domingo, junho 11, 2017

Lisboa, cidade fechada - 28ª parte

Com a redução do número de lugares de parqueamento em muitas zonas da cidade, os próprios moradores ficam impossibilitados de estacionar dentro dos limites impostos, do que decorre um elevado número de estacionamentos em locais inadequados, muitas vezes impossibilitando os peões de circular nos passeios, com a situação a agravar-se nos bairros residenciais no horário pós-laboral.

No entanto, para a Câmara Municipal de Lisboa, este é um problema não existente, pelo que se limita a agradecer o contacto e a encerrar a ocorrência, alegando que esta se encontra resolvida, enviando o texto que seguidamente transcrevemos e é repetido para as várias participações sobre o mesmo assunto:

"Relativamente à situação apresentada, na qual se refere a estacionamento irregular, apesar de não ter verificado infrações no local, informo V.Exa. que dentro das nossas competências e disponibilidade operacional, vamos continuar a fiscalizar o local e atuando conforme as irregularidades detectadas."

Face à prova fotográfica, e o exemplo é um de muitos e abrange uma única rua, é manifesto que só uma completa ausência de fiscalização e a necessidade de arquivar pendências, sem efectivamente as resolver, estará na base de uma resposta que demonstra a incapacidade da autarquia em lidar com a realidade, nomeadamente quando esta é o resultado das suas acções, concretamente na diminuição de espaços para parqueamento, situação para a qual foi repetidas vezes avisada.
Enviar um comentário
Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin