domingo, setembro 21, 2014

"Open source vehicle" - 3ª parte

Desta forma, o "Tabby" poderá adquirir a formar de um compacto de 2 lugares, um modelo para 4 passageiros, um veículo urbano ou para fora de estrada, com opções de tejadilho flexível ou rígido, numa infinitude de combinações que, em conjunto com os diversos motores e opções disponíveis, permite conceber exemplares virtualmente únicos.

Estima-se que um "Tabby" possa custar entre os 6.000 e os 8.000 Euros, sendo este um valor indicativo e que, no nosso País, em virtude da carga fiscal, pode ser francamente mais elevado, não obstante os benefícios e isenções para veículos considerados amigos do ambiente, mas, na nossa opinião, será a nível de homologações que surgirão os problemas mais complexos.

Se em muitos países a possibilidade de construir ou alterar veículos é vista de forma liberal, podendo circular na via pública após um conjunto de testes de homologação, em Portugal vigora uma política extremamente restritiva, onde qualquer pequena alteração de um veículo homologado pode implicar um longo processo burocrático para que volte a circular de forma legal.

Desta forma, prevemos que os entraves legais e a manifesta aversão à aceitação de homologações europeias, directas ou de extensão, possam resultar numa impossibilidade real de o "Tabby" vir a circular no nosso País, deixando aos grandes fabricantes o actual protagonismos e aos compradores os pesados encargos que hoje suportam.
Enviar um comentário
Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin