domingo, abril 03, 2016

Blusões em cabedal - 4ª parte

Os blusões em cabedal, sobretudo os de camurça, obrigam a alguns cuidados, recorrendo a produtos próprios, e a limpeza deve ser cuidadosa e periódica, como forma de os manter em bom estado, com a flexibilidade e estanquicidade adequadas, dependendo do tipo de material concreto, como o tratamento dado ao próprio couro ou ao pelo do forro interior.

Face aos blusões em materiais sintéticos, mesmo que esteticamente semelhantes em termos de desenho e mesmo no aspecto, o que só sucede com modelos mais dispendiosos, os modelos em cabedal tendem a possuir melhores acabamentos, embora se verifiquem excepções, mas sobretudo revelam-se de uma resistência normalmente superior, mesmo no caso da camurça, e com um forro interior muito mais quente e confortável ao tacto, protegendo muito melhor quem o vista.

Naturalmente que os antigos blusões em cabedal possuem algumas vantagens, nomeadamente uma excelente resistência, protegendo de pequenos impactos, uma longevidade que pode ultrapassar a do respectivo proprietário, e um estilo muito próprio, que se pode considerar algo intemporal, sendo frequente passarem de uma geração para outra, enquanto mantêm uma aparência de quase novos.

Se um modelo novo, de um dos fabricantes mais conhecidos, tem um valor bastante alto, que pode ultrapassar os 500 Euros, em segunda mão, mesmo que em muito bom estado, e de uma marca menos conhecida, eventualmente de um modelo mais simples, pode custar apenas um décimo desse preço, ou seja, o equivalente a um blusão novo de um outro material, que durará francamente menos e poderá cumprir muito menos eficazmente a sua função.
Enviar um comentário
Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin