quarta-feira, abril 20, 2016

A guerra dos "snorkels" - 6ª parte

O serviço tem um preço variável, conforme o componente ou conjunto de componentes a homologar e a entidade que presta o serviço, mas este começar em menos de uma centena de Euros, para algo simples, como um "snorkel" até centena e meia para averbar uma nova medida de pneus, atingindo um montante bastante mais elevado para conjuntos mais extensos e que impliquem um projecto individual mais complexo e moroso.

Aos custos, que podem incluir modificações relativamente complexas, como a alteração de conta quilómetros electrónicos, no caso, por exemplo, dos Td5, caso se opte por pneus de maiores dimensões, ou outras, menos intuitivas, como a manutenção da distância ao solo do para choques de 55 centímetros, quando se eleva os eixos, acresce sempre o registo no DUA, valor esse pago ao IMTT.

Naturalmente, averbar no DUA a totalidade das modificações, do que resulta um único pagamento ao IMTT e a emissão de apenas um novo DUA sai mais em conta, algo que nem sempre é possível quando as modificações e respectivos testes são desfasados no tempo e surge a necessidade de constarem na documentação do veículo de modo a evitar multas.

Lembramos que enquanto a documentação resultante do processo de testes que visam a inclusão de acessórios não der entrada no IMTT, esta só por sí não legaliza os equipamentos em questão, cabendo à boa vontade e tolerância das autoridades fiscalizadoras a possibilidade de os aceitar o que, provavelmente, acontecerá, caso o espaço de tempo decorrido após o processo de aferição seja curto.
Enviar um comentário
Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin