quinta-feira, janeiro 27, 2011

Já só metade dos portugueses vota - 2ª parte

Image Hosted by ImageShack
Um leitor de cartões

É patente que desta implementação tecnológica resultou um aumento das abstenções, mas esta deve-se essencialmente a um completo divórcio entre a actual classe política e os eleitores, demonstrando uma completa falta de confiança e a necessidade de terminar este ciclo político que já nada de novo e positivo tem a trazer.

Manifestamente, a descrença tem vindo a aumentar na proporção da crise que se atravessa e das respostas dadas a nível governamental, sendo óbvio que a ausência de uma perspectiva estratégica e os sacrifícios pedidos em muito contribuem para este protesto silencioso.

Como resposta, ao invês de entender a mensagem e mudar de atitude, surge uma vez mais a ideia de tornar o voto obrigatório, forma de camuflar uma realidade insofismável e de conferir uma pálida imagem de normalidade a um regime onde a democracia surge como uma teoria que diariamente se afasta da realidade.

Este não é um sistema esgotado, mas tão somente uma peça a que somos obrigados a assitir, pagando o respectivo ingresso, onde os protagonistas, pela sua falta de talento, há muito deviam ter sido substituidos ao invés de prolongarem uma triste história que já ninguém aplaude.
Enviar um comentário
Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin