domingo, dezembro 31, 2006

Feliz 2007 !


Image Hosted by Imageshack
Um Feliz 2007 para todos! PS: Adoptem-me!

No fim deste ano, desejamos a todos os nossos amigos e leitores um Feliz 2007 em que os vossos desejos se tornem realidade.

E, se não for possível obterem tudo o que desejam, que nunca falte saúde, alegria e paz para todos, sem nunca esquecer aqueles que mais precisam da nossa solidariedade.

Para os que vão enfrentar um ano de dificuldades, também queremos deixar uma palavra de esperança e de confiança no futuro e lembrar que depois da tempestade vem a bonança.

A todos, desejamos um

Feliz 2007!

6 pescadores morrem por falta de socorro


Image Hosted by ImageShack
Um Allouete sobrevoa a embarcação naufragada

Não sendo a nossa especialidade, não podemos, no entanto, de aqui mencionar o trágico naufrágio de que resultou a morte de seis pescadores e que evidencia um conjunto de carências e de falhas indisfarçáveis a nível do socorro em Portugal.

Em primeiro lugar, temos que contestar a exagerada demora na chegada de meios de socorro eficazes, nomedamente de um helicóptero de busca e salvamento baseado no Montijo.

Para além do tempo de voo, demasiado longo quando se trata de uma missão de socorro, a falta de um aparelho em estado de prevenção, pronto a descolar em poucos minutos, contribuiu grandemente para o desfecho que conhecemos.

Segundo o grau de prontidão actual, demora cerca de uma hora a colocar no ar um dos novos Merlin, que vieram substituir os velhos Puma, sendo este tempo gasto em procedimentos de abastecimentos, de verificação, de equipar a tripulação, pelo que os quarenta minutos decorridos neste caso concreto podem ser consideramos dentro dos discutíveis parametros actuais.

Se compararmos com o grau de prontidão demonstrado este Verão pelas equipas do GIPS da Guarda Nacional Republicana, que em cerca de cinco minutos estavam no ar, devidamente equipadas para atacar incêndios nascentes, podemos aferir do absurdo que representa esta demora em fazer descolar meios de salvamento aéreo.


Image Hosted by ImageShack
A "Luz do Sameiro" à mercê das vagas

Por outro lado, a concentração de meios na Base Aérea do Montijo, onde está sedeada a esquadra, pode facilitar a organização ou a logística, reduzindo custos, mas anula o propósito de manter uma unidade capaz de actuar em missões de salvamento em todo o território nacional.

Lembramos que não é apenas no caso de naufrágios que este tipo de missão de salvamento é necessária, pois caso um dos aparelhos baseados na Base Aérea de Monte Real, perto do local onde morreram os pescadores, caisse no mar, a tripulação enfrentaria uma dificuldades semelhantes.

Também não podemos deixar de lamentar a falta de sensibilidade de diversos responsáveis, para os quais a forma de socorro, por se enquadrar dentro dos parâmteros estipulados, é descrita como assumindo contornos de normalidade, aceitando de forma acrítica a possibilidade de se perderem mais vidas humanas como consequência dos procedimentos em vigor.

Finalmente, devemos insistir na responsabilização de quem, por incúria, incompetência ou incapacidade, demonstra ser incapaz de gerir um sistema de socorro integrado, sendo absolutamente essencial que haja a sanções a nível político e criminal que sempre devem resultar da perda de vidas humanas nestas circunstâncias.

O socorro em Portugal necessita, obviamente, de ser objecto de uma análise, que proponha alterações profundas, e de medidas enérgicas que as implementem, sob pena de continuarmos a assistir, impotentes, à morte de concidadãos que desaparecem diante dos nossos olhos sem que nada seja feito para os salvar.

sábado, dezembro 30, 2006

Relatório sobre o acidente do Beriev


Image Hosted by ImageShack
Painel de comandos do Beriev Be-200

Tal como mencionamos, foi atribuida a uma utilização de mapas pouco rigorosos a causa do acidente com o avião de combate a incêndios Beriev Be-200, ocorrida em Julho deste ano na Barragem da Aguieira.

O inquérito concluí que houve falhas na gestão dos recursos humanos da tripulaçãon e que, segundo o coordenador do Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves (GPIAA), coronel Anacleto Santos, a tripulação do Beriev "não tinha cartas actualizadas" e o planeamento terá sido "um pouco descurado".

No planeamento foram usados mapas do Google, obtidas a partir da Internet, para obter as distâncias disponíveis nas albufeiras, para onde foram transpostos dados calculados a partir de uma carta VFR+GPS publicada pela empresa Jeppesen.

Finalmente, foram usadas cartas do Instituto Geográfico do Exército (IGEOE), após o que se concluiu que os cálculos foram mal feitos ou efectuados sobre dados errados ou desactualizados, tendo-se verificado erros na determinação dos pontos de referência e nas distâncias.

Relembramos que no dia 6 de Julho, o Be-200 tentou reabastecer os tanques com 6.200 litros de água na Barragem da Agueira, em Santa Comba Dão, numa zona onde tal era tecnicamente impossível de efectuar.

Segundo o relatório, na trajectória planeada o Be-200 apenas estaria 2.550 metros em contacto com a água, enquanto os cálculos e dados em poder da tripulação apontavam para uma extensão de 3.800 metros.

De acordo com os cálculos dos investigadores do GPIAA, seriam necessários 2.839 metros para a manobra ser feita em segurança.

Neste cálculo falta a determinação das trajectórias em voo, ou corredores de aproximação, essenciais à concepção da manobra e vitais na altura em que, após sobrecarregado com o peso da água recolhida, o Beriev tem que ganhar altitude com rapidez.

Na verdade, o Be-200 necessita de muito menos do que esta distância, mas é necessário ter em conta a orografia específica do local, de modo a efectuar os cálculos correctos, após o que é necessário introduzir a necessária margem de segurança.

Antes do acidente, o Be-200 já conseguira recolher 4.000 litros de água, sem quaisquer problemas, mas quando foi efectuada uma tentativa de recolha de 6.200 litros, o avião embateu na copa de alguns eucaliptos devido a um "erro na determinação dos pontos de referência e na avaliação de distâncias".

Em consequência desta falha de planeamento, houve um embate na copa das árvores, tendo alguns ramos entrado para os motores, pelo que um deles teve que ser desligado.

O Be-200 conseguiu aterrar em segurança na Base Aérea de Monte Real, mas o motor esquerdo teve que ser substituido devido aos danos que sofreu no compressor e zona envolvente das turbinas.

Como mencionamos, a necessidade de reabastecer os tanques na totalidade era necessário para obter uma vantagem competitiva sobre o seu rival, o Canadair CL-415, dado que se houve limitações a valores inferiores, a maior capacidade de manobra do modelo canadiano superaria em termos operacionais o Be-200.

Por outro lado, considerar "um pouco descurado" o planeamento deste tipo de operação é algo que nos parece uma minimização absurda de um erro grosseiro cujas consequências podiam ter sido da maior gravidade.

É absolutamente inaceitável que um planeamento que decorreu nos meses antes da chegada do avião, portanto com tempo para fazer levantamentos no terreno, tenham sido realizados através dos meios anunciados, sem um sistema de validação através de uma cartografia alternativa, o que coloca em causa todo o profissionalismo da gestão da operação.

As conclusões, que acabam por ser uma sucessão de evidências, acabam por minimizar uma falta de planeamento grave, cuja responsabilidade deve ser apurada em sede própria, dado ser inaceitável permitir que a vida da tripulação e de quem esteja em terra seja colocada em risco devido a erros que não se podem aceitar a este nível.

Devemos, a bem do rigor, separar este acidente, derivado de factores humanos, da apreciação que se deve fazer da aeronave, pelo que o facto de se ter verificado este incidente apenas deve ter como consequências a revisão dos pontos de reabastecimento de água, com tudo o que tal implica em termos operacionais, mas não em termos das características técnicas do Be-200.

Esperamos que, ao contrário do que sucede habitualmente entre nós, haja consequências de uma atitude que, pelos resultados trágicos que poderiam daí resultar, bem merecem uma investigação por parte das autoridades judiciais de modo a que haja uma responsabilização efectiva de quem descurou os seus deveres.

sexta-feira, dezembro 29, 2006

VIº Curso Manutenção e Introdução ao Restauro de Clássicos


Image Hosted by ImageShack
Visite o "site" do ACP e faça-se sócio!

O Automóvel Clube de Portugal (ACP) vai realizar um "Curso de Manutenção e Introdução ao Restauro de Clássicos", com início no dia 9 de Janeiro de 2007.

Este curso dura 3 meses e realiza-se nas instalações da sede do Clube às terças e quintas-feiras entre as 18:30 e as 20:00, sendo efectuada uma "workshop" no Museu do Caramulo.

O preço deste curso é de 250 euros para os membros do ACP-Clássicos, de 300 para os sócios do ACP e de 400 para os não-sócios, sendo as inscrições limitadas.

Os temas incluem desde a escolha do clássico a reparações a nível de mecânica e de carroçaria, passando pela área de diagnósticos ou pela história do automóvel e incluem sessões práticas em oficinas especializadas.

Os contactos são os do ACP, ou através do mail acpclassicos@acp.pt e dos telefones 213180238/9 ou do fax 213542875.

Esta é uma oportunidade a não perder por parte de quem esteja a pensar recuperar um clássico ou queira, simplesmente, aprender os conceitos que presidem aos trabalhos de recuperação e de manutenção de automóveis antigos.

quinta-feira, dezembro 28, 2006

Não há controle no acesso à Internet promovido pela CML


Image Hosted by ImageShack
Esquema de uma rede sem fios

Conforme noticiamos, contactamos a Câmara Municipal de Lisboa (CML) no sentido de apurar se foram implementadas medidas que impeçam a utilização abusiva ou mesmo criminosa dos acessos públicos que esta autarquia tem disponibilizado em diversos jardins da capital.

Relembramos que consideramos esta iniciativa como extremamente positiva, mas que sem controle pode revelar-se contraproducente, facilitando um conjunto de práticas inaceitáveis, com a gravidade de acrescida de serem suportadas por um sistema público onde o anonimato das comunicações sem fios permite uma enorme liberdade de acção.

Infelizmente, o contacto que fizemos no dia 8 de Novembro foi respondido no dia 13 com a menção de que seria encaminhado para o Departamento de Modernização Administrativa e Gestão da Informação, do qual não obtivemos qualquer informação até dia 20, altura em que insistimos e informamos que, caso não houvesse resposta em 48 horas, presumiamos que não tivesse sido implementada qualquer medida de controle.

Hoje, esgotado todos os prazos e após novas insistências, lamentamos que a CML não tenha tido a vontade ou a capacidade de dar uma explicação, pelo que estamos convictos de que as imposições legais a que são obrigados os operadores que disponibilizam Internet de forma pública, não tenham sido observadas pela autarquia lisboeta.

Veículos de bombeiros de Vila Real com GPS


Image Hosted by ImageShack
Seguimento de veículo sobre mapa

Foi ontem apresentado em Vila Real um projecto-piloto que visa localizar e seguir os 136 veículos operacionais dos bombeiros do distrito via GPS.

O protocolo assinado entre o Serviço Nacional de Bombeiros e Protecção Civil (SNBPC) e a Federação dos Bombeiros do Distrito de Vila Real é válido por dois anos e contou com a presença do secretário de Estado da Administração Interna.

Este projecto, denominado "SALVO - Sistema de Apoio à Localização de Veículos Operacionais", será inicialmente destinado aos bombeiros de Vila Real, mas será após a fase inicial de teste alargado a todo o País.

O SALVO resulta de um protocolo celebrado, no início deste ano, entre a Cooperativa Agrícola de Reguengos de Monsaraz, que doou 50.000 euros para o projecto, e o SNBPC.

Segundo Ascenso Simões, no decorrer do próximo ano, este sistema será expandido, de modo a abranger todo o país, e será suportado através de candidaturas ao próximo Quadro Comunitário de Apoio.

Para o secretário de estado, este sistema "vai aumentar a segurança dos homens e dos veículos e permitir uma gestão mais eficaz dos meios envolvidos" e "permite determinar a localização exacta dos veículos no teatro de operações".

Resumidamente, em cada veículo será instalado um equipamento de localização que integra um sistema GPS (Global Position System), permitindo a sua localização através da Internet, via GPRS ou via telemóvel usando SMS.

Lembramos que aqui já apresentamos equipamentos que permitem o seguimento de veículos ou indivíduos, com características adequadas ao agora proposto, a preços individuais que variam entre os 150 e os 250 euros, sem descontos de quantidade ou encomendas directas à fábrica.


Image Hosted by ImageShack
Imagem 3D para melhor análise do terreno

Assim, fazendo o preço médio de 200 euros por unidade, os 50.000 euros doados pela Cooperativa Agrícola de Reguengos seriam suficientes para 250 equipamentos, ou seja, para todos os veículos do distrito de Vila Real e para a aquisição de infraestruturas.

Devemos, ainda, recordar, que estes sistemas de localização e seguimento, quando não via satélite, dependem em grande parte das redes de telemóveis, as quais são utilizadas para efeitos de comunicações, pelo que sem uma cobertura eficaz deixam de ser utilizáveis.

Esperamos, pois que, quer a nível orçamental, quer nos cuidados a ter na implementação deste sistema, sejam tido em conta os valores e os condicionalismos que temos vindo a mencionar, evitando assim gastos desnecessários com um sistema que, após finalizado, pode não oferecer a segurança pretendida.

Para o efeito, aconselhamos os nossos leitores a reler os textos sobre localização de veículos, sistemas de localização individuais e a sua disponibilidade, bem como relativamente às várias formas de localização e seguimento, onde esta problemática é abordada e alguns valores de equipamentos podem ser encontrados.

quarta-feira, dezembro 27, 2006

Aumento de mortos na Operação Natal


Image Hosted by ImageShack
Acidente de viação

Apesar da diminuição do número total de acidentes no período natalício, houve mais mortos do que no ano passado, do que se pode inferir que a gravidade das ocorrências foi superior.

Tal como é normal nas estatísticas rodoviárias portuguesas, nos 19 mortos contabilizados até agora não estão incluidas vítimas que faleceram após a chegada ao hospital, do que resulta uma franca sub-avaliação das consequências dos acidentes.

Esta situação pode decorrer do facto de, apesar do aumento da intensidade do tráfego rodoviário nesta altura do ano, haver menos tráfego do que no ano passado em virtude da crise económica, pelo que existe a possibilidade de circular a maiores velocidades, impossíveis com o trânsito mais compacto.

Para além da velocidade excessiva, o consumo de álcool, as manobras perigosas e a falta de utilização de dispositivos de retenção apropriados tem vindo a aumentar estas estatísticas negras de mais uma Natal.

Relativamente ao uso de cintos de segurança, não podemos deixar de reforçar a nossa posição, várias vezes expressa, de que este deve ser utilizado mesmo nas circunstâncias em que a actual legislação prevê a dispensa de uso, nomeadamente por parte de entidades policiais ou de tripulantes de veículos de emergência.

Neste caso concreto, será da maior importância que os comandantes e outros responsáveis sensibilizem os seus subordinados para a necessidade de adoptar procedimentos que reduzam os riscos de missões que sabemos ser difíceis e onde cada segundo conta.

Finalmente, reiteramos o tantas vezes repetido conselho da Brigada de Trânsito para que todos conduzam com prudência e não transformem esta época que deve ser festiva em período de luto.

Monitor de bateria


Image Hosted by ImageShack
Monitor de bateria

Para quem não dispõe de voltímetro ou amperímetro instalados no veículo, um monitor de bateria será um auxiliar a ter em conta caso surjam dúvidas quanto ao nível de carga ou ao desempenho do alternador.

As causas de descarga de uma bateria são diversas, sendo a mais comum derivada da imobilização do veículo por um período prolongado e das perdas que sempre existem, mas também podem derivar de uma falha no alternador que não a carrega o suficiente.

Embora seja possível verificar este tipo de situações com um multímetro, existem no mercado equipamentos destinados a este fim e que são de utilização particularmente fácil, mesmo para os menos experientes.

Ao contrário do multímetro, que necessita da escolha do modo de funcionamento e das escalas, de modo a obter resultados correctos, no caso deste monitor basta ligá-lo aos bornes da bateria, com o motor a funcionar, para obter a informação necessária.

Os resultados das leituras são fornecidos através de "leds" de várias cores, facilitando uma análise dos dados.

A carga da bateria, em termos de percentagem, e que poderá ser de 100%, 50% ou 25%, é assinalada por cores verde, laranja e vermelho, enquanto uma regulação alta implica o aparecimento de uma luz vermelha no topo.

De forma análoga, da análise do funcionamento do alternador podem surgir uma luz verde, se estiver normal, ou amarela, se for baixo, sendo que neste caso aconselhamos, numa primeira fase, a verificar se a correia não estará com um desgaste ou uma folga exagerada.

Sobretudo para quem não dispuser de um multímetro ou preferir um instrumento de utilização mais prática, sugerimos que examine os vários modelos que surgem nas grandes superfícies e nas lojas da especialidade, certos de que encontrarão um com as especificações pretendidas.

terça-feira, dezembro 26, 2006

Museu da miniatura automóvel vai nascer em Gouveia


Image Hosted by ImageShack
Miniatura antiga de Land Rover

Foi assinado um protocolo entre a autarquia local, Clube Escape Livre, Automóvel Club de Portugal e Fernando Taborda que constitui o primeiro passo para a criação, em Gouveia, do futuro Museu da Miniatura Automóvel.

O futuro museu ficará alojado num dos edifícios históricos anexos à Câmara Municipal, onde está localizado também o museu local de arquelogia.

A iniciativa partiu de um contacto de Fernando Taborda, que possui uma importante colecção, e que propôs ao Clube Escape Livre a criação de um espaço onde as suas miniaturas possam ser apreciadas pelo público.


Image Hosted by ImageShack
O edifício do futuro Museu da miniatura automóvel

Após contactos entre o Clube Escape Livre e a Câmara de Gouveia, esta responsabilisou-se pela cedência das instalações e do equipamento onde funcionará o Museu, tendo para o efeito indicado um edifício histórico que irá ser recuperado para o efeito.

Existem condições para que já em 2007 tenha lugar a inauguração do Museu da Miniatura Automóvel, para o qual a directora da Jaguar Land Rover Portugal, Helena Matias, já ofereceu as primeiras peças.

Este novo museu vem trazer mais um motivo de interesse a uma cidade que, pela sua riqueza natural e patrimonial, justifica ser visitada.

Versão 6.4 do CompeGPS com novos licenciamentos


Image Hosted by ImageShack
Écran de "waypoints" no CompeGPS

A nova versão 6.4 do CompeGPS, para além de introduzir um conjunto de melhorias que visam sobretudo a estabilidade do programa, prevê um novo sistema de licenciamento.

Esta última alteração, que inclui a possibilidade de versões registadas gratuitas com um conjunto de funções básicas e sem limite de tempo de utilização, prevê também o licenciamento de módulos individuais, do que resulta um produto mais barato para quem não necessitar da totalidade das funções.

Assim, é possível registar o módulo base, sem custos, e seguidamente, por exemplo, licenciar apenas o módulo de visão tridimensional, resultando num produto com menos possibilidades, mas muito mais acessível e adequado às necssidades individuais de cada utilizador.


Image Hosted by ImageShack
V-Map no CompeGPS

Também estão disponíveis mapas de diversas áreas europeias, de grande qualidade, que podem ser adquiridos separadamente e se constituem como uma alternativa às cartas topográficas militares do Instituto Geográfico do Exército.

Estes mapas, designados por "V-Maps" são da autoria da TeleAtlas e estão particularmente adaptados às novas versões do CompeGPS, resultando numa maior facilidade e rapidez de utilização.

Sendo agora possível testar e registar gratuitamente o módulo base da versão 6.4, será esta uma boa ocasião para quem ainda não conhece o CompeGPS experimentar as possibilidades deste programa.

segunda-feira, dezembro 25, 2006

Logo do Dakar 2007


Image Hosted by Imageshack
Logo do Dakar com 486x603 pixels

Para comemorar a partida do Dakar em Lisboa, disponibilizamos o logotipo deste evento, de forma a poder ser impresso em plástico autocolante amarelo ou transparente, aproveitando a cor de fundo do veículo ou para ser colada vidro.

A imagem, a preto e branco com 1 bpp, pode ser melhorada utilizando um programa de desenho e o ponto mais fraco, concretamente o símbolo de marca registada, pode ser removido de forma a melhorar o resultado final.

Tal como está, a imagem permite uma impressão num formato 20 x 15 cm com uma qualidade aceitável.


Image Hosted by Imageshack
Logo do Dakar 2007 com 400x330 pixels

Também incluimos o logo da edição de 2007 desta prova, com 400 pixels de largura, e que permite uma impressão de qualidade na mesma dimensão do anterior.

Para os mais puristas, os originais destes autocolantes vendem-se em lojas da especialidade ou no Ebay Inglês, com preços a partir das 3 a 4 libras, já com portes para Portugal incluidos.

Mais uma vez, um Feliz Natal para todos.

Postal de Natal em russo


Image Hosted by ImageShack
Postal de Natal em russo

Para os nossos amigos russos e ucranianos, que nos enviaram os votos de Festas Felizes, queremos retribuir com um postal de Natal numa língua que facilmente podem entender.

Lembramos que o Natal ortodoxo será apenas daqui a treze dias, mas para quem vive em países de tradição católica ou protestante e que se rege pelo calendário gregoriano, as celebrações acabam por se iniciar amanhã e prolongar-se por quase duas semanas.

domingo, dezembro 24, 2006

Ambulância dos Voluntários de Canas sofre despiste


Image Hosted by ImageShack
A ambulância dos Voluntários de Canas de Senhorim

Durante o dia de ontem, quando efectuava o transporte de uma paciente, uma ambulância dos Bombeiros Voluntários de Canas de Senhorim despistou-se em Casal Sancho, na EN 231, que liga Viseu a Nelas.

A ambulância, que embateu numa habitação, ficou completamente destruida e todos os ocupantes sofreram ferimentos, tendo vindo a falecer a sinistrada transportada na altura.

Entre os feridos, aquela que inspira maiores cuidados é a condutora da ambulância, Ercilia Rodrigues, bombeira há largos anos, que sofreu m traumatismo craniano e continua internada no Hospital de Viseu.

Nesta véspera de Natal, queremos enviar uma mensagem de solidariedade a todos os voluntários de Canas e os votos de rápidas melhoras aos sinistrados.

Orientação por indícios


Image Hosted by ImageShack
Musgo numa árvore: um dos indícios da Natureza

Para além da observação da posição do Sol, é possível em pleno dia obter um conjunto de indícios que permita uma forma rudimentar de orientação.

Alertamos para o facto de estes serem indícios, que, do ponto de vista probabilístico são consistentes, mas que individualmente ou por condições específicas, podem revelar-se enganadores, mas, por poderem representar a única opção de orientação, não queremos deixar de mencioná-los.

Musgo e cogumelos: Tendem a desenvolver-se mais do lado Norte, onde há mais humidade.

Casca das árvores: São normalmente mais espessas e rugosas e têm mais fendas do lado onde são atingidas por mais frio, correspondendo ao lado Norte.

Inclinação das árvores: As árvores inclinam-se na direcção do vento dominante, pelo que se soubermos de onde sopra, é possível saber qual a orientação destas

Folhas de eucalipto: As faces ficam orientadas para Este ou para Oeste, de modo a ficarem menos expostas ao sol.

Girassóis: A flor costuma estar orientada para Sul, onde recebem mais raios solares.

Tocas de animais: As entradas ficam normalmente viradas para Sul, de modo a ficarem abrigadas do vento frio que sopra do Norte.

Caracóis: Normalmente escolhem os muros e paredes voltados para Este e para Sul.

Formigas: As entradas dos formigueiros costumam estar viradas para Sul.

Também algumas construções, sobretudo antigas, obedecem a um conjunto de regras ou princípios que nos permite utilizá-las para efeitos de orientação.

Nestas construções não se incluem, logicamente, edificações que por constrangimentos urbanísticos tenham sido orientadas numa direcção inevitável, como no sentido de uma rua ou enquadrada num determinado conjunto onde a autonomia da sua construção se perca.

Igrejas: Durante séculos, as igrejas costumavam ser construídas de forma a que o Altar-Mor ficasse voltado para Este e a porta principal para Oeste.

Campanários e torres: Muitas possuem no topo um cata-vento, que pode incluir uma cruzeta com os Pontos Cardeais.

Moinhos: A portas dos moinhos portugueses ficam, geralmente, viradas para Sudoeste.

Este conjunto de indícios, se validados mutuamente, podem auxiliar na orientação, sempre com a necessária reserva que pode resultar de condições específicas, como, por exemplo, de uma orografia que mude a direcção dos ventos dominantes ou provoque alterações climáticas.

Se houver um conjunto de indícios que, de forma consistente, apontem num mesmo sentido, será, com o necessário cuidado, de considerar como fornecendo uma informação suficientemente segura para servir como base de orientação.

sábado, dezembro 23, 2006

Landmania: Oferta de ambulância


Image Hosted by ImageShack
A ambulância Land Rover Série 3 109" em restauro

A Landmania desenvolve actualmente um projecto de solidariedade que visa oferecer uma ambulância à aldeia marroquina de Mejrame.

Para o efeito, foi adquirida uma ambulância baseada num Land Rover Série 3 109" que está a ser recuperada, sendo para o efeito necessário o contributo quer a nível de material, quer de trabalho nas operações de recuperação.

O veículo, proveniente do antigo "Serviço Nacional de Ambulâncias", deverá, se tudo correr conforme o previsto, ser entregue em Marrocos em Abril de 2007.

No forum do clube, bem como nas "newsletter", está uma descrição promenorizada desta acção de solidariedade que convidamos os nossos leitores a apoiar e a divulgar.

Seguimento de posição "on-line" via GPSGate


Image Hosted by ImageShack
Seguimento via "site" do GPSGate

O GPSGate, de que já falamos por diversas vezes, permite agora fazer o seguimento de um equipamento GPS via Internet.

Para ter acesso a esta possibilidade, é necessário proceder ao registo no "site" do GPSGate e determinar quem tem acesso à informação, de modo a constituir um grupo fechado de utilizadores.

Também é necessário ter instalada a versão 2.0 ou superior do programa e o "Plug-in Pack 1.3", escolhendo a opção "GPSGate.com output" para o envio do sinal de GPS, bem como ter uma ligação permanente à Internet, que pode ser de banda larga ou simplesmente via GPRS.

Desta forma, com a periodicidade configurada ou quando houver um movimento superior a uma determinada distância, é enviada a posição do GPS, sendo visível aos utilizadores autorizados que acedam ao "site" do GPSGate.

Para quem tenha um computador portátil ou PDA com ligação à Internet, esta é uma forma prática de manter uma informação permanente da sua posição visível a um grupo restrito, podendo esta opção ser usada quer para fins recreativos, quer profissionais, mas sempre resultando num acréscimo de segurança de quem poderá ser mais facilmente localizado.

sexta-feira, dezembro 22, 2006

Feliz Natal


Image Hosted by Imageshack
O Pai Natal mudou de veículo

Desejamos um Feliz Natal a todos os nossos amigos e leitores, agradecendo o interesse com que visitaram estas páginas e esperamos continuar a contar convosco durante o ano de 2007.

Para todos, aqui fica o nosso cartão de Natal, desta vez um pouco antecipado devido ao fim de semana prolongado que se avizinha, com os mais sinceros votos de Festas Felizes.

Orientação pelo Sol


Image Hosted by ImageShack
Orientação pelo Sol com auxílio de um relógio

O recurso cada vez maior a equipamentos de geolocalização ou de navegação tem vindo a fazer cair no esquecimento alguns princípios ou técnicas simples de orientação, abrindo situações de vulnerabilidade quando os auxiliares tecnológicos falham.

Por esta razão, e como mencionamos anteriormente, vamos abordar alguns métodos de orientação fáceis de utilizar e que podem servir de recurso em caso de necessidade.

Um dos métodos de orientação mais simples e conhecidos desde a Antiguidade, é seguir o movimento do Sol durante o seu percurso, desde que nasce a Este até que se põe a Oeste.

Ao meio-dia solar, que tipicamente difere um pouco do que é indicado pelo relógio, o Sol estará posicionado a Sul, com uma sombra bastante mais reduzida do que na altura do nascimento e do ocaso.

Em teoria, caso nos encontrassemos sobre a linha do Equador, a sombra de uma haste vertical seria nula, dado que o Sol estaria exactamente na sua direcção.

Esta dimensão da sombra é importante, pois a sua dimensão mínima corresponderá ao meio-dia solar e ao Sul, sendo que a partir do momento em que comece a aumentar, o Sol já se começou a deslocar para Oeste.

Logicamente, não será só no nascer do Sol, no ocaso ou no meio-dia que o Astro-Rei nos indica os pontos cardeais, sendo possível usar deste posição em conjunto com um convencional relógio de ponteiros.

Apontando o ponteiro das horas para o Sol, a bissetriz do ângulo menor formado com o eixo do meio dia do relógio indica o Sul, com uma pequena margem de erro.

Para os que não estão recordados, a bissetriz de um angulo é uma linha imaginária que divide o angulo exactamente ao meio.

Durante a chamada "hora de Verão", a diferença entre a hora solar e a dos relógios é maior, pelo que se poderá atrasar o relógio uma hora ou fazer o desconto em termos de graus, de modo a obter resultados tão precisos quanto possível, dentro das limitações deste método.

Para quem use relógios digitais, existe sempre a possibilidade de desenhar um relógio, com o ponteiro das horas no local correcto, de modo a usar o mesmo método.

Chamamos a atenção para o facto de estarmos a mencionar princípios que se verificam no hemisfério Norte, onde desenvolvemos a nossa actividade, sendo que no hemisfério Sul, se passa o inverso.

quinta-feira, dezembro 21, 2006

Blogger ex-Beta


Image Hosted by ImageShack
Logo do Blogger ex-Beta

A versão do Blogger para a qual migramos recentemente deixou de ser "beta" e tornou-se, a partir de ontem a única disponível.

A Google, que gere a plataforma, considera que o actual estágio de desenvolvimento garantem a fiabilidade e disponibilidade desta plataforma que permite um conjunto de melhorias e uma maior rapidez.

Como mencionamos anteriormente, a pesquisa de artigos está francamente melhor, com os resultados apresentados sob a forma de textos inteiros, e possibilidade e colocar descritivos permite agrupá-los por temas de forma mais fácil.

Outras vantagens, quer em termos de privacidade, quer as novas possibilidades de composição facilitam a sua utilização mesmo por quem tenha poucos conhecimentos de informática.

Recomendamos a quem tenha "blogs" que experimente esta plataforma à qual falta, pelo menos, uma ferramenta de migração eficaz para quem pretenda migrar "blogs" de outros servidores e um sistema de "backup", capaz de fazer cópias de segurança rápidas no disco local do utilizador.

Patrocínios nos bombeiros: será aceitável?


Image Hosted by ImageShack
Apoio ao ISN pela Mitsubishi, Nestlé e Vodafone

A necessidade de financiamento, sobretudo numa altura em que se discute um novo modelo tripartido, deve fazer reflectir sobre as várias possibilidades de colaboração entre as associações de bombeiros e o tecido empresarial.

Não será a primeira vez que empresas cedem equipamentos, tendo como contrapartida um retorno publicitário, algo quem tem acontecido, inclusivé, em áreas relacionadas com o socorro, pelo que a possibilidade de estender este tipo de acordos a outras áreas ou sectores merece alguma reflexão.

Logicamente, as entidades que recorrem a este processo de financiamento são, normalmente, de direito privado, mas o facto de o próprio Instituto de Socorros a Naufragos (ISN), dependente da Armada, ter estabelecido acordos deste tipo e que envolvem empresas como a Mitsubishi Portugal, a Nestlé ou a Fundação Vodafone, demonstra que é uma opção que deve ser encarada com a necessária abertura.

Sem entrar em questões legais, que poderão ser abordadas ou discutidas sob várias perspectivas e podem fazer perder os objectivos finais, o patrocínio com recurso a suportes publicitários tem sido um meio corrente de obtenção de fundos por inúmeras entidades de utilidade pública que são, complementarmente, subsidiadas pelo Estado.

Evidentemente, será sempre de ter em conta que qualquer acordo deste tipo não poderá, de forma alguma, intreferir com a área operacional ou implicar qualquer tipo de retorno que não a nível de imagem, salvaguardando assim a independência das associações em relação a um qualquer patrocinador e garantindo que o desempenho das missões não é prejudicado.

Por outro lado, e deixamos esta questão para reflexão, a inclusão de mensagens publicitárias em viaturas ou equipamentos será ou não contestável, afectando a imagem das associações e das corporações que aceitem este tipo de apoio?

Não é nosso propósito dar uma resposta a esta questão, mas tão somente fomentar a discussão desta possibilidade que, numa altura em que é necessário redefenir estratégias de financiamento, não pode deixar de ser tida em conta.

quarta-feira, dezembro 20, 2006

The Venice Project


Image Hosted by ImageShack
"Site" do The Venice Project

Após terem vendido o Skype à empresa de leilões EBay, os responsáveis pelo programa de comunicação de voz mais utilizado da Internet desenvolveram um projecto de televisão que utiliza os mesmos princípios.

Tal como o Skype, o novo sistema de televisão funciona em modo "peer-to-peer" ou P2P, difundindo-se a partir de múltiplos nós que são os computadores pessoais com ligação de alta velocidade de quem adere ao serviço.

Este projecto, designado por "The Venice Project", encontra-se actualmente em fase de testes, sendo possível a eventuais interessados candidatar-se a participar nos ensaios que levarão ao produto final.

Igualmente interessante será, caso os detentores do projecto assim o entendam, a possibilidade de disponibilizar canais de televisão a entidades que, de outra forma, não teriam acesso a este meio de comunicação e tenham a capacidade de produzir conteúdos de qualidade.

Com o sucessivo aumento de velocidade da Internet, a possibilidade de distribuição de conteúdos de alta defenição, tal como acontecerá com a televisão do futuro, bem como a disponibilização de serviços como o "pay per view", fazem parte deste projecto que, tal como aconteceu com o Skype, pode revelar-se como revolucionário.

Apresentado o plano de emergência para a Serra da Estrela


Image Hosted by ImageShack
Land Rover Defender na Serra da Estrela

Foi apresentado em Castelo Branco o plano de emergência para a Serra da Estrela, que irá manter-se até ao próximo dia 8 de Abril de 2008 e tem como objectivo proteger pessoas e bens que se desloquem a esta área de desportos de Inverno.

O plano agora apresentado integra o Serviço Nacional de Bombeiros e Protecção Civil (SNBPC), Guarda Nacional Republicana (GNR), Polícia de Segurança Pública (PSP), Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), o Parque Natural da Serra da Estrela (PNPG), a Estradas de Portugal, Scutvias e o Centro Distrital de Operações de Socorro.

Para Rui Esteves, comandante distrital do SNBPC, "o objectivo é ter uma resposta estruturada em cada situação de emergência, para que nada fique ao acaso", estando prevista a actuação dos meios de socorro e acções de prevenção em situações de acidente rodoviário nas estradas que fazem a ligação Covilhã-Torre-Manteigas-Seia.

Este plano foi reforçado, mas continua a ser dividido entre os distritos da Guarda e de Castelo Branco, numa situação algo lamentável, mas que para os responsáveis do SNBPC não tem acarretado "problemas de coordenação" nem "afectado a operacionalidade".

Esta falta de um plano único deve-se, aparentemente, a "comportamentos que não têm sido fáceis de ultrapassar", apesar de se terem efectuado tentativas no sentido de coordenar os esforços dos dois distritos através de uma centralização operacional.

Incluidos neste plano, está o Pelotão de Montanha da GNR, constituido por equipas de cinco elementos e especializado em resgates e por efectivos de seis corporações de bombeiros provenientes do distrito da Guarda, que incluem efectivos de Manteigas, Gouveia, Seia, São Romão e Loriga, e a da Covilhã do distrito de Castelo Branco.

Este dispositivo estará particularmente alerta aos fins de semana, quando se verifica uma maior afluência de turistas, altura em que está prevista a permanência no terreno equipas com nove homens, com duas viaturas de socorro e uma todo-o-terreno.

Lembramos que na Serra da Estrela, nesta altura do ano, pelas cinco da tarde é noite cerrada, com um acentuado arrefecimento noturno, tornando-se extremamente perigosa para quem não conheça a zona em questão.

Este alerta é extensível à circulação automóvel, sobretudo em zonas onde houver formação de gelo, as quais devem ser evitadas, salvo em casos de estrita necessidade.

terça-feira, dezembro 19, 2006

E se não houvesse GPS?


Image Hosted by ImageShack
GPS Magellan RoadMate

Temos vindo a dar especial destaque aos sistemas de geolocalização, como parte essencial do nosso Projecto e como exemplo da aplicação prática das novas tecnologias.

No entanto, o recurso aos novos meios, de cada vez mais fácil acesso, não devem ser um substituto para um conjunto de conhecimentos em termos de orientação que se baseiam em métodos que tendem a não falhar quando mais deles precisamos.

A orientação pelo Sol, pelas estrelas ou por sinais naturais, bem como o recurso a cartas topográficas em conjunto com uma vulgar bússula, ainda hoje são essenciais e um factor de segurança para todos quantos são adeptos de actividades que impliquem alguma forma de orientação.

Esta necessidade de aprender e ensinar um conjunto de métodos tradicionais continua a fazer todo o sentido, como forma de complemento, mas também para que, em caso de avaria ou deficiência de um sistema mais sofisticado, haja a possibilidade de detectar o erro ou de ultrapassar a perda de um instrumento de orientação.

Por estas razões, decidimos disponibilizar um conjunto de textos, a começar brevemente, que abordam formas de orientação que, provavelmente, seriam do conhecimento da maioria dos nossos leitores se não houvesse equipamentos de GPS e que será sempre bom lembrar, sobretudo porque é nas situações mais complicadas que tudo tende a falhar.

Euro Google Maps


Image Hosted by ImageShack
A torre Eiffel no Google Maps

Como complemento de um contínuo esforço no sentido de obter mapas tão precisos e actuais quanto possível do continente europeu, a Google acaba de adquirir a Endoxon, uma empresa especializada com sede na Suiça.

Os mapas da Google actualmente disponíveis para a América do Norte demonstram uma maior precisão e actualidade do que os seus congéneres europeus, algo que é facilmente verificável por todos quantos usam o Google Earth ou o Google Maps no Interior de Portugal.

Esta situação, que se tem vindo a arrastar, limita seriamente a utilização de soluções da Google, ou de outras baseadas nestas, quando nos afastamos dos grandes centros urbanos, pelo que nessas alturas não resta outra opção que a de utilizar os mapas do Instituto Geográfico do Exército.

Lembramos que por diversas vezes tentamos usar os mapas da Google "on-line", em conjunto com uma ligação 3G de alta velocidade e um programa que dá suporte de GPS, mas que a falta de detalhes nas áreas em que circulavamos gorou o esforço.

Com a aquisição da Endoxon, a Google pretende que a cobertura da Europa progrida e alcance o mesmo patamar de qualidade actualmente existente para o mercado Norte Americano, abrindo assim caminho a soluções interactivas de de alta precisão de que o mercado europeu ainda carece.

segunda-feira, dezembro 18, 2006

Conversor de corrente Unitek Xi-DA15


Image Hosted by ImageShack
Conversor de corrente Unitek Xi-DA15

Muitas das soluções de navegação que temos sugerido, e algumas da autoria de leitores, implicam o recurso a sistemas de conversão de corrente que permitam utilizar equipamentos alimentados por 220 volts em veículos com baterias de 12V.

Para tal, é necessário o recurso a um conversor DC/AC que forneça a voltagem correcta e disponha de uma ficha de ligação apropriada que permita ligar equipamentos como computadores portáteis, PDA's, ou outros

O Unitek Xi-DA15 é um conversor de pequenas dimensões, com apenas 127.3 x 71.8 x 50 mm, devidamente protegido contra contra picos e sobretensão provocados pelo arranque do carro e que se liga a uma tomada de isqueiro convencional.

Este modelo tem um LED indicador de energia e um sistema de Auto-Off para prevenir avarias ou desgate da bateria do carro, bem como uma ligação de corrente USB 5V

Com um prazo de garantia de 24 meses e um preço de 89,99 euros na Vobis, o Unitek Xi-DA15 apresenta a vantagem das pequenas dimensões quando comparado com a grande maioria dos modelos, que obrigam a uma instalação ou a uma selecção de um local de armazenamento mais cuidado, pelo que esta é uma sugestão que deixamos aqui aos nossos leitores.

Bolsa de Voluntariado "on-line"


Image Hosted by ImageShack
Bolsa do Voluntariado "on-line"

O número de portugueses que desenvolve algum tipo de actividade como voluntário, independentemente do sector onde actua, tem vindo a crescer nos últimos anos.

Com um número crescente de instituições que carecem do trabalho de voluntários e a dificuldade em fazer corresponder à vocação e capacidades de cada um, uma missão que potencie ao máximo o seu esforço, surgiu uma Bolsa do Voluntariado "on-line".

Até hoje, um dos maiores problemas do voluntariado foi o de coordenar as instituições que deles precisam com quem está disposto a oferecer o seu trabalho ou outros recursos de que disponha, sendo que muitas das competências se perdem por falta de uma função adequada, do que resulta uma desmotivação e, em muitos casos, o abandono da missão de voluntariado.

O objectivo deste "site" é o de constituir bases de dados de instituições, com as carências em termos de pessoas e recursos, e de voluntários, com a sua caracterização em termos de disponibilidade geográfica e temporal, bem como da sua vocação e das competências que possui, de modo a que haja a melhor combinação entre todos.

Lembramos que já mencionamos outras bolsas de voluntariado, nomeadamente a da Lousã, e que a questão do trabalho voluntário tem sido abordada por diversas vezes, quer na sua vertente legal, quer nos benefícios que revertem para quem se sacrifica pelos menos favorecidos.

Esta também poderá ser uma opção para associações de bombeiros que necessitem de colaboração em áreas específicas ou especializadas onde não disponham de recursos próprios, e que assim podem obter com maior facilidade a colaboração da comunidade onde se inserem.

Esta sugestão destina-se quer a potenciais voluntários, que nunca encontraram uma instituição com quem colaborar, mas também às instituições que estão menos habituadas a recorrer a bolsas de voluntariado e que agora podem encontrar uma nova fonte de recursos.

domingo, dezembro 17, 2006

Opiniões sobre o desempenho do Beriev


Image Hosted by ImageShack
Protótipo do Beriev Be-200 em testes de voo

Enquanto se espera pelo relatório final e pela decisão do Ministério da Administração Interna (MAI), alguns dos intervenientes nas operações deste Verão já deram a sua opinião pessoal acerca do Beriev Be-200 que actuou em testes durante dois meses.

Para o presidente Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP), Duarte Caldeira, "os aviões Beriev são uma mais-valia numas situações, mas não noutras devido ao seu porte, já que são demasiado grandes para a maioria das bacias hidrográficas existentes no nosso país".

Também Fernando Curto, presidente da Associação Nacional dos Bombeiros Profissionais (ANBP), não ficou favoravelmente impressionado com o desempenho do Beriev porque estes "têm pouca mobilidade e demoram muito tempo a levantar voo".

No entanto, o presidente da ANBP considera que houve uma melhoria global no que diz respeito aos meios aéreos destinados ao combate a incêndios.

Recordamos que o hidroavião russo Be-200 tem uma capacidade para até 12.000 litros de água, dependendo da carga de combustível, algo que o coloca num patamar acima dos concorrentes da Canadair, mas tem poucos pontos de água, pois dos 13 identificados nem todos permitem que a aeronave esteja durante 14 segundos em contacto com a água, como ficou demonstrado pelo incidente na barragem da Aguieira.

Quando comparado com os Canadair CL-415, o Be-200 apresenta-se como um peso pesado, pouco manobrável, com uma manutenção e consumos dispendiosos, mas com uma velocidade e autonomia superior, algo que deriva do facto de ter sido concebido para operar num país com as dimensões da Rússia.

O processo de aquisição tem fugido às páginas dos jornais, lembrando o comentário do Ministro da Administração Interna que pretendia que as negociações decorressem com a necessária reserva que, infelizmente, parece transformar-se em secretismo.

É, efectivamente, de lamentar que o relatório final continue por divulgar enquanto, provavelmente, decorrem negociações de aquisição, para o que a avaliação e o escrutínio público é da maior importância como garante da transparência do processo.

sábado, dezembro 16, 2006

Os temas em falta


Image Hosted by ImageShack
Land Rover S3 num lamaçal

Nesta época de chuva, em que não se verifica a ocorrência de qualquer incêndio florestal, enquanto esperamos pelos primeiros relatórios referentes ao período do Verão, aproveitamos para nos debruçar sobre alguns temas que foram sendo preteridos em favor de acontecimentos mais urgentes.

Entre estes, estão alguns textos sobre programas de orientação com suporte para GPS gratuitos, alguns dos quais já foram publicados, mas também referentes a outros dos temas que aqui costumamos abordar e ficaram algo esquecidos.

Os artigos relativamente a Land Rover's, incluindo uma nova série sobre publicidade, também serão retomados em breve, bem como algumas notas referentes a diversos equipamentos de orientação ou oportunidades de aquisição que surgem no EBay.

Também aproveitaremos esta época para lembrar alguns dos casos ou situações que se viveram este Verão, relacionados com os fogos florestais, e que nunca foram devidamente esclarecidos pelas entidades competentes.

Episódios como o acidente com o Beriev Be-200, as trágicas mortes de bombeiros, as alterações legislativas, entre tantos outros, voltarão, certamente a ser abordadas, como forma de manter viva a recordação de um Verão que parece ter sido esquecido nas declarações triunfalistas de diversos responsáveis políticos, para quem o sucesso ou fracasso depende apenas do número de hectares queimados.

Também agradecemos sugestões, de modo a irmos ao encontro dos interesses dos nossos leitores, bem como críticas, que necessitamos para corrigir erros ou aperfeiçoar a abordagem que temos feito dos assuntos sobre os quais reflectimos.

Esta última quinzena do ano, que inclui o Natal e vai até à passagem de ano, será, pois de reflexão, no sentido de examinar o tabalho realizado e introduzir eventuais alterações que se verifiquem ser necessárias para um 2007 que se aproxima.

sexta-feira, dezembro 15, 2006

Gmail Fetch


Image Hosted by ImageShack
Gmail Notifier num Mac OS X

Recentemente começou a surgir nalgumas contas de Gmail a possibilidade, ainda experimental, de concentrar numa única caixa de correio as mensagens de até 5 contas distintas.

Desta forma, é possível unir num único espaço as várias contas de correio, de modo a que as inovadoras características deste produto da Google sejam aplicadas a todas as mensagens recebidas.

Na configuração é ainda possível defenir, por exemplo, se queremos ou não deixar uma cópia no servidor, se o endereço será personalizado para cada contar ou se estamos a usar uma conexão segura.

No nosso caso, experimentamos, com sucesso, integrar uma conta da Netcabo, na qual está defenido que apenas as mensagens de uma lista de utilizadores validados serão entregues na nossa caixa de chegada, sendo as restantes consideradas como indesejadas pelo que não são descarregadas para o computador.

Falta, agora, verificar se o sistema de notificação do Gmail funciona com este sistema, de modo a poder alertar sempre que uma mensagem das várias contas configuradas seja entregue.

Sugerimos, a quem tenha esta oportunidade, recorrer a esta possibilidade, de modo a beneficiar das várias vantagens que esta confere.

Quando uma mão lava a outra...


Image Hosted by ImageShack
Quando uma mão lava a outra...ambas ficam sujas

O resultado final é, inevitavelmente e independentemente do cuidado, ficarem as duas sujas.

Nas últimas semanas temos vindo a assistir a uma profusão legislativa, ao eventual reforço dos poderes de comissões ou entidades dependentes de uma maioria parlamentar conjuntural, que hoje pertence a um partido político mas que, podendo amanhã pertencer a outro, terá uma orientação e perspectiva semelhante.

A actuação de entidades, seja a nível de comissões de inquérito, avaliação, seguimento, ou de entidades reguladoras dos mais diversos sectores, com uma composição decidida com base numa relação de forças parlamentar, tem-se vindo a pautar pela ineficácia, fruto da inevitável necessidade de justificar as decisões de quem, numa primeira instância, procedeu às nomeações dos seus titulares.

Deste modo, a inutilidade prática dá lugar a uma tentativa de branqueamento da realidade, com inegáveis custos económicos e políticos, arrasando a escassa confiança que os cidadãos depositam em muitos dos detentores de cargos públicos e nos próprios orgãos de soberania.

O controle de um dado orgão ou entidade, terá, forçosamente, de ser efectuado por quem dela não dependa funcional ou organicamente, sendo absolutamente imperioso que sobre esta não recaia qualquer tipo de suspeição, sob pena de produzir resultados constestáveis e, em última instância, rejeitados por uma opinião pública particularmente descrente.

quinta-feira, dezembro 14, 2006

FON - Comunidade Wireless


Image Hosted by ImageShack
Router La Fonera

A FON é a comunidade WiFi de maiores dimensões no Mundo e inclui parceiros com o Google ou a Skype, promovendo a utilização de tecnologias de comunicação sem fios.

O princípio desta comunidade é simples e baseia-se na partilha de recursos, nomeadamente na disponibilização pública do acesso de cada membro, de modo a que quem estiver ao alcance da antena do "router", possa usá-lo para aceder à Internet.

Desta forma, cada um dos muitos milhares de membros da comunidade tem outros tantos pontos de acesso, a partir dos quais pode navegar à vontade, sem custos adicionais.

No mapa disponibilizado, pode-se verificar que mesmo em Portugal, no exemplo a cidade de Lisboa, já possui um razoável número de acessos, que tem vindo a crescer rapidamente.

Quem não pertencer a esta comunidade e pretender usar os serviços de acesso que esta presta, paga o equivalente a 3 dólares diários, sendo esta verba utilizada para subsidiar os "routers" e a infraestrutura necessária à operação e divulgação do projecto.

O "router social", vendido por uma trintena de euros mais taxas, é o mais barato do mercado em versão "wireless", sendo este valor obtido através das receitas geradas pela própria comunidade.

Obviamente, para além de disponibilizar um acesso público, o "router" tem um canal privado que se destina a manter comunicações seguras dentro da residência do proprietário, criando assim duas redes virtuais que apenas partilham o acesso à Internet, mas que, no restante, são independentes.

Apesar de ainda ser pouco conhecido entre nós, a FON aponta um caminho interessante, onde a partilha de recursos tem um papel fundamental na disponibilização de um acesso à Internet de baixo custo e tão abrangente quanto possível.

Sistema de navegação no Lidl


Image Hosted by ImageShack
Sistema de navegação no Lidl

Com o Natal a aproximar-se, as sugestões de presentes úteis e um pouco mais dispendiosos começam a ser cada vez mais frequentes junto dos espaços comerciais.

Entre as várias sugestões, o sistema de navegação que vai estar disponível no Lidl a partir desta 5ª feira, dia 14 de Dezembro, não deixa de ser interessante para quem pretenda um GPS portátil destinado sobretudo a usar em estrada com o bónus de um leitor de MP3.

Este sistema pretende apresentar uma solução completa para navegação, planeamento de itinerários e complementar o auto-rádio de origem com a capacidade de leitura de ficheiros áudio em formato MP3.

Em termos práticos, trata-se de um PDA com um processador Intel 300 MHz, 32 MB ROM + 64 MB RAM, e um display TFT 320x240 pixel com 65.536 cores, a correr um sistema operativo Windows CE .NET 4.2, a que foi adicionado um receptor GPS de 20 canais com uma antena GPS Sirt Star III, a mais recente e precisa actualmente disponível.

A este conjunto de características adiciona-se o leitor de MP3, o cabo de carregamento para carro e casa e um leitor para cartões SD com capacidade até 2 Gb, bem como um suporte para carro.

As actualizações de "software" e dados podem ser efectuadas "online" a partir de www.myguide-navigator.de.

Relativamente às funções de GPS, estas incluem um sistema de controle fácil com ecrã táctil e indicações de condução sonoras em 24 línguas.

Este equipamento permite visualização dinâmica de mapas e muda automaticamente de 3D para 2D quando o local da manobra seguinte se aproxima.

Inclui um cartão SD de 256 Mb já com os mapas de Portugal e Espanha pré-instalados e um DVD com os mapas dos países da Europa Ocidental, que poderão ser actualizados via Internet.

Este equipamento custa 249 euros e tem 3 anos de garantia, estando disponível nos distritos de Castelo Branco, Coimbra, Guarda, Viseu, com excepção do concelho de São Pedro do Sul, Leiria, Santarém, Beja, Évora, Faro, Portalegre, Setúbal.

Relembramos que já disponibilizamos um conjunto de pistas para escolher o GPS mais adequado ao tipo de utilização, pelo que poderá ser uma boa altura para reler os textos publicados antes de tomar uma opção.

quarta-feira, dezembro 13, 2006

100.000.000 de euros para Zonas de Intervenção Florestais


Image Hosted by ImageShack
Sobreiros: uma das riquezas da floresta

Foi, finalmente, inaugurada a primeira Zonas de Intervenção Florestal (ZIF), tendo a cerimónia decorrido em Oliveira do Hospital no passado fim de semana.

Tendo em conta os projectos apresentados, será de prever que entre 30 a 40 ZIF sejam homologadas durante 2007 e que até ao fim do corrente ano a do Cadaval seja também inaugurada.

Os processos têm-se arrastado, com um período de constituição superior a um ano, muitas vezes resultantes do elevado número de proprietários e da dificuldade em identificá-los, mas também em resultado de um conjunto de procedimentos que tem, forçosamente, que ser agilizado.

Também alguma falta de esclarecimento dos proprietários a a falta de espírito associativo, ligado a uma estrutura fundiária desadequada e complexa, tem sido factor de demora e de falta de adesão que só uma alteração das mentalidades tem vindo, lentamente, a vencer.

Foi previsto um financiamento de 100.000.000 de euros para estas associações de produtores e proprietários florestais, sendo consideradas prioritárias na atribuição de fundos para a floresta do próximo quadro comunitário de apoio.

Para além de uma necessária alteração das mentalidades, que reforce o espírito associativo, é necessário agilizar os procedimentos, nomeadamente em áreas onde o registo das propriedades está desactualizado, de forma a permitir a sua inclusão em zonas ordenadas.

Com isto, não estamos a advogar qualquer forma de apropriação da terra por parte de associações ou do próprio Estado, mas tão somente a lembrar que existe uma função e uma responsabilidade social que deriva da posse de terrenos.

Mas também o Estado necessita de assumir as suas responsabilidades, quer em termos legislativos, que na acção directa, nomeadamente na defesa da floresta contra incêndios, sem o que as verbas comunitárias disponibilizadas de pouco servirão em caso de se manter a actual vulnerabilidade que permite a devastação das áreas florestais em caso de fogo.

As ZIF, ou uma outra estrutura associativa, são essenciais para um ordenamento que garanta a viabilidade económica e a sustentabilidade da floresta portuguesa, mas serão necessários passos complementares na área da prevenção de incêndios de modo a que o investimento previsto venha a dar frutos ao invês de ser consumido pelas chamas.

Publicidade Land Rover Séries I e II - 20


Image Hosted by ImageShack
No link: imagem com 900 pixels de largura

Sob o lema "o Land Rover transforma em leve o trabalho pesado", é dado destaque à capacidade de carga das novas versões de 86" e 107", com uma impressão artística onde um modelo curto é pesadamente carregado numa exploração agrícola.

Apesar de muitos proprietários exagerarem no peso transportado, mesmo para além dos limites aconselhados pela marca e pelo próprio bom senso, a Land Rover também não se coibia de apresentar imagens que, traduzidas para a realidade, violavam completamente os valores constantes das suas próprias publicações.

É igualmente de notar a versão de 107", com o "truck cab" instalado, na combinação que era então a mais popular da versão comprida, a qual só mais tarde viria a receber um "hard top" que lhe permitira o transporte de um significativo número de passageiros.

Com esta imagem, concluimos a segunda série deste tema, prometendo, desde já, que em breve será retomado com mais um conjunto de 10 novas imagens.

terça-feira, dezembro 12, 2006

Só 56% dos planos municipais contra incêndios foram entregues


Image Hosted by ImageShack
Floresta portuguesa

Os municípios têm até ao final do ano para entregar os planos de prevenção de incêndios florestais, sem o que incorrem em coimas que poderão atingir os 80.000 euros e a perda do acesso aos fundos de apoio à floresta.

A três semanas do termo do prazo, que inclui um alargamento decidido pelo Ministério da Agricultura (MADRP), apenas 56% das câmaras municipais fez entrega dos respectivos planos, sendo de prever que um significativo número de autarquias não o venha a fazer atempadamente.

Ainda segundo o MADRP, estes planos abarcam cerca de 60% da floresta portuguesa, ficando por defenir a forma como os restantes 40% será protegida.

Tal deve-se, em parte, ao facto de só a 22 de Setembro, as autarquias terem recebido as instruções sobre o modo de fazer os documentos exigidos pelo Governo.

Assim, e até ser publicado o "Guia Metodológico para a Elaboração do Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios", os gabinetes técnicos das autarquias apenas disponham do enquadramento geral constante da lei publicada em Maio, manifestamente insuficiente para a elaboração dos planos.

Estes planos municipais contra incêndios são constituídos por dois documentos, sendo o primeiro de informação de base e outro de acção, de que constam informações que incluem desde a localização de pontos de água a caminhos, passando pela calendarização para a limpeza das zonas florestais.

A possibilidade de as autarquias virem a ser penalizadas se não apresentarem os planos mereceu já a contestação do presidente da Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP), que declarou à Rádio Renascença, que "a Administração Central não tem muita autoridade moral para este tipo de ameaças porque há muitos protocolos firmados com os municípios que o Estado, invocando a falta de dinheiro, não cumpre".

Para além da falta de cumprimento por parte do Estado, a própria metodologia surge como desajustada, recorrendo a um conjunto de métodos ultrapassados e que dificultam a consolidação dos dados.

O facto de serem entregues documentos em papel em vez de os dados serem assinalados num sistema informático, a partir do qual fosse possível obter informações tão simples e necessárias como o ponto de água mais próximo de uma dada ocorrência com uma determinada capacidade, acaba por condicionar a utilização da informação, sobretudo em alturas de maior aperto.

Numa altura em que a gestão da informação e a sua disponibilização junto de quem coordena as operações é fundamental, os procedimentos agora implementados surgem como arcaicos e desfasados da realidade, com a agravante de serem de difícil actualização, tornando-os virtualemente inúteis num curto espaço de tempo.

Sem um sistema "on-line", interactivo, permanentemente actualizado, a imposição da recolha e envio destes dados pode dar origem a autênticas armadilhas, cujos resultados imprevisíveis tendem a ser da maior gravidade.

Publicidade Land Rover Séries I e II - 19


Image Hosted by ImageShack
No link: imagem com 900 pixels de largura

Nesta publicidade, o destaque vai para a linha de escape da marca "Burgess", um equipamento standard nos Série I 86", mas que para o fabricante serve para divulgar a sua própria marca.

Com o aumento de vendas e de prestígio da Land Rover, os fornecedores de diversos tipos de peças ou equipamentos, que podiam incluir sistemas de escape, como neste caso, mas também velas, carburadores e uma infinidade de acessórios, começaram a usar a ligação à marca para aumentar as suas próprias vendas, do que resultou um grande número de imagens publicitárias particularmente variadas.

No segundo conjunto, um concessionário de nome Henlys apresenta não apenas o 86", mas também o novo 107", a primeira das versões longas do Land Rover.

Se a imagem do modelo curto é já conhecida e algo repetida, o modelo longo começa agora a dar os primeiros passos e, não obstante ser uma novidade, é visto como um complemento e algo secundarizado face ao seu irmão mais velho, situação que ainda iria perdurar algum tempo.

Este é um exemplo de composição feita a partir dos cartazes base que temos vindo a apresentar, onde o factor de diferenciação é pouco mais do que os dados do concessionário, sendo que no resto a imaginação da marca ainda não tinha alcançado o grau de profissionalismo contemporâneo dos Série II.

segunda-feira, dezembro 11, 2006

Legislar é fácil


Image Hosted by ImageShack
No link: imagem com 600 pixels de largura

Os recentes diplomas que visam alterar o estatuto e o funcionamento das associações humanitárias, fortemente contestados pelos bombeiros, são um exemplo da febre legislativa típica dos governos portugueses, que avaliam a sua capacidade de trabalho por parâmetros meramente quantitativos que podem ir desde o número de quilómetros de auto estradas à legislação emitida.

Esta estranha forma de avaliação, que todos tentam expor da forma mais favorável, é, de certo modo validado por diferentes orgãos ou entidades, que elaboram, por exemplo, tabelas de classificação com os grupos parlamentares que mais propostas entregam, independentemente da sua qualidade ou sequer da própria razoabilidade do diploma.

De forma análoga, uma necessidade congénita de deixar uma marca, leva a que as leis se sucedam, muitas vezes sem diálogo com as entidades ou classes abrangidas, com pouca valia técnica e, tantas vezes, completamente inaplicáveis tendo em conta a realidade nacional.

Mais grave ainda, raras são as vezes em que a regulamentação da lei, trabalho técnico que obriga a um elevado grau de especialização, é disponibilizada em tempo útil, do que resulta um exercício legislativo tão inútil como dispendioso.

Surge, igualmente, a questão da adequação da legislação à realidade, facto que, no caso dos recentes diplomas que abrangem a organização e gestão das associações de bombeiros é particularmente evidente.

Sem entrar na questão da discutível constitucionalidade de alguns preceitos que colidem com a autonomía das autarquias e de associações de direito privado, as imposições dos novos diplomas entam no campo do irrealismo, assumindo que existem meios e ferramentas de gestão disponíveis que permitam a todos os visados cumprir escrupulosamente as novas imposições.

Como habitualmente, a acompanhar a legislação, não foram incluidas nem ferramentas de gestão, nem sistemas de apoio à decisão e, menos ainda, verbas que permitam a contratação de pessoal especializado e a aquisição dos meios indispensáveis ao cumprimento integral da lei, sem o que assistiremos a uma sucessão de problemas facilmente detectados pelo Tribunal de Contas.

Temos, assim, um conjunto de documentos de aplicabilidade duvidosa, cujo efeito primário é gerar a revolta mas que, após uma eventual entrada em vigor, poderão facilmente ser utilizados de forma descricionária, destituindo os corpos sociais das associações que, por qualquer razão, forem denunciadas como incumpridoras de normas que, quase certamente, não têm capacidade para fazer cumprir.

Desta forma, mais do que reorganizar o sector, estamos perante uma ingerência feita através de um conjunto de efeitos secundários que, afinal, são o que de mais relevante se pode extrair de um articulado cujos resultados diferem em muito dos objectivos anunciados.

Publicidade Land Rover Séries I e II - 18


Image Hosted by ImageShack
No link: imagem com 900 pixels de largura

A primeira imagem, uma das primeiras com fotografia original e não com uma impressão artística, apresenta o Série I como um exemplo de versatilidade, nomeadamente no mundo rural.

Este é, ainda, o modelo de 80", no final da sua produção, pelo que as alusões ao aumento da capacidade ou das prestações ainda não surgiram, mantendo-se apenas as características base desta versão.

Na segunda imagem, a expressão "No road except for Land Rover", que se viria a popularizar, acaba por ser a nota dominante numa composição onde uma extensa descrição das inovações da versão de 86" reforçam a polivalência do Série I.

A capacidade de poder ir aonde mais nenhum veículo pode, com recurso às 4 rodas motrizes é a mensagem essencial, numa composição onde a impressão artística acaba por ser repetida de outras composições.

Como mencionamos anteriormente, a Land Rover concebeu uma série de desenhos e logotipos que podiam ser adaptados ou utilizados com diferentes textos ou composições gráficas, de modo a obter uma grande variedade de suportes publicitários partindo sempre de um reduzido conjunto de imagens.

Houve algum atraso na retoma desta sequência devido a problemas relacionados com algumas avarias de material informático, que ainda não foi substituido, razão pela qual o trabalho de imagens se apresenta como bastante mais demorado, mas os restantes artigos desta série já estão praticamente finalizados, pelo que não é de prever nova interrupção.

domingo, dezembro 10, 2006

Marcadores ou palavras-chave


Image Hosted by ImageShack
Écran de configuração do Blogger Beta

Foi a dificuldade de pesquisa de artigos o motivo essencial da opção de migração da anterior versão do Blogger para a Beta, onde estão disponíveis em cada texto um conjunto de palavras-chave referentes ao tema principal que neles é abordado.

Cada uma destas palavras ou marcadores, permite aceder a todos os textos onde o mesmo termo chave foi utilizado, sendo que, por exemplo, se este for "GPS", todos os artigos do "blog" onde existir a mesma expressão serão listados.

Logicamente, será necessário ir acrescentando aos textos mais antigos as palavras-chave que mais se adequem ao conteúdo, algo que, tendo em conta o seu elevado número, vai demorar algum tempo a estar concluido.

Sem ser ainda uma forma de pesquisa particularmente eficaz, vem minorar um dos principais problemas do Blogger, nomeadamente a dificuldade em identificar textos sobre um determinado tema, evitando assim o que em termos práticos se traduzia numa perda ou inacessibilidade da informação.

Sugerimos, pois, a quem pretenda consultar informação sobre um dado tema, que experimente esta nova potencialidade recorrendo ao conjunto de marcadores na parte inferior de cada texto.

Limitações da legislação proposta


Image Hosted by ImageShack
Novo quartel da Póvoa de Santa Iria

Para além de um conjunto de disposições que consideramos de legalidade duvidosa, como a possibilidade de requisitar meios adquiridos a expensas das associações de voluntários, as propostas do Governo incluem um conjunto de regras quantitativas para associativismo que limitam este direito.

Assim, são consagrados limites mínimos de número de associados para que as associações profissionais sejam consideradas de âmbito nacional, estatuto esse que lhes garante o direito de audição na definição de políticas do sector e a participação no Conselho Nacional de Bombeiros.

Os limites mínimos foram fixados, no caso dos profissionais, em 2.500 efectivos e, para as associações de voluntários, nos 7.500, o que exlui quer a Associação Nacional de Bombeiros Profissionais (ANBP), quer a Associação Portuguesa de Bombeiros Voluntários (ABPV), dando a exclusividade da representação à Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP).

Mesmo aceitando que existe a necessidade de impor critérios de representatividade, os números mínimos divulgados parecem consubstanciar a intenção de estabelecer um interlocutor único como representante dos bombeiros portugueses, facto que é lamentável se atentarmos ao facto de as várias entidades que representam a classe terem objectivos diferentes.

Se a LBP representa, essencialmente, associações, a ANBP e APBV têm como objectivo representar e defender os bombeiros a nível individual, pelo que as suas opiniões, reivindicações e a contribuição que poderão dar nesta discussão terá uma orientação diferente e complementar em relação à Liga.

Surgem também limites no número de mandatos, com um limite de três anos para órgãos sociais, após o que não poderá ser eleito, sendo também excluido e impedido de exercer cargos quem tenha sido considerado responsável por irregularidades no exercício de funções.

Também são proibidas contratações de quem "directa ou indirectamente com os titulares dos órgãos sociais, seus parentes e afins ou sociedades em que qualquer destes tenha interesses" e os titulares dos órgãos sociais não podem exercer funções no corpo de bombeiros.

Se nos casos em que o objectivo é a transparência, tal parece ser uma opção sensata, é de lembrar que podem surgir situações, nomeadamente em meios pequenos, onde a aplicabilidade seja difícil ou mesmo impossível.

A capacidade mobilizadora das associações depende, em larga medida, da dos seus quadros dirigentes, sendo óbvio que em localidades de menos dimensão o número de elementos disponíveis e com os atributos necessários a uma boa gestão podem não ser os suficientes para permitir esta rotação que, curiosamente, não é imposta a tantos cargos políticos onde os titulares permanecem quase indefenidamente.

As alterações propostas, infelizmente, apontam quase todas no maior controle por parte do Estado e, se em certas situações ou áreas de actividade tal é necessário e benvindo, na sua maioria tem inconvenientes que podem facilmente paralisar as associações, desmotivar os seus membros e, em última instância, dificultar o socorro das populações.

Houve, manifestamente, falta de diálogo, de sensibilidade e, sobretudo, de uma adequação correcta das propostas à realidade, fruto da tentativa de imposição de um conjunto de medidas que não foram discutidas na altura certa com os parceiros, do que resulta a actual contestação e, eventualmente a impossibilidade da sua aplicação.

Na actual situação, a suspensão dos diplomas propostos pelo Governo e um debate alargado às associações representativas, e não apenas à LBP, é uma imposição óbvia e a única via para obter um consenso alargado que viabilize a necessária reforma de um sector onde a colaboração e a participação de todos é essencial.

sábado, dezembro 09, 2006

Alterações no Blogger


Image Hosted by ImageShack
Écran de configuração do Blogger Beta

A plataforma do Blogger, local onde está alojado este espaço, tem vindo a preparar-se para migrar os "blogs" para uma nova versão.

Periodicamente, tem sido oferecida aos "blogs" a possibilidade de mudarem para a versão "Beta", que corresponde à próxima evolução desta plataforma de modo a que possam usufruir de algumas possibilidades adicionais, bem como de uma maior estabilidade.

Sendo um processo automático, a migração implica a revisão de alguns detalhes a cargo de quem administra o "blog", mas também de ajustes por parte de quem gere a plataforma, de modo a corrigir pequenos erros que se verificam.

No nosso caso, os erros mais evidentes são na barra superior, onde o nome do "blog" surge parcialmente encoberto, algo que deve ser corrigido proximamente, e de alguns caracteres acentuados que, provavelmente, teremos de substituir pelos seus equivalentes sem acento.

Como vantagens, para além de uma prometida maior estabilidade, que deverá evitar os problemas que surgiram há algumas semanas e motivaram a indisponibilidade deste espaço, a possibilidade de incluir "labels", ou palavras-chave para pesquisa, deverá tornar mais fácil o acesso aos artigos sobre os vários temas.

Esta é, de resto, a nossa intenção quando optamos pela migração, dado estarmos cientes da dificuldade de muitos dos nossos leitores em encontrar textos que publicamos que nós próprios demoramos a localizar.

Esperamos que esta transição venha, efectivamente, a corrigir alguns erros, sem esquecer que o objectivo principal é o de migrar toda a informação contida em mais de 1.000 textos para um sistema diferente, onde possamos proceder a uma catalogação por temas ou assuntos, de modo a estruturar toda a informação publicada.
Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin