sábado, janeiro 29, 2011

Anti-congelante e baixas temperaturas - 2ª parte

Image Hosted by ImageShack
Um anti-congelante para temperaturas extremas

A maioria dos anti-congelantes vendidos nas grandes superfícies congela entre os -2 e os -5º, o que é aceitável para o Sul do País, mas insuficiente para o Norte, onde durante a noite as temperaturas podem ser francamente inferiores resultando no congelamento do líquido que, ao deixar de circular, deixa de arrefecer devidamente o motor.

Salientamos ainda que o volume de um líquido aumenta quando este congela, correndo-se o risco de provocar danos nas tubagens devido ao aumento de pressão que daí resulta, situação que ocorre mesmo e sobretudo com o motor parado, dado que nestas condições não há aquecimento mecânico.

É certo que um anti-congelante de melhor qualidade e capaz de suportar temperaturas mais baixas será francamente mais dispendioso que os que habitualmente se encontram nas grandes superfícies, e que em motores de maior capacidade será necessário mais de uma dezena de litros, mas este é um investimento a ter em conta caso se transite em locais onde a temperatura seja negativa.

Sugerimos, para quem se desloca a zonas nevadas no Norte e Interior do País que escolham um anti-congelante que suporte até aos 20 ou 25º negativos e que obedeça às especificações do fabricante do veículo, seguindo escrupulosamente as instruções de utilização.
Enviar um comentário
Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin