sexta-feira, novembro 01, 2013

O "conto do vigário" dos nossos tempos - 18ª parte

Image Hosted by Google Exemplo de cartão de identidade inglês

É especialmente perigoso fornecer informação pessoal, para além da que normalmente está publicamente disponível na Internet, e mais ainda enviar dados pessoais, que facilitem uma usurpação de identidade, muito usado em burlas, ou fotos íntimas, que, posteriormente, podem ser utilizadas para efeitos de chantagem.

Caso este tipo de situação se verifique, o burlão já teve uma vitória, seja porque provavelmente irá recorrer às informações obtidas para novas burlas, que podem incluir familiares ou conhecidos da sua vítima, pedindo, por exemplo, empréstimos ou solicitando favores, ou, caso o esquema não resulte, optar pela chantagem, ameaçando divulgar fotos embaraçosas caso não sejam efectuados pagamentos.

Infelizmente, a cedência a chantagens não garante o fim das mesmas, sendo mais que expectável que estas prossigam, de forma mais ou menos contínua, até que, por impossibilidade de pagamento ou por tomar outra opção, a vítima abandone os pagamentos, o que pode ter consequências imprevisíveis, que, no limite, podem revelar-se devastadoras em termos pessoais e profissionais.

Mas mesmo que não seja utilizada para efeitos de chantagem, a informação obtida facilita grandemente a usurpação de identidade, que atinge uma gravidade extrema caso tenham sido fornecidas informações pessoais e atingindo o seu perigo máximo caso tenham sido facultados dados oficiais ou referências bancárias.
Enviar um comentário
Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin