sábado, outubro 21, 2017

"Fall Creators Update" chegou aos utilizadores

Já chegou aos primeiros equipamentos o "Fall Creators Update" para o Windows 10, implementando um conjunto de novas funcionalidades, mas, ao contrário do esperado inicialmente, sem o "Timeline", talvez o melhoramento mais esperado e aquele que teria um maior impacto em termos de produtividade e segurança na gestão de dados.

Tal como sucede com este tipo de actualização, que implementa funcionalidades e não se limita apenas a corrigir erros ou melhorar funções ou desempenho, os utilizadores devem esperar uma maior demora na instalação, dependendo o tempo exacto do tipo de conexão, bem como de algumas alterações mesmo em menus ou programas do sistema operativo previamente existentes, o que não deve comprometer a compatibilidade com versões anteriores.

Sendo inevitáveis, estas actualizações devem ser instaladas com especial cuidado, prevendo não apenas o tempo para o processo, mas também para testes e adaptação, devendo ser efectuadas, caso possível, em equipamentos secundários, cujo desempenho não tenha impacto na produtividade ou acesso a dados relevantes, onde se possa aferir melhor o impacto resultante da nova versão de Windows instalada e verificada a sua interacção com outros programas e os dados instalados.

Tal como sucede com actualizações anteriores, esta será o padrão dentro em breve, com o suporte a ser descontinuado para as mais antigas, pelo que, sendo inevitável um dia passar a utilizar esta versão, adiar um pouco até estar devidamente estabilizada pode ser uma opção prudente e que não compromete nem a segurança, nem o desempenho dos equipamentos.

sexta-feira, outubro 20, 2017

Apresentado o relatório sobre a tragédia de Pedrogão Grande - 3ª parte

O relatório minimiza o impacto da falha do SIRESP e retira a responsabilidade da GNR, que encaminhou automobilistas para a estrada onde muitos perderam a vida, dado que os militares não possuiam informações que lhes permitisse decidir de outra forma horas após o início do incêndio, as quais, em consequência da avaliação feita pela estrutura da ANPC, não corresponderiam à realidade.

A comissão aponta também para a necessidade de mudanças, sobretudo a nível de uma maior qualificação dos recursos humanos e de uma "maior incorporação do conhecimento na previsão, na avaliação e na atuação perante as diversas situações", salientando a falta de competências e ausência de especialistas em diversas áreas, condicionando assim a capacidade de decidir de forma rápida e acertada.

Esta falta de conhecimento técnico e científico não permite ter em conta o efeito das alterações climáticas e estabelecer novos procedimentos e tácticas, que incluem uma nova visão de conjunto e a antecipação de situações que seriam consideradas como improváveis, ou mesmo impossíveis, e hoje se revelam comuns, com a possibilidade de acontecerem com alguma frequência.

Considera-se que existe falta de "know how" para combater fogos com esta dimensão, em vez de uma maior proactividade recorre-se ao envio sucessivo de meios, o que tende a suceder com atraso em consequência de uma grande rigidez nos procedimentos e no rápido evoluir da situação no terreno, com os reforços a revelarem-se muitas vezes insuficientes na altura em que chegam ao teatro de operações.

quinta-feira, outubro 19, 2017

Quase 216.00 hectares ardidos até ao final de Setembro - 4ª parte

Naturalmente, omitem-se as grandes causas estruturais, aquelas que culpam sucessivos poderes centrais e locais pelo estado a que extensas áreas do Interior se encontram, empobrecidas, desertificadas, desordenadas, num estado de abandono que impossibilita qualquer defesa eficaz contra os incêndios, tornando-as pasto de chamas.

O impacto destas vertentes, para as quais de pouco adianta responsabilizar a protecção civil nos seuus vários níveis, os comandos operacionais ou o SIRESP, acaba por se perder em relatórios sectoriais ou parciais, sendo esquecidos entre culpas difusas que ninguém quer objectivar, sob o risco de lhe serem pedidas contas pelos papeis ou cargos que, quase certamente, terá desempenhado no passado e pelas más opções então tomadas.

Só assim se justifica a constante argumentação contra o SIRESP, que opera de acordo com as especificações aprovada por muitos dos que hoje o responsabilizam por sucessivas falhas, ou a demissão do comandante operacional nacional, esquecendo quem o nomeou, bem como a grande parte da estrutura hierárquica da ANPC, igualmente acusada de graves falhas no terreno.

Aqueles que, ao longo de anos, perseguindo interesses inconfessáveis, criaram os cenários e posicionaram os protagonistas desta triste peça e agora alegam que este não era o enredo que constava do guião, continuam impunes, muitos deles preparando novos enredos, cujo desenrolar, diz-nos a experiência, nada terão a ver com o anunciado por tão lamentáveis autores.

quarta-feira, outubro 18, 2017

Falta a pro-actividade das populações... - 1ª parte

Tal como seria de esperar, o cenário para que uma nova vaga de incêndios se concentrassem quando as condições climáticas fossem propícias estava desde há muito presente, bastando que estas coincidissem para que uma tragédia acontecesse, mas dificilmente se poderia prever o quão grave se revelaria e a atitude dos governantes responsáveis por esta área.

Quando um secretário de Estado sugere que são as "próprias populações que devem ser pro-activas" e considera que mesmo que dispusesse de 50.000 efectivos o cenário seria semelhante, estamos diante da falência do próprio Estado e da sua completa autocrítica e sentido de responsabilidade.

Traduzindo, o Estado fará tudo o que deve, e se mais fizesse, tudo ficaria na mesma, mas falta o empenho das populações, que em muitos locais afectados pelos incêndios é composta, na sua maioria por idosos, conforme se pode verificar através dos dados que constam das estatísticas.

Assim, a responsabilidade, talvez mesmo a culpa, é empurrada de quem permitiu que o País assumisse esta configuração, com um Interior envelhecido, empobrecido e desertificado, para as próprias vítimas dessas opções, não só incapazes de se defender, como sem o protagonismo mediático dos governantes que, publicamente, divulgam este tipo de afirmações.

terça-feira, outubro 17, 2017

Apresentado o relatório sobre a tragédia de Pedrogão Grande - 2ª parte

Segundo o relatório, este incêndio terá sido causado por "descargas elétricas mediadas pele rede de distribuição", enquanto o incêndio de Góis, o oitavo maior desde que há registos, teria sido causado por um raio, portanto não apontando para mão criminosa em nenhuma destas ocorrências.

É estabelecido que não foi efectuado um alerta precoce, nem se mobilizaram totalmente os meios, o que permitiu que, em tempo muito quente, o incêndio tivesse condições muito favoráveis à sua propagação e dificilmente podia ser detido, sendo óbvio que na ANPC não existia a capacidade técnica e científica, a nível de analistas de incêndios e de meteorologistas especializados para agir com a rapidez e eficácia necessária.

A má avaliação da situação determinou a não activação de meios aéreos, entre eles um helicóptero que estava disponível e estacionado em Pampilhosa da Serra e o helicóptero estacionado no Centro de Meios Aéreos de Pombal, bem como de outros meios terrestres que podiam ter sido enviados para o teatro de operações, o que terá permitido que o incêndio atingisse rapidamente proporções que se revelaram catastróficas.

Para a comissão, "a prontidão do sistema de defesa da floresta contra incêndios", revelou "a incapacidade em reconhecer e/ou responder atempada e adequadamente às condições meteorológicas que seriam enfrentadas, ao longo do dia 17, está na génese da tragédia" de Pedrógão Grande, com as responsabilidades a irem directamente para a ANPC.

segunda-feira, outubro 16, 2017

Quase 216.00 hectares ardidos até ao final de Setembro - 3ª parte

Acrescerão, ainda, as consequências da redução dos dispositivo ocorrida no termo da "Fase Charlie", feita sem ter em atenção o aumento da secura dos solos e as temperaturas elevadas que se continuam a verificar, bem como a cada vez menor disponibilidade de voluntários, cada vez mais condicionados por deveres laborais, que se faz sentir sobretudo nos dias úteis.

A reactivação de 72 dos 236 postos de vigía, guarnecidos pela Guarda Nacional Republicana, e o alargamento do contrato de alguns meios aéreos, ficando disponíveis dois aviões pesados, dois aviões médios e oito helicópteros médios em regime de contrato, que reforçam os meios do Estado, que incluem três helicópteros ligeiros e três pesados, bem como algumas esparsas tentativas de, sem custos, reforçar os efectivos do dispositivo, confirmam o que muitos já tinham considerado uma flagrante falta de meios no combate contra os grandes incêndios que continuam a ocorrer.

É de realçar que o dispositivo que combateu os incêndios no início de Outubro é composto por efectivos insuficientes e cada vez mais desgastados, patente nos acidentes que, intuitivamente, são mais normais quando o cansaço é excessivo, confirma o caos vigente e as más opções na gestão do sistema de defesa contra incêndios.

É o próprio governo a reconhecer que "não terá acautelado os meios de vigilância, deteção e combate necessários ao quadro meteorológico dos últimos dias, propício à propagação de incêndios florestais", mas, mesmo face a uma admissão do óbvio, faltam as consequências que devem ser inerentes ao exercício de qualquer cargo de responsabilidade, seja a nível político, seja a nível operacional, abundando, em contrapartida, as menções à criminalidade ou incendiarismo com que, aparentemente, tudo de pode justificar.

domingo, outubro 15, 2017

Termo do período crítico adiado para 31 de Outubro

De acordo com um despacho do secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural o período crítico do Sistema de Defesa da Floresta foi novamente prolongado, agora até 31 de Outubro, devido às "condições meteorológicas excecionais", que justifica "uma continuidade de medidas e de ações especiais de prevenção de incêndios florestais".

O despacho justifica o segundo prolongamento pelo facto de a chuva prevista poder "não ter expressão na alteração do índice de severidade meteorológico acumulado", mantendo-se, assim, um "elevado estado de secura dos combustíveis", sendo "a quantidade de água disponível no solo, presumivelmente insuficiente para aumentar o teor de humidade para níveis ideais que contrariem as ignições e o número de incêndios rurais por dia".

Deste prolongamento não decorre a manutenção do nível de meios de combate presentes na fase "Charlie", terminada a 30 de Setembro, o mesmo dia para que estava marcado o termo do período crítico, mas continuam as restrições que implicam a não execução de um conjunto de actividades e a proibição de circulação em diversas áreas florestais.

Assim, continua a ser proíbido, até final deste mês, fumar, fazer lume e fogueiras ou queimas e queimadas nas florestas, bem como a circulação em zonas florestais, o que pode comprometer um conjunto de actividades profissionais ou lúdicas que são agendadas para esta altura.

sábado, outubro 14, 2017

Farol de trabalho amovível - 1ª parte

A menor tolerância das autoridades quanto a alguns acessórios muito comuns no todo o terreno, como o célebre farol de trabalho, que, segundo a lei, é apenas utilizável por reboques e máquinas agrícolas, tem levado a diversas modificações, que passam pela substituição de suportes fixos por outros que sejam amovíveis.

No caso do farol de trabalho, a instalação tradicional, e a prescrita por lei para os veículos onde é permitida, passa por um comando com avisador luminoso no interior e outro no próprio equipamento, sendo necessário accionar ambos para que este farol funcione.

Removendo o farol da carroçaria, pode-se aproveitar um dos orifícios para colocar uma simples tomada de isqueiro destinada a exterior, que tenha um isolamento em borracha e tampa estanque, evitando assim que surjam entradas de água, e que incorpore na cablagem um fusível, uma precaução extra para situações imprevistas.

As tomadas para exterior mais comuns implicam efectuar um furo com 3 centímetros de diâmetro bastando recorrer ao anel de fixação para que fiquem solidamente posicionados, recorrendo-se à cablagem original para efectuar a ligação, incluindo o troço de cabo com fusível, caso incluído, num processo bastante simples e directo onde o principais cuidados são verificar a polaridade dos condutores e isolá-los correctamente.

sexta-feira, outubro 13, 2017

Apresentado o relatório sobre a tragédia de Pedrogão Grande - 1ª parte

Foi revelado o relatório realizado por uma comissão independente, apesar dos membros serem selecionados por orgão de soberania onde o peso político se faz, naturalmente sentir, condicionando as escolhas, apontado responsabilidades para a estrutura da Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) e para os comandos que coordenaram as operações na sua fase inicial.


O relatório salienta que podiam ter sido implementadas medidas preventivas na altura do início do incêndio, nomeadamente a nível de evacuação das áreas atingidas ou ameaçadas ou, caso tal se revelasse impossível, dar indicações às populações para que se mantivessem nas suas residências, não correndo o risco de tentar fugir.

Aliás, anteriormente, já tinha sido estabelecido um conjunto de atitudes que melhor asseguram a segurança em zonas afectadas por incêndios, sendo a fuga por iniciativa própria e sem indicações concretas completamente desaconselhado, com a possibilidade de sobrevivência a ser muito maior para quem se protege na própria residência, facto que a tragédia de Pedrogão Grande acaba por comprovar.

Admitimos que a fuga seria virtualmente impossível no caso do incêndio de Pedrógão Grande, o segundo maior na história do país, desde que há registo e o que libertou mais energia, atingindo um máximo de 4.459 hectares numa única hora, pelo que as temperaturas atingidas constituiriam barreiras praticamente intransponíveis.

quinta-feira, outubro 12, 2017

Windows 10 "Fall Creators Update" pronto para 17 de Outubro - 2ª parte

O "Fall Creators Update" implementa novas funcionalidades a nível de aplicações, como o "Story Remix", que vem subsituir com vantagem o "Movie Maker", integrando fotos, vídeos e música, uma abordagem mais incisiva no mundo 3D, com capacidades de integração visualização de objectos mais sofisticada e abrangente, e uma vertente 3D mais elaborada.

A realidade virtual está muito mais presente recorrendo à Windows Mixed Reality-ready PC num computador compatível e com um dos "kits" brevemente a disponibilizar pela HP e pela Acer, cujos valores, previsivelmente irão rondar as três centenas de Euros, dependendo o valor final de questões cambiais e fiscais.

Novas opções de acessibilidade, como a leitura de movimentos dos olhos como forma de interacção, essencial para quem tenha algumas limitações, ou uma integração mais completa com os jogos da Xbox estarão presentes, bem como um melhor desempenho e maior estabilidade.

Esta actualização, tal como outras consideradas essenciais, será disponibilizada de forma automática, podendo os utilizadores mais apressados correrem o sistema de actualização manualmente ou, caso escolham aguardar, esperar que esta seja enviada, o que pode demorar mais algum tempo, dado o volume de dados e o número de computadores abrangido.

quarta-feira, outubro 11, 2017

Quase 216.00 hectares ardidos até ao final de Setembro - 2ª parte

A área ardida até ao final de Setembro representa mais 174% de área ardida face à média dos últimos anos para o mesmo período, mas registaram-se menos 10% de ocorrências, pelo que cada ocorrência, em média, representa uma área ardida quase dupla face à média, algo que justifica uma reflexão e, naturalmente, a adopção de medidas.

Um menor número de ocorrências e um muito maior número de área ardida não tem apenas um significado estatístico, mas depende sobretudo da forma de distribuição em termos de áreas, sendo certo de que mesmo um número percentualmente muito reduzido de ocorrências correspondente a grandes incêndios altera por inteiro uma perspectiva baseada nos números, onde falta a correspondente análise.

Manifestamente, foram os grandes incêndios, alguns dos quais se prolongaram por vários dias o factor de peso no total da área ardida, contribuindo com quase 90% para o total, e é nas óbvias dificuldades em controlá-los, gerindo uma situação complexa e que envolve efectivos e meios substanciais que nos devemos centrar, secundarizando as ocorrências de menores dimensões onde não se colocam os mesmos problemas a nível de comando, coordenação e logística.

Contribuindo para o sucedido temos, sobretudo, críticas ou queixas quanto à capacidade de coordenação por parte da Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC), a alguns comandos distritais em termos da sua competência e capacidade efectiva para cumprir a sua função e ao SIRESP, cujas falhas pontuaram este Verão, e cuja óbvia responsabilidade parece ampliada como forma de justificar as culpas de terceiros.

terça-feira, outubro 10, 2017

Windows 10 "Fall Creators Update" pronto para 17 de Outubro - 1ª parte

O que se presume ser o RTM, ou "Release To Manufacturing", a versão final do "Fall Creators Update" do Windows 10 já chegou aos utilizadores que testam as versões no que é designado por "ciclo lento", estando agendada a disponibilidade desta versão para o público em geral para o dia 17 de Outubro.

Após a disponibilização da versão RTM, nada impede que a versão final seja igualmente disponibilizada, pelo que o prazo previamente anunciado será, quase certamente cumprido, com os utilizadores a poderem instalar esta actualização e poderem usufruir de um conjunto de características e melhoramentos interessantes, que torna este "update" um dos mais esperados de sempre para este sistema operativo.

Se para muitos utilizadores será a renovação do "One Drive", que permitirá poupar espaço em disco, com os ficheiros armazenados na "cloud", a partilha de conteúdos do "clipboard" ou área de transferência entre dispositivos, caso em uso pelo mesmo utilizador, ou o retomar do trabalho no mesmo ponto em equipamentos diferentes, graças ao "Timeline".

Será possível ter uma imagem do trabalho realizado ao longo de uma linha de tempo, o que facilita repor um dado estado, recuperar dados ou efectuar cópias de segurança, encontrando ficheiros ou aplicações tal como se encontravam num dado momento, tornando o sistema muito mais seguro e fácil de utilizar e gerir.

segunda-feira, outubro 09, 2017

Quase 216.00 hectares ardidos até ao final de Setembro - 1ª parte

De acordo com um documento do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) até 30 de Setembro foram registados 145 grandes incêndios, assim classificados por afectarem uma área total superior a 100 hectares, que destruíram 192.652 hectares de áreas florestais, correspondendo a perto de 89% dos 215.988 hectares de total da área ardida.

O maior incêndio registado, em termos de área ardida, foi o que começou no dia 23 de Julho na freguesia de Várzea dos Cavaleiros, concelho da Sertã, distrito de Castelo Branco, e destruiu 29.758 hectares, seguindo-se o tristemente famoso incêndio de Pedrógão Grande, no distrito de Leiria), que deflagrou no dia 17 de Junho e devastou um total de 27.364 hectares, enquanto em terceiro lugar ficou o incêndio iniciado a 17 de Junho em Góis, no distrito de Coimbra, e destruiu 17.521 hectares.

Obviamente, os 64 mortos e a destrução de perto de 500 habitações na zona de Pedrogão Grande, mais do que os números em termos de área ardida, será o que mais marcará este Verão em termos de incêndios florestais, mas não podemos ficar indiferentes a quase 216.000 hectares ardidos até ao final de Setembro, sendo certo de que as temperaturas elevadas no início de Outubro farão aumentar este número.

O adiar do período crítico, bem como o número de ocorrências nestes primeiros dias de Outubro não auguram nada de bom numa altura em que terminou a fase de maior disponibilidade de meios, sendo de prever que os números se mantenham consistentes com os do resto do ano.

domingo, outubro 08, 2017

Lanterna multi-funções com lâmina

Manter um pequeno "kit" de emergência pronto para ser utilizado, seja num veículo, numa residência ou mesmo durante um trajecto em locais mais afastados, onde o socorro possa ser demorado, revela-se uma opção cada vez mais comum, sendo as opções inúmeras o que, tendo um lado positivo, pode dificultar a escolha de um conjunto polivalente capaz de responder às situações mais imprevisíveis.

Esta ferramenta integra num formato cilindrico com 163 milímetros de comprimento por 19 de diâmetro, uma lanterna com lâmpada "led" CREE XP-E de 1.000 lumens e 3 modos, uma lâmina e uma ponta de impacto, destinada a partir vidros numa emergência.

O corpo metálico, de cor negra, é resistente, anti-deslizante e fácil de empunhar, com aneis de borracha isoladores, o que permite a utilização sob a chuva, embora não sendo submersível, e a lâmpada opera através de um interruptor rotativo simples, com a sua intensidade impede que se olhe directamente para a luz, permitindo ser utilizada como defesa.

O preço ronda os 4 Euros, incluindo portes a partir da Ásia, mas acrescendo o custo da bateria AA ou 14500, que permitem operação entre os 0.8 e 1.5 volts, sendo um utensílio a ter em conta num veículo por cumprir diversas funções, incluindo cortar cintos de segurança, partir vidros e proporcionar iluminação de emergência.

sábado, outubro 07, 2017

Conjunto de chaves da Laser Tools

Não era nossa intenção adquirir algo semelhante, porque existem outras prioridades, mas ganhar o prémio da "Star letter" na edição de Agosto da Land Rover Owners, consistindo numa mala com chaves de diversos modelos, vai permitir suprir algumas falhas deste tipo de material, sempre dispendioso caso se pretenda uma qualidade aceitável, requisito essencial para um trabalho de qualidade. Este conjunto da Laser Tools, com a referência 6590, inclui um total de 171 peças de excelente qualidade, em crómio-vanádio, acomodadas dentro de uma caixa de plástico, resultando num conjunto facilmente transportável e muito flexível, estando presentes as medidas mais habituais na manutenção de veículos. Pela foto que ilustra o texto pode-se avaliar sumariamente da variedade de ferramentas incluídas no conjunto, com uma larga gama de medidas métricas, incluindo os acessórios destinados a facilitar a sua utilização, sendo possível encontrar a listagem completa de componentes no "site" do fabricante, onde estão presentes numerosas outras opções e equipamentos complementares.

Com um preço que varia entre os 160 e os 200 Euros, conforme a loja, esta é uma boa opção para quem precise deste tipo de ferramentas, seja um mecânico amador, seja mesmo um profissional, sendo particularmente adaptado a quem necessite de transportar ferramentas em expedições ou num dia a dia de reparações de veículos.

sexta-feira, outubro 06, 2017

O Baofeng BF-T1

A Baofeng, um dos fabricantes de rádios de comunicações mais conhecidos, disponibiliza um modelo de muito baixo custo, com um preço que ronda os 15 Euros, incluindo portes a partir da Ásia, com o conjunto a incluir, para além do rádio, a bateria, carregador, auricular, "clip" para cinto e correia de transporte.

Este rádio opera nas frequências entres os 400 e os 470 MHz, em UHF e incluindo os 446 MHz, com uma potência entre os 0.5 e 1.0 W, dispondo de 20 canais, 50 CTCSS tone / 104 DCS code, tendo um alcance que pode ir, em condições ideais, até aos 5 quilómetros e podendo ser activado por voz.

Para aceder a todos os parâmteros de configuração é necessário o cabo e "software" deste fabricante, que pode ser adquirido na Internet e é compatível com diversos modelos da Baofeng, sem o que apenas se pode aceder à parte das opções acessíveis através dos menus e do teclado.

Muito fácil de configurar, com poucas teclas, todas em silicone, incluindo uma para alarme e outra para activar a lanterna integrada, este rádio com menos de 100 gramas e apenas 5.50 x 1.80 x 10.80 centimetros é leve e cabe na palma da mão ou num bolso, sendo adequado a comunicações de curta distância entre grupos.

quinta-feira, outubro 05, 2017

O Hudway Cast

Ainda em fase de desenvolvimento, o Hudway Cast é um sistema de visualização para conteúdos de navegação provenientes de dispositivos Android ou iOS que projecta a imagem numa superfície transparente, na linha de vista do condutor, algo que é vulgarmente designado por "Head Up Display" ou HUD, sendo muito utilizado na aviação militar.

Ao contrário de dispositivos mais baratos, e muito menos sofisticados, que se limitam a reflectir uma imagem, obviamente invertendo-a, o Hudway Cast, após ser emparelhado com o dispositivo móvel, inverte a imagem, pelo que a projecção é correcta, evitando assim confusões ou a necessidade de esta operação ser efectuada pelo próprio programa, uma opção raramente disponível.

É suportada a maioria das aplicações de navegação, bem como outras destinadas aos mais diversos fins, e este equipamento não interfere com as funções normais do telemóvel, permitindo continuar a efectuar e receber chamadas, enviar ou receber mensagens nos equipamentos Android, verificando-se, actualmente, algumas limitações a nível de iOS.

Espera-se que este equipamento esteja disponível a partir de Novembro, por um valor estimado, por extrapolação dos praticados durante o processo de angariação de fundos, que andará perto dos 180 a 200 Euros, acrescendo portes e, quase certamente direitos alfandegários, sendo esta uma solução eficaz e realista, mesmo que algo dispendiosa, para quem pretenda um sistema HUD num veículo que não a inclua.

quarta-feira, outubro 04, 2017

Opera 48 estável já disponível



Poucos dias após a versão de teste do Opera 49 estar disponível, a versão 48 estável deste "browser" pode ser descarregada para as habituais plataformas Windows, Linux e MacOS a partir do "site" oficial ou correndo a actualização, para quem disponha de uma versão estável já instalada.

O sistema de importação de "shortcuts" foi melhorado, para suportar o Edge e o Yandex, está disponível um novo atalho para captura de écrans, desapareceu a impopular sugestão de preenchimento automático de endereços e campos, foi implementado um sistema de conversão de unidades, fusos horários e moedas, melhorando assim a experiência do utilizador.

Mantém-se a VPN gratuita e o bloqueador de publicidade, bem como as anteriores funcionalidades, incluindo a integração com o Messenger do Facebook, com o Whatsapp e com o Telegram ou o "login" que permite partilhar dados de um utilizador pelos vários dispositivos que utiliza.

Apesar de não ter uma quota de mercado semelhante à de concorrentes como o Chrome, Firefox ou Edge, o Opera tem sido o nosso "browser" de eleição, em grande parte pela inclusão da VPN, o que o torna mais seguro em muitas situações, mas também pelo desempenho, estabilidade e funcionalidades oferecidas, razão que se justifica, pelo menos, que seja testado.

terça-feira, outubro 03, 2017

Bancos em tecido para crianças

Transportar uma criança no banco central dos Defender, e não só, revela-se complicado, dado que o cinto de segurança é apenas de dois apoios, ficando em redor da cintura do passageiro, o que inviabiliza a colocação das habituais cadeirinhas, destinadas a usar outro modelo de cintos.

Este assento em tecido resistente e lavável, com 65 por 30 centímetros, com um peso de perto de meio quilo, destina-se a crianças com entre os 2 e os 6 anos de idade, sentadas com a mesma orientação do banco, estando disponível em diversas cores, sendo fixo por correias ajustáveis.

Basta colocar e ajustar as correias de fixação em redor do assento, no sentido vertical e horizontal, para que o assente fique fixo, com a criança a ficar presa por um cinto de segurança autónomo, incorporado no banco, sendo certo que fica bem fixo, mas pode permitir algum movimento de rotação, por não incluir fixação na zona do assento, algo que devia ter sido contemplado na sua concepção.

Este assento custa pouco mais de uma vintena de Euros, incluindo portes, ocupa muito pouco espaço quando armazenado e mesmo em uso, e não depende do cinto de segurança original, podendo ser uma ideia a ter em conta, como forma de inspiração, caso o modelo que aqui apresentamos não correponda completamente às exigências ou não cumpra normas de homologação exigidas na lei.

segunda-feira, outubro 02, 2017

Pesquisar a privacidade no Google - 5ª parte

Já que para a maioria não existe a possibilidade prática de prescindir de todo um conjunto de equipamentos e das práticas a eles associadas sem perder um conjunto de vantagens ou funcionalidades essencias, a opção será a de diminuir a exposição, desactivando todas as conexões que, não estando em uso, continuam a sinalizar a presença e selecionando as opções que registem um mínimo de dados.

Assim, opções como o GPS, Wifi, "bluetooth" ou NFC, sempre que não em uso, deverão ser desactivadas, podendo inclusivé fazer o mesmo com o tráfego de dados, deixando apenas as funções básicas de chamadas de voz e mensagens activas, diminuindo quanto possível a precisão da localização do equipamento e que terá um maior efeito em zonas onde uma maior dispersão das antenas das redes móveis diminuam a precisão da triangulação.

Recorrer a um modelo de telemóvel mais antigo, sem o moderno conjunto de funcionalidades e sem um "login" de rede associado, naturalmente será sempre benéfico em termos de privacidade, ficando apenas a ser rastrado pelo operador de telecomunicações, mas não por um prestador de serviços, como o Google, junto do qual estes modelos deixam de estar autenticados salvo se acedendo a um serviço que implique autenticação, com a navegação na Internet para aceder ao correio electrónico.

Essencial será, sobretudo, selecionar medidas de privacidade que controlem a exposição de dados, já que quanto à sua recolha e armazenamento, mesmo que sem a autorização do utilizador, poucas certezas existem, sendo dúbio que opções como o suspender o registo de localização faça mais do que impedir a sua exposição durante um dado período, ficando os dados armazenados, embora ocultos.

domingo, outubro 01, 2017

Realidade virtual no Opera 49




A partir da versão 49 do Opera, ainda em versão de teste, quem dispuser de óculos de realidade virtual que obedeçam à norma API Open VR poderá ver vídeos em 360º em experiências de realidade virtual, sendo o primeiro navegador a implementar esta funcionalidade.

A nova versão irá detectar a presença de um dispositivo de realidade virtual compatível e a opção de visualizar o vídeo nesse modo irá surgir junto do botão de "pop up", com parte dos controles a serem efectuados através do movimento da cabeça do utilizador, que controla dessa forma o angulo de visão.

Mesmo os vídeos 2D ou 180º serão transformados, embora com as limitações inerentes ao formato, proporcionando uma experiência única, com uma muito maior imersão e interacção por parte do utilizador, estando em estudo novas formas de cooperação no sentido de aumentar a disponibilidade de vídeos que tirem maior partido das novas tecnologias envolvidas nesta versão do Opera.

Estão presentes na nova versão de teste, que já pode ser descarregada, outros melhoramentos a nível de funcionalidades e da estabilidade, corrigindo erros ou desempenhos menos adequados, mas será, sem dúvida, a nível da realidade virtual que o novo Opera irá deixar a sua maior marca.

sábado, setembro 30, 2017

Período crítico de incêndios prolongado até 15 de Outubro

Tal como aconteceu em anos anteriores, o período crítico de incêndios foi prolongado, concretamente até ao dia 15 de Outubro, do que resulta a manutenção do dispositivo num nível mais elevado, mantendo-se em vigor um conjunto de restrições que abrangem áreas florestais.

Assim, a proibição de algumas actividades, incluindo-se aqui a circulação em zonas florestais, essencial para muitos passeios em todo o terreno obriga a que actividades sejam adiadas para além de dia 15 de Outubro, podendo, caso as condições climatéricas assim o justifiquem, verificar-se um novo prolongamento.

Num ano em que os incêndios florestais causaram um número de vítimas e de destruição absolutamente trágico e com a previsão da manutenção do tempo quente nos próximos dias, este prolongamento era de esperar, sendo muito difícil de justificar o termo do período crítico numa altura em que se prevêm temperaturas perto dos 30º e a chuva ainda parece distante, com os solos a ficarem sucessivamente mais secos.

Aconselhamos os nossos leitores a reler a portaria que estabelece este período, bem como a legislação conexa, antes de decidir efectuar actividades em zonas florestais e esperar pelo termo do período crítico, verificando se não existe um novo prolongamento, antes de qualquer iniciativa.

sexta-feira, setembro 29, 2017

Cartas topográficas militares em aplicação - 2ª parte

O tipo de cartografia e escala são adaptados ao dispositivo e ao zoom utilizado no momento, recorrendo a diversos tipos de carta de acordo com a selecção das opções do utilizador, com os detalhes apresentados a dependerem das capacidades do écran e necessidades para a navegação.

Entre as várias funcionalidades está a pesquisa por toponímia e coordenadas, a navegação por azimute e distância, a leitura de ficheiros em formato KML, utilizados no Google Earth, a gravação, navegação e partilha de percursos e rotas, a definicão, visualização e partilha de "waypoints", o posicionar centralmente o utilizador no écran e rodar a cartografia de acordo com sentido de movimento.

Apesar de a aplicação ser gratuita, a utilização depende da existência de mapas, com as aquisições a terem preços que variam entre os 0.99 e os 9.99 Euros, tendo a possibilidade de, com os mapas guardados, se proceder a uma navegação "off line", essencial em zonas remotas onde a transmissão de dados pode ser impossível.

A aplicação "Cartas Militares" não inclui todas as opções de alguns dos seus rivais, caso do CompeGPS, mas tem uma facilidade de utilização muito superior, sendo de aprendizagem fácil e contando com a actualização dos mapas, feita a partir do repositório do CIGeoE, resultando numa navegação segura e rápida, sem complexidades para o utilizador.

quinta-feira, setembro 28, 2017

Pesquisar a privacidade no Google - 4ª parte

Também entidades comerciais acedem cada vez mais a estes dados, por vezes ilegitimamente, seja por recolha indevida, seja por aquisição a outrém, normalmente sem autorização ou com o desconhecimento de quem consta das enormes bases de dados transacionadas, por vezes por valores extremamente elevados, e quase sempre sem respeito pela privacidade de cada um, podendo consolidar toda a informação de modo a estabelecer perfís que incluam os vários cliente-tipo.

O próprio Google, entre outros, recorre a publicidade direccionada e muitos poderão interrogar-se quanto à sua adequação, por vezes estranhamente adequada ao utilizador, seja a nível de perfil, seja por um comportamento específico que nos leva a interrogar qual o nível de intrusão necessário para atingir uma precisão que será, no mínimo, suspeita, sobretudo quando directamente relacionada com o conteúdo de uma mensagem que devia, em princípio, ser inteiramente privada.

Quando coligidas, a precisão do perfil individual de cada utilizador assume contornos assustadores, podendo constar deste todas as rotinas habituais ou hábitos de consumo, mas também as deslocações menos comuns, efectuadas uma única vez, tal como os diversos tipos de interacção ou transacção, mesmo as não comerciais, e, caso sejam adicionados dados provenientes de redes sociais, será um retrato com contornos pessoais onde inclusivé algumas confidências poderão ser expostas.

Não existem formas de evitar completamente o que, no limite, pode ser uma devassa da vida privada, sendo certo de que muita informação será recolhida, independentemente da vontade de cada um, mas existem medidas e atitudes que possam minimizar o risco da sua exposição, e será nesta vertente que todos nos devemos concentrar os maiores esforços por ser onde podem ser alcançados resultados mais concretos.

quarta-feira, setembro 27, 2017

Cartas topográficas militares em aplicação - 1ª parte

A aplicação "Cartas Militares" da InfoPortugal SA permite a dispositivos móveis Android ou iOS recorrer às cartas topográficas militares de todo o território nacional, nas escalas mais populares do Centro de Informação Geoespacial do Exército (CIGeoE) para efeitos de navegação.

Esta será uma opção face a outros programas, como o OziExplorer ou similares, que utilizam o mesmo tipo de cartografia, uma vez calibrada, mas cujo processo de adição de mapas é manual e obriga a conhecimentos técnicos por parte do utilizador, pelo que, mesmo com maiores potencialidades, existem dificuldades cuja resolução não estão ao alcance de todos.

Ao automatizar os procedimentos e compatibilizar os formatos com plataformas populares, como o Google Maps, esta aplicação vem resolver um conjunto de problemas inerentes a um menor "know how" ou à necessidade de utilização imediata de recursos sem que exista a necessidade de adquirir conhecimentos e experiência, única forma de obter resultados positivos em situações de maior complexidade.

Utilizando as cartas de várias escalas, incluindo a 1/500.000, 1/250.000, 1/50.000 e 1/25.000, a mais utilizada pelos praticantes do todo o terreno, a aplicação permite acompanhar em permanência o território nacional, estando presentes os diversos elementos do terreno, que incluem o relevo, hidrografia, vegetação, redes viárias, edificações e marcos de referência.

terça-feira, setembro 26, 2017

Pesquisar a privacidade no Google - 3ª parte

É de notar que a opção de partilha de localização, ou "Location sharing", tem objectivos diferentes, concretamente a partilha com familiares e amigos, o que permite a indivíduos ou grupos restritos marcar um encontro num determinado local, com determinação em tempo real de trajectos e hora estimada de chegada, ou o auxílio em caso de necessidade, podendo ser activado e suspenso com facilidade e em função de situações específicas.

É difícil saber qual o conjunto de dados que o Google foi recolhendo acerca de um dado indivíduo, sem que tal seja explicito para muitos, que desconhecem os termos de utilização e a interpretação dos mesmos, e as opções de privacidade, incluindo a nível de destruição de dados, podem levantar dúvidas quanto à sua real eficácia, sendo certo que existem questões legais, decorrentes da legislação aplicável nas várias jurisdições, que dificultem ainda mais conhecer quais os dados armazenados.

Naturalmente que não é apenas o Google que regista dados dos utilizadores, sendo obrigatória a sua manutenção pelo prazo estipulado na lei por parte dos operadores de telecomunicações, os quais poderão ser facultados às autoridades judiciais nos casos e situações contemplados na legislação em vigor, e que pode ser complementada por dados recolhidos por outros meios, sobretudo electrónicos.

Se a estes vastos conjuntos de informações se adicionarem outras que são automaticamente recolhidas, como as provenientes de transações electrónicas, seja bancárias, seja a nível de sistemas de transportes ou portagens, ou da videovigilância existente em muitos locais, para usar exemplos comuns, é manifesto que a privacidade, mesmo para quem a queira manter, dificilmente é defendida pelas entidades oficiais, para as quais a sua perda representa, efectivamente, uma mais valia.

segunda-feira, setembro 25, 2017

Faleceu D. Manuel Martins, o "bispo vermelho"

Faleceu pelas 14:05 de domingo, aos 90 anos de idade, D. Manuel Matins, bispo emérito de Setúbal, por muitos designado pelo "bispo vermelho" pelo seu envolvimento em lutas sociais na diocese, um figura ímpar na Igreja Católica, que lutou durante toda a vida pela justiça social.

Desde que chegou à diocese de Setúbal em 1975, numa altura em que havia fome, desemprego e conflitos sociais, D. Manuel Martins teve um papel essencial no apoio aos mais necessitados, fazendo ouvir a sua voz e implementando programas para minorar os problemas então existentes.

Um seguidor do bispo de Porto, António Ferreira Gomes, admirador de D. Hélder da Câmara, o bispo de Setúbal foi essencial no reposicionamento da Igreja em termos sociais, na implementação de princípios de solidariedade presentes na doutrina, mas muitas vezes ignorados pela hierarquia, com um discurso forte que tem muitas semelhanças com o do actual Papa.

D. Manuel Martins será sempre um dos bispos que mais marcou a Igreja em Portugal, defendendo a dignidade da pessoa humana, com lucidez e liberdade, sem constrangimentos, mas pesando bem as palavras, com objectivos bem definidos e com uma orientação coerente e constante, demonstrando uma enorme capacidade de diálogo que em muito contribuiu para pacificar uma diocese tumultosa, onde as carências se avolumavam.

domingo, setembro 24, 2017

Land Rover Owners de Outubro de 2017 já nas bancas

Já se encontra nos locais de venda habituais a edição de Outubro de 2017 da Land Rover Owners International, com o protagonismo a ir para as saídas ou expedições de fim de semana, sendo dado exemplos em Inglaterra, Escócia, Irelanda e França, com um conjunto de informações relevantes para quem pretenda repetir uma destas experiências.

Um Defender 110 manifestamente bem equipado para expedições, como resultado de um investimento que ronda, ao câmbio actual, os 190.000 Euros, ilustra a capa, com um guia de compra e de utilização fora de estrada para os Freelander 1 e 2 e Discovery Sport igualmente a merecer destaque.

Uma rélica do famoso modelo incial de "condução central", que está na origem dos primeiros Serie, as expedições, incluindo uma de costa a costa em Inglaterra, as preparações e técnicas de condução para este tipo de actividade, utilizando diversos modelos, sendo nalguns casos específicas, podem ser extrapoladas ou servir de base para outras situações.

Estão ainda incluídos numersos artigos técnicos, entre eles a recuperação de assentos dos Defender TDCi, que podem ajudar noutros modelos, bem como a habitual apresentação de novos produtos, a que acresce a publicidade temática, para além da divulgação de actividades são interessantes e inspiradoras numa altura em que estão prestes a terminar as restrições à circulação vigentes durante o período crítico de incêndios florestais.

sábado, setembro 23, 2017

Consola de 2 DIN para Defender da Raptor Engineering

Recentemente apresentamos diversos modelos de equipamentos Android multi-funcionais para veículos destinados a suportes com 1 DIN, tal como presente nos Defender, e que são mais dispendiosos do que os seus equivalentes destinados a consolas com 2 DIN, por dispensarem écrans móveis ou suportes mais elaborados.

A Raptor Engineering disponibiliza, em diversas variantes, uma consola de 2 DIN destinadas aos Defender sem ar condicionado construídos até ao ano 2000, anteriores ao "face lift", facilmente visível no novo modelo da consola central, e que permite instalar equipamentos de maiores dimensões, para além de um conjunto de botões ou acessórios.

Tal como acontece com os produtos deste fabricante, esta consola é extremamente sólida e bem acabada, com o painel frontal, disponível em diversos modelos, em alumínio aeronáutico de 2 milímetros anodizado, disponível em negro ou cor de metal, sendo de esperar que possa ser instalada, sem recurso a ferramentas que não as habitualmente disponíveis, em menos de meia hora, mesmo por quem tenha pouca prática.

O preço, incluindo VAT, ronda os 130 Euros, variando um pouco conforme o câmbio da Libra face ao Euro, acrescendo portes, sendo sempre de verificar cuidadosamente as dimensões do equipamento de 2 DIN a instalar, seja pela profundidade, seja porque alguns fabricantes usam dimensões não padronizadas, situação em que o facto deve ser referido à Raptor Engineering para que efectue o corte na dimensão correcta para o fim em vista.

sexta-feira, setembro 22, 2017

Pesquisar a privacidade no Google - 2ª parte

É de notar que não é necessário ligar o GPS para que a localização seja determinada com grande precisão, sobretudo em áreas urbanas, onde o número e posicionamento das antenas das redes móveis permitem uma triangulação quase perfeita, com margem de erro insignificante, a qual é reforçada por outras conexões usando os vários protocolos que possam estar activos.

No caso de outros protocolos como o "bluetooth", NFC ou os que são utilizador pelas redes locais estarem activos, a possibilidade de autenticação em locais de passagem que disponibilizem este tipo de comunicação, é elevada, sendo exemplo disso o aparecimento de uma mensagem do tipo "como foi a sua visita ao local xxx?", o que é confirmado recorrendo ao Google Maps e verificando que tal está presente nos locais visitados, eventualmente com um pedido de uma avaliação do mesmo.

Aliás, vários outros programas, seja o conjunto do universo Google, mas também outros que funcionam de forma complementar ou mesmo concorrente, podem utilizar este tipo de informação posicional, com alguns, sobretudo ligados a redes sociais, a implementar funcionalidades que, sendo aparentemente vantajosas para o utilizador, são efectivamente muito mais intrusivas e reveladoras do que as do próprio Google.

Acendendo ao "Timeline", estão presentes diversos conjunto de informações e dados que ilustram trajectos ao longo do tempo, com possibilidade de efectuar várias filtragens, bem como a possibilidade de pausar o histórico da localização, o que fará com que a sua recolha pare, deixando, presume-se, de ser enviada para os servidores do Google.

quinta-feira, setembro 21, 2017

19ª Edição do catálogo da Bearmach

Encontra-se disponível para consulta "on line" ou em formato PDF, que pode ser descarregado para uma unidade de armazenamento local, a 19ª edição do catálogo da Bearmach, um dos fornecedores de peças e acessórios para Land Rover mais conhecidos no mercado e com uma linha de produtos mais extensa.

Deste ficheiro, com perto de 57 Mb, consta um total de 428 páginas que incluem desde simples peças de substituição a motores completos a acessórios complexos e algo dispendiosos, como grades de tejadilho ou suspensões, passando pela iluminação, interiores ou mesmo lubrificantes.

Estão abrangidos praticamente todos os modelos da Land Rover, exceptuando-se apenas os que foram recém lançados, com cada peça constante do catálogo a incluir fotografia, referência, designação, descrição e modelos de veículo compatíveis, faltando, naturalmente, o preço, que, por razões óbvias, terá que ser inquirido junto de um dos revendedores da marca.

Tal como os catálogos de outros fornecedores, como a Britpart ou Terrafirma, cujas ligações disponibilizamos no passado, também sugerimos aos nossos leitores que descarreguem este catálogo que possui alguns items que não estão presentes nos da concorrência, e porque nele podem encontrar ideias e inspiração para efectuar reparações ou melhoramentos nos respectivos veículos.

quarta-feira, setembro 20, 2017

Pesquisar a privacidade no Google - 1ª parte

Serão inúmeros os utilizadores do Google Maps, recorrendo a esta plataforma para tarefas tão simples como localizar uma rua ou mais sofisticadas, como a navegação de um ponto para outro, selecionando um de entre vários trajectos alternativos e obtendo informações de tráfego em tempo real.

A maioria destes utilizadores recorre a um dispositivo Android, que na maior parte dos casos pode ser um telemóvel, mas que poderá também ser um equipamento de navegação ou outro igualmente baseado nesta plataforma, sendo comum, e quase inevitável, ter procedido a algum tipo de autenticação ou "login" através de um endereço de correio electrónico do próprio Google.

Através destes dispositivos, seja pela própria identificação única dos mesmos, seja pela autenticação do utilizador, que permite consolidar a informação proveniente dos vários equipamentos que este usa, do que resulta um conjunto de dados relevante e, dependendo do seu uso, preocupante em termos de privacidade, podendo, no limite, revelar-se intrusivo e perigoso.

Com um dispositivo Android, que na sua esmagadora maioria possuem o sistema de mapas do Google activo, caso não seja desactivado pelo utilizador, irá ser efectuado um registo de percursos, fácil de consultar em opções como o "Your places", na opção "Visited", no caso da lingua inglesa, onde estão presentes locais que foram referenciados pela geolocalização do equipamento.

terça-feira, setembro 19, 2017

Google só guarda cópias de segurança de Android dois meses após último acesso

Embora surgindo em diversos artigos que o Google apaga as cópias de segurança de dispositivos Android sem aviso prévio, o facto é que tal não corresponde à verdade, por esta possibilidade estar nas condições de utilização do serviço do Google Drive, numa das muitas alíneas que os utilizadores não lêm.

Quando um utilizador, por qualquer razão, deixa de utilizar um dispositivo Android, autenticado com uma conta específica do Google, é emitido um aviso, quinze dias depois do último acesso, sendo os dados constantes da cópia de segurança apagados, sem possibilidade de recuperação, dois meses após a última utilização registada.

Assim, caso alguém não utilize um dispositivo Android associado a uma conta durante mais do que dois meses, a cópia no Google Drive é apagada, sendo reposta a partir de um equipamento quando é efectuado um novo acesso, caso este os tenha armazenado, mas, caso este seja um dispositivo novo e o utilizador espere recuperar os dados a partir de um "backup", o facto é que tal não irá acontecer.

Este problema pode afectar utilizadores cujo equipamento se avaria e, transitoriamente, mas por mais do que dois meses, usem outro que não tenha Android, como um telemóvel convencional ou um "smartphone" iOS, e que ao voltar a utilizar um dispositivo Android não verão os seus dados repostos, facto para o qual deixamos aqui um alerta para que façam pelo menos um acesso recorrendo a esta plataforma antes de expirar o prazo, como forma de repor o contador a zero.

segunda-feira, setembro 18, 2017

O 3DF Zephir da 3D Flow - 2ª parte

A versão gratuita tem diversas limitações, como o permitir apenas um total de 50 fotografias ou "frames" de um filme, ou excluir diversas possibilidades de suporte de dispositivos mais complexos ou sofisticados, mas permite conhecer o produto e obter bons resultados, adequados para uma utilização doméstica.

A versão gratuita, bem como versões de demonstração das que são pagas, podem ser descarregadas do servidor da empresa que desenvolveu o "software", onde estão explicitadas as diferenças e capacidades, bem como informações que facilitam a sua aprendizagem e utilização, incluindo exemplos práticos para quem não possuam as imagens que permitam criar um objecto tridimensional.

Todas as instruções, exemplos, ajudas ou mesmo fóruns incluídos no "site" permitem uma aprendizagem rápida, seguindo cada um dos passos ilustrados com imagens exemplificativas, podendo os exemplos fornecidos serem substituídos por fotos do próprio utilizador, dando assim origem a uma renderização que pode ser visualizada em diversos formatos ou exportada e impressa como objecto tridimensional.

Este é um programa muito específico, destinado a um conjunto de utilizadores com interesse numa área que evolui muito rapidamente e será da maior importância no desenvolvimento rápido de objectos para os mais diversos fins, complementando de forma decisiva os progressos notáveis na impressão tridimensional, já muito popular entre nós.

domingo, setembro 17, 2017

Guias podem adicionar vídeos ao Google Maps

Os Guias Locais podem agora adicionar vídeos de curta duração ao Google Maps, recebendo 7 pontos por cada nova adição, num processo muito simples e que visa ilustrar melhor a realidade local, permitindo a potenciais visitantes um contacto mais directo e ilucidativo antes de optar por uma visita pessoal.

Caso se esteja no local da filmagem, o processo para adicionar um vídeo é, após selecionar o ponto de origem no mapa, escolher a opção de adicionar uma foto, na parte inferior od écran, tocar na "Câmara" e manter o butão premido durante até 10 segundos para proceder à gravação.

Vídeos previamente gravados, com duração até 30 segundos, podem igualmente ser adicionados ao Google Maps, sendo essencial que, antes de se proceder ao envio, se proceda ao posicionamento correcto do ponto de origem no mapa para que este fique correctamente referênciado.

Apesar do enorme trabalho do Google, a solução dos seus mapas depende em muito das actualizações e adições dos utilizadores, que complementam uma estrutura sofisticada com os conteúdos específicos que lhe conferem vida e autenticidade, sendo oferecidas pequenas recompensas, sob a forma de pontos que permitem algumas vantagens, a quem contribua com avaliações, fotos ou, agora, vídeos.

sábado, setembro 16, 2017

Lisboa, cidade fechada - 34ª parte

Em período eleitoral, para além da pressa em finalizar obras em curso, uma maior presença de candidatos em zonas intervencionadas, algumas delas submetidas a alterações profundas, pode sugerir a possibilidade do início de um novo ciclo, com a eventual substituição de executivos nos vários níveis do poder autárquico.

De acordo com as competências atribuídas ou delegadas, assim um maior peso dos vários orgãos na vida dos residentes, afectados não apenas pelas decisões a nível local que os afectam directamente, mas também, e sobretudo, por opções com impacto estruturante, que condicionam e limitam a apertada teia em que os decisores mais próximos dos cidadãos se movimentam.

A evolução da cidade nos anos mais recentes, num aparente conluio entre poder central e autárquico, não obstante melhoramentos em áreas específicas, evolui no sentido errado, tal como o País, baseada num modelo de desenvolvimento errado e comprometedor do futuro, onde o imediatismo esmaga a sustentabilidade e destrói a esperança de gerações futuras se instalarem em Lisboa, cada vez mais um mero expositor para gáudio dos turistas que a visitam.

Quase desprovida de habitantes nas zonas mais centrais e típicas, expulsos para dar lugar a instalações ou estabelecimentos que destroem a essência da cidade em troca de um lucro rápido, o destino de Lisboa, caso o fluxo turístico diminua, será um rápido declínio, com o colapso das finanças autárquicas e a incapacidade de revitalizar atempadamente uma cidade cada vez mais desprovida de residentes e de um tecido produtivo que confira um mínimo de sustentabilidade.

sexta-feira, setembro 15, 2017

O 3DF Zephir da 3D Flow - 1ª parte

No seguimento dos textos sobre o Scann3d, destinado a dispositivos móveis Android, apresentamos resumidamente uma alternativa para computadores pessoais com Windows, disponível em versão gratuita e em três versões pagas, cada uma com funcionalidades e capacidades distintas.

O 3DF Zephir, da 3D Flow, é um programa de fotogrametria, capaz de modelar objectos tridimensionais a partir de um conjunto de fotografias, que podem ser obtidas por simples câmaras ou recolhidas por "drones", podendo recorrer a sistemas laser 3D, num processo automatizado, mas que permite ao utilizador um grande controle e numerosas opções.

Destinado a computadores, este programa é muito mais potente do que os que são destinados a Android, e os resultados espelham bem essa diferença que resulta também da possibilidade de utilizar fotos com muito maior resolução, como as que são obtidas por câmaras digitais profissionais, recorrendo a uma maior capacidade de memória e processamento para dar origem a objectos de elevada qualidade.

Entre as versões pagas, destaca-se a que é designada por "Aerial", por possuir um conjunto de funcionalidades importantes a nível de extração de informação e georeferenciação que permite ser utilizada em actividades industriais, agrícolas ou mesmo na protecção civil, monitorando diversos dados que permitem a detecção de perigos e a emissão de alertas.

quinta-feira, setembro 14, 2017

O Scann3d da Smartmobilevision - 2ª parte

O conjunto de fotos obtido pode ser utilizado por programas de melhor qualidade, pagos e que correm em computadores pessoais com plataforma Windows, resultando numa renderização e em modelos tridimensionais muito mais perfeitos, onde mesmo pequenos detalhes são bem visíveis e as formas ficam bem mais definidas.

Exportando o resultado final em formato STL, após selecionar a escala pretendida, pode-se proceder à impressão tridimensional, numa impressora com a definição suficiente para o modelo em causa, num processo simples, embora um pouco moroso, e que ilustra o que já hoje se pode fazer com equipamentos simples.

Não sendo uma solução dedicada, como um "scanner" 3D, onde câmara e objecto estão fixos, com este último a rodar e ser fotografado de forma automatizada, de acordo com os requisitos do "software", não podemos esperar o mesmo tipo de resultado de um equipamento não especializado e que enfrenta diversos condicionalismos, mas esta é uma abordagem interessante e a experimentar por todos quantos se interessem por este tipo de tecnologia.

Este programa gratuito pode ser instalado em dispositivos Android, em versões 4.4 ou superior, com os resultados a depender, para além da qualidade do equipamento, do próprio objecto fotografado e digitalizado, bem como do seu enquadramento, condições de luminosidade e da paciência do operador.

quarta-feira, setembro 13, 2017

Taxa de Protecção Civil de Gaia é inconstitucional - 2ª parte

Já tinhamos abordado a questão desta taxa, no caso concreto de Lisboa, considerando-a como ilegal, não apenas pela forma como foi aplicada, mas pelo facto de querer que os munícipes paguem a sua protecção, algo inerente aos deveres do Estado e que deverá ser suportado através dos impostos.

A ideia de cobrar por serviços básicos, como a segurança ou a defesa, tal como se estes fossem opcionais e não se encontrassem entre as funções de soberania que definem um Estado, sempre nos surgiu com absurda e uma simples forma de financiamento suplementar, sendo certo de que a parte da taxa recolhida que efectivamente veio engrossar o orçamento da Protecção Civil Municipal não corresponde à totalidade das receitas assim obtidas.

Se este conceito pegasse, facilmente se podia ir alargando, com os impostos as sustentar apenas a máquina do Estado e as taxas a suportar todo e qualquer serviço, resultando numa destruição da estrutura contributiva, tal como a conhecemos, e resultando numa flagrante injustiça, não apenas pelo aumento da carga fiscal, mas também pelo consequente desequilibrio da sua distribuição, destruindo mecanismos básicos de solidariedade e subsidariedade.

Esperamos que o Tribunal Constitucional decida rapidamente quanto ao caso de Lisboa, acabando assim com esta taxa que consideramos tão absurda quanto injusta e obrigue a autarquia a devolver as quantias cobradas, repondo-se assim um conjunto de princípios que consideramos essenciais para o equilíbrio entre os impostos e taxas pagas e o retorno obtido.

terça-feira, setembro 12, 2017

O Scann3d da Smartmobilevision - 1ª parte

Com a disseminação de impressoras 3D, a digitalização de objectos tridimensionais torna-se, naturalmente, muito mais apetecível, pelo que os primeiros equipamentos dedicados já se encontram no mercado, com preços condizentes com as suas capacidades e qualidades, tal como surgem alternativas que recorrem a dispositivos existentes.

Uma das opções mais comuns é tirar partido de um dispositivo móvel, equipado com uma câmara fotográfica com boa resolução, capacidade de processamento adequada e um programa que, com base nas imagens recolhidas, e que necessariamente se terão que sobrepor, irão, após processadas, dar origem a um modelo tridimensional que pode ser guardado ou exportado num formato reconhecido pelas impressoras 3D, como o STL.

O Scann3d da Smartmobilevision é uma destas tentativas para tirar partido dos recursos dos actuais dispositivos móveis, cada vez com mais capacidades, e que, num processo um pouco moroso, dada a necessidade de fotografar um objecto entre 20 e 40 vezes, numa sequência que sobreponha as imagens, mas muito simples e quase sem intervenção técnica do utilizador, cria, depois de alguns minutos de processamento, uma renderização tridimensional.

É sempre conveniente, caso possível, isolar o fundo, como fotografando o objecto contra uma superfície lisa e contrastante, sob condições de boa luminosidade, sendo uma solução, caso haja condições, manter o telemóvel tão fixo quanto possível e rodar o objecto, podendo-se recorrer a um transferidor para tirar uma foto a cada 10 graus, obtendo assim um total de 36 fotografias, perto do máximo utilizável.

segunda-feira, setembro 11, 2017

Unidades Android para veículos - 4ª parte

Também é de notar que este tipo de unidade muito polivalente tem muitos mais ligações a nível de cablagem, pois para além da alimentação e ligação a colunas de som pode ter conexões com antenas de GPS, câmaras, écrans, dispositivos de armazenamento, "pen" de comunicações, entre outras, resultando numa instalação mais complexa e na necessidade de verificar se existe forma de passar todos os cabos de forma discreta e mantendo-os devidamente protegidos.

Tal como acontece com inúmeros equipamentos electrónicos, também neste caso os preços têm vindo a baixar substancialmente, podendo-se encontrar modelos com o conjunto de funcionalidades mencionado a serem vendidos na sua configuração base entre os 150 e os 200 Euros, incluindo portes e taxas alfandegárias, caso adquiridos fora do espaço comunitário, com o preço a subir caso se venha a comprar opcionais como uma "pen" de ligação à Internet ou um sistema de recepção de TV.

Comparado com o valor associado ao conjunto de equipamentos que este tipo de dispositivo substitui, como o auto-rádio, o sistema de navegação e o "kit" de mãos livres, para mencionar aqueles que serão mais habituais num veículo, e sem ter em conta o substancial acréscimo de funcionalidades, a opção por esta nova geração de unidades baseadas em Android parece natural e um investimento a ter em conta nos dia de hoje.

Naturalmente, pela maior complexidade destas unidades, avaliar qual o modelo mais adequado, dentro do orçamento estabelecido, será mais moroso e obriga a avaliar um maior número de parâmetros, desde as funcionalidades básicas até à conectividade, passando pela própria versão do sistema operativo, como forma de assegurar a sua adequação às funções e compatibilidade com outros equipamentos a utilizar conjuntamente.

domingo, setembro 10, 2017

Catálogo de 2017 da Sahara 4x4

A Sahara 4x4 é uma empresa espanhola especializada, um pouco como o seu nome indica, em equipamentos e acessórios para a prática de todo o terreno, sobretudo expedições mais exigentes, onde a preparação dos veículos implica um melhor planeamento e a colocação de material de qualidade.

No catálogo de 2017, que pode ser consultado "on line" ou descarregado em formato PDF para consulta local, o que consideramos bem mais prático, encontra-se um pouco de tudo o que é necessário para preparar um veículo todo o terreno, sendo bastante inspirador para quem ainda esteja em fase de planeamento e pretenda consultar o que existe no mercado.

O catálogo é extenso, incluindo equipamentos ou acessórios genéricos, que podem ser utilizados em diversos modelos de veículos, como pneus, compressores ou pranchas de desatascamento, ou específicos, como suspensões, protecções ou "snorkel", com uma boa variedade, mas onde faltam os preços de venda.

Não obstante a falta de preços, compreensível dado que estes tendem a flutuar ao longo da validade do catálogo, a sua omissão tende a penalizar o vendedor, sendo certo que muitos potenciais compradores preferem consultar empresas onde os preços estão imediatamente visíveis, facto que, só por sí, não tira valia a um catálogo onde a gama de produtos pode justificar uma consulta.

sábado, setembro 09, 2017

Unidades Android para veículos - 3ª parte

A dimensão e resolução do écran é, naturalmente, relevante, sendo sempre de encontrar o equilíbrio entre os espaço disponível e as necessidades de utilização, sendo certo que a uma maior dimensão corresponde um preço mais elevado, eventualmente uma maior vulnerabilidade, mas também a possibilidade de uma melhor visualização, para o que uma maior resolução e qualidade é relevante.

Consideramos particularmente relevante a fluidez e nitidez da imagem e, sobretudo, a visualização sob condições adversas, com muita ou pouca luminosidade, sendo que, sobretudo no primeiro caso, deve ser avaliado em que angulos de visão a imagem surge como imediatamente perceptível, algo que, em sistemas de navegação, é absolutamente essencial.

Para corresponder a estas exigências, os processadores com quatro núcleos, apoiados por 1 Gb de memória RAM e 16 de armazenamento interno, com uma ligação rápida à Internet, seja via WiFi, através de um equipamento que desempenha a função de "hotspot", seja directamente, são essenciais, pelo que se deve, igualmente, ter atenção na selecção do prestador de serviço em termos de velocidade e de cobertura.

A gerir todas estas funcionalidades está um conjunto de programas sobre uma plataforma Android, que se pretende a mais recente possível, evitando obsolescencias precoces resultantes da incompatibilidade com as aplicações mais recentes, as quais tendem a ser mais aperfeiçoadas, apresentar melhor desempenho e garantir uma maior segurança em termos de operação e estabilidade, pelo que se sugere uma versão não anterior à 6.0.

sexta-feira, setembro 08, 2017

Falar antes de pensar - 2ª parte

A ideia de que um conjunto de medidas avulsas, ou que, na melhor das hipóteses, ataquem um problema sectorial sem resolver causas estruturais profundas, demasiadamente complexas de abordar por parte de quem não pretende investir nem sequer no seu estudo, quanto mais na sua resolução, que implica um longo processo de reversão de muito do que de errado se fez e demorará décadas a ter efeitos palpáveis, prevalece ao longo das últimas décadas, independentemente dos governos e dos titulares das pastas.

O estudo que um conjunto de especialistas, que analiza o sucedido na zona de Pedrogão Grande, poderá trazer algumas ideias, mas dependendo da abrangência e da extensão das conclusões, dependerá a sua utilidade para implementar novas políticas que necessitam, para ser eficazes, de ir muito para além das causas directas da tragédia, fixando-se no enquandramente que lhes deu origem, criando as condições objectivas para o sucedido.

No entanto, um estudo, por muito válido que seja, e já os houve no passado, tem o valor resultante da sua aplicação prática, sem o que não passa de um exercício teórico com maior ou menor valia que, facilmente, poderá ser reduzido a uma mera arma de arremesso política, altura em que será virtualmente reduzido a nada, perdendo-se para sempre no caos da luta partidária.

Seja pela experiência do passado, seja pela abordagem no presente, duvidamos que exista uma vontade real de atacar o problema pela raiz, seja pelas implicações nas várias vertentes abrangidas, seja pelos vultuosos investimentos a realizar, seja mesmo porque, indo muito para além de qualquer ciclo eleitoral, os recursos disponíveis serão canalizados para projectos de curto prazo, cujos resultados sejam visíveis antes dos eleitores avaliarem uma legislatura.
Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin