quarta-feira, setembro 11, 2013

Localizadores no socorro - 5ª parte

Image Hosted by Google Bombeiros americanos com localizador

Desta forma, em ocorrências de maior dimensão e perigo, onde tipicamente estarão presentes meios aéreos, estaria disponível um sistema de monitorização e alerta, que incluem os localizadores atribuidos às equipas, em em situações críticas terão que se manter unidas, sob o controle de quem seja o responsável pela segurança.

Caso surja um alerta, a primeira fase seria de contenção, através do envio de meios aéreos, orientados a partir de terra e que teriam como missão efectuar as largadas de água necessárias para criar uma zona temporária de segurança, bem como um corredor de acesso que permita o resgate.

Neste caso, a presença de uma equipa devidamente preparada e dispondo de veículos específicos, com maior protecção contra o fogo e sistemas complementares adequados a nível de orientação, visão e comunicações, com a capacidade de transporte suficiente para proceder à evacuação de uma equipa, que percorreria o corredor existente, complementaria a operação de resgate, colocando em segurança os respectivos ocupantes.

A evolução tecnológica permite, para além de uma maior protecção a nível individual, implementar sistemas que protejam de forma mais adequada todos quantos participem em missões de risco e, se tal tem sido estudado e implementado noutras áreas, como nas forças armadas, nada justifica que o mesmo não se passe com quem arrisca a vida no combate aos fogos, onde o número de vítimas tem sido elevado ao longo dos últimos anos.
Enviar um comentário
Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin