quarta-feira, julho 11, 2018

A Nanocom de 1ª geração - 3ª parte

O manual das Nanocom, tal como o "software" de suporte, está disponível e a sua leitura é essencial para quem pretenda utilizar um equipamento que, acedendo directamente a parâmetros de funcionamento de um veículo, pode causar danos sérios, pelo que se aconselha a uma aprendizagem com alguém com experiência, que possa elucidar quanto a algumas das opções e respectivas consequências, evitando erros com consequências graves.

Dependendo do veículo em que é utilizada, a Nanocom oferece um conjunto de funcionalidades diferentes, embora com um conjunto de traços comuns, como a gestão do motor, modificação de valores ou de configuração de diversos parâmetros de funcionamento, análise de dados, leitura e remoção de códigos de erro, emparelhamento do imobilizador ou ajustes diversos, como alguns modelos de suspensão.

Obviamente, será necessário ao utilizador saber interpretar a informação recebida e, caso necessário, adoptar os procedimentos para efectuar as alterações necessárias ou corrigir problemas existentes, seja pessoalmente, seja recorrendo a quem tenha a capacidade técnica para o fazer, sem o que os dados obtidos serão meramente informativos o que, em muitos casos, será, só por sí, uma vantagem a ter em conta.

A programação de unidades de gestão recorrendo ao envio de um ficheiro, é uma das funcionalidades mais conhecidas das Nanocom, podendo efectuar a salvaguarda da parametrização existente ou enviar um novo mapa, caso o veículo em causa assim o permita, o que acontece, nomeadamente, com os Td5 com as centralinas NNN, que pode ser programado via porta OBD2.
Enviar um comentário