quinta-feira, fevereiro 09, 2017

Dois anos de teste de luvas tácticas - 2ª parte

A textura, sobretudo nas palmas, é anti-derrapante, oferece uma boa aderência e evita que objectos escorreguem, estando presente na zona das falanges, mas terminando aí, algo que, podendo beneficiar o conforto e alguma polivalênica, por exemplo, permitindo a escrita, talvez não seja a melhor opção.

É de notar que estas luvas não são impermeáveis, deixando a água infiltrar-se, do que resulta ficarem molhadas, e algo incómodas passado algum tempo à chuva e mesmo após esta ter passado, sendo manifesto que demoram algumas horas a secar e readquirir o conforto habitual, mas sem que deste processo resulte algum tipo de dano, mesmo para as fivelas em metal, que são imunes à água e à humidade.

Também é certo que protegem pouco do frio, mesmo que bem ajustadas, tornando-se claro que foram pensadas apenas como protecção contra impactos e não como agasalho, pelo que a sua utilização no Inverno se revelou desconfortável, devendo ser utilizadas apenas num conjunto de situações muito específicas e de forma temporária, sendo substituídas logo que possível.

Disponíveis em vários tamanhos e cores e com algumas pequenas variações, a que nem sempre correspondem diferenças de preço apreciáveis, este tipo de luvas será uma opção a ter em conta para quem goste de actividades ao ar livre ou mesmo como substituto de alguns modelos de luvas de trabalho, por vezes adquiridas por preços superiores, sem que a tal corresponda uma melhor qualidade.
Enviar um comentário
Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin