sexta-feira, maio 24, 2019

O SIRESP sob controle do Estado - 4ª parte

Um conflito entre o Estado e a Altice, dona da rede de comunicações usada pelo SIRESP pode, efectivamente, ser o pior cenário possível, com um impacto directo na operacionalidade do sistema, podendo revelar-se bastante mais complexo do que o resultando do desligar do sinal de satélite, tal como foi ameaçado pelos acionistas privados, mas nunca concretizado.

Por outro lado, continuar a investir nesta plataforma equivale ao esforço desesperado de melhorar um automóvel de concepção ultrapassada e pouco fiável, adicionando sucessivamente opcionais e peças novas, certos de que o resultado final nunca se aproximará do desempenho de um modelo mais recente, por muito dinheiro que nele se invista, dado que a estrutura limita a evolução e compromete seriamente os resultados finais, que nunca serão satisfatórios.

Portanto, seja a aquisição de capital no SIRESP, sejam os investimentos visando o seu melhoramento correspondem a prolongar o longo estertor de uma solução moribunda, incapaz de um desempenho que corresponda às necessidades actuais, pelo que estamos diante de um puro desperdício que nada mais faz do que adiar um fim inevitável, mas permite que, entretanto, os responsáveis escapem ao implacável juizo da opinião pública.

Entretanto, o suposto acordo que estaria perto de ser assinado, passados vários dias após o anúncio, continua por assinar, enquanto as ameaças de nacionalização foram esquecidas, algo que era de esperar, dada a conflitualidade resultante, pelo que os problemas do SIRESP e a indefenição quanto ao seu futuro e operacionalidade permanece enquanto o tempo quente e os consequentes incêndios estão cada vez mais próximos.

quinta-feira, maio 23, 2019

Já em curso a campanha do "Pirilampo Mágico" de 2019

Começou no passado dia 16, decorrendo até 09 de Junho, a popular campanha do "Pirilampo Mágico", com o objectivo de angariar fundos paras as instituições apoiadas pela Federação Nacional das Cooperativas de Solidariedade Social (FENACERCI), sendo o protagonista das vendas, e da campanha, o popular boneco que dá o nome a esta iniciativa.

O "Pirilampo Mágico", tal como no ano passado, é em plástico, agora de menores dimensões, sem o pelo que tantos apreciavam, sendo este ano cor de laranja, mais uma vez sem a habitual fita com inscrições, que passam para a base do boneco, estando ainda disponíveis canecas, chávenas e sacos, mas o mais relevante será, sem dúvida, a solidariedade para com quem precisa.

O preço do "Pirilampo Mágico" mantém-se nos 2 Euros, podendo ser encontrado à venda um pouco por toda a parte, seja em estabelecimentos comerciais, seja em locais específicos, temporários, cujo local e horário pode ser consultado no "site" das instituições organizadoras.

Tal como em anos anteriores, convidamos os nossos leitores a serem solidários, adquirindo o popular Pirilampo, ou outros objectos integrados na campanha, fazendo um donativo ou ajudando a divulgar esta iniciativa, cujo resultado é essencial para a vida de muitas instituições de solidariedade, as quais enfrentam sempre grandes dificuldades.

quarta-feira, maio 22, 2019

Actualização 1903 do Windows 10 ao alcance de todos - 1ª parte

A Microsoft disponibilizou a actualização 1903, a primeira deste ano que inclui novas funcionalidades, para todos os utilizadores, o que significa que depois dos vários níveis de círculos de testes, e ultrapassado esta fase, atingiu a fase de lançamento, que por vezes é designada por RTM ou "Ready to market", sendo, portanto, um produto final.

Apesar de estar disponível a partir do dia 21 de Maio, tal não significa que quando se actualize um equipamento com Windows 10 este receba automaticamente a nova actualização, sendo normal que esta operação seja faseada, como forma de não resultar numa carga excessiva para os servidores da Microsoft, pelo que será espectável que só após algumas tentativas, e passados alguns dias, seja efectuada esta operação.

Este lançamento foi previsto para várias datas, tendo estas vindo a ser sucessivamente ultrapassadas, algo a que o desaire com a grande actualização anterior, a 1809, não deve ser alheio, podendo os utilizadores saltar por cima da actualização do ano passado directamente para a que agora foi lançada, algo que, tendo em conta os problemas de que esta se revestiu, será, sem dúvida, a opção de muitos.

Ao contrário das actualizações comuns, que visam correcção de erros ou melhoramentos funcionais ou a nível de segurança, a 1903 não se instala automaticamente, sendo necessário aceder ao sistema de actualização do Windows 10 para forçar a sua descarga e posterior instalação, num processo que é bastante mais moroso do que numa actualização de rotina já que corresponde, efectivamente, a uma substituição do sistema operativo.

terça-feira, maio 21, 2019

A Geeetech Prusa I3 A Pro - 5ª parte



Na base fica também todo o sistema de deslizamento da cama, bem como o motor do eixo Y e a correia de tracção, tal como o rolete de retorno, sendo essencial efectuar uma medição adequada da correia, o que implica dar um pouco de folga ao rolete e cravar uma das extremidades da correia, após o que se fixará a outra, regulando depois a tensão através do parafuso com orelhas que fica na parte frontal.

Nesta altura, as peças que irão fazer a ligação à estrutura vertical estarão soltas, com as respectivas anilhas e porcas de ambos os lados, à espera de ser colocadas nos seus lugares defenitivos, aconselhando-se a que fiquem sensivelmente a meio do veio roscado, sendo os ajustes feitos numa fase posterior.

É necessário efectuar um furo de 2.5 milímetros na correia, que deve ficar correctamente centrado, devendo-se utilizar um furador adequado e não uma tesoura ou outro utensílio improvisado, sob pena de danificar a correia, para além do cuidado no segundo furo, dado que a extensão de correia fornecida não permite erros, o que implica uma especial atenção e prudência, já que o sistema de regulação não permite correcções de mais do que poucos milímetros.

Também é de realçar que o detector de fim de curso fica do lado esquerdo da impressora, se vista de frente, do lado da placa para conexões, sem o que o cabo de ligação fornecido será demasiadamente curto, impossibilitando a ligação, pelo que a peça da estrutura, que pode ser montada na duas direcções, tem que ser correctamente orientada.

segunda-feira, maio 20, 2019

O SIRESP sob controle do Estado - 3ª parte

Em termos de vantagens, podemos dizer que o SIRESP oferece a maior segurança de uma rede privada, com acessos controlados, tendo os seus utilizadores uma rede extra, dado que podem, para além dos rádios usados neste sistema, usar os seus próprios equipamentos nas várias redes comerciais.

Assim, podemo-nos interrogar se o Estado deve, efectivamente, investir neste sistema, assumindo a posição maioritária, com os investimentos decorrentes, e que são particularmente pesados, sabendo-se que, mesmo que a resiliência aumente, levando a uma ausência de falhas, as funcionalidades não correspondem ao actualmente exigível.

É óbvio que, para além dos custos financeiros envolvidos numa solução completamente nova, existem custos políticos para os partidos que escolheram esta solução e para os protagonistas do negócio, alguns dos quais permanecem no activo e dificilmente aceitariam que este projecto se revelasse um fracasso, com o desempenho operacional que todos conhecemos e o eternizar de conflitos e despesas que, no final, não teriam retorno substantivo.

A falada nacionalização, sempre possível caso não haja acordo, terá custos difíceis de calcular, entrando-se no campo da imprevisibilidade que sempre resulta de um conflito, sendo certo de que, se numa primeira fase pode parecer que o Estado terá poupado ao seguir esta opção, posteriormente o valor pode ser francamente superior, com todos os inconvenientes operacionais resultantes da conflitualidade entre o novo accionista maioritário e o dono da infraestrutura que suporta o sistema.

domingo, maio 19, 2019

Land Rover Owners de Junho de 2019 já nas bancas

Já está presente nos locais de venda habituais a edição de Junho de 2019 da Land Rover Owners International, com o protagonismo a ser de um artigo com 12 páginas sobre os problemas da tracção, ou da falta desta, e das formas de obter uma melhor aderência e desempenho em terrenos difíceis ou grandes angulos.

Um Discovery 2 adaptado como viatura de viagem, ou mesmo de férias, os melhoramentos no sistema de travagem de um Defender, que de origem não terá os melhores travões do mundo, a recuperação de um "One Ten" com motor V8, sobrevivente da guerra dos Balcãs e o novo Defender, finalmente sem camuflagem, merecem igualmente destaque na capa deste número.

A condução fora de estrada, nomeadamente alguns dos percursos mais conhecidos e apreciados em Inglaterra, mas também no longínquo Sri Lanka, uma interessante coleção com uma centena de Land Rover no Médio Oriente, um Series I de 80 polegadas construído em 1952, merecem igualmente uma leitura, abrangendo diversos modelos muito diferentes da marca.

Estão, ainda, presentes artigos sobre actividades dos diversos clubes de aficionados da Land Rover, ma secção técnica, onde o destaque vai para a instalação de um "snorkel" num Discovery 2, para além das secções permanentes e da extensa publicidade temática, onde os acessórios ou opcionais para obter melhor tracção estão presentes, complementam este número de uma revista que continua a ser muito popular entre os adeptos da marca.

sábado, maio 18, 2019

A Geeetech Prusa I3 A Pro - 4ª parte



Não obstante a sua extensão, as instruções são claras, assumindo que quem procede à montagem identifica correctamente as peças, sendo de aconselhar que disponha de uma caixa com múltiplas divisórias onde possa ir colocando pequenas peças, como parafusos, porcas ou anilhas, devidamente separados e sem risco de se perderem.

Devemos, no entanto, alertar para o facto de haver pequenas variantes neste mesmo modelo de impressora, pelo que podem surgir pequenas dúvidas ou mesmo algumas inconsistências, sendo que, no limite, as instruções escritas se contradizem e nenhuma delas está correcta para a vairante que temos diante de nós, obrigando a alguma investigação e bom senso, para o que é essencial o entendimento do funcionamento deste tipo de equipamento, o que permite esclarecer muitas dúvidas.

Também será de dispor de um espaço adequado, uma bancada ou mesa com boas dimensões, num local devidamente iluminado, para proceder à montagem, sendo ideal que possa deixar os componentes montados nos locais onde sejam visíveis e haja uma maior percepção da sua posição no conjunto final, o que ajuda bastante no processo de montagem por facilitar a detecção de erros na integração dos vários conjuntos que darão origem a um equipamento funcional.

A montagem inicia-se pelos vários conjuntos que irão dar origem à estrutura onde irá deslizar a cama de impressão, num processo de fácil entendimento, mas onde os detalhes e a precisão fazem toda a diferença, sendo necessário assegurar uma esquadria correcta, que será aferida de forma visual e por medição, com a regulação a ser efectuada através das porcas sobre o eixo roscado.

sexta-feira, maio 17, 2019

A Geeetech Prusa I3 A Pro - 3ª parte

Esta informação pode ser complementada pelo manual de operação, este de melhor qualidade, onde são abordados todos os passos, desde a instalação e configuração do "software" proposto, detalhando os parâmetros mais adequados para esta impressora específica, passando pelos testes e ajustes, e finalizando na impressão.

Será de salientar que o "software" mencionado, o "Repetier", e que se encontra disponível no "site" da Geeetech, é a versão 1.6, já algo antiquada, estando disponível no "site" do autor do "software" a versão 2.1.3, bastante mais recente, que será francamente mais adequado para os dias de hoje, podendo serem utilizados outros programas, como o "Cura", que temos utilizado com outros modelos de impressora.

Abrindo a caixa, a primeira peça que surge é a estrutura vertical, em alumínio, sendo imediatamente perceptível que estamos diante de um equipamento de elevada qualidade de construção, incluindo mesmo um conjunto de chaves que vai muito para além do necessário, ou uma caneta com o logo da marca, com a disposição das peças de forma lógica e um embalamento de bom nível.

A ausência de um livro de instruções impresso, obviamente, não é do nosso agrado, embora consigamos entender que mais de meia centena de páginas ilustradas tenha o seu custo, ficando a documentação incluída pelas listagens de peças, com ilustrações, e as habituais e obrigatórias informações de segurança, o que obriga a uma consulta permanente das instruções num equipamento informático ou a sua impressão a custos do proprietário.

quinta-feira, maio 16, 2019

O SIRESP sob controle do Estado - 2ª parte

Em termos básicos, poucos aceitariam um contrato de comunicações que apenas disponibilizasse as funcionalidades do SIRESP, as quais não incluem algo tão comum como o suporte de imagens ou de um fluxo de dados que permita a navegação sobre um mapa digital, bem como todo um conjunto de aplicações complementares que podem contribuir para a segurança em situações de emergência.

Ou seja, o SIRESP, tal como existe nos dias de hoje, não é compatível com as necessidades actuais, sendo francamente inferiores aquelas de que dispomos num comum "smartphone" registados num operador que, nalguns casos, oferece maior fiabilidade, mesmo em caso se catástrofe, do que a rede concebida para funcionar durante situações críticas.

Lembramos que, em muitos casos no passado, o SIRESP colapsou ou teve constrangimentos em áreas específicas, enquando as comunicações de alguns operadores se mantiveram activas, sendo usadas para as operações de socorro, algo que, com a redundância via satélite, não deverá acontecer, mas que depende da forma como a implementação for feita.

Naturalmente, caso as estações terrestres sejam afectadas ou haja um maior congestionamento em áreas específicas, algo espectável caso decorra uma operação com elevado número de efectivos, a redundância oferecida pela comunicação via satélite não acrescenta disponibilidade, podendo continuar a verificar-se todo um conjunto de constrangimentos e limitações que comprometa o uso do sistema.

quarta-feira, maio 15, 2019

Catálogo da Terrafirma de Dezembro de 2018

Apesar de já ter alguns meses, tendo sido lançado no final do ano passado, o mais recente catálogo de acessórios da Terrafirma, um dos fabricantes e distribuidores de peças para Land Rover mais conhecidos, continua a justificar uma consulta e a gravação, no formato PDF em que se encontra, permitindo um acesso mais rápido e independente de acessos à Internet.

Este é um catálogo que, independentemente de aquisições, sempre consideramos particularmente interessante, bem concebido, com detalhes que vão desde a complexidade da montagem de uma peça ou equipamento, passando por uma descrição completa e a sua adequação a situações mais específicas e incluindo diversas fotos ilustrativas, incluindo depois da montagem ou aplicação, o que facilita apreciar o resultado da operação.

Tal como em edições anteriores, a gama de produtos cobre a maioria das necessidades dos proprietários da Land Rover em termos de acessórios e equipamentos, mas não em termos de mecânica, tal como acontece com alguns concorrentes, sendo bastante abrangente e variado, com produtos que, consideramos, oferecem uma boa relação entre o preço e a qualidade, pelo que alguns estão presentes nos nossos veículos.

O catálogo, de 96 páginas, não inclui preços, remetendo para os distribuidores e restante estrutura comercial, que tem o seu grau de autonomia, salvaguardando também as inevitáveis alterações que ocorrerão durante o período de vigência, sendo que em Portugal pode ser contactada a Motormáquina para efeitos de pedidos de preços e aquisições, enquanto no exterior, os mais populares "sites" com peças da marca, incluem produtos da Terrafirma.

terça-feira, maio 14, 2019

O SIRESP sob controle do Estado - 1ª parte

A lamentável novela do sistema de comunicações de emergência, popularmente conhecido por SIRESP, tem um novo capítulo com o anúncio de um acordo que permita a sua transição para o controle do Estado, algo que fora anunciado no passado sem que fosse possível que a maioria do capital passasse a ser público, dado que a Altice tinha direito de opção, que veio a exercer.

Da incapacidade de pagamentos do Estado, por falta de visto do Tribunal de Contas, dos investimentos realizados pelos privados no sentido de obter redundância, e da ameaça deste em desligar o sinal de satélite, a situação de tensão agravou-se, com apelos à nacionalização do SIRESP, algo que, tanto quanto é perceptível, continua em aberto, caso as negociações em curso não cheguem a bom porto.

Sendo a questão da nacionalização bastante delicada, com implicações legais complexas e a possibilidade de um longo litígio judicial que pode terminar na condenação do Estado ao pagamento de pesadas indemnizações e com um impacto grave na credibilidade das instâncias públicas, temos que crer que este será, sobretudo, um argumento negocial, usado para pressionar os privados, mas que nunca será concretizada, mesmo que o processo negocial se revele um fracasso.

Enquanto o Governo garante que o SIRESP continuará operacional e com redundância, dependendo a forma de como tal é alcançado das actuais negociações, afirmando que não serão comprometidas as comunicações de emergência que este sistema visa assegurar, a própria defenição de operacionalidade deve ser colocada conjuntamente com as funcionalidades implementadas e que, consideramos, encontram-se desactualizadas e incompatíveis com as exigências dos dias de hoje.

segunda-feira, maio 13, 2019

Guia de Aventuras da Land Rover Owners

De formato algo semelhante ao dos diversos guias previamente publicados, como os referentes a modelos específicos ou manutenção, a Land Rover Owners International, lançou um guia de aventuras fora de estrada, adequado a quem disponha de um Land Rover mas, naturalmente, excluindo algumas especificidades, possível se ser seguido com modelos similares de outras marcas.

Este guia inclui um conjunto de passeios ou viagens consideradas como as favoritas pela redação da revista, estando presentes viagens em Marrocos, na Islândia e nos Alpes, ou seja cobrindo alternativas completamente distintas e que implicam preparações diferentes dado que serão encontradas dificuldades particulares de cada ambiente.

Como exemplo de um veículo particularmente adequado a estas aventuras, encontra-se, por exemplo um Discovery 2, adaptado a estas viagens, ou um mais antigo 101 "Forward control", que possui capacidades interessantes, incluindo a nível de volumetria e do espaço que disponibiliza, mas também artigos sobre recursos necessários e alteranativas ou opções quando algo não decorre como esperado.

Sendo dado protagonismo aos locais a visitar, estão presentes diversos modelos de Land Rover, incluindo alguns dos mais antigos, com opções de preparação interessantes, onde é possível recolher ideias aplicáveis em muitos veículos, pelo que, para além de um guia de aventuras, é também um manual de preparação para as mesmas, o que justifica a respectiva aquisição que, quase certamente, terá que ser efectuada via Internet, já que a distribuição em Portugal é improvável.

domingo, maio 12, 2019

A Geeetech Prusa I3 A Pro - 2ª parte

Apesar de comercializada por um preço que pode rondar as três centenas de Euros, esta impressora pode ser encontrada em leilões a preços muito inferiores a metade do valor de tabela, sendo que, caso haja interesse num equipamento deste tipo, preços abaixo dos 150 Euros serão de considerar.

Esta versão tem algumas particularidades que convém realçar, nomeadamente o módulo de alimentação e controle separado, numa caixa de alumínio fechada, onde se encontra o écran LCD que permite visualizar o estado ou actividade do equipamento, bem como uma estrutura inteiramente em alumínio, de uma qualidade de construção e solidez típico de impressoras de um nível muito superior.

Por outro lado, a complexidade de montagem é superior à de muitos outros modelos, por não incluir conjuntos já montados, obrigando a um trabalho mais moroso, seguindo meia centena de páginas de instruções, felizmente com ilustrações adequadas, e que pode ser acompanhado pelos vídeos presentes no canal do fabricante no Youtube.

Sugerimos aos eventuais interessados neste modelo que avaliem, através das instruções, que podem ser consultadas ou descarregadas, e dos vídeos disponibilizados, se estão dispostos a enfrentar o desafio de montar e afinar esta impressora, o que implica, para além de alguma apetência por este tipo de actividade, algum tempo e um espaço adequado para esta tarefa.

sábado, maio 11, 2019

Venda de livros na Praça de Londres

Ocasionalmente, é instalada na Praça de Londres, bem no centro da cidade de Lisboa, um pavilhão onde funciona uma venda de livros, na qual são praticados valores bastante acessíveis, quando comparados com os preços de mercado, antecedendo assim a conhecida Feira do Livro de Lisboa, que tem igualmente início no mês de Maio.

Com início a 10 de Maio, dia em que ainda se adicionavam novos livros, esta feira da M-Books funciona todos os dias da semana, incluindo fins de semana e feriados, com intervalo, para almoço, complementando as livrarias nas proximidades, nomeadamente a Barata e a Bertrand, ambas no início da Avenida de Roma, onde estão presentes as últimas novidades.

Não obstante não ter a variedade de uma feira, podem-se encontrar livros de diversas editoras, abrangendo um bom número de temas, com preços muito competitivos, sobretudo tratando-se de exemplares mais antigos e com marcas de detrioração, seja por terem estado expostos e ter sido manipulados, por se tratarem de devoluções, ou pelas próprias condições de armazenamento.

Para quem pretenda adquirir livros menos comuns, alguns editados já uns anos atrás, e que podem nem ser fáceis de encontrar nos circuitos mais habituais, sugerimos a visita a este espaço, que, para além de boas acessibilidades, tem no sub-solo um parque de estacionamento, aproveitando para visitar uma zona que já teve muita tradição comercial na cidade de Lisboa.

sexta-feira, maio 10, 2019

A Geeetech Prusa I3 A Pro - 1ª parte

As impressoras 3D são, nos dias de hoje, um dos "gadgets" mais populares, revestindo-se de diversas vertentes, que podem ir desde uma perspectiva utilitária, passando pelo aspecto educativo, quando adquiridas em "kit" para montar, ou sendo, essencialmente, um objecto lúdico, destinado a imprimir peças para outros "hobbies".

Com os preços finais a ficarem abaixo da centena e meia de Euros, por vezes a pouco mais de cem, estas impressoras também substituem muitos dos presentes destinados aos mais adeptos deste tipo de equipamento, encontrando entre os mais novos muitos adeptos, que antes eram entusiastas de outros conjuntos com componentes electrónicos e que aqui encontram a possibilidade de rentabilizar os seus conhecimentos.

Encontramos cada vez mais entusiastas deste tipo de equipamento, alguns dos quais prestam serviços na área ou comercializam peças e acessórios, melhorando os modelos, reparando-os, caso necessário, ou procedendo a ajustes e modificações que corrijam deficiências que, muitas vezes, resultam da opção por parte dos fabricantes de escolheram algumas alternativas menos fiáveis como forma de oferecer preços mais competitivos.

Noutros caso, a poupança do fabricante, que permite um preço particularmente competitivo face à qualidade do equipamento, é não incluir alguns conjuntos mais complexos já montados, resultando num substancial aumento da complexidade do processo de montagem e do número de peças individuais, tendo sido esta a opção da Geeetech na comercialização do seu modelo "Prusa I3 A Pro".

quinta-feira, maio 09, 2019

Promoção de artigos de viagem no Lidl

Vão estar em promoção nas lojas da cadeia Lidl, a partir de 5ª feira, dia 16 de Maio, um conjunto de artigos de viagem, com um boa variedade e preços bastante competitivos, alguns dos quais são, para nós, bastante interessantes e que justificam a sua aquisição, incluindo-se neste conjunto algumas novidades, para além das habituais e inevitáveis repetições.

Destacamos o estojo de primeiros socorros, de 44 peças, que custa 5.99 Euros e é, na nossa opinião, um dos que oferece uma melhor relação entre a qualidade e o preço, justificando-se a sua aquisição seja para uma viatura, seja para ter em casa, sendo uma boa oportunidade para quem necessita de efectuar uma aquisição, mesmo que para substituir um conjunto mais antigo, cujo conteúdo possa estar a ficar fora de prazo.

Estão disponíveis diversos modelos de mochilas ou sacos e "trolleys", cortinas para as janelas, como forma de proteger o interior dos raios solares, os habituais conjuntos de capas para os assentos, a que acrescem alguns acessórios específicos para crianças, como almofadas ou suporte para "tablets", ideais para ver um filme ou jogar em viagens mais longas, e mesmo um jogo para os mais novos.

No campo da electrónica, para além de um "kit" de mãos livres, sempre essencial, o carregador USB para tomadas de isqueiro, suporte para telemóveis, um termómetro e relógio digital, um alarme pessoal, são opções a ter em conta, estando ainda disponíveis produtos destinados a arrumação ou higiéne destinados a suprirem as necessidades habituais durante viagens mais prolongadas, numa gama que, consideramos, justifica uma visita a uma loja desta cadeia.

quarta-feira, maio 08, 2019

Ciclo de testes do novo Defender aproxima-se do fim - 3ª parte

Sem por em causa as qualidades do novo modelo, nem o facto de serem propostas diversas versões, com inúmeras opções, o facto é que se perde a rusticidade e modularidade do anterior Defender, que permitia aos proprietários efectuarem grande parte da manutenção e das transformações de um veículo particularmente flexível e adaptável, o que lhe permitia sobreviver nos ambientes mais hostis sem depender de grandes recursos técnicos.

Com o novo modelo, o "kit" de sobrevivência dos Defender, que incluia, entre outros, a célebre Nanocom, uma bomba de combustível e um sensor de cambota, para além de um conjunto de ferramentas e líquidos de substituição, não será o suficiente para reparar as avarias mais comuns, mesmo nos modelos Td5 e Td4, que já possuem alguma electrónica, fazendo aumentar a dependência de recursos mais profissionais, que não estão disponíveis nas áreas mais remotas.

Em contrapartida, o novo Defender oferece um nível de conforto e segurança ao nível dos restantes modelos da marca, obedecendo a todas as regulamentações vigentes, incluindo normas anti-poluição, substituindo muito do que era obtido através da mecânica, seja do motor, seja do sistema de transmissão, pelos novos recursos electrónicos, tornando a condução mais simples, mesmo tratando-se de circular fora de estrada, fornecendo um conjunto de opções, via selector, para os mais diversos pisos.

Brevemente, depois de uma longa espera, o Defender chegará ao mercado, que será o verdadeiro juiz deste novo modelo, sendo certo de que vai ser necessário um período de adaptação e de interiorização até que substitua o seu antecessor no coração dos adeptos da marca e, dependendo da competitividade em termos comerciais, venha a ser o seu digno sucessor.

terça-feira, maio 07, 2019

Actualização 1903 chega na sexta-feira

No final desta semana, a Microsft irá disponibilizar para os utilizadores que não participam em programas de teste, a actualização 1903 do Windows 10, sendo de começar a planear a respectiva instalação, preparando os equipamentos para o receber, de modo a evitar falhas durante um processo que tende a ser mais moroso do que as actualizações de rotina, que não implementam novas funcionalidades.

Aconselha-se a, antes da data prevista, sexta-feira, dia 10 de Maio, proceder a todas as actualizações pendentes, evitando assim a concentração de um conjunto de procedimentos que podem conflituar entre sí, algo comum quando existem processos concorrentes que tentam aceder aos mesmos ficheiros, estabilizando os equipamentos antes de instalar a 1903.

Também será de evitar ter dispositivos de armazenamento externos amovíveis ligados via USB, incluindo-se aqui as "pen" ou mesmo discos externos, bem como reservar o espaço em disco necessário, sendo de prever 32 Gb para a mais comum versão de 64 bits, para além das comuns exigências em termos de memória RAM, processador e placa gráfica, as quais não deverão levantar problemas a quem já tem instalado o Windows 10.

Tendo em conta os problemas surgidos com as últimas grandes actualizações, sugerimos não actualizar nos primeiros dias os equipamentos que possuam informação importante, ou desempenhem funções críticas, esperando pelo "feedback" dos utilizadores, mas sem deixar ao critério da Microsoft a actualização, de modo a que esta decorra na altura pretendida, escolhida pelo utilizador, e quando a utilização do equipamento não for necessária ou, pelo menos, indispensável.

segunda-feira, maio 06, 2019

Ciclo de testes do novo Defender aproxima-se do fim - 2ª parte

Os últimos testes na Europa realizaram-se em Nurburgring, um dos mais conhecidos circuitos de competição e um dos mais exigentes, com um percurso de 24.53 quilómetros e 73 curvas, com subidas e descidas, que se particularmente desgastantes quando percorrido a uma velocidade elevada, pondo à prova o comportamento dinâmico e a capacidade de travagem.

Foram igualmente testadas as capacidades de reboque do novo Defender, com um dos protótipos a ser experimentado pela Tusk Trust, uma organização não governamental que apoia a conservação da vida selvagem e irá usar este novo modelo no Quénia, num cenário complexo e variado, que muito se aproxima do que se pode esperar quando os clientes começarem a utilizar os seus novos veículos.

Por outro lado, o aspecto final, já sem disfarces, é cada vez mais conhecido, tal como um conjunto de detalhes, como motores ou suspensão, pelo que se espera que, brevemente, mesmo antes da apresentação oficial, se conheça adequadamente o novo Defender e as suas reais capacidades, sendo certo de que a Land Rover, não obstante ser um veículo completamente diferente, não quer que este desmereça o seu antecessor.

Naturalmente, para os admiradores do anterior modelo, esta completa ruptura deixa marcas e um sabor algo amargo, sobretudo quando se vê a proximidade do novo Defender com outros modelos da marca, mas o facto é que era cada vez mais difícil manter o Defender original dentro das cada vez mais restritivas legislações no que concerne à segurança e às normas anti-poluição, facto que já tinha impedido a venda em mercados tão importantes como o americano.

domingo, maio 05, 2019

Sensor de auto-nivelamento para impressora 3D - 2ª parte

Os modelos para uma Anet A8 ou para outros modelos do tipo da Prusa i3 são de pequenas dimensões, com apenas 18 x 18 x 36 milímetros, sendo construídos em plástico ABS, e incluindo a cablagem correcta para a placa lógica utilizada, suportando voltagens entre os 5 e 36V, com uma corrente de saída de 300 mA.

A maior parte destes sensores para este tipo de impressora avaliam distâncias inferiores aos 5 milímetros, uma distância muito inferior aos perto de 0.2 milímetros a que um bico se pode encontrar da mesa de impressão, detectando metal, mas modelos destinados a outras impressoras terão comportamentos diferentes, pelo que a escolha deve ser criteriosa e verificada a respectica compatibilidade.

Outros modelos, como os da Geetech, suportam camas noutros materiais, incluindo vidro, madeira, plástico ou acrílico, podendo ser necessário, como complemento de montagem, imprimir, recorrendo à própria impressora, um suporte adequado à respectiva instalação, para o que podem ser descarregados os ficheiros STL, disponibilizados gratuitamente em diversos "sites" da especialidade.

Dependendo do modelo exacto, caso inclua os vários acessórios, podemos estar a falar de preços que ficam entre os 10 e 12 Euros, incluindo portes a partir da Ásia, sendo uma das modificações a ter em conta para que faça um uso mais intenso de impressoras 3D e queira uma maior rapidez na preparação dos trabalhos e maior segurança durante a respectiva execução.

sábado, maio 04, 2019

Ciclo de testes do novo Defender aproxima-se do fim - 1ª parte

Com o aproximar da data de apresentação, o programa de testes do novo Defender aproxima-se do final, depois de os vários protótipos terem percorrido mais de 1.200.000 de quilómetros em onze países, localizados em quatro continentes, ao longo de dois anos, durante os quais se verificaram numerosas evoluções.

Os protótipos enfrentaram as mais diversas condições, incluindo as mais extremas, com a maior parte dos testes a terem lugar na Europa, algo óbvio face à nacionalidade britânica do fabricante, mas também porque em Inglaterra existe a variedade de cenários e variações climáticas quer permitem efectuar um grande número de estes nas proximidades dos centros de desenvolvimento da marca.

Os testes passaram também pelos Estados Unidos, não apenas em zonas urbanas, onde foram efectuadas gravações para fins promocionais, mas sobretudo nas zonas desérticas, onde a temperatura é particularmente elevada, incluindo-se aqui o "Death Valley" e os próprios locais de teste dos Jeeps, o "Rubicon Trail", com passagens estreitas num percurso sinuoso.

No extremo climático oposto, os testes na Suécia permitiram aferir da adaptação do novo Defender ao clima frio e à condução sobre neve e gelo, mas também em França, Espanha ou Bélgica foram efectuados testes sobre os mais diversos pisos e condições que este modelo pode esperar nos mercados onde vai ser comercializado.

sexta-feira, maio 03, 2019

Land Rover Owners de Maio de 2019 já nas bancas

Já chegou aos locais de venda habituais a edição de Maio de 2019 da Land Rover Owners International, com o destaque a ir para um Land Rover defender preparado para fugir às rotinas do dia a dia, permitindo aventurar-se, de forma quase autosuficiente, em expedições em locais remotos, acrescendo algumas informações úteis sobre o processo de transformação.

Igualmente a pensar numas férias diferentes, a auto-caravana baseada num Discovery 1, extensamente modificado, é pretexto para outro artigo onde são abordadas diversas possibilidades de campismo recorrendo aos Land Rover, fornecendo um conjunto de conselhos e pistas que serão do interesse de quem aprecia este tipo de férias na Natureza.

Um Serie 3 excelentemente restaudado, um raro Serie 1 CKD, uma sigla que designa os veículos que saiam da fábrica desmontados e eram montados no destino, um Range Rover substancialmente modificado e transformado num 6x4, portanto num veículo de 6 rodas, das quatro 4 são motrizes, e um Evoque 2 fora de estrada, são igualmente detaques deste número.

Acrescem, inevitavelmente, os artigos sobre expedições e sobre as actividades dos diversos clubes de aficionados da Land Rover, uma secção técnica, onde os cuidados a ter com o filtro de partículas assume relevo, bem como as rúbricas ou secções habituais, como as apresentações de produtos e as cartas dos leitores, sempre complementadas pela extensa publicidade temática onde tendem a surgir novidades interessantes, complementado assim um número adequado ao período quente que se inicia.

quinta-feira, maio 02, 2019

Mensagens "Android" com RCS

O "Rich Communications Service" ou RCS será o futuro substituto dos SMS, adicionando um conjunto de funcionalidades que associamos a plataformas como o Whatsapp ou o Messenger do Facebook, que possibilitam aos utilizadores todo um conjunto de opções que permitem maior flexibilidade e segurança, estando agora a ser implementado nas novas versões do sistema de mensagens dos telemóveis "Android".

Com o RCS é possível autenticar as mensagens, evitando assim ataques de "phishing", bem como diminuir o spam, com possibilidade de envio automático deste tipo de comunicação para um endereço da operadora, enquanto a integração com o "Assistant" do Google continua a aumentar, facilitando as respostas e contextualização das mensagens.

Tal como aconteceu com outras versões, esta também irá chegar de forma faseada, sendo utilizada primeiramente por todos quantos optaram pela participação nos programas de testes, mantendo as funcionalidades actuais, ou seja o envio de SMS, a par das novas possibilidades oferecidas pelo RCS, as quais dependerão, naturalmente, do suporte oferecido pela rede de comunicações utilizada.

Em Portugal, apenas a rede da Vodafone já suporta o RCS, enquanto as da Altice/MEO e da NOS continuam sem previsão quanto à altura em que adicionarão suporte para um protocolo que é cada vez mais um padrão dentro das operadoras com maior capacidade tecnológica, sendo este um aviso quanto às capacidades das operadoras e ao interesse em servir adequadamente os respectivos clientes.

quarta-feira, maio 01, 2019

Sensor de auto-nivelamento para impressora 3D - 1ª parte

Um acessório bastante útil, e indiscutivelmente popular, entre quem utiliza impressoras 3D, sobretudo aquelas fornecidas para que o utilizador proceda à montagem, o que permite uma muito maior flexibilidade face a modelos vendidos completamente montados, é o sensor de proximidade, que avalia a distância entre o bico e a mesa de impressão.

Existem diversos modelos de sensor, uns mais universais, outros concebidos a pensar num modelo de impressora específico, sendo que, neste último caso, podem incluir uma placa de montagem, com os acessórios necessários à instalação, e um conector compatível, evitando modificações que poderiam passar pela subsituição de conectores ou mesmo conversão de voltagens de operação.

Nos casos mais simples, basta proceder à montagem do sensor na cabeça, alinhando a distância a que este fica da cama de impressão, e que será o mesmo do bico, e substituir a ligação do sensor de proximidade do eixo Z original à placa lógica pela do novo sensor, para que a substituição seja efectuada e se possa proceder, com os cuidados necessários, aos testes iniciais.

Este tipo de sensor, que se desloca com a cabeça, tem a vantagem de efectuar medições permanentes, o que é vantajoso por reduzir problemas de nivelamento da cama, bem com evita a necessidade de, periodicamente, verificar a distância do bico à mesa, efectuando o procedimento de forma automática, poupando trabalho e reduzindo a possibilidade de erros.

terça-feira, abril 30, 2019

Aproxima-se a actualização 1903 para o Windows 10 - 2ª parte

Sabemos que esta nova actualização, a 1903, tem alguns problemas na atribuição de letras das unidades de armazenamento, e que não é instalável caso sejam detectadas unidades não permanentes, como uma "pen" ou um disco externo ligados via USB, ou seja, volumes amovíveis.

Também é requerido um espaço livre superior ao de actualizações anteriores, com a Microsoft a reservar um maior espaço para salvaguarda da versão anterior do sistema operativo e dos respectivos dados, na perspectiva de que, se algo não correr de acordo com o esperado, haja reversibilidade sem perda de informação, incluindo-se aqui as configurações e personalizações do próprio sistema operativo.

Os recursos mínimos para instalação também serão aumentados, muito embora tal apenas exclua equipamentos com recursos realmente muito abaixo do actualmente necessário para correr os programas mais comuns, numa tentativa de evitar que o desempenho com a nova versão do Windows, mais pesada, como consequência do aumento de funcionalidades, seja, efectivamente, impraticável, resultando numa degradação de performance que impeça a sua utilização.

Com data de lançamento prevista para o dia 10 de Maio, dentro de pouco mais de uma semana, convém ter ideias claras quanto às opções a tomar, que podem ser instalar esta actualização de imediato, selecionar um equipamento específico para testes, ou adiar enquanto outros utilizadores testam de forma mais exaustiva esta actualização, sendo certo de que deve haver um plano concreto, baseado numa reflexão adequada, evitando impulsos de momento que podem ter consequência graves.

segunda-feira, abril 29, 2019

Meios aéreos para combate aos fogos adjudicados à Helibravo - 3ª parte

Admitimos que, formalmente, o facto de a Helibravo não possuir o conjunto de meios contratualizados, recorrendo a terceiros, deveria constar da proposta enviada, mesmo que o caderno de encargos não solicitasse de forma explicita este tipo de informação, por tal ser um factor que pode revelar-se relevante a nível operacional pelas razões previamente mencionadas, sendo a omissão grave.

Se do ponto de vista meramente formal a adjudicação pode ser inatacável, a omissão, que corresponde à ocultação de dados relevantes, é moralmente objectável e, naturalmente, os concorrentes vão utilizá-la como argumento no litígio que se antevê, repetindo assim situações do passado, onde processos semelhantes deram origem a uma longa luta na justiça, mesmo que com o objectivo de um acordo que permita a quem se viu preterido obter uma maior força negocial no futuro.

A falta de clareza, ou mesmo o secretismo, que se tolda muitos processos contratuais ligados à Protecção Civil, sendo um dos exemplos mais conhecidos o respeitante ao SIRESP, em nada contribui para gerar confiança nas instituições, situação agravada pelas dificuldades em aceder a documentos que deveriam ser públicos e que o Estado, mesmo após intimação judicial, opta por não revelar, tal como sucedeu com os pedidos do jornal "Público".

Infelizmente, e salvaguardando as situações onde a reserva de informação é legítima, é prática comum de muitas entidades oficiais ser pouco transparente, ocultando dados a que eleitores e contribuintes têm direito a aceder, como se o Estado fosse sua propriedade, escudando-se em subterfúgios sem sentido que apenas adiam a revelação dos factos, que, inevitavelmente, virão a ser do conhecimento público, mesmo que por vias menos convencionais, num país onde, mais cedo ou mais tarde, tudo se sabe.

domingo, abril 28, 2019

Record da maior caravana de Land Rover

Decorreu no dia 27 de Abril, na Marinha Grande, uma iniciativa da Landmania que visou bater o record do Guiness para a maior caravana de veículos da marca Land Rover, tendo estado presentes um total de 648 viaturas da marca, de diversos modelos, muitos deles com muitos anos, mas que permanecem operacionais.

A ideia era a de recuperar o record estabelecido em Portugal em 2014 e entretanto ultrapassado no Reino Unido, a pátria dos Land Rover, tendo comparecido entusiastas da marca de todos os pontos do país, e mesmo vindos do estrangeiro, incluindo Espanha e o próprio Reino Unido, conduzindo sobretudo modelos antigos.

Obedecendo a um regulamento estrito, com distância máxima entre viaturas e um sistema de controle rigoroso, que permite uma contagem precisa, os Land Rover percorreram um trajecto na estrada entre S. Pedro de Moel e a Praia da Vieira, ultrapassando o número necessário para bater o record, algo que, para ter efeito, dependerá da homologação do Guiness.

Para além da tentativa de obter o record, o convívio, sempre presente nestas iniciativas, bem como a solidariedade, são traços dominantes das actividades dos adeptos desta marca, que, sem apoio do representante em Portugal, continua a manter vivo um conjunto de tradições ligadas a uma mística muito própria, onde a prática do todo o terreno, o respeito pela Natureza e a solidariedade para com quem necessita de ajuda são pilares fundamentais.

sábado, abril 27, 2019

Aproxima-se a actualização 1903 para o Windows 10 - 1ª parte

Faltam, previsivelmente, poucos dias para que a nova grande actualização do Windows 10, a 1903, comece a chegar aos utilizadores que não estão integrados num dos vários programas de teste ou avaliação, com um conjunto substancial de novidades que o podem tornar muito atractivo, mas, igualmente, com alguns perigos que, esperamos, não tenham as consequências da actualização anterior.

Muitos se recordam, alguns da pior forma, das consequências da instalação da actualização 1809, incluindo-se aqui a perda de ficheiros dos utilizadores, algo que consideramos inaceitável e uma vergonha para a Microsoft, sobretudo por estarmos diante de uma versão final, supostamente devidamente testada, e que, por isso, dispensa um conjunto de procedimentos de segurança inerentes a uma instalação de um produto em teste.

Assim, e porque a confiança nos produtos da Microsoft, concretamente no Windows 10, tem vindo a diminuir desde a actualização 1809, algo que se agravou porque muitas correcções apenas pioraram o sistema operativo, levantando mais problemas do que aqueles que corrigiam, a instalação de uma das grandes actualizações deve ser equacionada com precauções acrescidas, evitando, se possível, que esta seja feita num equipamento com dados pessoais.

Caso esteja disponível um equipamento para testes, ou que não tenha dados relevantes, e aqui excluímos aqueles que são usados para salvaguardas informação, que devem ser salvaguardados, uma instalação de uma actualização relevante pode ser efectuada logo que esta seja disponibilizada, o que permite ir testando de forma segura sem comprometer a segurança da informação dos utilizadores.

sexta-feira, abril 26, 2019

Consequências da falta de combustíveis no socorro - 5ª parte

Esta falta de planeamento, a incapacidade de antecipar cenários e preparar soluções, é muito habitual entre nós, esperando-se um milagre que evite consequências graves, tal como um navio que se dirige para um icebergue esperando que, antes do impacto, este seja desviado pelas correntes ou, pura e simplesmente, se derreta, se não totalmente, pelo menos o suficiente para que não haja uma tragédia.

No fundo, transpondo, é o mesmo que sucede quando se espera que o vento mude no momento certo para que o fogo não alastre, que a seca seja minimizada por uma inesperada queda de chuva que caia fora de época sem prejudicar culturas, que as vagas não atinjam as edificações autorizadas presentes na linha de costa, ou uma inundação evite as linhas de água onde alguém autorizou a construir, na esperança de que tudo corra pelo melhor, mesmo que tal seja simplesmente o controle de danos efectuado pelo socorro às populações atingidas.

Diz-nos a experiência que a probabilidade para que tal aconteça é, manifestamente, muito diminuta, e que, face a uma aprendizagem que deveria ter ocorrido ao longo dos anos, algo deveria ter sido feito para antecipar o que consideramos ser uma óbvia inevitabilidade, mas o facto é que há quem se recuse a aprender, insistindo em erros que, mesmo que em diferentes âmbitos ou circunstâncias, se repetem sucessivamente.

E, no fundo, é exactamente este o planeamento efectuado, essencialmente esperar que alguém controle os danos e que a responsabilidade não seja atribuida a quem, pela sua negligência, permitiu que acontecessem, sempre na perspectiva de que alguém irá minimizar os danos, missão essa que, abusivamente, é atribuído a quem efectua missões de socorro e que, no fundo, se vê na contingência de corrigir os erros que os decisores políticos geraram.

quinta-feira, abril 25, 2019

Meios aéreos para combate aos fogos adjudicados à Helibravo - 2ª parte

A questão das sub-contratação, sobretudo sendo omissa, pode ter efeitos na gestão interna dos meios, a nível da própria empresa, e da disponibilidade dos mesmos, criando relações adicionais que, caso não funcionem de forma adequada, ou surgindo situações de litígio entre as empresas envolvidas, podem ter consequências na prestação dos serviço contratado.

Em termos de responsabilização, independentemente da forma como se organiza ou a quem recorre externamente a Heliportugal, não vemos aqui grandes diferenças, dado que para a entidade Estado, o contrato é feito com uma única empresa, cabendo a esta a gestão dos meios, independentemente da sua propriedade, mas assumindo por inteiro a responsabilidade, mesmo que podendo exercer direitos sobre quem sub-contrata.

Assim, qualquer falha, de que resulte um pedido de indemnização, será sempre pedido pelo Estado à Heliportugal, que, eventualmente, terá direito de retorno por parte de uma das suas contratadas, pelo que problemas, a surgir, estarão sobretudo na coordenação entre as várias empresas e no aumento de conflitualidade que resulta da existência de diveras entidades, em vez de uma só.

Daqui decorre, naturalmente, uma fragilidade, que, em caso de conflito ou desentendimento grave, pode ter implicações a nível operacional, afectando a operacionalidade ou disponibilidade de meios, sendo aqui que, consideramos, surge a maior fragilidade desta solução, facto que devia constar da proposta submetida a concurso, por implicar, potencialmente, uma diferença qualitativa que prejudica a solução apresentada.

quarta-feira, abril 24, 2019

Consequências da falta de combustíveis no socorro - 4ª parte

Num clima de agitação, que a todos afecta, incluindo aqueles que têm como missão socorrer os demais, e que têm a mesma dimensão humana e, consequentemente, as mesmas necessidades, é sempre de esperar um maior número de missões, acorrendo a situações tão diversas como as resultantes da falta de bens ou da maior conflitualidade, com a dificuldade acrescida da limitação de meios disponíveis e de menos recursos, resultando de uma menor disponibilidade dos mesmos como resultado das contingências do momento.

Infelizmente, e dado que a greve foi precedida do pré-aviso obrigatório, não foram tomadas medidas, nem sequer feita uma divulgação de forma adequada e insistente, como forma de alertar empresas e particulares para um cenário que se podia antever, salvo desmarcação desta acção de luta, sendo que, face à possibilidade de uma carência de combustíveis, o Governo deveria ter emitido alertas e a comunicação social divulgá-los com a insistência necessária para minimizar os efeitos que hoje se sentem.

No entanto, nada foi feito e apenas houve as reacções que se podiam esperar de alguém que foi surpreendido, como se de uma greve selvagem se tratasse, pelo que não foram accionados planos de contingência, nem houve algum tipo de preparação que podia ser, tão simplesmente, o atestar os depósitos com antecedência e preparar uma reserva, que os próprios particulares podem ter, recorrendo a recipientes adequados.

Uma greve anunciada caiu assim sobre um país e um governo incautos como se de uma surpresa se tratasse, patente nas longas filas de automobilistas que desesperadamente procuram combustível e nos alertas de empresas que irão rapidamente ficar sem reservas, com o caos a perspectivar-se numa semana durante a qual muitos portugueses saem das suas residências para ir passar a Páscoa nos seus locais de origem ou naqueles onde habitualmente se passsam férias, mas que, sem combustível, poderão ter que cancelar os planos.

terça-feira, abril 23, 2019

Experiências de impressão 3D - 6ª parte

Naturalmente, que, para efeitos de rentabilização do tempo, um maior número de impressoras, ou equipamentos mais rápidos e eficazes, e modelos para resina, destinadas a impressões muito mais detalhadas, seriam o passo a dar, mas tal pode corresponder, simplesmente, ao retorno resultante do investimento inicial, pelo que o crescimento sustentável pode não passar por novas injecções de capital, salvo em casos excepcionais, onde uma oportunidade irrepetível implique um salto para além das disponibilidades resultantes da actividade específica.

Será sempre, para quem pretender enveredar pela rentabilização deste tipo de actividade, fazer um estudo de viabilidade, conhecer um mercado agora emergente, pelo que a escassa concorrência de hoje pode não ser a realidade dentro de pouco tempo, e investir em equipamentos e, sobretudo, em "know how", que será o factor diferenciador e permitirá oferecer a qualidade de serviço que garanta a preferência dos clientes.

Obviamente, caso haja sucesso, a actividade tem que se tornar formal, cumprindo as obrigações legais, algo inevitável quando o volume do negócio e as exigências de clientes tornam obrigatório, mas o facto de implicar um pequeno investimento inicial torna este tipo de iniciativa particularmente interessante e, quase certamente rentável, numa área em enorme crescimento.

Este será, sem dúvida, um assunto que será abordado periodicamente, por esta ser uma área que está em constante evolução e que virá a transformar não apenas processos de fabrico, mas também hábitos de consumo e a forma como muitos produtos são distribuídos, dispensando cadeias de distribuição e a logística inerente, numa transformação que ainda estamos longe de apreender na sua totalidade.

segunda-feira, abril 22, 2019

Consequências da falta de combustíveis no socorro - 3ª parte

No Interior, onde o número de postos de abastecimento é mais reduzido e, como consequência do isolamento, o transporte terrestre é vital, basta lembrar que em muitas povoações não existe abastecimento de alimentos em quantidade suficiente, quanto mais o acesso a medicamentos, a falta de combustiveis pode revelar-se particularmente problemática, sendo agravada pelo facto de estas áreas não serem contempladas pelos serviços mínimos impostos pelo Governo.

Face à reacção de pânico de muitos automobilistas, que normalmente abastecem apenas o suficiente para poucos dias e desta vez atestaram os depósitos, era óbvio que o combustível esgotou com alguma rapidez face a um aumento súbito do consumo, algo que seria óbvio para todos quantos conhecem o comportamento humano, e inevitável perante a dimensão dos depósitos dos postos.

A falta de combustíveis afecta, dramaticamente, o funcionamento de um país, e nem sequer vamos avaliar o impacto na área económica, onde sectores como o da distribuição, de que depende o abastecimento de bens de primeira necessidade, ou do turismo, que sem combustível nos aeroportos, assiste a uma queda de receitas, só para citar dois exemplos óbvios, tendo um impacto severo nas populações, com o efeito a agravar-se com o passar do tempo.

Se em apenas num par de dias assistimos a um quase caos, o prolongar seria catastrófico, com rupturas de abastecimento de bens essenciais, que, tal como aconteceu nos postos de abastecimento, sem dúvida levará a uma corrida semelhante aos supermercados, situação onde o pânico gerado será muito superior, dado estarmos a falar de bens de primeira necessidade, essenciais para a sobrevivência, e de que quase sempre resultam situações de maior conflitualidade e mesmo, possivelmente, de alguma violência.

domingo, abril 21, 2019

Meios aéreos para combate aos fogos adjudicados à Helibravo - 1ª parte

Foi adjudicado à Helibravo a contratação de meios aéreos para o combate aos fogos florestais, num contrato que se extende até 2022, envolvendo 35 meios aéreos, e com um valor final de adjudicação que fica 20% abaixo do inicialmente previsto, tendo o processo sido conduzido pela Força Aérea Portuguesa.

A concorrência já reclamou, alegando que a Helibravo não possui o número de aeronaves necessárias, pelo que teria de sub-contratar meios de outras empresas, investigadas pelas autoridades italianas e espanholas por suspeita de cartelização, facto que foi omitido durante o concurso, mas desvalorizado na altura da decisão.

Apesar das suspeitas de terem lesado os estados italiano e espanhol, e das investigações em curso, foi considerado pelo responsável pelo concurso que a Helibravo, ao contrário do que diz a concorrência, não está a incorrer em práticas ilegais ou a falsear as regras da concorrência.

Naturalmente, que uma proposta em 20% abaixo do valor estabalecido, e falamos de muitos milhões de Euros, acaba por ser, praticamente, irrecusável, com a diferença de preços para a concorrência a levar a uma opção que envolve polémica, sobretudo no caso de, durante o decurso de um contrato longo, se concretizar uma acusação contra as empresas que sustentam a proposta da Helibravo.

sábado, abril 20, 2019

Google lança chave digital gratuita

O Google implementou um sistema de segurança adicional, recorrendo a dispositivos móveis, com "Android" 7.0 ou superior, que, tendo instalada uma chave, permitem fazer "login" em contas do Google, comunicando via "bluetooth" com o equipamento onde se pretende efectuar a autenticação.

Este processo é compatível com equipamentos com Windows 10, ChromeOS ou MacOS Xe requer o uso do "browser" Chrome, sendo ainda obrigatório que os procedimentos de segurança previamente disponibilizados, como a confirmação de "login" por SMS, estejam activas, pelo que estamos diante de uma nova funcionalidade que traz uma maior simplicidade para o "login" em novos equipamentos.

É necessário aceder ao "site" do Google, para proceder à instalação da chave de segurança, que fica alojado no dispositivo móvel e não transita ou é enviada pela Internet, num processo simples, cuja principal limitação é, sem dúvida, a restrição em termos de sistemas operativos e do "browser" suportado, mas que, correspondendo aos do utilizador, é muito simples de usar, bastanto recorrer ao botão de volume do dispositivo móvel para confirmar um "login".

Diversas empresas vendem chaves de segurança, com diversos formatos e formas de utilização, mas tipicamente têm um custo, enquanto a que o Google agora disponibiliza para os utilizadores das suas contas e do G-Suite é gratuita, visando simplificar processos de autenticação, aumentar a segurança e reduzir o recurso a "passwords" que, mesmo que complexas, podem ser descodificadas ou descobertas.

sexta-feira, abril 19, 2019

Consequências da falta de combustíveis no socorro - 2ª parte

Desde a possibilidade de acidentes provocadas pelas longas filas de trânsito que se projectam em vias rápidas, incluindo em auto-estradas, passando pelas dificuldades em circular, ou a sua impossibilidade, devido à obstrução das vias, seja por veículos que aguardam abastecimento, seja porque ficaram sem combustível, passando pela impossibilidade de os veículos de socorro ou das autoridades se abastecerem em postos, algo que acaba por ser frequente.

É de notar que o INEM pediu que seja dado prioridade às suas viaturas nos postos de abastecimento, algo que, cremos, será entendido por todos, mas que, havendo encerramento dos postos por falta de combustível, será completamente inútil, colocando em risco a operacionalidade destes meios.

Existem, ainda, empresas privadas, não abrangidas pelos serviços mínimos, que prestam serviços essenciais, como a entrega de medicamentos nas farmácias, para além de todo um conjunto de serviços de entrega e distribuição através dos quais os bens de primeira necessidade chegam às populações e que, sem acesso a combustíveis, comprometem não apenas o bem estar das populações, mas a segurança destas quando necessitem de bens indispensáveis à sua saúde ou subsistência.

Assim, devemos dizer que discordamos dos termos da requisição civil, por previlegiar algumas zonas do país em detrimento de outras, obrigando a abastecer zonas urbanas de Lisboa e Porto, modo a contemplar 40% do consumo médio, sendo que o mesmo não é aplicado a outras zonas do país, onde as alternativas de transporte são muito menores e o isolamento implica riscos bem mais elevados do que nas grandes metrópoles.

quinta-feira, abril 18, 2019

Experiências de impressão 3D - 5ª parte

Reiteramos que a impressão 3D é uma tecnologia decisiva, que já revoluciona muitos processos de fabrico, permitindo a produção de peças nas residências dos seus utilizadores, o que, só por sí, será extremamente interessante, mas pode, igualmente, resultar em pequenos negócios, caso se pretenda disponibilizar o serviço.

Este tipo de negócio, cujo investimento é baixo, se observarmos o tipo de equipamento que pode ser utilizado, bem como o custo dos materiais, caso se trate de impressoras PLA, e pode ser efectuado a partir de uma residência, por correspondência, ou através de encomendas efectuadas em estabelecimentos, como os que se dedicam a cópias, para usar um exemplo simples, será, nesta altura, interessante, dado que esta é uma tecnologia ainda pouco dominada pela maioria dos potenciais interessados.

Assim, com algum "know how" e após experiências, dispondo de um equipamento testado, fiável e funcional, recorrendo a um espaço existente e estabelecendo contactos via Internet ou no comércio local, trabalhando durante as horas vagas, e sabendo que, na maior parte do tempo, a impressora funciona sózinha, é possível obter um rendimento extra, com o investimento numa impressora, alguns melhoramentos e no filamento, que pode ficar pelas duas centenas de Euros, a ter um rápido retorno.

Estamos convictos que, para quem se interessa por esta área, tem iniciativa e está disposto a um investimento módico em termos económicos, mas que poderá ser bem maior no respeitante ao tempo a investir, existem boas oportunidades que podem ser aproveitadas, mesmo que em cooperação com empresas ou estabelecimentos existentes, criando uma secção onde serão prestados serviços adicionais.

quarta-feira, abril 17, 2019

Consequências da falta de combustíveis no socorro - 1ª parte

A greve dos motoristas que conduzem os veículos transportadores de matérias perigosas, entre estas os combustíveis, para além dos inevitáveis incómodos, inerentes a uma paralização que afecta um sector estratégico, coloca sérios problemas a nível do socorro e da segurança das populações.

Este tipo de greve implica a existências de serviços mínimos, estabelecidos de forma arbitral, que visa proteger direitos essenciais, obrigando a manter abastecidos serviços de segurança, saúde e a manutenção de um mínimo de abastecimento público, o que exclui a possibilidade de manter os níveis de consumo habituais, penalizando fortemente empresas e particulares.

Não havendo o cumprimento de serviços mínimos, facto alegado pelo Governo, a requisição civil é uma decisão natural, que decorrer da necessidade de proteger direitos, mas também de reestabelecer a autoridade do Estado, procurando alcançar um equilíbrio, tão justo quanto possível, entre interesses que, sendo conflituantes, são legítimos e legalmente protegidos.

É, no entanto, obter uma solução absolutamente satisfatória e que contemple todas as situações, mesmo as menos frequentes, sem com isso impor sérias limitações ao direito à greve, pelo que o risco para as populações, inevitavelmente, existe sob várias formas e de forma crescente, face ao número crescente de postos onde falta combustível.

terça-feira, abril 16, 2019

Até sempre, Filipe Garcia e Luís Silva

É impossível deixar de prestar a devida homenagem a dois amigos de longa data, ambos membros da Landmania, que partiram subitamente e quase em simultâneo, deixando em choque os inúmeros amigos que fizeram ao longo de uma vida que termina muito antes do que seria de esperar.

O Filipe Garcia, popularmente conhecido por FLG, e o Luís Silva, para além das qualidades pessoais que todos reconheciam, sempre deram um importante contributo para a Landmania, para o todo o terreno e para acções de solidariedade, estando sempre dispostos a colaborar e ajudar quem deles necessitasse.

É dificil exprimir a tristeza perante a partida destes dois amigos, essencias nos foruns, onde partilharam experiências e ajudaram com os seus conhecimentos os menos experientes, mas também nas diversas actividades da Landmania ou a nível pessoal, sendo duas pessoas com as quais sempre se podia contar, demonstrando sempre uma grande generosidade com a qual partilhavam um raro saber.

A data e hora dos funerais ainda não é conhecida, mas as informações constarão da página da Landmania no Facebook, onde muitos dos amigos do Filipe e do Luís têm vindo a expressar os seus sentimentos, sendo patente a extensão da tristeza causada pela partida de duas excelentes pessoas, que já deixaram muitas saudades a todos quantos os conheceram.

segunda-feira, abril 15, 2019

Experiências de impressão 3D - 4ª parte

Sendo uma impressora adquirida em "kit", montada pelo utilizador, tal representa uma primeira aprendizagem, mesmo que resulte num maior dispêndio de tempo, o que facilita a compreensão do funcionamento e do processo de melhoramentos, facilitando todo o processo de melhoramentos, algo que, pela experiência obtida, será quase inevitável para este tipo de equipamento, como forma de o tornar fiável e adequado a uma impressão sem preocupações.

É possível ir mais longe, comprando um "kit" ainda mais básico, naturalmente com muito mais peças e de montagem mais complexa, baseado em Arduino, uma linguagem de programação muito adequada a este tipo de equipamento, o que permite uma maior aprendizagem e entendimento deste tipo de equipamentos, facilitando a sua operação no futuro, mesmo que de modelos mais sofisticados ou adquiridos prontos para serem utilizados.

Para além do preço do equipamento e do material para impressão, será sobretudo como introdução no universo da impressão tridimensional e na aprendizagem da mecânica e das própria funcionalidades, incluindo-se aqui o "software", que reside o maior interesse na aquisição de uma impressora deste tipo e com esta qualidade, dado que permite uma evolução que justifica, caso se pretenda, passar para um nível superior, dando origem a produtos finais com um acabamento digno de uma produção profissional.

Com o preço das impressoras a baixar continuamente, tornado-as cada vez mais acessíveis, será o "know how" e a experiência a constituir o factor diferenciador, mas este tipo de conhecimentos pode, e deve, ser complementado por outras valências, caso se pretenda que seja rentabilizável.

domingo, abril 14, 2019

Optar por versões "beta" - 2ª parte

Claro que, sabendo dos inconvenientes e problemas possíveis, os fabricantes facilitam a saída do programa "beta", mas enquanto tal não suceder, todas as actualizações serão neste âmbito, dando continuidade à opção do utilizador, ou seja, quando se actualiza uma versão "beta", será sempre para outra "beta" mais recente, enquanto a actualização de uma versão final será sempre para outra verão final.

Embora sendo um contributo importante na fase de testes, essencial na fase final de desenvolvimento, o facto é que a maioria dos utilizadores de produtos "beta" não o faz por altruísmo, mas tão somente para aceder a novas funcionalidades ou porque o produto que usam, na versão final, apresenta algum tipo de problema ou incompatibilidade que obriga a instalar uma versão diferente.

Naturalmente, nem todos os produtores disponibilizam ao público versões "beta" e muitos dos que o fazem limitam o acesso ao número que consideram suficiente para que os testes sejam efectuados e os resultados recolhidos, permitindo corrigir os erros existentes, para o que é necessário variedade, que contemple a maioria das situações, mas não um número demasiado elevado, do que decorra um volume de dados de difícil tratamento.

A opção de instalar uma versão "beta", salvo por necessidade, deve sempre ser equacionada com cuidado, sendo desaconselhável quando se trate de um produto usado para fins profissionais, ou relevante em qualquer aspecto, e de cuja falha resultem inconvenientes ou prejuizos que excedam as vantagens das novas funcionalidades que tendem a incluir, por vezes meses antes de as versões finais as disponibilizarem.

sábado, abril 13, 2019

Redes de comunicações em residências - 6ª parte

É um erro comum pensar que, estando o "router" protegido, um dispositivo que acede via um ponto de acesso, ou "hotspot", ligado por cabo, será controlado centralmente e não no equipamento a partir do qual efectua a ligação, pelo que se este último não estiver protegido, representa uma porta aberta para todos quantos quiserem aceder, pondo em perigo a segurança da rede.

Este problema, que consideramos sério por ser algo para que muitos utilizadores estão escassamente sensibilizados, foi debatido em textos anteriores, cuja leitura aconselhamos, sendo absolutamente necessário que cada ponto de acesso a uma rede esteja devidamente protegido com uma chave e que esta possua a mesma robustez daquela que é utilizada no "router", sem o que irão surgir vulnerabilidades, sendo que a segurança de uma rede equivale, tal como em tudo, à do seu ponto mais fraco, pelo que havendo um ponto de acesso desprotegido, esta falta de protecção passa a abranger toda a rede.

Desde a rede mais simples, com um pequeno número de equipamentos ligados directamente a um "router", a configurações mais complexas, com distribuição de sinal por diversos pontos de uma residência, todas devem obedecer a um conjunto de princípios dos quais resultem funcionalidade, disponibilidade, equilíbrio e segurança, pelo que o planeamento é sempre essencial, sendo raros os casos onde basta confiar no instinto, algo que acontece apenas em soluções muito simples.

Se os equipamentos mais recentes e sofisticados oferecem um maior número de funcionalidades e de segurança, o aumento da complexidade, mesmo que a configuração base surja como simples e intuitiva, não dispensa a observação de regras e um mínimo de conhecimentos, sem o que as surpresas, normalmente desagradáveis, poderão surgir, com consequências que podem revelar-se graves, caso se permita, por exemplo, uma intrusão de que resulte no acesso a dados armazenados num dos equipamentos, do que facilmente resultam prejuizos difíceis de contabilizar.

sexta-feira, abril 12, 2019

Experiências de impressão 3D - 3ª parte

Caso se pretenda uma solução mais personalizada, estudada para o caso concreto econstruída à medida ou de maior qualidade, o preço subirá, não sendo de espantar que fique pelas três dezenas de Euros, se estudada por um especialista na área que fornece igualmente o material, tipicamente mais dispendioso do que aquele que é adquirido no EBay recorrendo a componentes individuais que terão que ser montados pelo utilizador.

Convém, ainda, dispor de algum "stock" de peças de substituição ou reparação que, efectivamente, são quase consumíveis, dado terem uma esperança de vida limitada, incluindo-se aqui os bicos, extrusores, fita adesiva e tubos em teflon e, eventualmente, um motor, de modo a que, em caso de avaria, a reparação seja efectuada com rapidez e com o mínimo de tempo de imobilização.

Este pequeno conjunto de peças, mesmo incluindo um motor, que será a peça mais dispendiosa, tem um custo que pode rondar a dezena de Euros, podendo-se adicionar, incluido neste valor, uma dezena de agulhas de limpeza, um acessório essencial quando se verifique o entupimento de um bico e que pode evitar a substituição do mesmo.

Também sugerimos dispor de diversos tipos de PLA, já que a temperatura de fusão difere entre fabricantes, sendo certo que os resultados obtidos com alguns tipos poderão ser melhores, para além de que, aqueles que permitem operar a temperaturas mais baixas, resultam em poupança de energia eléctrica e reduzem a probabilidade de entupimento resultante de problemas de refrigeração.

quinta-feira, abril 11, 2019

Experiências de impressão 3D - 2ª parte

Por outro lado, o PLA, que pode ser adquirido por uma quinzena de Euros por quilo, é extremamente barato, tal como o são, comparativamente, as impressoras que recorrem a este material, pelo que o preço de um modelo em plástico com perto de uma quinzena de centímetros é de poucos cêntimos em termos da matéria utilizada e pouco mais para a energia eléctrica consumida durante o processo.

Também é manifesto que os modelos em PLA são francamente resistentes, se excluirmos os detalhes que acrescentamos, como mastros ou peças adicionais, sendo certo que não se danificam quando caem, por exemplo, de cima de uma mesa, permitindo uma manipulação mais fácil e adequando-os a peças de jogo sempre que os detalhes não comprometam a aparência.

Naturalmente, uma impressora PLA adquirida para montar permite, e necessita de alguns melhoramentos, sobretudo a nível da cabeça de impressão, tendo optado por investir algumas dezenas de Euros em dois sistemas de cabeça alternativos, um directo, melhorado, e outro remoto, do tipo "Bowden", que separa os componentes, colocando o motor que empurra o PLA fora do suporte onde se encontra o extrusor.

Sem incluir montagem, e recorrendo ao motor existente, cada uma destas soluções ronda os doze a quinze Euros, dependendo do tipo de material exacto, podendo-se obter um segundo motor por perto de meia dúzia de Euros e um segundo suporte por um valor quase simbólico, o que permite dispor de duas soluções distintas, que podem ser trocadas com alguma facilidade, muito embora tal implique, durante o processo, nivelar a base de impressão.

quarta-feira, abril 10, 2019

"Opera" 60 final disponível

Foi disponibilizada a versão 60 do "Opera", o "browser" que, pelas suas características inovadoras, tem merecido a nossa preferência, sendo o primeiro a estar preparado para a "Web 3.0" e incluindo uma carteira para criptomoedas, características que, num futuro próximo, pode ser decisiva.

Com um novo desenho, sem bordos, mais limpa, com menos linhas divisórias e um alto contraste, o novo "Opera" surge como algo minimalista, colocando de parte tudo o que é secundário ou desnecessário, reposicionando alguns comandos ou funções, de modo a serem mais acessíveis ou intuitivos.

A VPN, gratuita e sem limitação de dados, bem como o bloqueio de publicidade, mantêm-se no topo das funcionalidades, mas será o facto de esta versão vir preparada para a "Web 3.0", acedendo a cadeias de blocos, ou "blockchains" Ethereum, igualmente designadas por dAppps, pensadas numa Internet descentralizada e colaborativa, o que esta nova versão inclui de mais relevante, mesmo que, actualmente, pareça fazer pouca diferença.

Com a versão 60, designada por "Reborn 3" durante o desenvolvimento, o "Opera" mantém-se na vanguarda dos "browsers" em termos de tecnologia e de funcionalidades, pelo que consideramos que deve ser, pelo menos, testado pelos utilizadores, com a versão para "desktop" a ser cada vez mais compatíbilizada com a que é disponiblilizada para dispositivos móveis, partilhando dados e recursos, facilitando em muito a utilização de ambas, com amplas vantagens para os utilizadores.

terça-feira, abril 09, 2019

Experiências de impressão 3D - 1ª parte

Após algumas experiências, nem todas bem sucedidades, os primeiros objectos impressos pela impressora 3D que temos vindo a testar começam a adquirir a forma final, permitindo-nos familiarizarmo-nos com este tipo de tecnologia que, estamos certos, terá um grande impacto num futuro próximo.

Por serem as mais populares, e de mais baixo preço, as impressoras de PLA são as mais utilizadas, permitindo imprimir objectos resistentes, adequados a uma manipulação intensiva, permitindo uma aprendizagem rápida e pouco dispendiosa de que resultem objectos satisfatórios para a maior parte das situações.

Do tipo de tecnologia e materiais utilizados decorre, no entanto, que ficam visíveis as linhas correspondentes às camadas, o que implica trabalhos de finalização, recorrendo a algum tipo de resina e a lixa fina, caso se pretenda uma superfície completamente lisa, sendo impossível imprimir de forma adequada objectos ou detalhes de muito pequenas dimensões.

Naturalmente, uma impressora de resina, como a "Photon Cubic", obviaria grande parte deste trabalho, imprimindo objectos de muito melhor qualidade e que carecem de muito poucos acabamentos, podendo, inclusivé, imprimir o armamento, o que, a médio prazo, dependendo do número de impressões, poderia revelar-se um bom investimento, sobretudo para quem optar por vender modelos por sí impressos.