas que deixam de assentar sobre a plataforma dos compartimentos sob os bancos, assentando sobre os espaçadores.

O processo de instalação é simples, bastando as ferramentas mais comuns, e pouco propenso a erros, destinando-se o "kit" a apenas ao banco do condutor, mas, caso se justifique, por uma questão de conforto, pode ser aplicado nos restantes bancos, sendo sempre de avaliar a sua adequação a cada caso concreto antes de proceder à respectiva aquisição, simulando a elevação do assento com uma almofada ou estrado equivalente.

O "kit" completo, com os parafusos mais longos para fixação, tem um preço de 26 Libras, a que acrescem portes de 4 no Reino Unido, e que serão mais dispendiosos para o exterior, revelando-se um producto de muito boa qualidade, sendo um dos dois productos originais deste fabricante, com o outro a ser um sistema de armazenamento que fica debaixo do tejadilho.

quinta-feira, janeiro 17, 2019

Guinchos de baixo preço - 3ª parte

Tal significa que uma solução com cabo sintético, absolutamente essencial para seguir os procedimentos que conduzam ao averbamento do guincho, implicará um preço perto de 30 Euros superior, pelo que se pode apontar para perto de 320 Euros para dispor de um guincho, valor a que podem acrescer acessórios, como um para-choques, instalação, se não for efectuada pelo próprio, e, por questões de segurança, averbamento, pelo que o total pode ser francamente mais elevado.

Sendo difícil aferir da qualidade real destes guinchos, o "feedback" do vendedor revela-se essencial, sendo de verificar qual a impressão dos clientes em termos gerais e, sobretudo, a dos que adquiriram o mesmo tipo de equipamento, bem como efectuar uma pesquisa na Internet, tentando identificar particularidades do modelo e não o nome, já que este varia de acordo com cada vendedor.

Uma solução mais segura, seja pelo registo e antiguidade do vendedor, seja pela marca do guincho, eleva o preço para valores que ficam entre os 400 e os 500 Euros, o que pode fazer sentido para quem necessite de maior segurança e preveja alguma frequência de utilização, mas que pode não ser fácil de justificar para quem apenas o tenha instalado para situações de emergência, raras de acontecer, e que não se desloque a locais onde a ajuda seja difícil ou improvável.

No entanto, seja qual for a solução escolhida, é inegável que, sem manutenção adequada, mesmo um bom guincho pode avariar e que, dado que tal pode acontecer, deve-se ter em conta a disponibilidade de peças para reparação, sem o que o que parecia ser um bom negócio se pode revelar, pura e simplesmente, como uma perda que, para além do valor, pode deixar o proprietário numa situação delicada.

quarta-feira, janeiro 16, 2019

Buy Me a Coffee


Buy Me a Coffee at ko-fi.com

Land Rover Owners de Fevereiro de 2019 já nas bancas

Já chegou aos locais de venda habituais a edição de Fevereiro de 2019 da Land Rover Owners International, com o destaque da capa a ir, mais uma vez, para um Discovery 2, o que confirma o interesse crescente neste modelo e a valorização do mesmo no mercado de usados em diversos países, entre os quais Portugal.

Para além da transformação deste Discovery, que passa de uma viatura quase de série para uma configuração destinada a expedições e aventuras fora de estrada, uma réplica do Defender 110 do filme James Bond "Spectre", o excelente restauro de um Series IIA Lightweight e o guia de compra do Discovery 1, adaptado à realidade britânica, mas com interesse em muitas vertentes, são artigos particularmente interessantes.

Um contacto inicial com as novidades anunciadas pela Land Rover para o presente ano, onde se prevêm várias novidades, a descrição de passeios em Peak, Inglaterra, tal como uma expedição na Austrália, bem como diversos melhoramentos introduzidos por proprietários no respectivos veículos.

Entre os vários artigos técnicos encontram-se a manutenção de um motor 2.2, usado nos Defender, a substituição da alavanca da caixa de velocidades numa MT82, de 6 relações, bem como diversas pequenas reparações, que os proprietários podem realizar sem grande esforço, sendo esta edição complementada pela divulgação de actividades de diversos clubes, para além da apresentação de novos productos, por diversos testes a produtos, com um maior período de uso e pelo contributo de leitores, num conjunto que agradará aos adeptos da marca.

terça-feira, janeiro 15, 2019

Guinchos de baixo preço - 2ª parte

No entanto, um destes modelos, nomeadamente os de 13.500 libras, que basicamente corresponde a 6.000 quilos, com alguns arredondamentos, parece ser o que tem uma melhor relação entre o preço e a qualidade, sobretudo tendo em conta o motor "wound" com 3 planetários, que proporciona alguma segurança na utilização.

Com um motor tipo "wound" de 6.5hp/4.8kw 12V, uma relação máxima de 265:1 e uma embraiagem deslizante de 180º, quando adquirido com um cabo de aço, com 9.5 milímetros de diâmetro e 27 metros de comprimento, inclui um sistema de roletes de 4 vias, são fornecidos um comando manual e dois remotos, para além de todos os acessórios para montagem, resultando numa solução completa e pronta a ser instalada.

O tambor tem 6.4 x 22.4 centímetros, para umas dimensões totais de 54.6 x 16 x 22.2 cm e uma furação de 25.4 x 11.43 centímetros, sendo estes dados relevantes para efeito de instalação, enquanto o peso completo, incluindo todos os acessórios, se aproxima-se dos 37 quilos, um valor dentro dos limites habituais para esta classe de guinchos eléctricos.

Um cabo sintético com secção de 12 milímetros e 25 metros de comprimento tem um preço que ronda os 85 Euros, perto de 50 Euros a mais do que o cabo incluído de origem, sendo ainda dispensável o sistema de roletes, que deve ser substituído por uma placa própria, que fica junto da superfície do para-choques.

segunda-feira, janeiro 14, 2019

Acidentes de viação aumentam pelo segundo ano consecutivo - 4ª parte

As campanhas de prevenção, entre as quais as conhecidas acções da Prevenção Rodoviária Portuguesa, basicamente desapareceram, privadas de verbas para o efeito, mas o facto é que duvidamos em muito da eficácia destas, após anos em que, aparentemente, apenas a repressão obteve alguns resultados a curto prazo, sendo certo que a mudança de mentalidades é lenta e, nalguns casos, geracional.

Sendo que apenas um processo devidamente planeado e estruturado, e cujos resultados somente serão visíveis a longo prazo, pode resolver de forma mais sólida e defenitiva este problema, são necessárias medidas de contingência que, inevitavelmente, serão sobretudo repressivas, as únicas que têm efeito imediato e permitem controlar uma situação que se tem vindo a agravar perante a passividade do poder político.

Algumas falhas nas vias, que deram origem aos chamados "pontos negros" contribuem com uma percentagem pequena para estes números, sendo que os números atribuíveis a falhas dos veículos, muitos deles circulando em muito mau estado, é desconhecido, não constando das estatísticas, podendo-se apenas intuir a existência de alguma relação entre a idade do parque automóvel e a qualidade do mesmo.

No entanto, tal relação não é línear, sendo que a manutenção, bem como os cuidados a ter com os diversos equipamentos, muito mais relevante do que a idade, sendo certo de que, mesmo um veículo recente, se mal mantido, muito rapidamente se detriora, representando um perigo algo oculto pela confiança dada pela escassa idade do mesmo.

domingo, janeiro 13, 2019

Desembaciadores para veículos

Com a chegada do tempo frio, tanto o embaciamento dos vidros, como a própria temperatura dentro de um veículo podem ser problemáticas ou, pelo menos, incómodas, podendo ser contrariadas com um dos pequenos sistemas portáteis, que funcionam ligados à tomada do isqueiro, dispensando instalação e que podem ser adquiridos por menos de uma dezena de Euros.

Basicamente, estamos diante de um equipamento com uma ventoinha interna, que proporciona um fluxo de ar, o quel mode ser aquecido por um conjunto de resistências internas, ou, simplesmente, usado para aumentar a circulação de ar, o que poderá ser o mais adequado para o tempo quente.

Com potências que começam nos 150w, de muito pequenas dimensões, com apenas 160 x 115 x 65 milímetros, para usar como exemplo um dos modelos mais económicos, basta usar o autocolante de duas faces, ou um sistema de velcro, para ser facilmente amovível, após o que se liga o cabo, com 1.70 metros de comprimento, à tomada do isqueiro, ficando pronto a funcionar.

Os angulos são ajustáveis, em altura e direcção, após o que, acionando o interruptor de três posições, desligado, quente e frio, o fluxo de ar sai pelas três condutas, que orientam a saída num ângulo bastante aberto, como forma de abranger uma área como, por exemplo, um para-brisas, contribuindo para um desembaciamento mais rápido.

sábado, janeiro 12, 2019

Guinchos de baixo preço - 1ª parte

Não obstante surgirem cada vez mais questões relacionadas com o averbamento nos documentos da viatura, única forma de poder circular sem receio de ter problemas com as autoridades, os guinchos eléctricos continuam a encontrar-se entre os acessórios mais populares, e entre os mais dispendiosos, para os adeptos do todo o terreno.

Com o advento de novas fábricas na China e o surgimento de novos importadores, sobretudo na antiga Europa de Leste, este tipo de equipamento tem-se tornado mais acessível, com os preços a cair para perto dos 300 Euros, incluindo portes e sem impostos adicionais, ficando apenas de fora a questão da instalação, que pode requerer modificações ou acessórios extra, como um para-choques compatível.

Naturalmente, não esperamos que um destes guinchos tenha a mesma qualidade dos que são produzidos pelos fabricantes mais conceituados, sendo que esta diferença pode ser mais a nível de controle do que de componentes, já que muitas marcas conhecidas recorrem às mesmas fábricas, quase todas sedeadas na China, para efectuar a sua produção, tendo vindo a surgir autênticas réplicas, produzidas nas mesmas linhas, cuja diferença passa, essencialmente, pela falta dos logotipos.

Entre os modelos mais acessíveis encontram-se os de 12.000 e 13.500 libras, ambos mais do que suficientes para a maioria dos veículos, e com cabo de aço, o que implica os tradicionais roletes, cuja instalação, actualmente, é tudo menos aconselhável, sendo um convite a multas ou mesmo a complicações mais graves.

sexta-feira, janeiro 11, 2019

Acidentes de viação aumentam pelo segundo ano consecutivo - 3ª parte

Acresce, naturalmente, o funcionamento do sistema judicial, lento e onde recursos e incidentes permitem ganhar tempo, e o facto de, mesmo face a situações da maior gravidade, não existirem medidas preventivas eficazes que suspendam a possibilidade de conduzir a quem usa todos os recursos legais ao seu dispor para contrariar esta medida cautelar.

A falta de fiscalização eficaz, e aqui os problemas orçamentais que afectam diversos sectores do Estado estão presentes, retirando meios às forças policiais, com consequências no número de veículos operacionais, no combustível disponível para missões de vigilância e prevenção, ou mesmo a nível de efectivos, tem consequências óbvias entre aqueles para os quais apenas a repressão pode impor alguma moderação.

O uso de meios electrónicos, e agora já se passou das comunicações de voz e texto nos dispositivos móveis para o âmbito das redes sociais, das fotografias, e de todo um conjunto de partilhas, a que acrescem dispositivos de navegação nem sempre adequados a uma consulta fácil por parte do condutor, são um contributo sério para os acidentes ocorridos, juntando-se a outros presentes desde há muito.

Não obstante as campanhas, e algumas fiscalizações, a condução sob o efeito do álcool continua a ser um factor importante no número de acidentes, tal como o são substâncias psicotrópicas, cuja presença é mais difícil e dispendiosa de testar e que, consequentemente, poucas vezes será punida, sendo provável que apenas em casos flagrantes tal venha a suceder, deixando passar a grande maioria dos casos.

quinta-feira, janeiro 10, 2019

Estojos de primeiros socorros em viaturas - 4ª parte

Aconselhamos a aquisição de um conjunto acomodado numa bolsa de boa qualidade, preferencialmente impermeável, ou, caso possível, numa caixa rígida, sendo sempre uma opção adquirir o modelo considerado mais adequado vazio e comprar separadamente o respectivo conteúdo, com base numa lista que pode ser obtida num dos vários "sites" onde é possível obter aconselhamento.

Também é de notar que um estojo para ter numa viatura obriga a um tipo de acomodação diferente daquele que será exigível numa residência, e que os conteúdos serão diferentes, não apenas devido à diferença do tipo de acidentes que se podem prever, mas também pela medicação que pode ser incluída, alguma da qual pode ter restrições em termos de uso ou mesmo de transporte, obrigando a condições de conservação muito específicas.

Será igualmente de ter em atenção que este conjunto de primeiros socorros deve ser complementado, dependendo do seu local de instalação e presumível uso, por outros equipamentos, como um extintor, uma manta anti-fogo ou outros, consideramos adequados a complementar ou mesmo a antecipar a sua utilização, aconselhando-se a que, numa viatura, estejam presentes os equipamentos que citamos previamente, bem como um cobertor de emergência, algo que numa residência, naturalmente, será dispensável.

Estamos diante de um investimento módico, e mesmo incluindo um extintor, com perto de uma vintena de Euros é possível dispor de um estojo de primeiros socorros com o essencial, caso se aproveite uma das promoções que surgem periodicamente, para o que convém estar alerta, antecipando assim algo que, infelizmente, pode acontecer a todos ou que podemos testemunhar e, caso possível, devemos intervir.

quarta-feira, janeiro 09, 2019

Acidentes de viação aumentam pelo segundo ano consecutivo - 2ª parte

Também o aumento do número de veículos e de quilómetros percorridos tem efeito, sendo normal que, com o aumento destes, exista um maior número de acidentes, mas a uma maior densidade do tráfego corresponde, muitas vezes, a uma diminuição da velocidade e, consequentemente, a uma menor gravidade dos acidentes, embora tal dependa das circunstâncias específicas, como o tipo de via ou a existência de zonas de maior perigo.

Todos nos lembramos do anúncio, algo pomposo, da nova "carta por pontos" que, diziam, ia contribuir para refrear alguns condutores menos respeitadores da legislação e dos demais utentes da estrada, mas, passado um primeiro impacto inicial, rapidamente todos concluiram que nada havia por detrás deste sistema e que os pontos raramente eram retirados em tempo útil, pelo que o efeito prontamente se perdeu.

Ainda hoje, anos volvidos, são poucos os condutores que, face às infracções cometidas, vissem o número de pontos diminuir até ficarem inibidos de conduzir, com os processos mais ou menos paralizados e esperando pela mais que provável prescrição, de que resulta uma sensação de impunidade quase absoluta.

Esta sensação de impunidade, que parece ser confirmada pela prática, será, na nossa opinião, um dos factores determinantes para esta evolução negativa, ao permitir que condutores sem comportamento cívico ou com falhas técnicas flagrantes possam continuar a conduzir e, muitas vezes, a provocar sucessivos acidentes, faltando nas estatísticas o factor de repetição, ou seja, quantos condutores provocam diversos acidentes.

terça-feira, janeiro 08, 2019

Estojos de primeiros socorros em viaturas - 3ª parte

Uma opção que recomendamos por diversas vezes, por oferecerem uma excelente relação entre o preço e a qualidade, são os estojos vendidos no Lidl, disponíveis apenas durante algumas promoções, e que têm um custo muito inferior ao de estojos semelhantes vendidos nalgumas grandes superfícies ou mesmo lojas mais especializadas, sendo de ficar atento a este tipo de promoção, caso haja interesse em comprar.

Lembramos que, mesmo no Lidl, costumam estar disponíveis dois tipos de estojos diferentes, separados por uma diferença de preço relativamente baixa, pelo que será, caso possível, de adquirir o de valor mais elevado, cujo preço pode rondar meia dúzia de Euros, e que é bastante completo em termos de variedade e mesmo de quantidade.

Aconselhamos a aquisição de um conjunto acomodado numa bolsa de boa qualidade, preferencialmente impermeável, ou, caso possível, numa caixa rígida, sendo sempre uma opção adquirir o modelo considerado mais adequado vazio e comprar separadamente o respectivo conteúdo, com base numa lista que pode ser obtida num dos vários "sites" onde é possível obter aconselhamento.

Também é de notar que um estojo para ter numa viatura obriga a um tipo de acomodação diferente daquele que será exigível numa residência, e que os conteúdos serão diferentes, não apenas devido à diferença do tipo de acidentes que se podem prever, mas também pela medicação que pode ser incluída, alguma da qual pode ter restrições em termos de uso ou mesmo de transporte, obrigando a condições de conservação muito específicas.

segunda-feira, janeiro 07, 2019

Acidentes de viação aumentam pelo segundo ano consecutivo - 1ª parte

O aumento do número de acidentes rodoviários e de vítimas mortais que ocorreu nos dois últimos anos, contrariando uma tendência que se verificava desde há muito, lança um novo alerta para um problema que, efectivamente, nunca foi combatido com eficácia e que vai sendo algo camuflado por factores externos.

A diminuição de acidentes ao longo de anos deve-se a um conjunto de factores que incluem desde uma maior rede de autoestradas, consideradas seguras, até veículos que oferecem melhores condições de segurança, mas não passa pelo factor humano, nas suas diversas vertentes, seja como condutor, seja como decisor.

Os avanços na medicina, a maior eficácia no socorro, a melhoria dos sistemas de comunicações, são factores, entre outros, que permitem salvar vítimas que, poucos anos antes, estariam condenados a morrer, pelo que existe um conjunto de factores que, independentemente do comportamento dos condutores, deviam permitir reduzir o número de vítimas, mesmo que os acidentes continuem a aumentar.

Aliás, a evolução comparativa do número de mortos, feridos graves e ligeiros e de acidentes permite tirar diversas conclusões, nomeadamente onde se encontram os principais problemas, sendo certo de que, um aumento do número de acidentes que seja proporcionalmente inferior ao do número de vítimas mortais, aponta para a maior segurança das viaturas, da eficácia no socorro e no tratamento, e, eventualmente, para maiores problemas a nível de condução.

domingo, janeiro 06, 2019

Consola da RDX para a luz interior

Existem diversos processos, e acessórios, para adicionar um conjunto de botões ou interruptores num Land Rover Defender, sendo que a pequena consola concebida pela RDX e que fica instalada junto da luz interior, sob o tejadilho, será uma das soluções a ter em conta, sobretudo tendo em conta que poucas outras ficam abaixo dos 35 Euros que esta custa, excluindo portes.

Esta pequena consola, ou "pod", é de muito fácil instalação, bastando remover a luz interior, colocar a consola e repor a iluminação, não havendo necessidade de alterações e sendo todo o processo reversível, sendo apenas condição o forro interior estar em bom estado e os encaixes originais em boas condições.

Com 142 milímetros de comprimento por 61 de largura e alturas máxima de 59 e mínima de 39, esta consola, em plástico ABS texturado negro, não interfere com a visibilidade do espelho retrovisor, nem com a operação das palas, mas pode ser necessário utilizar uma lâmpada mais potente para compensar o efeito da deslocação do local do foco de luz.

Tal como muitos acessórios da RDX, entre eles outras consolas, é necessário efectuar os cortes correspondentes para adicionar componentes, como interruptores, altura em que esta fica personalizada, tendo que se passar os cabos destes através do forro interior, mas, sendo um trabalho efectuado com profissionalismo, esta consola, para além do bom aspecto que tem, permite ter um conjunto de comandos muito ao alcance da mão, algo que será sempre positivo.

sábado, janeiro 05, 2019

Saco para bagagem de tejadilho

Acomodar volumes ou bagagens no exterior de um veículo permite recuperar espaço no interior, sendo o tejadilho, ou uma caixa de carga, numa "pick up", por exemplo, sendo um saco construído para o efeito uma alternativa que oferece uma boa relação entre a qualidade e o preço.

Este modelo tem dimensões aproximadas de 80 x 78 x 28 centímetros, sendo construido em materiais de elevada resistência, que suportam e resistem bem à chuva, sendo impermeável, bem como ao pó, projecções de detritos, ou mesmo raios solares, e é fechado com fechos eclair duplos.

Este modelo é compatível com a maioria dos veículos com barras ou grades de tejadilho, sendo de muito fácil instalação, recorrendo às oito correias, duas de cada lado, com sistema de aperto rápido e fechos de elevada resistência, e o facto de não ter armação interna facilita ajuda tanto a montagem como o transporte e arrumação.

O preço fica perto dos 40 Euros, incluindo portes a partir da Ásia, possuindo um ano de garantia, difícil de utilizar face o custo dos portes envolvidos, mas este valor representa um grande volume para acomodação de bagagens, preferencialmente leves, de modo a não comprometer a segurança como resultado de um centro de gravidade mais elevado e uma muito menos eficaz configuração aerodinamica.

sexta-feira, janeiro 04, 2019

Estojos de primeiros socorros em viaturas - 2ª parte

Estão disponíveis estojos, com o respectivo conteúdo, por preços extremamente acessíveis, começando no par de Euros, mas que incluem apenas os conteúdos mais básicos, como compressas, desinfectante, adesivo, pensos e tesoura, complementados com uns poucos acessórios que em pouco expandem as suas possibilidade de utilização, condicionada a ferimentos muito ligeiros, não apenas pela variedade, mas também pela quantidade do material incluído.

Naturalmente, desaconselhamos algo tão básico, sobretudo porque, com um pequeno acréscimo no preço é possível adicionar alguns items que poderão fazer toda a diferença, como um cobertor de emergência, luvas de latex ou alfinetes de dama, bem como uma quantidade muito superior dos items mais comuns.

Conjuntos mais completos, para além de, normalmente, virem melhor acomodados, tendem a incluir algumas instruções de uso que, devendo servir apenas como confirmação ou consulta relativamente a algo que deve ter sido aprendido previamente, podem revelar-se úteis em situações de maior tensão, durante as quais as dúvida são mais frequentes, sobretudo para quem tem menos prática e não desenvolveu automatismos.

Também é de realçar que existem "kits" destinados a situações específicas, que podem incluir equipamentos menos comuns, como, por exemplo, a serem utilizados em locais onde existe o perigo de envenenamento por mordedura de répteis, ou com maior ênfase num dado tipo de ocorrência, como queimaduras, bem como modelos complementados com outro tipo de utensílios, na previsão de que o socorro possa tardar ou seja necessário algum tipo de auxiliar para localização.

quinta-feira, janeiro 03, 2019

O socorro na queda do helicóptero do INEM - 7ª parte

As falhas do Estado, mesmo que nem todas da responsabilidade directa do Governo, bem como a forma como este tenta fugir a responsabilidades, apontando sempre para outras entidades, suportada por governantes, como o ministro da Administração Interna, que aponta culpas para a NAV, acusando-o de não cumprir protocolos vigentes, no que parece uma tentativa de iludir responsabilidades.

Manifestamente, nada se aprendeu com as sucessivas tragédias, com o Governo a manifestar uma altivez e arrogância que, face à sucessão de casos, não se pode aceitar, incapaz de assumir responsabilidades ou reconhecer fraquezas próprias, sendo patente que, tal como em casos anteriores, não haverá responsabilidade política, salvo por imposição da Presidência da República, que manifesta cada vez mais a sua indignação perante sucessivos incidentes.

No entanto, e mesmo antes de terminarem os inquéritos, é patente que a sequência de falhas e erros é inimaginável e inaceitável, pondo em causa a confiança dos cidadãos no Estado, revelando a extrema debilidade de muitas estruturas e instituições, fruto de incompetência, nomeações de carácter político ou falta de investimentos, num País seguro por cordeis e que o esconde com anúncios cada vez menos credíveis.

Só depois de terminadas as várias investigações e inquéritos haverá conclusões mais definitivas e algumas respostas para um conjunto de perguntas que surgiram imediatamente depois do acidente, sendo absolutamente necessário que, dentro de um espaço de tempo razoável, que previna especulações e gere desconfianças, sejam disponibilizadas as conclusões e, caso se justifique, atribuídas responsabilidades.

quarta-feira, janeiro 02, 2019

Estojos de primeiros socorros em viaturas - 1ª parte

Apesar de, ao contrário de outros acessórios e equipamentos, não ser de presença obrigatória num veículo, uma bolsa com um conjunto de meios destinados a prestar os primeiros socorros, e o conhecimento para os utilizar, fazem todo o sentido, não apenas do ponto de vista prático, mas também como forma de sensibilização.

Se vários equipamentos são obrigatórios, ou estiveram em vias de o ser, tal nunca abrangeu um estojo de primeiros socorros, sendo que, para além da sua presença, os conhecimentos básicos deviam ser incluídos no ensino regular e, eventualmente, confirmados durante a instrução da condução.

No caso de veículos de utilização profissional, mesmo que não destinados ao transporte de passageiros, e de condutores profissionais, tal será ainda mais imperativo, tendo em conta o tempo que passam a conduzir e, consequentemente, o aumento probabilístico de ter ou se deparar com situações onde estes recursos sejam necessários.

Obviamente, caso tal fosse uma obrigatoriedade, a existência de conjuntos certificados e a sua verificação periódica, em termos de prazos de validade, facilitariam a escolha na altura da aquisição, mas, mesmo não o sendo, este é um investimento de muito baixo custo que consideramos ser moralmente obrigatório.

terça-feira, janeiro 01, 2019

Feliz 2019

Seguindo uma tradição que mantemos desde há muito, no início de um novo ano, vimos agradecer aos nossos amigos e leitores a sua presença e apoio, que nalguns casos se prolonga desde o início deste "blog", enviando os nossos votos de um Ano Novo muito feliz, com tudo de bom e durante o qual os vossos sonhos se tornem realidade.

Agradecemos, para além da vossa presença, as sugestões, comentários e críticas que nos fizeram chegar e que são essenciais para orientarmos a nossa direcção, selecionando assuntos que sejam mais do interesse dos nossos leitores ou que respondam a questões ou problemas concretos que nos colocaram.

Inevitavelmente, muito do que é analizado e publicado depende dos acontecimentos que ocorrem, muitos dos quais são inesperados, e, consequentemente, condicionam a publicação de textos cujo interesse é menos dependente da actualidade, dando prioridade aqueles que, quando não publicados no momento em que o assunto é premente, perdem interesse ou o próprio sentido, pelo que alguma imprevisibilidade na sequência de publicações é inevitável.

A todos, desejamos um 2019 muito feliz, com muita paz e alegria.