sábado, setembro 28, 2013

Demoras nas alfândegas já atingem os três meses - 5ª parte

Image Hosted by Google Viatura de distribuição dos CTT

Naturalmente que pode ainda surgir outro problema, relacionado com a qualidade de serviço dos CTT, que tem vindo a diminuir, facto patente nos absurdos atrasos, que se traduzem, por exemplo, em uma semana para receber um aviso de recepção ou em mais de duas para que chegue uma encomenda de um país europeu, sendo que, do mesmo destino e para outro país, demorou escassos dias.

Como forma de obviar este tipo de problemas, muitas empresas excluem os CTT, preferindo transportadoras que, por valores muito semelhantes no caso de contratos de volume, oferecem preços francamente competitivos e prazos de entrega bastante menores, do que resulta uma maior satisfação do cliente.

Optar por encomendar dentro do território comunitário ou fora dele, nomeadamente na Ásia, nem sempre é fácil e obriga a um conjunto de escolhas que irão num sentido ou noutro em função dos argumentos prioritários, mas a maioria, se não todos, acabam por traduzir-se numa menor receita fiscal para o nosso País, eventualmente compensada, nalguns casos, com o aumento da actividade económica como resultado da entrada de novos equipamentos e tecnologias.
Enviar um comentário
Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin