quinta-feira, junho 09, 2016

A correcção dos velocímetros - 2ª parte

O processo mais simples é o de recorrer a um fundo onde, partindo do mesmo ponto de partida em termos da posição do ponteiro, o incremento compense o dos pneus, fazendo, por exemplo, com que a um aumento de diametro de 10% nos pneus, corresponda o mesmo na escala, o que implica a neutralização do desfazamento.

No caso de um velocímetro que tenha escala regular desde os 0 aos 220 Km/h, um autocolante que, com os extremos coincidentes, termine nos 240 Km/h, introduz a correcção necessária, neutralizando o que resulta do aumento do diâmetro dos pneus, será uma solução adequada e em conta, sobretudo se for impresso em quantidade e destinado aos membros de um clube ou associação.

Para recorrer a esta técnica, basta imprimir um autocolante, de preferência na mesma cor e com o mesmo grau de brilho do original, com o diâmetro correcto e efectuar o cortes ou aberturas necessários, para o odómetro ou o totalizador de quilómetros, bem como para o ponteiro e suporte e repositor a zero, caso exista, e desmontar o vidro original, acedendo assim ao interior do mostrador.

Pode-se, depois de posicionar o autocolante, proceder aos testes, aferindo a velocidade indicada através do GPS, e, caso esteja correcta ou ligeiramente abaixo do indicado pelo ponteiro, fechar o mostrador, que agora indica um valor aceitável para quem procede às homologações, evitando assim custos adicionais que, no caso de velocímetros electrónicos, podem ser superiores à centena de Euros.
Enviar um comentário
Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin