sábado, abril 06, 2013

A cabeça de tripé KS-0 - 3ª parte

Image Hosted by Google Uma cabeça de tripé KS-0

Após fixar os vários componentes, coloca-se a câmara na cabeça de tripé, conecta-se nesta o sistema de disparo remoto, cujo cabo deve ter, no mínimo, 3 metros de extensão, sendo aconselhável desligar o temporizador que desliga a câmara após um período sem uso.

Obviamente que este sistema tem limitações, que serão maiores no caso de câmaras que não disponham de estabilização de imagem, sendo que, sobretudo com estas, será de equacionar fotografar com o veículo parado ou a circular num terreno regular, evitando solavancos inesperados.

Esta é uma solução pouco convencional, mas se fizermos as contas ao custo de uma barra de faróis simples, que ronda os 50 Euros, a uma cabeça de tripé, que andará pelos 30 Euros, e mesmo acrescentando os poucos Euros de um sistema de disparo remoto, o custo total é bem inferior ao de sistemas de fixação dedicados, desenvolvidos para suportar máquinas fotográficas, com a vantagem acrescida de uma maior flexibilidade.

Pretendemos recorrer a este sistema como complemento da câmara que instalamos no interior do Defender, e que tem óbvias limitações em termos de recolha de imagens noturnas, para além de uma muito menor qualidade, sendo esta uma opção para obter fotografias de melhor qualidade mesmo durante deslocações, de forma a captar situações imprevistas.
Enviar um comentário
Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin