quarta-feira, março 21, 2018

Mesmo número de aeronaves, menor capacidade operacional - 3ª parte

Com base em notícias publicadas, não excluimos a possibilidade de haver algum tipo de cartelização, ou acordos que estabeleçam preços mínimos, entre alguns operadores deste mercado tão específico, e, caso tal se verifique, necessita de ser devidamente investigado, algo que sabemos ser complexo tratando-se de empresas que têm base em distintos países e operam internacionalmente, mas tal não invalida que se tenha que assumir a existência de boa fé e proceder a uma negociação realista, deixando outras questões para a entidade judicial competente.

Este processo teve erros, patentes no facto de apenas o aluguer de 10 helicópteros ligeiros, de entre um total de 50 aeronaves, ter sido adjudicado num primeiro concurso e no lançamento tardio de um segundo processo, podendo terminar com os sempre lamentáveis ajustes directos, normalmente pouco claros e dispendiosos, bem como na impossibilidade de dispor do número de meios considerados como adequados para integrar o dispositivo para 2018.

Depois da devastação do ano passado, tendo em conta o histórico e os ciclos da Natureza, será de esperar que o ano de 2018 seja bastante mais tranquilo, com as extensas áreas ardidas a servirem de obstáculo contra o progresso das chamas e o maior estado de alerta das populações, bem como as medidas preventivas adoptadas, a, quase certamente, terem peso na contenção dos incêndios.

Por outro lado, mesmo que previsivelmente este seja um Verão comparativamente tranquilo, a tolerância face a qualquer tipo de desastre é nula, com as tragédias ocorridas em 2017 ainda demasiado presentes e muitos dos danos causados por recuperar, quais testemunhas de um dos maiores desastres que ocorreram em território nacional, de onde foram extraídas muito poucos ensinamentos, patentes nas escassas alterações já efectuadas.
Enviar um comentário