domingo, novembro 21, 2010

GNR identifica 50 suspeitos de atear fogo em Vila Real - 1ª parte

Image Hosted by ImageShack
Uma floresta queimada em Portugal

A Guarda Nacional Republicana (GNR) investigou, desde o início deste ano, um total de 1.200 incêndios florestais no distrito de Vila Real, tendo identificado um total de 50 suspeitos de terem ateado fogos intencionalmente ou por negligência.

Segundo o Serviço de Protecção da Natureza e do Ambiente (SEPNA), perto de 60% dos fogos deveram-se à negligência resultante de queimadas destinadas a renovar pastagens ou à limpeza de solos agrícolas ou florestais, outros 30% terão tido origem em actos deliberados, enquanto os restantes terão origem em causas naturais ou desconhecidas.

Neste distrito, o número de ocorrências aumentou substancialmente este ano devido às condições atmosféricas propícias e ao acumular de combustível, resultante do crescimento de matos em zonas onde se verificaram fogos há alguns anos, bem como da falta de limpeza de áreas florestais.

Estes dados são do SEPNA, o serviço da GNR responsável pelas acções de fiscalização, prevenção, detecção e investigação de incêndios florestais, e refletem em grande parte a posição das entidades oficiais, com uma larguíssima percentagem de ocorrências a derivar da acção humana directa, acabando por responsabilizar o elo mais fraco de toda uma longa cadeia.
Enviar um comentário
Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin