segunda-feira, junho 22, 2015

Mais mortos nas estradas portuguesas em 2015 - 4ª parte

Outro factor a ter em conta é o total de quilómetros percorridos, e se nos últimos anos, a avaliar pelo consumo de combustível, diminuição da população activa e diversos estudos realizados, muitos portugueses restringiram o uso do veículo, com alguma expansão no consumo alguns velhos hábitos podem começar a ser reatados, voltando a circular muitos veículos que, em anos mais recentes, pouco terão sido utilizados.

Conduzindo veículos com escassa manutenção, optando por vias secundárias e, eventualmente, com menos prática e um muito maior "stress", talvez mesmo com tendências depressivas ou uma irritabilidade anormal, muitos automobilistas regressam à estrada em condições muito pior do que se encontravam poucos anos atrás, constituindo um perigo para todos, seja para sí próprio, seja para os restantes utentes da via.

Não excluindo a possibilidade de mera coincidência, talvez sejam estas as razões pelas quais no espaço de poucos dias, no Sul do País, ocorreram dois acidentes graves envolvendo autocarros de turismo, ambos devidos a despiste, resultando, no total, sete vítimas mortais e dezenas de feridos, alguns dos quais em estado grave.

Sendo acidentes que, aparentemente, não envolvem outras viaturas, ocorridas em vias em bom estado de conservação, com profissionais ao volante, a análise irá sobretudo incidir sobre o condutor e o estado da viatura, que, pelas suas características, deverá ser submetida a inspecções periódicas mais rigorosas, algo que, infelizmente, é muitas vezes contornado de forma ilícita.
Enviar um comentário
Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin