domingo, agosto 04, 2013

Vitorinos Seguros, um exemplo de alheamento - 1ª parte

Image Hosted by Google Mapa com o esquema do acidente

Inevitavelmente, na sequência do pequeno acidente com o Discovery, contactamos o nosso mediador de seguros, a Vitorino, enviando a declaração amigável devidamente preenchida, tendo, com alguma demora, sido efectuada a peritagem, após o que os atrasos se começaram a avolumar, tal como a falta de iniciativa da Vitorinos.

O acidente ocorreu na estrada de Mercês-Algueirão, quando, na altura em que o Discovery virava para a esquerda, para entrar num posto da Galp, assinalando a manobra e depois de esperar que um veículo em sentido contrário passasse, foi abalroado por um BMW, que ultrapassou a fila de trânsito imobilizada, embatendo e vindo a imobilizar-se várias dezenas de metros após a colisão.

Dado que consideramos que o acidente decorreu da condução perigosa do outro condutor, que ultrapassou indevidamente uma fila de trânsito imobilizada, mais que evidente para todos menos para a respectiva seguradora, o processo irá ainda decorrer, sendo o seu final imprevisível, mas deste excluimos a Vitorinos, que, pelo seu comportamento, não merece a nossa confiança neste tipo de acção.

Não obstante, na nossa opinião, e conforme a percepção de todos os presentes, a responsabilidade dever ser atribuida ao veículo que embateu contra o Discovery, a Allianz sempre insistiu numa responsabilidade repartida, pelo que, para além de reportar a situação ao Instituto de Seguros de Portugal e à DECO, optamos pela mediação do Centro de Informação, Mediação, Provedoria e Arbitragem de Seguros.
Enviar um comentário
Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin