terça-feira, outubro 02, 2012

"Fase Charlie" termina com números trágicos - 2ª parte

Image Hosted by Google Um incêndio florestal em Portugal

Só o maior incêndio deste ano, que ocorreu em Julho, na Serra do Caldeirão, no Algarve, e devastou os concelhos de Tavira e São Brás de Alportel, destruiu 21.437 hectares, o que corresponde aproximadamente a 22% da área ardida este ano e teve um impacto extremamente negativo no ecosistema e economia algarvias.

Foi, aliás, este incêndio de grandes proporções e que se prolongou vários dias que resultou não apenas em críticas ao modo como decorreram as operações no terreno e a sua coordenação nos vários níveis de comando que levaram o ministro da Administração Interna, Miguel Macedo, a solicitar um relatório à ANPC, após esta ter reconhecido falhas na coordenação ou no comando.

O mesmo ministro, após ter recebido o relatório da ANPC, solicitou uma investigação independente, a qual foi entregue ao professor da Universidade de Coimbra, Domingos Xavier Viegas, considerado como a maior autoridade nacional nesta matéria e que estuda o fogo desde há muito.

A questão do número e tipo de meios envolvidos, bem como a sua coordenação, surgiu igualmente noutros incêndios de grandes proporções, tendo sido necessário solicitar apoio externo através do Mecanismo Europeu de Protecção Civil, do que resultou o envio de dois Canadair franceses e dois espanhóis que reforçaram o dispositivo nacional.
Enviar um comentário
Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin