terça-feira, outubro 18, 2016

O alerta no seguimento de veículos - 1ª parte

O lamentável crime que vitimou recentemente um militar da Guarda Nacional Republicana, onde o próprio carro patrulha foi utilizado como meio de fuga, motiva-nos a abordar novamente a questão do seguimento de viaturas, sobre a qual nos debruçamos em numerosos textos previamente publicados, tendo apresentado diversos equipamentos adequados ao efeito.

Um sistema de seguimento, integrando um GPS e um módulo de transmissão de dados, seja recorrendo à rede móvel, seja via sistema rádio, é apenas parte de uma solução, dependendo da gestão e análise dos dados, não apenas quanto aos seu conteúdo, mas também quanto à rapidez com que esta é efectuada, do que depende, em grande parte, a sua valia.

Caso os dados enviados não sejam devidamente utilizados, por exemplo com a sua afixação periódica sobre um sistema de cartografia digital, e não se encontrem implementados os mecanismos de alerta, que pode ser a nível de velocidade ou por sair de uma zona delimitada, o propósito do sistema fica em grande parte perdido, acabando por ser pouco mais do que um mero registo de trajectos, servindo para pouco em termos de segurança ou coordenação de missões.

Seguir um conjunto de veículos, ou outros objectos, implica uma plataforma adequada, eventualmente descentralizada, como forma de evitar que um número excessivo de seguimentos possam dificultar a análise individual que os operadores necessitam de efectuar, bem como a implementação de todo um conjunto de parâmetros de alarme que sejam imediatamente visualizáveis sobre o sistema de controlo.
Enviar um comentário
Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin